Maringá fica 30 dias sem registrar crime de homicídio na cidade

O delegado Diego Almeida, responsável pela Delegacia de Homicídios de Maringá, não está comemorando, mas diz estar satisfeito com o trabalho de sua equipe policial. A cidade de Maringá está há exatamente um mês sem registro de crime de homicídio na cidade. O último assassinato foi do presidiário Henrique de Alencar Maravilha, de 29 anos, que foi espancando dentro da carceragem da 9ª Subdivisão Policial de Maringá.

O crime contra o detento ocorreu na madrugada do dia 18 de março. Em 2018, já foram registrados 8 crimes contra a vida em Maringá. No mesmo período do ano passado tinham sido registrados 12. O delegado Diego Almeida declarou que dos 8 assassinatos em 2018, 6 estão esclarecidos e elucidados com pessoas presas e outras identificadas.

Para o delegado da D.H, o resultado é o esforço de sua equipe juntamente com o trabalho de patrulhamento ostensivo da Guarda Municipal e Polícia Militar. Diego Almeida diz que a polícia segue atenta e estimulada no sentido de impedir que os crimes violentos aconteçam. “A polícia não vai esmorecer, muito pelo contrário, evitar os crimes violentos é uma luta contínua e não vamos baixar a guarda”, garante o delegado.

Em 2017, Maringá ficou mais de 60 dias sem registrar nenhum crime de homicídio na cidade. 

 



Adolescente vai a delegacia de sarandi e assume tentativa de homicídio

Um adolescente de 17 anos acompanhado do advogado criminal, Emerson Farias, compareceu na delegacia de Sarandi e confessou ter baleado a vítima Jhonatan Henrique Lopes de Melo, de 22 anos. A tentativa de homicídio foi registrada na noite de domingo (15) no Jardim Castelo, em Sarandi. A vítima foi ferida por tiros nas nádegas, pênis, pescoço, e depois foi ainda atingida por coronhadas na cabeça.

O menor disse em seu depoimento que no passado teve uma desavença com Jhonatan por causa de uma garota. Houve ameaças de morte na época segundo o adolescente. No depoimento, o suspeito ainda declarou que mudou de Sarandi para a cidade do Mato Grosso onde ficou um tempo.

Quando retornou para Sarandi, as ameaças teriam continuado. No último dia 13, a vítima na companhia de mais dois rapazes teriam ido até a casa do adolescente em um automóvel VW Gol e efetuado um disparo de arma de fogo na esquina para intimidar o menor. No dia 14, o adolescente foi até a cidade de Maringá e adquiriu um revólver calibre 38 na Praça Raposo Tavares.

No dia 15, o adolescente foi em busca de acabar com as ameaças atirando contra Jhonatan Henrique. O adolescente ainda disse em depoimento que agiu sozinho e comprou a arma de fogo com dinheiro que ganha recolhendo reciclados. O suspeito foi liberado para responder o crime em liberdade.

O advogado de Sarandi, Emerson Farias, apresentou o revólver usado no crime. A vítima que foi baleada continua internada no Hospital Metropolitano.



Motorista causa acidente em sarandi e mata passageira de moto

Uma tragédia aconteceu no início da noite desta quarta-feira (18) em Sarandi. Um acidente entre um GM Monza com placas de Maringá e uma motocicleta Yamaha YBR Factor com placa de Sarandi deixou uma pessoa morta e outra gravemente ferida. A batida entre os veículos aconteceu na Avenida João Marangoni com Rua Dom Pedro l, no Jardim Novo Independência.

O automóvel Monza que seguia pela Rua Dom Pedro l teria invadido a preferencial da motocicleta que descia a avenida. O piloto da moto identificado pelo nome de Wilhans Rizato da Silva, de 35 anos, bateu violentamente na lateral do carro. A garupa da moto identificada pelo nome de Nagila Talita Martins, de 25 anos, morreu após sofrer uma parada cardíaca dentro da ambulância do Siate.

