Mês: julho 2015



Do céu ao inferno em dois anos

eike batista

A foto é da capa da Revista Ler & Cia. de abril/2012,na qual há uma entrevista com o parlapatão Eike Batista, que à época era considerado o homem mais rico do Brasil e o oitavo mais rico do mundo. Segundo a revista, “a fortuna acumulada do empresário foi apenas consequência de sua inteligência, esforço e empreendedorismo”.

Tudo indica que se tratava de um castelo de areia: a maré subiu e as ondas o levaram… Recentemente Eike Batista voltou a falar: desta vez como réu de um processo judicial, com suas empresas do ‘Grupo X’ falidas e seus bens apreendidos, o empresário brasileiro diz que está pronto para recomeçar. Após meses sem declarações públicas ou entrevistas, Eike reapareceu publicamente em junho no programa da jornalista Mariana Godoy, na Rede TV (não, não foi na Globo News como outrora, nem no Manhattan Connection. onde arrotou presunção) e assegurou que zerou suas dívidas, que não deve nada ao BNDES, que se sente injustiçado porque “ninguém” entende dos seus projetos na área de energia e logística.

Segundo ele, a dívida de 1 bilhão de dólares (e que senhora dívida!) está zerada. “Botei meu patrimônio para começar de novo e vou recomeçar”. Eike é acusado de uso de informação privilegiada e manipulação de mercado na negociação de ações da petroleira OGX e da empresa de construção naval OSX, mas nega as acusações. Ele assumiu o fracasso nos projetos na área de petróleo e disse que perdeu tanto quanto qualquer acionista.

Curiosamente, há milionários brasileiros que são extremamente recatados perante a mídia, não comentam seus sucessos ou fracassos, fogem da badalação e das colunas sociais e pouca gente realmente ouviu falar deles. Eles sabem que o peixe morre pela boca.

Sem categoria
Comente aqui


Urubus verde-amarelos

Foto RIC Notícias

Foto RIC Notícias

“Nóis tá na crise mermo”! Essa foi a desculpa da vez para que dezenas e dezenas de miseráveis passassem a saquear a carga de óleo de cozinha que se espalhou após o tombamento de um caminhão na rodovia BR-369, entre Londrina e Cambé, no Paraná. O derramamento de carga aconteceu em uma alça da rodovia situada logo após um viaduto.

E não foram apenas os miseráveis do entorno que saquearam a carga. Alguns motoristas pararam os carros no acostamento após o acidente e participaram do saque. A Polícia Militar precisou coibir a ação dos saqueadores. Apesar da confusão, ninguém ficou ferido ou foi preso.

Desta vez o motorista teve sorte: foi atendido pela equipe médica da concessionária que administra o trecho da rodovia e, segundo consta, não teve seus documentos nem dinheiro levados pela horda. O que é muito comum acontecer, revelando um vilipêndio incompreensível da população no trato com cadáveres neste tipo de situação.

saques

Quem será capaz de fornecer uma explicação razoável para essa atitude que se espalha pelos quatro cantos do país? A miséria será tamanha? Onde ficam os valores humanos? Acabou-se a compreensão do certo e do errado?

Sem categoria
Comente aqui


16o. lugar entre 76 países. Só que de trás para diante…

apostrofoO exemplo acima mostra uma resposta de candidato em concurso recente do ENEM. Como se vê, campeiam a ignorância, confusão e falta de entendimento de quem respondeu a pergunta. Aliás, as respostas são tão esdrúxulas que criaram até um mote (sinônimo de slogan, emblema, sentença, tema, epígrafe, motivo, assunto), repetido ano após ano: “As Pérolas do ENEM”.

O Brasil é o 60º colocado entre 76 países listados no mais recente ranking de educação da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), divulgado em Paris, em maio último.

Nas cinco primeiras posições da lista estão países e territórios asiáticos: Cingapura, Hong Kong, Coreia do Sul, Japão e Taiwan. Em seguida vêm quatro países europeus: Finlândia, Estônia, Suíça e Holanda. O Canadá ocupa a décima posição.

