Mês: fevereiro 2011

 

Philosophias de bahr: política

…”notei que o blog ‘bahr-baridades’ passou a comentar muita política. Você gosta tanto assim?”
V. C., São Paulo, SP


R.:
Não gosto de política da maneira antiética e imoral como vem sendo interpretada nos últimos tempos. O comportamento afrontoso e cínico dessa geração de políticos me enoja, me faz passar mal e é por isso que tento passar aos leitores um grito de revolta, grito que por vezes sinto ser apenas um sussurro, perdido na multidão. Eu não me recordo na história política desse país, de tantos abusos, bandalheiras, desvios de dinheiro público e, principalmente, do número incrível de artimanhas como as que são utilizadas hoje. As denúncias são diárias, espocam em todos os cantos do Brasil, de grandes cidades a mini-municípios. Está muito óbvio que os trabalhadores sérios e honestos sentem vergonha de ser brasileiros. Lembre-se que 44% dos eleitores não votaram no PT para presidente e nem compactuam com as incontáveis irregularidades que seus partidários cometem dia após dia.

Sem categoria
Comente aqui
 

Mapa da Violência 2011 no Paraná. Dá para confiar?

Estudo divulgado pelo Ministério da Justiça mostra o Mapa da Violência no Brasil 2011.

Mas, peraí! Os dados são baseados em estatísticas de 2006 a 2008. Como é que nessa era da informática o Ministério da Justiça não conseguiu fechar os dados exatos de 2009 e 2010? Só por causa disso, não dá para se confiar no tal Mapa.

Na tal projeção (que certamente não pode ser exata), o Paraná tem a terceira cidade mais violenta do país: Campina Grande do Sul, na região metropolitana de Curitiba, tinha taxa de 125,5 homicídios a cada 100 mil habitantes em 2008. A cidade de Guaíra, ocupa a décima posição do ranking brasileiro. Nesse triste índice, se incluem Santa Terezinha de Itaipu (31ª posição), Piraquara (35ª), Guaratuba (40ª), Almirante Tamandaré (46ª) e Foz do Iguaçu (54ª).

Já Londrina ocupa a 38ª posição no Paraná e a 416ª no Brasil. Obviamente estes dados são contestados pela polícia de Londrina, já que não são atualizados. A polícia alega que a criminalidade foi reduzida entre 2009 e 2010.

Será que esse levantamento com dois anos de atraso é proposital, apenas para confundir a população? Quais serão os interesses políticos por detrás dessas estatísticas?

Sem categoria
Comente aqui
 

O patinho feio do prefeito

Pelo visto, no que tange a parques e jardins em Londrina, nosso prefeito só tem olhos para o Lago Igapó II, onde restringiu o tráfego de veículos, construiu uma ciclovia e manda cortar a grama e varrer as folhas constantemente.

Ontem, após algum tempo, fui fazer uma caminhada ao redor do Lago Igapó I e constatei o que grande parte da população já vem reclamando há algum tempo: um abandono quase completo do local.

Os banheiros que lá estão construídos foram fechados pelo prefeito anterior, o petista Nedson, sob a alegação de que “serviam de reduto para drogados e bandidos”. É como se quisessem queimar colchões para que casais jamais fizessem sexo. A foto mostra que a construção de um dos banheiros até possui uma arquitetura interessante e não dá para entender por que hoje em dia, quando já existe a Guarda Municipal, os banheiros não são reativados.

No trajeto existe uma ex-belíssima árvore da vida, que foi inaugurada pelo ex-prefeito Cheida, em 1994. Suja, quebrada, abandonada, é o símbolo do desleixo do Lago Igapó I pela atual administração.

Há algumas décadas, era comum que governantes abandonassem e até paralisassem obras dos seus antecessores, para que não fossem glorificados. Mas hoje em dia, em pleno Século XXI, essa prática deveria ser completamente abandonada e cada administração concluir e cuidar das realizações das anteriores – sempre em prol da comunidade.

A história dos banheiros, se contada a turistas, só pode envergonhar a cidade. Como explicar a um visitante que aquele imenso lago não possui um único banheiro? E o que dizer do Lago Igapó II, que sequer tem banheiros para a grande massa de gente que por lá caminha, corre ou usa a ciclovia diariamente?

A placa se refere à inauguração da “Árvore da Vida”. Como todo Igapó I, ela também está abandonada, sem cuidados, suja, maltratada…

Sem categoria
Comente aqui
 

Gambiarras na fiação


Várias pessoas me perguntaram por e-mail o que seriam os chamados “gatos” de fiação elétrica. Aqui vai uma foto, tirada em alguma favela, onde se vê a improvisação nas ligações elétricas, além do roubo de energia diretamente da rede pública para os locais das habitações, sem que sejam instalados relógios de medição e, obviamente, sem o pagamento de contas. Os riscos de incêndio são enormes e a possibilidade de curto-circuitos e eletrocuções está sempre no ar – ou melhor, na fiação.

Sem categoria
Comente aqui


SOS Fachadas

1- ACIL

Finalmente, parece que a ACIL (Associação Comercial e Industrial de Londrina) criou juízo em relação ao projeto que a Prefeitura chama de “Cidade Limpa”, mas que na realidade será “Meia Cidade Limpa” (vide o blog Visual de Londrina: http://visual-de-londrina.blogspot.com ).

Depois de brigar, espernear, processar e tentar boicotar o projeto “em nome dos lojistas”, a ACIL criou seu próprio projeto “SOS Fachadas”, para auxiliar e orientar os lojistas a restaurarem as fachadas das suas lojas, preservando as características arquitetônicas de cada imóvel, além de definir o novo piso que será adotado para as calçadas do centro comercial. Alvíssaras!

2- COPEL

Depois de retiradas placas e penduricalhos de toda espécie que escondiam as frentes dos imóveis comerciais, os londrinenses tomaram um enorme susto: o estado calamitoso da fiação elétrica. Por milagre, não houve nenhum incêndio naqueles locais, que mais pareciam os chamados “gatos” que se vêem nas favelas, isto é, fios puxados de e para todo lado. Agora a COPEL, empresa responsável pela distribuição de energia elétrica no Paraná, começa a tomar medidas corretivas.

Também já chegou a hora de a COPEL começar a pensar em acabar com a fiação elétrica aérea, sempre perigosa, para adotar as modernas redes subterrâneas, embelezando e tornando menos perigosa nossa cidade.

Sem categoria
Comente aqui