Mês: março 2016



O que temer com a saída da governanta

temerA governanta mor sai, impichada – afinal, D’us é brasileiro. E depois?
Serão pouco mais de dois anos de governo peemedenista.
A brigalhada por cargos e nomeações vai ser pesada. Afinal, esta sempre foi uma das especialidades do PMDB. Conseguiram se infiltrar em todos os governos, em ministérios, secretarias, cargos de confiança, com ou sem presidentes, com ou sem democracia. Lembram-se do Sarney, o coronel maranhense, o imortal? Há poucos dias ele surgiu no meio de uma reunião do partido e recebeu, oras bolas, um beijo estalado na face da plastificada Martha Suplício. Significa que continua vivinho da silva.
Difícil será tirar do caminho os milhares e milhares de petistas nomeados pelo molusco e pela governanta. São eles a base – e esta é de fato a base – de sustentação do partido que está no poder, se movimentando nos bastidores, nas associações de bairros, nas periferias, nas fábricas. São eles os responsáveis pelo andamento ou emperramento da “máquina pública”, pelo visto muito mais emperrada do que eficiente.
São eles os responsáveis pela distribuição de sanduíches de mortadela, transporte, dos R$30,00 de “ajuda de custos”, das camisas vermelhas e outros apetrechos e subsídios para colocar um bando de anônimos nas manifestações de rua, que sequer sabem porque estão alí. São eles também que controlam as listagens de bolsas-família, bolsas-escola, bolsas-presidiário…
Difícil mesmo será traçar um projeto de governo e tirar o Brasil do fundo buraco econômico em que a governanta nos jogou.
Viu? Há um longo e penoso trabalho pela frente. Não dá para esperar muitas mudanças no cenário político e econômico, Mas só o fato de tirar a governanta mais incompetente da História do Brasil já terá sido um alívio. Como imagino o que diria Dunga, o “técnico” da Seleção Brasileira: “a gente põe onze jogadores em campo, mostra onde é o gol adversário, avisa que eles têm de chutar para fazer gol… e depois seja lá o que D’us quiser”. Ontem, contra o Paraguai, foi assim.

Sem categoria
3 Comentários


PT ameaça Temer e o PMDB

humberto costaO PT, sentindo faltar o chão aos seus pés, já que hoje (28/03) vai ocorrer a reunião do PMDB onde, ao que tudo indica, ocorrerá o desligamento total do partido afastando-se do governo que apoiou desde a eleição de Lula, partiu para ameaças grosseiras ao presidente (do partido) Michel Temer, que é o vice-presidente da República.

Foi Humberto Costa, líder do governo do PT, lá da tribuna do Senado, que ameaçou Temer: “será o próximo a cair se Dilma sofrer golpe constitucional”. Essa conversa de “golpe” vem sendo empurrada sistematicamente ao eleitorado petista, apesar de ser uma afirmativa declaradamente inconstitucional, pois pelo menos cinco ministros do Supremo Tribunal Federal (Gilmar Mendes, Carmen Lúcia, Dias Toffoli, Celso de Mello e Luis Roberto Barroso), já afirmaram que o impeachment é um mecanismo constitucional e, sendo observado o processo legal, não é golpe.

Dizem que golpe é aquele que se realiza em poucos dias. Derruba-se um governo, um presidente, um ditador, um regime político em curto espaço de tempo. No Brasil, está se discutindo a saída da presidente de forma constitucional, com todos os direitos de defesa da acusada preservados. Isso não é golpe!

Humberto Costa ainda declarou: “Não pense que os que hoje saem organizados para pedir ‘Fora, Dilma’ vão às ruas para dizer ‘Fica, Temer’, para defendê-lo. Não. Depois de arrancarem, com um golpe constitucional, a presidenta da cadeira que ela conquistou pelo voto popular, essa gente vai para casa porque estará cumprida a sua vingança e porque não lhe tem apreço algum. E, seguramente, Vossa Excelência (Michel Temer) será o próximo a cair”, afirmou Humberto Costa. Classificou ainda como uma “esquizofrenia” o PMDB, partido presidido pelo vice-presidente, se reunir para decidir se fica ou se sai do governo. Segundo ele, isso é “algo impensável em qualquer sistema presidencialista sério do mundo”. “Não se pode entender uma atitude dessa natureza, senão pelo viés escancarado do oportunismo”, disse.