Os autores utilizaram como referência os resultados de 2012 do estudo Pisa de matemática e ciências, que avalia os conhecimentos dos alunos nessas matérias, e consideraram que um resultado de 420 pontos é o mínimo que todos os adolescentes deveriam alcançar aos 15 anos. No Pisa de 2012, os estudantes brasileiros alcançaram, em média, 405 pontos em ciências e 391 pontos em matemática.caligrafia

E lembrar que tudo deveria começar no curso básico (antigamente chamava-se curso primário) quando aprendíamos caligrafia, escrita e redação. Aos sete anos éramos todos alfabetizados.

Sem categoria
Comente aqui


As guerras lá fora e a grande guerra no Brasil

assassinato

Dados das secretarias da Segurança dos 26 estados e do Distrito Federal indicam um triste resultado: mais de 143 pessoas morreram por dia no país, em média, vítimas de homicídios dolosos (com intenção de matar) em 2014. Foram registrados 52.336 assassinatos, número 3,8% superior ao de 2013 (50.413).

Some-se ainda 2.061 latrocínios (roubos seguidos de morte) no ano passado e 2.368 pessoas que morreram em confrontos com a Polícia Militar. Tudo isso resultou em um índice de 25,81 homicídios para cada 100 mil habitantes. E a título de referência, a Organização Mundial de Saúde (OMS) considera que taxas acima de 10 por 100 mil habitantes configuram “nível de epidemia”.

Alagoas,  terra do Collor, aquele mau-caráter que tem aquilo roxo (segundo alegações dele mesmo), desde 2006 encabeça o ranking entre os estados com a maior taxa, pois lidera o ranking com 61,8 mortes por 100 mil.

Nos últimos 30 anos, a violência no país praticamente dizimou duas cidades do tamanho de Londrina, PR. Foram mortas exatamente 1.091.125 pessoas, vítimas de homicídio. Para se ter uma ideia da tragédia, apenas 13 cidades brasileiras têm uma população que ultrapassa 1 milhão. A média das últimas três décadas é de quatro brasileiros assassinados por hora. Em 2010, uma pessoa foi morta a cada dez minutos no Brasil.

Entre 2004 e 2007, matou-se mais no Brasil do que nas doze maiores zonas de guerra do mundo. Os dados são da Anistia Internacional no Brasil e levam em conta aquele período, quando 192 mil brasileiros foram mortos, contra 170 mil espalhados em países como Iraque, Sudão e Afeganistão.

E o que é que os governos federal e estaduais estão fazendo para reduzir esses índices? A julgar pelos resultados, praticamente nada – ou muito pouco.  Tome cuidado: a próxima vítima poderá ser você!

Foto: agorapress
Sem categoria
Comente aqui


Joana sentiu na carne

conduçaoHá tantas baboseiras no ar, espalhadas pelos políticos, pela mídia, pelos “entendidos” em economia (haja “entendidos”) e principalmente pela tropa formada no governo e seu partido de incompetentes e apaniguados, que alguns céticos até chegam a acreditar.

Conversei com Joana, enfermeira, que dá um duro danado na vida. Levanta de madrugada, toma duas conduções para chegar ao primeiro local de trabalho – um hospital -, sai correndo de lá pelas três da tarde, toma outra condução para o segundo emprego – numa casa de idosos – e passa pelo mesmo martírio do transporte, noite bem avançada, para chegar em casa, onde pratica o chamado terceiro turno de trabalho – prepara a comida para os filhos pequenos, dá uma ajeitada na casa… e desmaia na cama. No dia seguinte, tudo começa de novo.