Médico do Samu de Maringá com apoio de socorristas tentaram reanimar a vítima por cerca de 40 minutos mas sem sucesso. O motociclista sofreu ferimentos gravíssimos e precisou ser levado com urgência para o pronto socorro do Hospital Metropolitano de Sarandi. No local do acidente, a PM tomou conhecimento que uma mulher estaria dirigindo o Monza, e que depois de alguns minutos um homem teria ido ao local assumir a direção do carro.

De qualquer forma, um senhor de 57 anos identificado pelo nome de João Sobrinho, disse aos policiais que ele era o motorista do carro. O condutor do Monza realizou o teste do etilômetro e o resultado foi negativo. O corpo de Nagila Talita foi levado pelo Siate até a sede do Instituto Médico Legal de Maringá.



Réus são absolvidos de crime de homicídio que aconteceu em sarandi

Terminou no final da tarde desta quarta-feira (18), o julgamento de dois rapazes que estavam sendo acusados de terem praticado um crime de homicídio em fevereiro de 2017 na cidade de Sarandi. Os réus Hilton Jhon Roberto da Silva, de 20 anos, e Israel Vinicius Fagundes Mantovani, de 23, foram absolvidos do crime de homicídio duplamente qualificado.

A vítima Wesley Fernando de Oliveira, de 27 anos, o conhecido “jacaré”, foi morta com vários tiros na rua Camapuã, no Jardim Esplanada. Os autores do crime fugiram na época de bicicleta. Uma investigação foi feita pela Polícia Civil de Sarandi. Testemunhas foram ouvidas, e a conclusão do inquérito policial apontava que Hilton Jhon e Israel Vinicius seriam os autores do assassinato.

Os dois rapazes foram presos na época pela PC. No júri popular que aconteceu no Fórum de Sarandi, o Juiz Marcio Augusto Matias Perroni presidiu a sessão, acompanhado da Promotora de Justiça, Mônica Maciel Gonçalves. O advogado de Sarandi, Reginaldo Munhoz Rodrigues, que defendeu Hilton Jhon, ficou satisfeito com a decisão do corpo de jurados.

O advogado maringaense, criminalista Dr. Ragiotto, também ficou satisfeito com a decisão dos jurados. Os advogados criminais disseram ao repórter André Almenara que os réus foram absolvidos por negativa de autoria, ou seja, não ficou confirmado que os dois rapazes participaram da morte de Wesley Fernando. 

Israel Vinicius Fagundes Mantovani deverá ser colocado em liberdade nas próximas horas. Já Hilton Jhon que tem uma condenação por tráfico de drogas ainda permanecerá detido na delegacia. Da acusão do homicídio, Hilton está livre. 



Reencontro emocionante entre socorristas e vítimas que sobreviveram a acidente

No dia 9 de abril de 2018, um casal seguia com a família em comboio para a cidade de Tapejara quando se envolveu em uma batida frontal com outro veículo na rodovia PR-551 que dá acesso a cidade de Ivatuba. Antônio dos Santos, de 39 anos, que dirigia o GM Kadett morreu na hora. A esposa Kátia Aparecida, de 31 anos, sofreu ferimentos, e os dois filhos de 10 e 12 anos ficaram em estado grave.

Anthony Kaue da Silva Santos, de 12 anos, precisou ser entubado pela equipe médica do Samu e depois transportado de helicóptero para Maringá porque corria o sério risco de morrer. A condutora do Fiat Palio identificada pelo nome de Carla Adriana Leite Arrieira, de 42 anos, sofreu ferimentos e sobreviveu ao acidente.

No dia do resgaste, 30 profissionais do Corpo de Bombeiros, Samu e enfermeiros da cidade de Ivatuba participaram do atendimento com um único propósito, salvar a vida dos demais que ainda tinham chances de vida. Esta semana, o médico do Samu, Mauricio Lemos, ficou sabendo que os irmãos tinham sobrevividos ao acidente, de forma carinhosa marcou uma visita no Hospital Santa Casa para dar um abraço e levar uma lembrança aos meninos que ainda estão com ferimentos pelo corpo e tristes pela perda do pai.