Como se vê, é o PT – o partido do governo – esperneando e queimando seus últimos cartuchos verbais ao se ver na iminência de encarar um provável impeachment da presidente que, cá para nós, deveria renunciar para não sofrer tal processo. Afinal, a popularidade dela é a mais baixa que qualquer presidente já teve, a insatisfação com seu governo é geral, a economia está em pandarecos sem perspectiva de recuperação, o rombo financeiro é monumental, os desvios de dinheiro sob suas vistas é incontável, a incompetência gerencial é flagrante e as manifestações nas ruas são intermináveis, com a infeliz possibilidade de entreveros mais violentos entre os que o PT chama de “nós e elles”…

Foto: Globo
Sem categoria
Comente aqui
  

Assassinando os aposentados

medicamentosHoje, os impostos incidentes sobre medicamentos no Brasil alcançam 34% do preço final. Mesmo assim, 12 estados decidiram aumentar ainda mais o percentual de um dos principais impostos do setor, o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), alegando problema de arrecadação por conta da crise econômica. A maioria dos reajustes foi de 1,2%, sendo que no Rio de Janeiro o imposto passou de 18% para 20%. Este aumento da carga tributária forçou uma redução dos descontos oferecidos no varejo, já que a indústria farmacêutica também está sendo impactada por outros custos, como a desvalorização do Real e o preço da energia.

Agora, os consumidores foram surpreendidos com outra má notícia: cálculos da Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa (Interfarma) indicam que os medicamentos podem ficar até 12,5% mais caros a partir do próximo dia 31 de março. Se o aumento for confirmado, vai superar, pela primeira vez em dez anos, a inflação, que fechou 2015 em 10,67%. “As oscilações do câmbio e o aumento expressivo da energia elétrica tiveram grande influência na mudança”, destaca nota da Interfarma.

No ano passado, nesta mesma época, o ajuste autorizado foi de 7,70%, 6,35% e 5% nos preços de remédios, dependendo da categoria do produto. O governo ainda não divulgou oficialmente de quanto será o reajuste em 2016 e informa que o processo está em consulta pública.

Nós todos sabemos que as pessoas da “Melhor Idade” (hehehe) são a que mais necessitam de medicamentos para se manterem vivas. A maioria já se aposentou e infelizmente os reajustes – com sorte – acompanham apenas os índices da inflação oficial. Mas nem sempre isso ocorre. Além disso, há que ser contabilizado o prejuízo daqueles aposentados que há alguns anos se aposentaram com a equivalência de quatro, cinco salários mínimos e hoje recebem dois ou três… são artimanhas malignas do governo federal.

Em vários países é o governo que subsidia medicamentos para idosos e aposentados, isentando-os de tributos. O Congresso Nacional deveria se debruçar sobre esse problema e colocar os medicamentos na lista de produtos prioritários, isentos de impostos, obrigando ainda o governo a ampliar o leque ofertado pela Farmácia Popular (gratuitos). No meu caso, por exemplo, dos sete medicamentos diários que tomo, apenas um se encontra na listagem da gratuidade. E obviamente é o mais barato de todos.

Conclusão: para o governo, os aposentados são um peso morto na sociedade, onerando os cofres públicos. O melhor mesmo é deixá-los à míngua, sem recursos para adquirir medicamentos. Quem sabe essa tática reduza o prejuízo da Previdência Social, do Ministério da Saúde, do erário…

Sem categoria
Comente aqui


Nossos dias têm 48 horas?

relogio com 48 horasMarco Antonio Villa, historiador e analista político que todos conhecem, outro dia soltou uma frase no Jornal da Cultura que nos faz refletir: “agora no Brasil os dias parecem ter 48 horas e mesmo assim é impossível acompanhar tudo o que acontece neste período”.