Joana tinha sonhos: queria comprar uma motoca para não depender mais da condução, assim ganharia tempo. Queria incrementar sua casinha alugada na periferia, uma geladeira nova, uma tevê que substituísse aquela bem antiga, quem sabe um toca-dvd… mas os preços dos alimentos, da carne, do frango, das frutas, dos legumes subiram tanto que ela praticamente troca o trabalho pela vida e pelo mínimo necessário para manter os filhos saudáveis e relativamente bem vestidos. E o aluguel, então… Joana acreditou no sapo barbudo (era assim que o Brizola chamava o Lula numa das campanhas presidenciais): ela seria alçada à classe média, poderia comprar de tudo que os grã-finos compram, estava na fila para adquirir sua casa própria no “Minha Casa, Minha Vida”, quem sabe financiaria um carro mais velhinho… seus sonhos vieram abaixo com a dura realidade da vida dos brasileiros. Joana também descobriu que ela não era a única nestas condições: toda sua vizinhança andava de cara amarrada, muitos perderam seus empregos, alguns tiveram seus carros confiscados pelas financeiras, por falta de pagamento, houve até um suicídio no outro quarteirão. Desespero puro.

Joana é uma brasileira trabalhadora e esforçada. Mas está sentindo na carne a cruel realidade do nosso país. Ela mal pode acreditar: um território tão grande, com tantas terras, que poderia oferecer oportunidades inigualáveis e impensáveis em outros países… está pondo tudo a perder. As favelas estão proliferando e formando anéis cada vez maiores em torno das cidades; as pessoas estão cada vez mais pobres; a criminalidade avança, aliciando jovens desesperançosos; as drogas proliferam por todos os cantos. E os corruptos, então, dos quais Joana ouve as estripulias todo santo dia?

O que será de Joana no futuro? E se ela ficar doente? E se os seus filhos descambarem para a criminalidade? E se ela perder o emprego?

Sem categoria
3 Comentários


Um flagra de traição no cotidiano da vida

traicao

Não é todo dia que um “Ricardão” é flagrado escapando de uma estrepolia. Neste caso, como o fato ocorreu à luz do dia, juntou muita gente na rua e, como acontece nestes tempos modernos, toda cena foi gravada em vídeo.

Enquanto a mulher discutia na sacada com o marido traído que deve ter chegado de supetão em casa, sem aviso prévio, o feliz Ricardão se evadia pela janela, vestindo apenas sua cueca e se agarrando a uma “Tereza”, corda que geralmente os fugitivos de cadeias utilizam, preparadas com lençóis. A sorte do Ricardão prosseguiu: o Corpo de Bombeiros chegou e dispôs no chão um colchão plástico, especial para essas situações, para onde ele se jogou.

Mal ficou o marido: provavelmente saiu de casa para nunca mais voltar. Afinal, além da esposa traidora, teria de enfrentar envergonhado a vizinhança que presenciou toda a cena.

Sem categoria
Comente aqui


Na fila para impeachments

forcaA Operação Lava Jato deve estar utilizando equipamentos ultra-modernos, com forte pressão de água e muito sabão: as revelações de corrupção que vão surgindo camada após camada de sujeira são estarrecedoras. Por isso já se fala tanto de impeachment – e não só da governanta. Vários nomes estão em pauta.

O jurista Luiz Flávio Gomes não tem dúvidas de que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), está com sérios problemas quando o assunto é a Operação Lava Jato, que investiga um esquema de corrupção envolvendo empreiteiras e ex-diretores da Petrobras. Na delação do lobista Julio Camargo, este afirmou ter sido pressionado a pagar US$ 10 milhões ao peemedebista. O jurista visualiza que o peemedebista pode até acabar na prisão por seu suposto envolvimento. Obviamente perderia seu cargo de presidente da Câmara, e sofreria o mesmo processo como se fosse um impeachment.

A Advocacia-Geral da União (AGU) entregou nesta quarta-feira (22) ao TCU -Tribunal de Contas da União – a defesa da governanta Dilma na análise das contas públicas em curso naquele tribunal onde apareceram as chamadas “pedaladas fiscais” do governo. O TCU avalia se atrasos nas transferências do Tesouro Nacional a bancos públicos para pagamento de programas sociais, como o Bolsa Família, feriram a Lei de Responsabilidade Fiscal. Segundo os auditores do TCU, os atrasos nos repasses e a não contabilização das dívidas com os bancos públicos contribuíram para “maquiar as contas públicas”. A prática de atrasar os repasses permitiu ao governo melhorar o resultado das contas públicas, inflando o chamado superávit primário (economia para pagar juros da dívida pública e tentar manter a trajetória de queda).

