Autor: alexchaves



Prevenção e reinserção social são temas da Semana de Políticas sobre Drogas

Prevenção ao uso de drogas; ações de cuidado e reinserção social em comunidades terapêuticas; redução da demanda e da oferta de drogas; intersecções entre uso, tráfico e homicídios no Brasil e as políticas externa e nacional são os temas dos painéis de debate programados para os dias 25 e 26 de junho (segunda e terça-feiras), pela Secretaria Nacional de Políticas Sobre Drogas do Ministério da Justiça (Senad/MJ), no âmbito da Semana Nacional de Políticas sobre Drogas 2018.

A Semana Nacional sobre Drogas foi instituída por meio do Decreto n° 28 de maio de 1999 e tem como objetivo principal promover a conscientização e a mobilização da sociedade brasileira quanto à prevenção ao uso de drogas. O encerramento do evento será no final do dia 26 (terça-feira).

http://www.justica.gov.br/news/collective-nitf-content-53



‘Distúrbio de games’: OMS classifica vício em videogames como doença

A Organização Mundial de Saúde (OMS) incluiu nesta segunda-feira (18) a obsessão por videogames como um dos problemas de saúde mental que constam na 11ª Classificação Internacional de Doenças (CID). A medida já tinha sido anunciada em janeiro, mas faltava a publicação. (Veja, abaixo, vídeos com reportagens do Fantástico e do Jornal Nacional sobre o […]



Cidadania e patriotismo inspiram projeto de lei em Maringá

Preocupados com importância do patriotismo na vida das crianças e adolescentes, os vereadores Alex Chaves (PHS) e William Gentil (PTB) elaboraram um projeto de lei que obriga a execução do Hino Nacional e do Hino a Maringá nos estabelecimentos de ensino, públicos e particulares; em competições esportivas e eventos realizados pela Administração Municipal de Maringá. […]



Conheça os efeitos devastadores da cocaína no corpo

Uma das drogas mais perigosas, a cocaína é extraída da planta Erythroxylon coca, encontrada na América do Sul e Central. Produzida em laboratório, ela é uma droga sintética e também considerada psicotrópica, pois, atua diretamente no sistema nervoso central.
Essa substância de efeitos devastadores, geralmente é consumida por aspiração, mas também pode ser injetada ou ingerida. Sendo que, depende da forma como é consumida pode trazer mais ou menos riscos à saúde.
Sobre o potencial de vício da cocaína, estudos comprovam que ao começar a usar a substância, torna-se quase impossível livrar-se física e mentalmente deste pó branco.
Isso acontece porque ela cria alterações no corpo, atuando nas terminações nervosas, já na parte cerebral, cria uma euforia facilmente tolerável, exigindo assim cada vez mais, um consumo maior em busca da mesma sensação.
Mas, claro, as consequências desse tipo de vício são devastadoras, independentemente da frequência ou quantidade de uso, como você confere abaixo.
Efeitos da cocaína no corpo
À medida que viaja pela corrente sanguínea até chegar ao cérebro, a cocaína vai destruindo o corpo, afetando diretamente os órgãos. Os mais afetados, são:
Coração: causando arritmia, aumento da frequência cardíaca e da pressão arterial e infarto;
Rins: podendo levar a falência renal súbita;
Trato gastrointestinal: causando úlceras e perfurações estomacais e intestinais;
Pulmão e sistema respiratório: causando danos pulmonares permanentes e perfuração das vias respiratórias;
Cérebro: levando a derrame e convulsões.
Efeitos da cocaína a curto prazo
Abaixo, alguns dos possíveis sintomas a curto prazo.
• Morte súbita
• Convulsões
• Ataques epiléticos
• Perda de apetite
• Pupilas dilatadas
• Náuseas
• Distúrbios no sono
• Alucinações
• Euforia intensa
• Pânico
• Comportamento bizarro e violento
Efeitos da cocaína a longo prazo
• Destruição dos tecidos nasais (quando cheirada)
• Danos nos rins, fígado e pulmões
• Insuficiência respiratória (quando fumada)
• Cáries profundas
• Perda de peso
• Disfunções sexuais
• Depressão severa
• Transtorno de humor
Como é o tratamento para dependentes da cocaína?
O tratamento é realizado de forma multiprofissional, onde são adotas medidas psicoterapêuticas e farmacológicas, sendo realizado em parceria com a equipe de profissionais, amigos e familiares do dependente.
Sendo que, o objetivo principal do tratamento é de manter o indivíduo em abstinência da droga, para com isso, tratar os primeiros sintomas e os problemas de saúde derivados do uso da cocaína, preferencialmente esse tratamento é ambulatorial, entretanto em alguns casos ocorrerá a internação para o tratamento.
Entretanto, essa internação deve ocorrer somente sobre orientação médica, uma vez que muitos pacientes estão mais propensos a aceitar um tratamento sem internação.
Mas, claro, uma vez realizado o tratamento, muitos dependentes estão sujeitos a recaídas. Para evitar que isso ocorra, é preciso que os dependentes em recuperação evitem situações que facilitem a utilização da droga e priorizem uma mudança radical no estilo de vida.