Todos os socorristas do Corpo de Bombeiros e do Samu que participaram do resgaste aceitaram o convite e foram conhecer os irmãos Anthony e Kaíque Henrique. Foi muita emoção, lágrimas de alegria dos dois lados, tanto dos familiares que agradeceram a Deus pela nova vida e pelos anjos do asfalto, e pelos socorristas que acreditaram que podiam fazer a diferença e salvar a vida dos acidentados.

Até mesmo a imprensa que pode acompanhar o reencontro se emocionou. O garotinho de 10 anos não aguentou as lágrimas e chorou ao lembrar que o pai morreu. “Eu e meu irmão temos que ser fortes agora para cuidarmos de nossa mãe”, disse Kaíque. Para o oficial do Corpo de Bombeiros, tenente Ferelli, ver as crianças com vida foi a maior alegria, e que a integração do Corpo de Bombeiros e Samu vai 



Polícia civil de paiçandu esclarece o último homicídio na cidade

A Polícia Civil da cidade de Paiçandu cumpriu um mandado de busca e apreensão no final da tarde de terça-feira (17) e conseguiu deter um adolescente de 17 anos que confessou ter matado uma pessoa na semana passada. Um revólver calibre 38 com alguns cartuchos deflagrados foi localizado escondido em um matagal.

O menor de 17 anos contou aos policiais que matou João Vitor Aires Machado, de 27 anos, porque a vítima teria adquirido um carro Ford Escort e não teria pago o valor de R$ 500,00. “Eu me deitei no meio do mato na frente da casa dele e esperei ele chegar. Quando João chegou com o veículo que era meu, não me hesitei em acabar com a vida dele”, disse o adolescente.

O autor do crime ainda contou que na véspera do crime foi até a casa do pai da vítima para cobrar a dívida do carro, e na frente da residência João Vitor teria saído armado e corrido atrás do adolescente. A Polícia Civil de Paiçandu disse que o adolescente agiu sozinho, apesar que no dia da morte da vítima testemunhas viram uma moto com duas pessoas.

O menor assumiu toda a responsabilidade e disse ter agido sozinho. Um dos investigadores disse ao repórter André Almenara que o menor já tem uma vasta ficha criminal em Alto Paraná. O adolescente já cometeu assalto contra agência dos Correios, tráfico de drogas quando tinha 14 anos, e furto de vídeo-game na cidade de Paiçandu.

O menor foi encaminhado ao Censi logo após ter sido ouvido na delegacia. Paiçandu registrou até o presente momento dois crimes de homicídio. No mesmo período do ano passado, já tinha sido registrado na cidade sete crimes contra a vida. 



Falta de comunicação entre forças policiais causa pânico em maringá

O desfecho de uma ocorrência policial poderia ter causado troca de tiros entre policiais de Maringá e de Tocantins. No final da tarde desta terça-feira (17), a Denarc de Palmas veio a Maringá para cumprir um mandado de prisão contra Pâmela Martins Ribeiro, de 27 anos. Os policiais esperaram a suspeita sair de um salão de beleza onde trabalhava como manicure para dar o “bote”.

Os policiais ocupando uma camionete VW Amarok com placas de Tocantins cercaram a mulher, se identificaram como sendo policiais, algemaram a mesma e a colocaram na viatura descaracterizada. A ação policial na área central deixou pessoas assustadas. Amigas de Pâmela foram comunicadas ainda no salão que a funcionária teria sido sequestrada por vários homens.

Uma equipe da PM foi comunicada sobre o fato e imediatamente ligou para as delegacias da Polícia Federal e Civil perguntando se uma mulher tinha sido presa por homens em uma camionete prata. A resposta foi que não. Enquanto isso, a suspeita que estava em poder dos policiais de Tocantins tinha ido em sua casa onde estava seus quatro filhos.

Durante esse intervalo, a Polícia Civil de Maringá se mobilizou com vários policiais para cuidar do caso, inclusive policiais do TIGRE de Curitiba já tinham sido comunicados sobre o possível sequestro. A Denarc de Tocantins só foi comunicar o 190 da PM de Maringá quando a suspeita já estava sendo encaminhada para a delegacia da Polícia Civil.

