Mês: janeiro 2016

 

Eles não çabem de nada, coitados

esquecimento

– Esse apartamento é de sua propriedade?
– Não sei.
– Foi o senhor que participou da reunião com o deputado?
– Não sei.
– Essa conta no Exterior é sua?
– Não sei.
– Em que andar fica o seu apartamento no prédio do Guarujá?
– Não sei.
– O senhor recebeu repasse para sua campanha política?
– Não sei.
– A fazenda que o delator relatou ser sua fica em Mato Grosso?
– Não sei.
– Essa sua empresa é só de fachada?
– Não sei.
– A consultoria que o senhor alega ter prestado é real?
– Não sei.
– Por que há tanto dinheiro depositado na sua conta?
– Não sei.
– Aquele diretor da estatal repassou dinheiro para sua família?
– Não sei.
– O senhor possui empresas “offshore”?
– Não sei.
– Quantos encontros o senhor teve no escritório da empreiteira?
– Não sei.
– O senhor trocou e-mails com o acusado?
– Não sei.
– Qual é o seu verdadeiro nome?
– Não me lembro.

Sem categoria
Comente aqui


CPMF: porque não acreditar no governo

cpmf

A Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) substituiu o Imposto Provisório sobre Movimentação Financeira (IPMF), que havia sido criado em 13 de julho de 1993, durante o governo de Itamar Franco, cujo ministro da Fazenda era Fernando Henrique Cardoso. O IPMF vigorou de 1º de janeiro de 1994 até 31 de dezembro de 1994 e sua alíquota era de 0,25% incidindo sobre os débitos lançados nas contas mantidas pelas instituições financeiras e transações gerais da economia. A ideia era inicialmente substituir o Imposto de Renda, sob a alegação de que atinge as chamadas “Grandes Fortunas Constitucionais”. Mostrou-se mais eficaz que o Imposto de Renda, pois gerava muito mais recursos – mas não o substituiu, somou-se a ele!

Em 1996, já no governo Fernando Henrique Cardoso, foi instituída a CPMF, que passou a vigorar em 23 de janeiro de 1997, com base na Lei nº 9.311, de 24 de outubro de 1996. A contribuição provisória foi extinta em 23 de janeiro de 1999, tendo sido substituída pelo IOF até seu restabelecimento em 17 de junho de 1999. A alíquota, que era originalmente de 0,25%, foi elevada na época de seu restabelecimento para 0,38%. Em 17 de junho de 2000 foi reduzida para 0,30% e em 19 de março de 2001 novamente elevada para 0,38%. A proposta de prorrogação da contribuição foi rejeitada pelo senado em dezembro de 2007.

Considerado o “pai” da CPMF, o médico Adib Jatene foi secretário estadual de Saúde no governo Paulo Maluf e duas vezes ministro da Saúde, durante o Governo Collor e, a última delas, no governo de Fernando Henrique Cardoso.

No começo, pelo artigo 18 da Lei nº 9.311 de outubro de 1996, a totalidade da arrecadação da CPMF era destinada ao Fundo Nacional de Saúde. A partir de 1999, com a Emenda Constitucional 21, a CPMF passou a destinar parte de seus recursos à Previdência Social e à erradicação da pobreza. No final de sua vigência, a Previdência Social e a erradicação da pobreza recebiam aproximadamente 26% e 21% da arrecadação, respectivamente.

Desgostoso com o desvio da finalidade (o imposto foi utlizado até para cobrir rombos no orçamento federal), Jatene demitiu-se, extremamente magoado.

Para os desavisados, a sigla CPMF foi criada inicialmente como “Contribuição Provisória sobre Movimentações Financeiras”. Algum “luminar” do governo sugeriu passar a sigla para “Contribuição Permanente sobre Movimentações Financeiras”. E agora a história se repete…

De tudo isso se depreende que, assim como as obrigações do estojo de primeiros socorros e do extintos para os automóveis – que deixaram de ser obrigações -, da redução das contas de energia elétrica, que na verdade aumentaram assustadoramente e de tantas promessas não cumpridas ao longo do tempo, não dá para acreditar mais nos nossos governantes.