Conheça os efeitos devastadores da cocaína no corpo



Ausência dos pais pode levar jovens às drogas

Um dos grandes fatores para o uso de drogas pelos jovens está na ausência dos pais, isto é, deixam os filhos serem criados pelo mundo lá de fora, não estando presentes em diversas situações de dúvidas, carências e maior atenção. A escola ‘escolariza’, isto é, ensina a ler e a escrever; quem educa são os pais, sobre o que é certo e errado, limites, etc. Quando os pais são presentes, os filhos não terão problemas em encarar o mundo e saber o que é bom e o que é ruim para si mesmos. A família é de fundamental importância na vida dos jovens para educá-los e informá-los sobre as drogas”, É o que afirma o psicólogo Carlos Soares, especialista em Terapia Cognitiva, Comportamental, Orientação Vocacional e Profissional e Psicologia da Educação.

Ausência dos pais pode levar jovens às drogas, diz psicólogo



Maconha oculta em caixas de essência para Narguilé é apreendida na Ponte Internacional da Amizade

Maconha oculta em caixas de essência para Narguilé é apreendida na PIA Na ultima segunda-feira (11), na Aduana da Ponte Internacional da Amizade, no âmbito da Operação Fronteira Integrada, ação conjunta entre servidores da Receita Federal, policiais do BPFron e da Força Nacional resultou na apreensão de maconha oculta. A ação ocorreu por volta das […]

 

Manual orienta cobertura jornalística sobre drogas

A Secretaria de Assistência Social e Cidadania (Sasc) divulga manual para orientação e embasamento de jornalistas sobre a temática relacionada ao uso de álcool e outras drogas. A ação integra deliberação do Conselho Municipal de Políticas Sobre Drogas (Comad) e foi motivada pela observação de que a divulgação de notícias relacionadas ao uso de drogas vem sempre acompanhada de informações equivocadas ou mesmo preconceituosas.
“O objetivo é gerar uma linguagem universal para os jornalistas tratarem o tema, atentando-se ao respeito e humanização dos indivíduos”, salienta o diretor de Programa Sobre Drogas da Sasc, Paulo Gustavo de Lima.
Com mais de 90 páginas, o guia apresenta glossário com diversos termos recorrentes na cobertura jornalística, além de lista de mitos e verdades sobre as drogas, e como destacado no próprio guia “para olhar a questão das drogas por outro ângulo, fugindo dos lugares-comuns do discurso médico isolado, dos chavões proibicionistas – e antiproibicionistas – e comprometendo-se com a oferta de informação de qualidade
para quem consome o noticiário, no formato que for.”
O material poderá ainda facilitar apurações e ser um instrumento de consulta nas coberturas, fornecendo referências bibliográficas, fontes e dicas para obtenção de dados. O projeto foi financiado com recursos do Drugs, Security and Democracy (DSD), Program do Social Science Research Council, o qual conta com o apoio financeiro da Open Society Foundations. Texto e edição de são Tarso Araújo.
A divulgação do manual é realizada no mês da Semana Municipal de Prevenção sobre Drogas que acontece entre os dias 23 e 29 de junho. Serão promovidos plantões de prevenção, atividades culturais com pessoas em situação de rua, blitz de prevenção, Fórum Intermunicipal de Políticas sobre Drogas e audiência pública. Marcam também a Semana, ações no Cense, Ala Feminina da 9ª SDP, capacitações para servidores, sessão de cinema na Colônia Penal entre outras atividades.



