Mês: maio 2014

 

Você é dono de poupança dos tempos do Collor? Coittaddo!

veja-collor-poupança-confiscoA avaliação original era de que os bancos haviam obtido lucros de mais de R$ 400 bilhões com as mudanças monetárias. Hoje fala-se que o valor atinja de R$26 bi a mais de R$100 bi. Estamos nos referindo aos valores que devem ainda ser repassados a poupadores em cadernetas de poupança nos tempos dos Planos Cruzado, Bresser, Verão, Collor 1 e Collor 2. Naquela oportunidade, governo e instituições financeiras deixaram de aplicar os índices corretos da inflação (altíssima, por sinal) que pairava no país.

Há anos que o processo se arrasta pelas cortes judiciais do país. Agora, no STF (Supremo Tribunal Federal), foi retomado para logo em seguida ser postergado por tempo indeterminado. Um pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), que acredita ter havido erro em um parecer, foi atendido pela Corte. O procurador Rodrigo Janot fez o pedido de adiamento assim que o julgamento teve início. Tudo indica que somente será retomado no ano que vem.

A preocupação alegada é que os valores a serem desembolsados (e que pertencem de direito e de fato aos poupadores da época) provoquem grandes impactos dos nas instituições financeiras. Em outras palavras: seus enormes lucros anuais seriam ligeiramente reduzidos.

Esse adiamento provocou críticas do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor: “A PGR teve prazo para se manifestar, não existe mais prazo ou nada de novo que possa ser trazido aos autos. A questão não é sobre os números, mas sobre o direito das pessoas”, disse Walter Moura, advogado do Idec. “A PGR está cedendo à pressão econômica do setor financeiro”. O ministro Luís Inácio Adams, advogado-geral da União, explicou que não há como prever quando o julgamento pode voltar à Corte. “É uma decisão dos relatores, depende da dinâmica deles”. O ministro Adams ainda lembrou que vários ministros da Fazenda, de governos diferentes, assinaram documento em prol da legalidade dos planos econômicos. “A depender da decisão do STF, o melhor é que seja após a eleição para o caso de ser necessário tomar alguma medida para garantir a estabilidade do sistema”.

Enquanto isso… enquanto isso vários dos poupadores já faleceram, outros vão falecer, muitos se suicidaram à época do Plano Collor e as  décadas vão passando sem que os reais donos das aplicações, possam contar com seu dinheiro de volta. Só mesmo no Brasil para ocorrerem tantas desculpas, tantas idas e vindas, tantas argumentações sem fundamento, tanto desrespeito, tanta covardia.

Sem categoria
2 Comentários
 

Se tudo anda bem, por que as manifestações?

indios no congresso

A nossa governanta e seus defensores apaixonados não perdem ocasião para alardear aos quatro ventos que tudo anda muito bem no Brasil: “a economia está sob controle”, “nunca a classe média cresceu tanto”, “o pibinho ainda virará um pibão”, “vamos realizar muitas e muitas obras”, “vem aí o trem-bala”, “estamos distribuindo terras para os Sem-Terra”, “o SUS é o melhor sistema de saúde do mundo”… e outras abobrinhas.

Então, por que tantas manifestações de rua? Por que tantos ônibus incendiados em todos os cantos do país, greves dos motoristas, passeatas dos professores, ataques a policiais, índios invadindo a cúpula do Congresso e flechando policial e motocicleta, Sem-Teto invadindo prédios no centro São Paulo, aumento incalculável de drogados e viciados perambulando por “n” cracolândias, Estados do Norte e Nordeste com aumento assustador da criminalidade, escolas em petição de miséria, filas nos corredores de hospitais e pronto-socorros, educação nos últimos lugares na classificação mundial, IDH (Índice de Qualidade de Vida) dos piores do mundo, narcotraficantes dominando os morros cariocas, desabrigados de enchentes atuais e passadas sem moradia, a indústria da seca em plena continuidade no Nordeste?

Quando o Brasil deixará de ser o famoso “país do futuro”?

