Mês: julho 2009

 

Manifesto

Este blog vem denunciando as irregularidades, imoralidades, indecorosidades, bandalheiras, politicagens, imbecilidades e todas as formas de idiotices emanadas pelo Executivo e Legislativo brasileiros, instituições recheadas de gente corrompida e incompetente. Por esta razão, fiz questão de inserir o Manifesto abaixo, editado pelo Lyons Clube de Blumenau, que está publicado na íntegra:

O Lions Clube de Blumenau Centro, reunido em assembléia no dia 15 de julho de 2009,
formulou e aprovou por unanimidade a divulgação ao país, por todos os meios ao seu
alcance, do seguinte manifesto.

LIONS CLUBE DE BLUMENAU CENTRO
CNPJ 01.445.120/0001-65
O sentimento da população brasileira para com a política e os políticos é de profunda indignação e revolta. Infelizmente os desmandos são de tal ordem e número que, além deste sentimento de frustração, as pessoas parecem estar anestesiadas.
O Lions Clube de Blumenau Centro, com 53 anos ininterruptos de serviços prestados à comunidade, tem, entre seus objetivos, o estímulo ao patriotismo. Conta até hoje em suas reuniões com alguns dos seus fundadores, forma um grupo preocupado com o Brasil e também se sente atingido por esta indignação, que é notória nas ruas.
Em vista disso elaborou o presente manifesto, a ser divulgado de todas as formas e por todos os meios possíveis, objetivando despertar o país da letargia e reverter o quadro lamentável que se espalha entre os brasileiros responsáveis.
Ainda que os índices econômicos possam aparentar uma certa tranquilidade, ela é ilusória, na medida em que padrões éticos estão sendo vilipendiados diuturnamente nos mais variados níveis da administração pública. Eles são tanto mais graves, quanto mais próximos da esfera federal.
Escândalos de toda ordem, desde malversação do erário, favorecimentos pessoais espúrios, espírito corporativista intoleravelmente reprovável, aumento absurdo no número de cargos e atitudes antiéticas deixaram de ser exceção, para virarem regra. Nem bem um escândalo é divulgado, outro lhe toma o lugar, gerando na população, por esta sequência regular e continuada, aquele sentimento de impotência e letargia referido anteriormente. Parecemos todos zumbis estáticos, observando os fatos sem reagir, descrentes de mudanças positivas.
Não se trata de reivindicar um simples e utópico processo de distribuição de renda, de criticar irresponsavelmente a livre iniciativa ou de levianamente censurar bons salários aos administradores públicos competentes. Trata-se de encontrar um modelo mais comedido, em que o cidadão trabalhador não fique estarrecido ao verificar que o que percebe de rendimento em toda uma vida é pago a alguns funcionários públicos e parlamentares em questão de poucos anos, quando não alguns meses, sob as mais variadas denominações!
Ainda que fosse somente pelo fato de não carregarmos na consciência a censura de nossos filhos e netos pela nossa omissão e pelo nosso silêncio, e não pelo patriotismo em si, hoje tão pouco em voga, nós, membros do Lions Clube Blumenau Centro, sentimos ter chegado o momento de levantar a voz, pacífica mas energicamente. Este manifesto não pretende ser um brado irresponsável, uma palavra de ordem surrada ou um grito oportunista, que são os adjetivos tantas vezes usados pelos poderosos para abafar os protestos dos insatisfeitos.
Ele pretende ser um alerta, um chamado ao despertar, um incentivo à formação de cidadãos que, além de emprego e trabalho, sintam orgulho dos líderes que conduzem através do seu voto aos cargos públicos, dos mais altos aos mais baixos, delegando-lhes poderes para fazer honestamente o melhor pelo país, pela sociedade, pela comunidade.
O Lions Clube de Blumenau Centro está preocupado com a violência já não mais restrita aos grandes centros e que avança dia a dia, alcançando índices alarmantes. Está preocupado com a educação, na qual, sob um distorcido conceito de liberdade, os alunos estão agredindo os professores, as drogas estão sendo consumidas por nossa juventude à luz do dia e diante da polícia, trazendo em seu rastro a criminalidade crescente, apenas para citar alguns exemplos.