Sasc intensifica ações de abordagem de pessoas em situação de rua

A Prefeitura de Maringá, por meio da Secretaria de Assistência Social e Cidadania (Sasc) e Defesa Civil, intensificam as ações da ‘Operação Inverno’ devido as baixas temperaturas registradas nos últimos dias na cidade.
Três equipes da Sasc e Defesa Civil fazem abordagem em locais estratégicos quando os termômetros marcam temperatura igual ou inferior a 10 graus. O serviço de plantão atua 24 horas e a população pode ligar para solicitação de abordagens específicas.
O trabalho tem por objetivo o encaminhamento voluntário para os locais de acolhimento. Neste ano a Casa de Passagem (albergue Santa Luzia de Marillac) e duas igrejas disponibilizam espaço para atendimento da população. Nestes locais são oferecidos alimentação, higiene e pouso. Quando os moradores em situação de rua negam o acolhimento nos espaços, são distribuídos cobertores.
Na madrugada da última sexta-feira, 8, quando a temperatura chegou a 8 graus foram realizadas 68 abordagens, resultando em 39 acolhimentos e um encaminhamento hospitalar, além da entrega de 30 cobertores. O coordenador de abordagem social, Marco Augusto da Silva, pede auxílio a população. “A entrega de cobertores tem sido grande e estamos com poucas unidades disponíveis. Quem puder ajudar pedimos que procure o Provopar para fazer a doação.”

Saiba mais:
Para doação de cobertores – Provopar: (44) 3221-1508
Secretaria de Assistência Social e Cidadania – Sasc: (44) 3221-6419
Serviço de plantão da Operação Inverno (24 horas): (44) 99103-5661



Veja o que acontece o cérebro de uma pessoa sob efeito do LSD

Cientistas visualizaram e reproduziram em imagens, pela primeira vez, como reage o cérebro de uma pessoa sob efeito de LSD, o ácido lisérgico, uma das drogas mais potentes já produzidas. As imagens foram feitas a partir de 20 voluntários que consumiram a substância e se submeteram a exames de escaneamento de sua atividade cerebral enquanto “viajavam” com a droga psicodélica.
A pesquisa, pra lá de controversa, foi publicada no periódico “Proceedings of National Academy of Science (PNAS)” , dos Estados Unidos.

Equipes médicas foram até o local com ambulâncias Conferência de homeopatia termina em caos, após participantes tomarem droga semelhante a LSD
‘Drogas psicodélicas têm mais restrições que heroína e cocaína’, diz especialista
Após fundar a Apple, Steve Jobs parou de usar o LSD, conta amigo
Amigo conta a experiência de tomar LSD com Steve Jobs
Uma dose de LSD, injetada no sangue em vez de consumida em gotas, para ter efeito mais instantâneo, desencadeou uma onda de mudanças na atidade do cérebro dessas pessoas. De acordo com os pesquisadores da universidade Imperial College, em Londres, no Reino Unido, os resultados observados levaram a novas teorias sobre alucinações visuais e as sensações de cada usuário.
Em condições normais, as informações capturadas pelos olhos são processadas numa área específica do cérebro, chamada córtex visual, na parte de trás do órgão. Porém, os cientistas perceberam que, sob efeito do LSD, diversas outras áreas contribuíram para o processamento visual. É como diversas “luzes” se acendessem, espalhadas pelo cérebro de quem está e plena viagem psicodélica. Normalmente segregadas, essas regiões passam a se comunicar entre si.

Aparentemente, a droga quebra barreiras que separam essas áreas umas das outras, fazendo com que visão, movimentação e audição se embaralhem, criando pensamentos “impossíveis”.

– Observamos mudanças no cérebro sob efeito do LSD que sugerem que nossos voluntários estavam enxergando com os olhos fechados. Logo, eles estavam vendo coisas da sua imaginação, e não do mundo exterior – diz o pesquisador Robin Carhart-Harris, da Imperal College. – Várias áreas do cérebro estavam contribuindo para o processamento visual, ainda que os voluntários estivessem de olhos fechados. O tamanho desse efeitos se correlacionava com a complexidade dos sonhos dos participantes, segundo relatada por eles próprios.

O LSD foi produzido pela primeira vez pelo químico suíço Albert Hoffman, em 1938, mas ele só descobriu as propriedades alucinógenas da substância anos depois, quando, acidentalmente, ingeriu uma quantidade significativa da droga. Apesar de ser considerada ilegal na maioria dos países, o ácido lisérgico é bastante usado desde os anos 60, quando foi popularizado por artistas e membros da cultura hippie.

Leia mais: https://oglobo.globo.com/sociedade/ciencia/veja-que-acontece-cerebro-de-uma-pessoa-sob-efeito-do-lsd-19060739#ixzz5HlL69htq
stest