A defesa da governanta alega que presidentes anteriores se utilizaram do mesmo recurso, querendo justificar que se eles erraram ela também pode errar. Ou, figurativamente, se um presidente anterior assassinou uma pessoa, a governanta teria o mesmo direito. Uma pesquisa de opinião divulgada nesta terça-feira pela CNT/MDA revelou que 62,8% dos entrevistados se dizem a favor do impeachment da governanta. Outros 32,1% afirmam ser contra o afastamento.

Entrou na fila também um pedido de impeachment do ministro José Antonio Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal, através de dois advogados de São Paulo, por ele não ter se declarado impedido de julgar o processo do mensalão. Assim como os processos de impeachment do presidente da República, são os senadores que analisam pedido semelhante contra integrantes do Supremo.

Toffoli foi sub-chefe da Casa Civil quando José Dirceu, réu no mensalão, era o ministro. O ministro do Supremo também já foi advogado do PT e, como a Folha de S.Paulo revelou, Toffoli chegou a escrever num processo eleitoral que “o mensalão jamais foi comprovado“.

Se toda sujeira do Lava Jato vier à tona, eis que de repente a nossa “presidenta” pode acabar até como “residenta” num presídio, onde teria tempo para repensar as bobagens que cometeu quando foi uma “expoenta” na política brasileira.

Sem categoria
Comente aqui


E ainda tem gente reclamando do Minhocão, em Sampa

minhocao

Quando foi prefeito em São Paulo, Paulo Maluf decidiu em 1968 (e quando escrevo “decidiu”, decidiu por si só mesmo, sem consulta popular) construir o Elevado Presidente Costa e Silva, batizado pela população de “Minhocão” e que causou terrível impacto na paisagem urbana da região central de São Paulo. Todos os edifícios ao redor do Minhocão sofreram enorme desvalorização, graças ao barulho e à poluição causada pelos escapamentos dos milhares de veículos que circulam por lá diariamente, impedindo os moradores de abrir suas janelas. Até hoje se discute se a obra é válida, por ligar duas regiões de muita densidade demográfica da cidade, ou se é uma aberração arquitetônica e um fracasso de engenharia civil.

anel rodoviario china

Agora talvez haja uma consolação para os paulistanos: lá em Guangzhou, na província chinesa de Guangdong, decidiram construir um viaduto em formato de anel que deixou um velho prédio residencial totalmente ilhado bem no meio. O plano das autoridades era demolir o prédio, mas vários moradores não aceitaram o acordo de indenização e preferiram  ficar morando lá, segundo a imprensa local.

Por isso, quando se fala de investimento imobiliário, cuidado: nunca se sabe o que pensam os governantes. De repente, não mais do que de repente, seu imóvel pode sobrar ao lado de uma rodovia, de um viaduto, de um estádio de futebol, de uma penitenciária…

Sem categoria
Comente aqui


Políticos! Afinal, o que eles estão fazendo?

Os brasileiros esperam há anos por mudanças palpáveis na reforma política (regras para verbas de campanhas, prazos de mandatos, regras para reeleições, os chatésimos horários políticos, etc.). Dependemos da Câmara e do Senado.

Os brasileiros esperam por anos a mudança do Código Penal, que completa 75 anos e está “levemente” ultrapassado. Dependemos da Câmara e do Senado.

Os brasileiros esperam quase que em estado terminal a atualização das aposentadorias acima de um salário mínimo, que vão se reduzindo ano após ano. Dependemos da Câmara e do Senado.

Os brasileiros esperam ansiosamente a extinção dos impostos nos medicamentos, tão caros que a maioria nem tem capacidade de adquirir. Dependemos da Câmara e do Senado.