Foto: O Estado de São Paulo
Sem categoria
Comente aqui


Afinal, o que está acontecendo no Brasil?

bandidos armadosSão Paulo, o Estado brasileiro que conta com a polícia mais eficiente do país registrou em abril o 11º mês consecutivo de crescimento de roubos. O índice de homicídios ficou praticamente estável no mês passado, na comparação com o mesmo período de 2013.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, o número de roubos (exceto de veículos) em todo o Estado aumentou 29,7% entre abril de 2013 e deste ano, de 21.368 para 27.711 ocorrências. Na mesma comparação, a capital teve alta de 33,9%, de 10.391 para 13.909 casos, um aumento creditado em parte pelo aumento de roubos de celulares registrados neste ano. No acumulado do quadrimestre, o Estado teve 32,5% roubos a mais (de 80.620 para 106.804 casos) e a capital paulista, 41,7% (de 38.514 para 54.580).

Já o número de homicídios no Estado ficou estável (alta de 0,3%) em abril, em comparação com o mesmo mês do ano passado. Foi um assassinato a mais: passou de 363 para 364 casos. Na capital paulista, a diferença também foi de um caso, mas para baixo: abril de 2013 teve 95 ocorrências e o mês passado, 94 (queda de 1,1%). No ano, a redução dos homicídios é de 2,4% no Estado e de 4% na cidade de São Paulo.

Aqui não se trata de questionar se a polícia está fazendo um bom ou mau trabalho. Tampouco se trata de questionar se as leis estão sendo bem aplicadas, se as penas são brandas, se as prisões são capazes de regenerar criminosos e delinquentes, se a turma dos “Direitos Humanos” protege criminosos, se… se… se…

Aqui se trata de discutir a origem para tanta criminalidade. E as perguntas ficam no ar:

1 – A culpa será da nova formatação das famílias, já que a instituição casamento/fidelidade/união estável faz parte do passado e os filhos de pais e/ou mães diferentes deixam de receber ensinamentos comportamentais e morais?

2 – A culpa será da baixíssima qualidade de vida existente nas periferias, nos bairros empobrecidos (e nos morros cariocas), uma vez que nosso IDH é um dos piores do mundo, obrigando as pessoas a viver em aglomerados, de forma promíscua, em barracos, taperas, cortiços e sub-habitações sem condições mínimas para manterem um lar aconchegante?

3 – A culpa será do sistema educacional brasileiro, que está deixando de formar cidadãos conscientes e, ao contrário, está incentivando a formação de “tribos”, gangues e quadrilhas ainda em tenra idade?

4 – A culpa será deste famigerado governo lulo-petista, que nos premiou com lições de falta de ética, de corrupção, de bandalheiras?

5 – A culpa será do viés com que alguns sociólogos, professores, advogados, intelectuais e jornalistas enxergam o mundo em que vivemos e repassam suas informações deformadas às novas gerações?

6 – A culpa será da proliferação de drogas que vazam livremente por nossas extensas fronteiras, criando geometricamente mais e mais dependentes químicos, que por sua vez se valem da criminalidade para satisfazer seu vício?

Aquele que souber a resposta levante a mão!

Foto: Blog de Leonardo Medeiros
Sem categoria
2 Comentários


Um tapa na cara da burguesia petista

É inacreditável que a USP, a melhor universidade brasileira, mantenha em seu corpo docente uma figura tão exdrúxula como essa Marilena Chaui.

Atenção: essa professora ODEIA a classe média. Ela deveria saber que é a classe média que lhe paga os salários. A classe média é que trabalha, recolhe os impostos, produz e dá empregos.

Neste vídeo, o escritor Ruy Câmara comenta as abobrinhas e idiotices emanadas da boca raivosa dessa pseudo-professora. Veja Lula aplaudindo as sandices que ela proclamou, alto (bem alto) e bom som.

Com gente como Chaui e Lula, estamos muito bem servidos. É o caminho do inferno. Xô!

Sem categoria
2 Comentários
 

Violência: a falência do Estado

Maria Lucia Victor Barbosa

Recentes acontecimentos que mostram a violência cada vez mais exacerbada, ameaçadora, aterrorizante merecem algumas reflexões e no meu entender podem ser detectadas quatro fontes da violência: 1º – A criminalidade. 2º – As ações dos chamados movimentos sociais. 3º – Os ataques de membros do PT às autoridades dos Poderes constituídos. 4º  –  Os comportamentos sociais grupais.

Em todos esses aspectos a marcante falência do Estado que, nunca antes nesse país, fracassou tanto em sua função básica de prover a segurança dos cidadãos. Pode-se até dizer que o poder público petista estimula a violência através dos péssimos exemplos de corrupção dos seus membros, do desdém acentuado pela moralidade, da destruição de valores, do incitamento ao ódio entre negros e brancos, pobres e ricos numa sutil paródia da luta de classes.