Para o delegado-chefe da 9ª SDP, Pedro Fontana, os policiais poderiam ter comparecido na delegacia e comunicado que estavam na cidade para cumprir uma ordem judicial. Para um investigador de Maringá, faltou ética da parte dos policiais de fora. “Esse tipo de ação poderia ter causado tiroteio entre as polícias”, disse o investigador. 

 

 



Rapazes suspeitos de terem matado um jovem em sarandi serão julgados

Está marcado para acontecer na manhã desta quarta-feira (18) no Fórum de Sarandi, o julgamento de dois rapazes que são suspeitos de terem cometido um crime de homicídio contra Wesley Fernando de Oliveira, de 27 anos, o conhecido “jacaré”. O assassinado ocorreu no dia 26 de fevereiro do ano passado na rua Camapuã, no Jardim Esplanada, em Sarandi. 

Wesley foi executado com vários tiros na cabeça, tórax e braço morrendo no local. Os réus são Hilton Jhon Roberto da Silva e Israel Vinicius Fagundes Mantovani. O Ministério Público ofereceu a denúncia de  os suspeitos são culpados pela morte de Wesley. Ainda de acordo com o MP, os suspeitos estavam de bicicleta no dia do crime, sendo que Israel Vinicius que estava na garupa teria efetuado os disparos contra a vítima.

O advogado maringaense, criminalista Dr. José Carlos Ragiotto, irá defender Israel Vinicius Fagundes.



Criança de ourizona que se afogou em piscina morre no hospital

Infelizmente Gabriel Rissato, de apenas 4 anos, faleceu na madrugada desta terça-feira (17) no Hospital Universitário de Maringá. O menino se afogou em uma piscina na casa de um amigo na cidade de Ourizona no último sábado (14). A criança teve parada cardíaca, foi levada até o hospital da cidade onde recebeu os primeiros atendimentos, teve apoio de uma equipe médica do Samu de Maringá onde tiveram sucesso em reverter o quadro clínico da vítima.

O menino foi trazido de aeronave para Maringá em estado grave. A família recebeu a notícia do falecimento de Gabriel nessa madrugada. A criança era o único filho de Vagner e Patricia. A cidade de Ourizona está de luto. Em contato com uma tia de Gabriel, ela não soube ainda informar o horário de velório, mas garantiu que Gabriel será velado e sepultado em Ourizona.

Que Deus possa confortar os corações dos pais e familares nesse momento de tanta dor. 



Polícia civil prende suspeitos que agrediram e roubaram taxista

A Polícia Civil de Maringá deu uma resposta rápida e colocou na cadeia três rapazes que participaram de um roubo contra um taxista que ocorreu no último dia 12 de abril. O taxista que tem idade avançada foi chamado para uma corrida perto da hora do almoço. Ao chegar próximo da fábrica da Coca-Cola, os suspeitos renderam a vítima que conduzia um Toyota Corolla de cor prata.

O taxista recebeu voz de assalto e partiu pra cima dos meliantes. Um dos suspeitos agrediu o motorista que teve um dos dedos da mão quebrado. Celular, dinheiro e o automóvel foram levados pelo trio. A seção de furtos e roubos da 9ª SDP entrou no caso e desvendou o crime dois dias depois.

Foi preso Cristian Gabriel Lino Mendes, de 23 anos, e Leonardo Miranda de Souza, de 18. Os dois suspeitos foram abordados com o carro na Rua Lopes Trovão, na zona 4, em Maringá. Na manhã desta segunda-feira (16), os policiais prenderam o terceiro suspeito. Wesley Henrique Pereira da Rocha, de 20 anos, foi encaminhado para a delegacia.

De acordo com o chefe da Furtos e Roubos, Everaldo Fernandes, os três suspeitos são moradores da cidade de Mandaguaçu. A polícia agora investiga a participação dos suspeitos em outros crimes que foram praticados contra outros taxistas.