Os parlamentares estão legislando cada vez menos, porque preocupados em acusar adversários ou em defender-se de acusações, brigando por cargos e benefícios, dando as costas àqueles que juraram defender. Reclamam do Executivo quando este governa com medidas provisórias, mas não têm coragem de simplesmente rejeitá-las, temerosos de que com isso seus apadrinhados sejam prejudicados nas inúmeras nomeações que irão favorecer este ou aquele partido e assim perpetuar as benesses que aparentemente passaram a ser o objetivo principal e imediato de suas ações.
Não menos preocupante é o quadro do Poder Executivo em seus vários níveis, pois se vale exatamente deste poder de nomeações e da famigerada “caneta na mão” para manter em rédea curta o Congresso. Nele os parlamentares assemelham-se a sócios lutando por objetivos comuns, embora condenáveis e distantes das necessidades da população.
Triste é também a situação do Judiciário, que, embora dispondo hoje de toda a tecnologia da informática, acumula nos gabinetes os processos cujas decisões o cidadão ansioso espera por anos, às vezes décadas. Ilustra bem este quadro a recente divergência manifestada de forma agressiva e lamentável entre os ministros da mais alta corte, o Supremo Tribunal Federal, minando a confiança das pessoas na última instância a que podem recorrer quando têm seus direitos ameaçados ou agredidos.
Se a democracia está sustentada nestes três poderes e estes estão tão comprometidos em sua ação efetiva e em seu comportamento ético, fácil é concluir que quando o fundamento é frágil, a estrutura que ele sustenta também se fragiliza e ameaça ruir. Não foi para isso que a democracia foi defendida a alto preço em passado recente. Simplesmente tratar desiguais com igualdade não é democracia, é anarquia!
A classe dirigente não pode ser apenas uma elite intelectual. Isso é pouco! Ela tem de ser, antes disso e mais que isso, uma elite moral. Um bom serviço eventualmente prestado no passado por algum político não autoriza e nem pode servir de atenuante para que ele cometa deslizes no presente. Napoleão já dizia que “Toda indulgência para com os culpados revela conivência.”
Assim como não se pode exigir que um filho imaturo seja exemplo para seus pais, mas sim o contrário, da mesma forma não se pode jogar nas costas da sociedade a responsabilidade pelo pouco caso que seus dirigentes têm para com a coisa pública, impingindo-se a ela, sociedade, a culpa por suposta falta de critério na escolha dos candidatos eleitos. Esta é uma forma ardilosa, perversa e demagógica de pulverizar a responsabilidade por má conduta, tirando-a dos ombros dos dirigentes para espalhá-la comodamente sobre os ombros dos dirigidos.
O objetivo do presente manifesto é, finalmente, despertar na opinião pública, nos clubes de serviço, órgãos representativos, imprensa e comunidade em geral, um clamor para que apareçam sugestões de procedimentos mais éticos e reformas estruturais.
Folha corrida limpa para candidatos a cargos públicos? Eliminação ou restrição drástica de comissionados? Redirecionamento das prioridades do país? Assembléia Nacional verdadeiramente “Constituinte” e não simplesmente com poderes constituintes como foi a de 1988? A Constituição “cidadã” efetivamente logrou promover a verdadeira e autêntica cidadania? Manteve equilíbrio entre direitos e deveres? São perguntas ilustrativas que este manifesto, num primeiro momento, deixa no ar, para reflexão.
A nossa associação não tem receitas prontas para que esta mudança urgente e inadiável se concretize. Ela deseja sim, juntamente com outras entidades, participar com sugestões. Mas, cabendo originalmente ao Congresso articular as mudanças positivas, é lá que deve acontecer a mudança em primeiro lugar.
O Lions Clube de Blumenau Centro, através deste manifesto, busca o apoio de tantos quantos o lerem e concordarem com ele para que, formada uma corrente de ética, moralidade, cidadania e transparência, se dê um basta a esta torrente de escândalos. Que comecemos todos nós, brasileiros de bem, a construir um país melhor, mais humano, íntegro e civilizado, dirigido por pessoas das quais possamos nos orgulhar e não nos sentirmos profundamente envergonhados, como hoje acontece.
Que nos sirva de inspiração, incentivo e fecho deste manifesto a seguinte frase do escritor e analista econômico e político sul-africano, Leon Louw: “Se conseguirmos fazer avançar a multidão na direção certa, os políticos não terão outra alternativa senão sair à sua frente.”
Blumenau, SC., Julho de 2009.
Hézio Araújo de Souza
Presidente 2009/2010
A utilização, divulgação e reenvio do manifesto são livres, citada a fonte.
Sem categoria
Comente aqui
 