A recriação da CPMF servirá apenas para aumentar o caixa do governo destinado à corrupção, aos desmandos, às campanhas eleitorais e à manutenção deste “status quo” vigente – vergonhoso, destruidor e eivado de incompetência.

Sem categoria
Comente aqui


Mosquitos transgênicos contra a dengue. Por que não se explora mais isso?

mosquito da dengue

As três doenças causadas pelo Aedes aegypti estão se tornando uma epidemia -e chegaram até aos EUA. Curiosamente, pouco se fala sobre o OX513A, criado pela Universidade de Oxford, na Inglaterra. Ele é idêntico ao Aedes aegypti – exceto por dois genes modificados, colocados pelo homem. Um deles faz as larvas do mosquito brilharem sob uma luz especial (para que elas possam ser identificadas pelos cientistas). O outro é uma espécie de bomba-relógio, que mata os filhotes do mosquito.

A ideia é que ele seja solto na natureza, se reproduza com as fêmeas de Aedes e tenha filhotes defeituosos – que morrem muito rápido, antes de chegar à idade adulta, e por isso não conseguem se reproduzir. Com o tempo, esse processo vai reduzindo a população da espécie, até extingui-la. O OX513A já foi utilizado em testes na Malásia, nas Ilhas Cayman (no Caribe) e em duas cidades brasileiras: Jacobina e Juazeiro, ambas na Bahia. Deu certo.

No Brasil, a Comissão Técnica Nacional de Biossegurança, um órgão do Ministério da Ciência e Tecnologia, aprovou o mosquito. E o Brasil se tornou o primeiro país do mundo a permitir a produção em grande escala do OX513A – que agora só depende de uma última liberação da Anvisa. A Oxitec, empresa criada pela Universidade de Oxford para explorar a tecnologia, acredita que isso vai ocorrer. Tanto que acaba de inaugurar uma fábrica em Campinas para produzir o mosquito.

Desde julho, moradores do município baiano de Jacobina, cidade de 45 mil habitantes na Bahia, participam indiretamente deste estudo. Pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP), em parceria com a ONG Moscamed, tentam comprovar que a liberação de mosquitos Aedes aegypti geneticamente modificados no meio ambiente reduz drasticamente o tamanho da população de transmissores da doença – diminuindo assim o número de infectados, que em 2016 chegou perto de dois milhões de pessoas, segundo o Ministério da Saúde. Em Jacobina, levantamentos mostravam que a população de transmissores da dengue em seis meses de experimento já era 50% menor, de acordo com pesquisadora da USP Margareth Capurro, coordenadora do Projeto Aedes Transgênico (PAT).

O método já havia sido testado em menor escala em algumas vilas de Juazeiro, também na Bahia, com sucesso, resultando numa diminuição de até 90% da população do mosquito da dengue.

Um dos pontos que ainda precisam ser verificados com segurança é o impacto epidemiológico – ou seja, a redução no número de infectados pela dengue – alcançado com o método dos mosquitos transgênicos. Curiosamente, pouco se fala desse projeto – que poderia resultar na eliminação das doenças causadas pelo mosquito em todo o mundo.

Será que há interesses outros em jogo? Fabricantes de repelentes com medo de perder faturamento? Verbas para o combate que deixarão de ser enviadas aos municípios, impedindo desvios por corruptos?

Sem categoria
2 Comentários


Itália manda esconder esculturas desnudas

escultruras desnudas

A Itália decidiu colocar tapumes na frente das estátuas centenárias do Museu do Capitólio, no ambiente onde se dará a conferência entre o presidente do Irã, Hassan Rouhani, e o Premier Matteo Renzi, apenas para não ofender o visitante, em sua visita ao país. A decisão está sendo considerada ridícula pelos romanos. Mas os assessores de Renzi se abstiveram de comentar a decisão.

Chega a ser inacreditável a diferença cultural entre o Ocidente e os muçulmanos – os mais radicais deles, pertencentes ao ISLA, já destruíram monumentos milenares em vários países onde atuam. O que surpreende é a passividade dos italianos, que simplesmente abaixaram a cabeça e concordaram com decisão.

Davi que se cuide lá em Florença!