Os brasileiros esperam a redução dos vencimentos dos privilegiadíssimos deputados e senadores, dentre os mais altos do mundo. Dependemos da Câmara e do Senado.

Os brasileiros esperam a cassação dos políticos corruptos – e o Mensalão e a “Operação Lava Jato” mostram a extensão do problema e a quantidade impressionante de aproveitadores da boa fé (ou seria ignorância?) dos seus eleitores. Dependemos da Câmara e do Senado.

Os brasileiros imploram há anos pela melhoria no atendimento da saúde, que se deteriora dia após dia. Dependemos da Câmara e do Senado.

Os brasileiros anseiam por uma faxina no seio do governo federal, com uma governanta que tem a pior avaliação de todos os que já assumiram o cargo, não diz coisa com coisa, apadrinha cupinchas e incompetentes, criou a maior teia de corrupção ao seu redor, e se estivéssemos num país sério teria sido “impichada” há muito tempo. Dependemos da Câmara e do Senado.

Enquanto isso… enquanto isso, dia após dia vai emergindo uma podridão fétida, malcheirosa,  putrefata, que nos envergonha a todos, onde presidentes do Senado e da Câmara são acusados de corruptos e de ilegalidades, fazendo-nos assistir disputas de egos, conchavos, diz-que diz, prepotências e arrogâncias, esquecendo-se eles de que estão a nosso serviço, com salários e mordomias pagas com nosso dinheiro e que foram colocados lá como nossos representantes.  E infelizmente dependemos deles mesmos, dependemos da Câmara e do Senado para mudar não só esse estado de coisas, mas para mudar o Brasil.

Sem categoria
Comente aqui


Fausto Silva: “Internet, o penico do mundo”

Fausto Silva soltou a seguinte bomba certo domingo, quando reclamou da repercussão de duas polêmicas nascidas em edições anteriores do seu programa, : “Com algumas exceções, a internet é o penico do mundo.”  

Curioso: para as pessoas de bom senso, o “Programa do Faustão” é o próprio penico da televisão brasileira: dirigido a pessoas de pouco senso crítico, popularesco, é provavelmente um dos programas de mais baixo nível da televisão atualmente – se bem que chega a ser páreo duro esta afirmação, frente a outros programas que pululam nas telinhas.

Quem conheceu os primórdios da televisão, certamente se lembra dos programas culturais promovidos por Heitor de Andrade; da sobriedade dos apresentadores Blota Júnior e Sônia Ribeiro; dos programas de entrevistas domingueiras de Bibi Ferreira, talvez a precursora do gênero; da espontaneidade do “Clube dos Artistas” com Airton Soares e Lolita Rodrigues; do “Astros do Disco”, apresentado por Randal Juliano; e tantos outros programas que reuniam a família frente à telinha, apresentados com classe e inteligência.

Foi provavelmente o programa “O Povo na TV” (vídeo acima) levado ao ar por Roberto Jefferson (sim, o deputado do mensalão) e Wagner Montes (hoje deputado), o primeiro do gênero chamado “mundo cão”. De nível baixíssimo, “O Povo na TV” foi o precursor desta onda de programas sórdidos que ao invés de somar culturalmente e nos brindar com entretenimento sadio, nos envergonham com seu linguajar chulo, trazendo entrevistados com pouca instrução, “causos” deprimentes e cenas chocantes.

Fausto Silva enveredou pelo caminho mais fácil: ao invés de buscar sua inspiração nos nomes mais consagrados de outrora, acabou caindo no penico que ele tanto condena na internet.

Não haveria espaço suficiente neste post para analisar todos os milhares e milhares de aspectos positivos que a internet trouxe para nosso universo: nunca ocorreram tantas inovações, tanta cultura, tanta arte, tanta ciência e se divulgou tanto conhecimento como nestes 20 anos de existência da internet.

Fausto Silva deve estar míope e mirou no foco errado. Se tivesse um espelho e apeasse de sua soberba, talvez reconhecesse que a latrina está muito mais próxima dele do que da internet.

Sem categoria
1 Comentário