1º – A criminalidade, velha conhecida nossa, vem aumentando de forma descontrolada e tem suas causas no tráfico de drogas e de armas; na sempre presente impunidade que repousa na morosidade da Justiça e na incapacidade da apuração dos crimes; nas leis pouco rigorosas e ultrapassadas que não permitem, por exemplo, a prisão de bandidos menores de 18 anos ou permitem a soltura de criminosos de alta periculosidade depois de um breve tempo presos; no sistema prisional que demanda nova sistemática como a dos países desenvolvidos; na falta de presídios, inclusive, os de segurança máxima; no sistemático ataque da mídia chapa branca aos policiais que cumprem seu dever ao controlar a violência; nos atos de delegados que soltam bandidos quando a polícia os prende.

2º – Os chamados movimentos sociais criados pelo PT costumam infernizar a vida da maioria. É o caso dos chamados sem-terra, que arrebanhados nas periferias sem a menor tradição agrícola são cooptados com a promessa de se tornarem proprietários de terras que depois muitos vendem. O MST age invadindo propriedades rurais, matando gado, destruindo sedes de fazendas, impedindo funcionários de ir e vir. Abusos também ocorrem através de grupos indígenas ou quilombolas sob o estimulo e proteção do governo petista.

O MST enfraqueceu na medida em que a farta distribuição de bolsas esmola substituiu o penoso esforço de trabalhar ou acampar em lonas pretas, entretanto, os sem-terra estão sendo substituídos por sua versão urbana, os sem-teto. Aos poucos estes estão mostrando a que vieram e certamente pretendem aumentar invasões a imóveis particulares sob as bênçãos do PT.

3º – Os ataques de militantes petistas ás autoridades e pessoas que não rezam por sua cartilha sempre existiram. Na internet, sob o anonimato de perfis falsos, “talibãs” do PT se destacam pela ausência de raciocínio lógico substituído pela boçalidade, a intimidação, a difamação, a desqualificação dos oponentes tratados com inimigos, a violência moral. Agora se fala num exército eletrônico devidamente treinado para defender a perpetuação do partido no poder através da reeleição de Dilma Rousseff que protagonizou o governo mais incompetente que o país já teve. Como as pesquisas de opinião já não mostram Rousseff como aclamada “gerentona”, Lula, seu criador, deu ordem à militância submissa para fazer o que sempre fizeram: “partir para cima”.

O líder foi prontamente atendido por fundamentalistas com traços de psicopata como o petista Sérvolo de Oliveira, que na Internet e sob o codinome de Sérvolo Aimoré-Botocudo de Oliveira propõe que o ministro Joaquim Barbosa deva “morrer de câncer ou com um tiro na cabeça”. Antonio Granado, fiel seguidor de Lula, vai pelo mesmo caminho e pede a morte de Joaquim Barbosa, pois este “não seria um ser humano, mas uma aberração pavorosa, um monstro”. Rodrigo Grassi, outro petista, prefere atacar ministro Joaquim Barbosa na rua com insultos ou dentro do Congresso como fez com o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB). Indiferente ou satisfeito o PT não se pronuncia e outros “talibãs” devem estar prontos para “partir para cima”.

4º – Os comportamentos sociais grupais que funcionam como multidões atestam de modo mais do que evidente a falência do Estado. Perigosas e descontroladas as multidões mostram sua face mais terrível no furor pirotécnico, quando ônibus são queimados ou nas chacinas e linchamentos como o da inocente Fabiane Maria de Jesus, confundida com uma bruxa inventada na Internet. Cansada de confiar no poder público, atestando a falência das instituições, revoltada com a impunidade dos criminosos das quais é frequente vítima, a população parte para fazer justiça com as próprias mãos. Estamos ingressando no “estado de natureza” de que falava Hobbes onde “a vida é breve, solitária e grosseira” e o “homem é lobo do homem”. Sem dúvida, é de dar medo essa herança maldita do PT.