Intocáveis brasileiros estão desmoronando

Se você é mais um daqueles inconformados com a ditadura imposta ao futebol pela CBF (leia-se Ricardo Teixeira e antes dele João Havelange), encastelados como imperadores arrogantes e donos da verdade absoluta dentro dos seus redutos dourados, saiba que finalmente Ricardo Teixeira, perdeu uma ação contra o jornalista Paulo Cezar de Andrade Prado – autor do blog do Paulinho.
Por ter se ofendido com os termos “Barão de Munchausen” e “Casa Bandida do Futebol”, utilizados em um dos posts de Paulinho, Teixeira impetrou ação no Fórum da Barra da Tijuca pedindo indenização por danos morais. A juíza Cíntia Souto Machado de Andrade Guedes pontuou que “a garantia de liberdade e manifestação de pensamento são princípios constitucionais e devem ser respeitados”
Ricardo Teixeira foi condenado, em primeira instância, a pagar os encargos advocatícios de Paulinho, decisão essa ironizada pelo jornalista em seu blog. “Foi condenado [Ricardo Teixeira] a pagar as custas do processo, além de me proporcionar enorme prazer em poder derrotá-lo”, escreveu.
Paulinho: o prazer é todo nosso!
Sem categoria
Comente aqui
   

Plano de Governo de Londrina

Lembrei-me dia desses que, há várias eleições, o Brizola lançou-se como candidato a presidente. Preparei, por brincadeira, um livrete com a foto dele na capa e o título “Brizola – Plano de Governo” e fui mostrando aos amigos. Quando eles abriam o livrete, só encontravam páginas e mais páginas em branco.
– Mas cadê o Plano de Governo do Brizola? – perguntavam-me
– É exatamente esse – eu respondia – Não existe nenhum!
Essa lembrança me ocorreu observando aqui em Londrina o prefeito Barbosa Neto colocando seu plano de governo em ação. Não existe nenhum plano!
Londrina é uma cidade privilegiada de 500.000 habitantes, nem pequena demais para sofrer com problemas de arrecadação insuficiente, nem grande demais para apresentar problemas inadministráveis. Uma cidade rica, com largos investimentos na construção civil, moderna, famílias morando em condomínios horizontais luxuosos, carrões, escolas invejáveis, várias universidades, shoppings, lojas, Londrina exala poder e dinheiro. Seria um laboratório perfeito para um Administrador com “A” maiúsculo exercer a prática política, com excelentes idéias e grandes realizações.
No entanto, o que se vê é mais um prefeito repetindo historicamente exatamente a velha rotina que já veio sendo realizada há anos. Tapando buracos com a mesma massa asfáltica de 1970, que se dilui às primeiras chuvas. Discutindo apenas hoje o problema de tarifas de transporte público, situação que se arrasta há anos, sem planos concretos para resolver o impasse. Assistindo de longe os mesmos postos de saúde entulhados de doentes, esperando em filas enormes para serem atendidos.

Vazio de idéias arrojadas quanto a turismo, a investimentos, a parcerias, a propostas, a soluções, ao novo.
O prefeito já teve por duas vezes a oportunidade de preencher as páginas em branco da sua proposta de governo: foi candidato no 1º. turno (derrotado) e foi novamente candidato no 3º. turno, quando venceu a eleição. Chegou ao poder com as páginas do seu programa totalmente em branco.

Completam-se agora quatro meses de gestão – e de novo, novo mesmo, existe apenas o rosto do prefeito.
É uma pena.
Sou de opinião que todos os candidatos a cargos públicos (e dirigentes de clubes de futebol) deveriam obrigatoriamente passar por um curso de gestão administrativa. No mínimo, para aprender a montar um plano de governo.
Pois do jeito que as coisas caminham, o brasileiro já está se cansando em ver capas com fotos de candidatos a cargos eletivos, acompanhadas do título “Plano de Governo”… mas com páginas e mais páginas absolutamente em branco.

Sem categoria
Comente aqui
 

Onde está o brasileiro com “B” maiúsculo?

Onde está o brasileiro que teve a coragem de se levantar contra a ditadura getulista nos idos de 1932?
Onde está o brasileiro que participou com honras e orgulho das tropas aliadas na 2ª. Grande Guerra contra o mentor e gestor do Holocausto?
Onde está a estirpe política que lutou pelas “Diretas Já”?
Que enxotou o maluco Collor da presidência?
Que rasgou a cor vermelha da política de um tal de Jango?
Que colocou nosso país de volta ao caminho da democracia?
Hoje nós todos permanecemos acovardados, acomodados, assistindo às bandalheiras perpretadas pelos lulas, renans, dirceus, sarneys, dilmas, petistas, pecedobeistas, mstistas e suas gangues, uma coleção de crápulas, delinqüentes e aproveitadores de um sistema podre, praticando ilícitos que chegam às raias do nonsense, rindo nas nossas caras, ignorando-nos como seres pensantes, aproveitando-se do nosso silêncio e da nossa inércia e vivendo nababescamente do dinheiro roubado dos nossos impostos e trabalho suado.
Quando os cabeças pensantes recomeçarão a pensar e, principalmente, agir para mudar essa situação que nos envergonha perante nossos filhos e netos?
Quando?

Sem categoria
Comente aqui