Nunca se roubou tanto!

-Paulo-Roberto-Costa-

Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobrás, ladrão e delator do esquema

Em minhas sete décadas de vida, não me lembro – em tantos e tantos episódios de desvios de dinheiro público – de um governo, composto por um bando de tantos patifes, que rapinasse tantas fortunas quanto esse grupelho – aliás, um grupo enorme – do PT, o partido que antes de assumir o poder vinha pregando ética e honestidade.

Sim, tivemos a “caixinha do Adhemar”, dizia-se que era uma comissão de 5% (pasmem, apenas 5%) sobre obras licitadas. Tivemos os “anões do orçamento”, que à época escandalizaram o país: um caso de corrupção envolvendo deputados da Comissão Mista de Orçamento do Congresso, descoberto em 1993. Os desvios ocorriam através de aprovações de emendas no Orçamento Geral da União. Para o Ministério Público, as fraudes chegaram a mais de R$ 9 milhões.

Tivemos os famosos desvios de dinheiro do Maluf , estimados em R$ 500 milhões. Continua deputado federal, está solto até hoje, mas não pode sair do país sob ameaça de ir preso pela Interpol.

Escândalos sempre espocaram aqui e ali e o chamado “erário”, o caixa do governo, foi esvaziado repetidas vezes em prol de bolsos particulares por governantes, ministros, deputados, governadores, vereadores… parece ser um saco sem fundo.

Mas agora, esta contínua roubalheira que ocorre no governo atual e que vêm sendo divulgada sistematicamente pela mídia, bate todos os recordes de safadeza, imoralidade e desrespeito ao povo brasileiro. Apenas dois deles, os casos do mensalão e do propinoduto da Petrobrás, são exemplificativos da verdadeira máfia que se locupletou do poder com a única finalidade de tirar proveito próprio, enriquecer e prover o futuro de “n” das suas gerações futuras, sempre com o dinheiro que poderia resolver as situações críticas pelas quais passa grande parte da nossa população.

Os dois depoimentos do ex-diretor da Petrobrás, Paulo Roberto Costa, o primeiro à época em que estourou o escândalo (“sou inocente, sou inocente”) e o de ontem, na CPI do Congresso, já preso pela Polícia Federal, após ter delatado todo o esquema de corrupção ocorrido na empresa, mostram a cara-de-pau desse bando desonesto e corrupto, que eu chamo de “o partido da vergonha”.

Sem categoria

2 comentários sobre “Nunca se roubou tanto!

  1. Carlos 18 de setembro de 2014 11:10

    – Rouba-se muito, talvez o triplo ou o quádruplo de hoje. Apenas, não se investigava, havia um conluio total, a imprensa não divulgava. Ou seja, a sujeira era varrida para debaixo do tapete.

    • Bahr-Baridades 19 de setembro de 2014 7:49

      Sim, Carlos, sempre se roubou no Brasil. Talvez seja herança dos tempos do Império. Afinal, até hoje a burocracia estatal, que os portugueses trouxeram consigo, nada mais significa do que “criar dificuldades para vender facilidades”. Mas sou testemunha de que nos meados do século passado havia muito mais pudor por parte dos políticos e das pessoas. Basta olhar nos arquivos. E a imprensa era muito menos comprometida com o poder do que nos dias de hoje e denunciava as bandalheiras, sim. Por isso citei a “caixinha do Adhemar”, de apenas 5% – hoje, quando se houve falar de superfaturamento, as cifras são astronômicas, chegam a 50, 60% do valor das obras. Ou mais! Tenho o testemunho de um ex-sócio de empreiteira que me confidenciou isso há mais de 15 anos. As gerações de políticos de hoje já chegam ao poder imbuídos da velha “lei de Gerson”: querem levar vantagem em tudo.

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.