Sem categoria
Comente aqui
  

Notícias que irão mudar radicalmente a minha vida

Gripado, Silvio Santos cancela gravações de seus programas esta semana

Com uma gripe forte, Silvio Santos cancelou todas suas gravações desta semana no SBT. Após ter acelerado o ritmo do começo do ano por conta de uma viagem, ele agora tenta se recuperar para voltar aos estúdios o mais rápido possível, no máximo até semana que vem.

Cristiano Ronaldo está proibido de viajar para Marrocos a meio da semana

As constantes viagens de Cristiano Ronaldo a Marrocos foram barradas pelo presidente do Real Madrid, Florentino Pérez. O mandatário estava irritado com o fato de o craque escapar quase toda a semana para o país africano, apesar de nunca ter faltado a nenhum treino. .

Zac Efron aparece molhado e sem camisa em treino para filme Baywatch

O ator, que relembrou apresentação no teatro da escola, não cansa de ser maravilhoso! Nessa quinta-feira, 21, Zac apareceu de calça colada no corpo, touca e óculos, para uma aula de natação em uma piscina em Los Angeles.

Khloe KardashianConfissões de Khloé Kardashian

Khloé Kardashian, que recentemente contou detalhes da traição de Lamar Odom, brincou recentemente em sua página oficial na internet de “F-ck, Marry, Friend Zone”, na qual teve que escolher um integrante do One Direction para casar, um para transar e um para ser apenas amigo.

Leonardo Quintão retira sua candidatura à liderança do PMDB

O deputado federal Leonardo Quintão (PMDB-MG) retirou a sua candidatura à liderança nacional do PMDB e formalizou apoio à recondução do líder, Leonardo Picciani (PMDB-RJ).

Sem categoria
Comente aqui


“Distinto” povo brasileiro

lixo

Corroborando nosso post anterior, eis um flagrante captado hoje de manhã: lixo descartado junto à parede de um prédio, em plena calçada. E não se trata de bairro de periferia: esta rua, Weslley Cesar Vanzo, fica na Gleba Palhano, em Londrina, considerado um bairro “chique” por causa dos novos edifícios monumentais e luxuosos que aí foram construídos.

Esta é a colaboração do ‘distinto’ povo brasileiro com a higiene, a saúde, o combate ao mosquito aedes aegypti e o bem-estar das pessoas que moram no entorno.

Sem categoria
1 Comentário


Caminhando para trás

Junto com outros países, o Brasil conseguiu erradicar diversas doenças que assolavam a Humanidade. Algumas delas demoraram um pouco mais para serem combatidas. Outras mereceram elogios da OMS pelas campanhas de vacinação bem sucedidas em todo o país.

vacina variolaQuando viajei para a Europa em 1973, ainda era obrigatório apresentar comprovante de vacinação contra a varíola, à época já erradicada na maior parte dos outros países. Mas o Brasil ainda fazia parte da lista de possíveis focos de infecção.

O que surpreende nos dias de hoje, é a proliferação do mosquito aedes aegypti, que está fazendo dengue, chikungunya e zika vírus se alastrarem como nunca pelo nosso país. Apesar de alguns governantes colaborarem (por omissão) com esta nova pandemia, a culpa maior recai sobre a população, que incompreensivelmente deixa de colaborar com os princípios básicos de limpeza, cuidados e prevenção.

É incompreensível que com tanta divulgação pela mídia, com hospitais lotados de pessoas infectadas, com vídeos exibidos nas redes sociais e com a própria campanha maciça promovida pelos governantes, existam pessoas que se alienam do problema, fazendo-nos pensar que possuem um bloqueio mental ao nível da incompreensão sobre o que se passa no seu entorno.

Casas com recipientes e objetos onde se alojam as larvas, terrenos abandonados, piscinas mal cuidadas, denguelixo amontoado por toda parte, lajes e calhas com água estagnada, pneus descartados a esmo, garrafas, tampinhas, copos plásticos, vasos, flores e plantas sem cuidados mínimos… a lista é infinita.

Se há algum tempo fomos merecedores de nota 10 em campanhas de vacinação da população, hoje, lamentavelmente, recebemos nota zero pelo comportamento de grande parte das pessoas, que ignoram, desprezam e alimentam a proliferação destas doenças típicas de Terceiro Mundo e de países sub-desenvolvidos.

Foto pneus: Napoleão Pires
Sem categoria
Comente aqui