Parece que ele tem razão. A sucessão de acontecimentos diários – na política brasileira – é tão dinâmica, tão escabrosa, tão abrangente nas áreas do Executivo, Legislativo e Judiciário, que precisaríamos estar conectados a várias mídias simultaneamente para tentar captar os fatos.

É indicação de ministro que sofre impedimento jurídico; é indicação de ex-presidente que tenta escapar da justiça; é presidente da Câmara dos Deputados sofrendo processo; é presidente do Senado acusado de corrupção; é presidente da República afirmando que o impeachment não passa de golpe; é o STF sendo injuriado pelos esquerdistas; é o Morales ameaçando “invadir” o Brasil se a presidente sofrer impeachment; é o MST desfilando pelas ruas impunemente com foices, facões e porretes; é a oposição que surpreende a todos por se manter calada e acomodada; é a prisão quase que diária de mais e mais suspeitos de corrupção pela Operação Lava Jato; é a obtusidade de adeptos dos esquerdistas marchando pelas ruas sem sequer saberem o que estão reinvidicando; é o volume de vídeos e artigos publicados pelas redes sociais, criando um separatismo entre “nós e elles”; é o trabalho incessante da Polícia Federal recolhendo computadores e provas contra suspeitos; é o espanto dos brasileiros frente ao volume de dinheiro desviado de órgãos estatais com a participação das empreiteiras; é…

Este texto ficaria infindável se fossemos enumerar tudo o que acontece todos os dias e em todas as horas. Villa tem razão: nem um dia de 48 horas nos permitiria abranger todos os acontecimentos que levaram o Brasil para o lamaçal de sujeira que mancha nossas vidas.

Sem categoria
Comente aqui


La vita è bella

Da direita para a esquerda: Prof. Leonardo Prota (atrás dele, Fátima Mandeli), Maria Lucia Victor Barbosa, Leonilda Yvonneti Spina, Tânia Toffoli e Julio Bahr, na reunião das Academias de Letras do Paraná, 2014, Paranavaí, PR

Nosso amigo professor, filósofo e presidente da Academia de Letras, Ciências e Artes de Londrina foi-se embora. Um homem sempre bem humorado, educado com todas as pessoas, galanteador com as mulheres, para as quais sempre reservava um rasgado elogio, amante de um bom vinho italiano, o Prof. Leonardo Prota nos deixou neste sábado dia 19 de março.

Tive o privilégio de desfrutar de sua amizade nos últimos dois anos e meio, quando fui convidado para fazer parte da nova diretoria da Academia, que acabara de sofrer um duro golpe com a perda do então presidente e fundador, Dr. João Soares Caldas.

O professor usava um jargão que marcou a vida dos seus amigos: para ele “la vita è bella” sob todas as circunstâncias. Com esse jargão, nosso grupo da diretoria brindava a cada reunião, a cada encontro festivo, sempre com um bom vinho, italiano ou não.

Prof. Prota e eu nos comunicávamos quase que diariamente – sempre havia assuntos a serem analisados e resolvidos. Creio que fui uma espécie de “alter ego” para ele nesse período, pois nos entendíamos perfeitamente. Talvez o fato de ele ter convivido longamente com a vida acadêmica, de onde conhecia seus melhores amigos, e eu ter surgido da vida publicitária, um mundo absolutamente conflitante com o rigor das universidades, tenha moldado nosso perfeito entendimento.

No dia 2 de janeiro recebo dele um telefonema: estava nos convidando, a mim e à minha companheira Tânia para almoçarmos no restaurante Barolo (aqui em Londrina) que, descobri mais tarde, ser o seu predileto. Claro que o almoço foi acompanhado por um uma boa conversa e um excelente vinho italiano…

As mulheres têm uma percepção muito mais aguçada do que nós, homens: Tânia pressentiu que ele na verdade preparara uma despedida, pois Leonardo Prota já estava muito doente – ele internou-se no hospital dois dias depois, permaneceu poucos dias no quarto, onde ainda o visitei e em seguida foi removido para a UTI, onde faleceu.

Ficamos muito comovidos com a deferência do professor, que nos elegera para partilhar do seu último compromisso social.