Maria Lucia Victor Barbosa é socióloga.
Sem categoria
Comente aqui


Quem ainda aguenta a Copa?

copaCopa, Copa. Copa. É só isso que se ouve agora em volta da gente. São os comerciais de tevê dos patrocinadores – tanto aqueles que estão ligados à FIFA e à CBF quanto os comerciais que estão tirando uma lasquinha para promover seus produtos, de automóveis a tecidos, de serviços bancários a quinquilharias.

Repórteres e apresentadores de tevê estão “comprometidos”, ou melhor dito, estão obrigados a falar, falar, falar, falar sobre a Copa do Mundo. Afinal, as emissoras de rádio e tevê fecharam contratos milionários com patrocinadores e os patrões obviamente exigem o máximo na divulgação dos comerciais de clientes. E o emprego deles está em jogo.

Reportagens, programas exclusivos e entrevistas com jogadores (bah!), pipocam por todos os canais. Cada novo assento colocado numa das “arenas FIFA” merece meia hora de blá-blá-blá. Como são verdes nossos gramados, que maravilha arquitetônica ficou o estádio tal, olhe que linda iluminação azul, os vestiários são indescritíveis, fulano conseguiu ingresso para Manaus, veja a hospedagem oferecida nos morros cariocas… nada passa incólume ou desapercebido. E de lambuja ainda temos de aguentar os textos escrotos (não achei palavra pior) apresentados por um tal de Tino Marcos da Globo, que se acha o Gabriel García Márques da escrita futebolística. Bah!, novamente!

Talvez a única vantagem que vejo nesta Copa sejam as cores verde e amarela substituindo a terrível cor vermelha do PT, do PCdoB, do PSTU, do PC, do MST, do MTST e dos outros partidos comunistas que tomaram conta do Brasil, lembrando o sangue derramado pelos títeres da União Soviética, trucidando mais de 100 milhões de pessoas. O sangue vai ficar de lado por um tempo, a não ser, é claro, que haja quebra-quebra durante a Copa. Aí as bandeiras vermelhas serão presença constante.

Agora está na hora do meu café matinal. Nem vou tomá-lo na copa, como de hábito: acho que vai ser na cozinha mesmo. Só para não me fazer lembrar, mais uma vez, das ladainhas da Copa do Mundo. Bah!

Imagem: blogger do bem
Sem categoria
Comente aqui


Saqueadores

saqueadoresMais um assunto recorrente neste blog: os brasileiros que já são obrigados a enfrentar assaltantes, bêbados ao volante de carros e motos, balas perdidas, viciados espalhados pelas ruas, sequestradores, explosões em caixas automáticos e brutamontes briguentos, agora também precisam conviver com saqueadores que pululam por todos os lados.

Basta haver uma oportunidade… e lá estão eles, geralmente um bando de vagabundos sem escolarização, muitos deles ex-presidiários, aproveitadores, que agem friamente sem temer represálias de policiais, seguranças ou outros populares.

Na madrugada de domingo, durante a Virada Cultural de São Paulo foi dada mais uma demonstração do caráter – ou falta de – por parte de algum grupo de aproveitadores: uma loja na Rua 25 de Março foi invadida e saqueada , resultando num prejuízo de R$150 mil, segundo o proprietário. O pior: de acordo com suas declarações, a Guarda Civil Metropolitana chegou oito horas após a invasão e saiu sem preservar o local. Os saques então prosseguiram até 16h30. “Era um cenário de guerra, levaram nossos computadores, impressoras, destruíram tudo.”

Agora, a burocracia: quando foi procurada, a Prefeitura ”afirmou que a Secretaria de Segurança Urbana vai apurar se a GCM comunicou a ocorrência à PM. A Secretaria de Segurança Pública informou que vai investigar se houve demora no atendimento da PM”.

Dados da Secretaria Pública de São Paulo mostram que, no fim de semana anterior ao evento, foram registrados 15 roubos no centro – número que subiu para 71 durante a Virada.

Some-se esta notícia aos lamentáveis fatos ocorridos no Recife quando da greve dos policiais (saques e mais saques registrados em vídeos), saques a cada caminhão acidentado em alguma estrada, assaltos à luz do dia por todos os cantos do país – e temos o quadro completo do novo perfil do “distinto povo brasileiro”. Coitados dos ingênuos turistas que virão para a Copa do Mundo e daqueles que posteriormente ainda terão coragem para assistir às próximas Olimpíadas no Rio de Janeiro: os próprios patos prontinhos para serem depenados.

Foto: Terra
Sem categoria
1 Comentário