Com ele, aprendemos muito, assim como seus incontáveis alunos espalhados por várias cidades brasileiras. Sua mente era brilhante, seus conceitos muito bem colocados, suas palestras na nossa Academia, profundas e muitas vezes contundentes. Deixa muitas saudades e um vácuo impossível de ser preenchido;

Seja de qual lugar ele estiver agora, com certeza nos soprará nos ouvidos muitas e muitas vezes: “la vita è bella”, “la vita è bella”, “la vita è bella”…

Sem categoria
2 Comentários


Cuba, antes e depois de Fidel Castro

Os esquerdistas brasileiros amam, idolatram, veneram e têm múltiplos orgasmos cada vez que falam sobre Cuba de Fidel. Inacreditavelmente, Fidel e Chê Guevara viraram ídolos de uma geração brasileira totalmente desinformada e induzida a erro pelos “intelectuais” e artistas esquerdistas de plantão. Foram para lá de lamentáveis os acordos políticos e econômicos costurados neste regime do PT; aquele regime totalitarista foi louvado em prosa e verso eternamente por Chico Buarque (irghhh) e outros excrementos oportunistas.

Os dois vídeos abaixo desmistificam a propaganda castrista e mostram como Cuba era um dos mais avançados países do mundo, em todas as áreas. Em boa hora o presidente Obama tenta reatar relações com aquele país –  especialmente com o heroico povo cubano que viveu meio século de terror e amargura. É o efeito dominó, derrubando os esquerdistas em vários países da América Latina.

CUBA ANTES DE FIDEL

 

CUBA DURANTE O INFAME REGIME CASTRISTA

Sem categoria
Comente aqui


PT paga para colocar manifestantes nas ruas

A ignorância grassa entre os petistas. E não tem a menor graça!

O PT usa e abusa do transporte público para levar simpatizantes(?) às manifestações de rua. Ganham também camisetas, bonés e até “ajuda de custos”. A maioria nem sabe por que está lá…

Organizadores de manifestação contra o impeachment de Dilma pagam R$ 30,00 para manifestantes irem a Avenida Paulista. No vídeo divulgado nas redes sociais, um manifestante, que sequer sabe a motivação do ato, confessa ter recebido dinheiro.

Sem categoria
Comente aqui


Pára o Brasil que eu quero descer!

lula ministroDo alto das minhas sete décadas (e meia) de vida, assistindo aos lamentáveis episódios que culminaram ontem com a nomeação de um investigado por corrupção para o cargo de ministro, sinto muita amargura e arrependimento por não ter seguido o mesmo caminho que tantos outros. Talvez estes tenham sido mais corajosos do que eu e hoje moram em países politicamente estáveis, de baixíssima criminalidade, que mesmo nas oscilações econômicas e até convulsões pelas quais o mundo esporadicamente passa, vivem seguros, com ótimos cargos ou empregos, recebem do governo o troco pelos impostos pagos, educam seus filhos e netos em escolas públicas de alto nível e, para os que se interessam por política, veem os raríssimos corruptos e desonestos ser exonerados e levados à justiça. Ao contrário do que sucede no Brasil.

E ao contrário da tantos e tantos colegas publicitários, amigos jornalistas e intelectuais que conheci desde minha juventude e no correr da vida, nunca nutri simpatias pelos esquerdistas, comunistas, reacionários, castristas e afins – tudo o que nos foi impingido nos tempos de estudante (e pelo visto continuam a fazê-lo). Orgulho-me de ter atinado, desde sua aparição, que Lula era um aborto nefasto da natureza, que o PT jamais seria um partido político adequado ao Brasil e que socialismo, comunismo e outros ismos do gênero eram um câncer para qualquer sociedade constituída. Nunca fiz pose de esquerdista para “enturmar-me” com aquele pessoal desinformado e que sofrera lavagem cerebral – como fazem até hoje nas universidades.

Muito do meu posicionamento se deveu ao fato de eu sempre ter lido muito. Desde pequeno eu devorava o Estadão e a Gazeta, jornais que meu pai assinava, à época muito mais informativos do que “formativos”. Recebíamos em casa uma revista preparada nos Estados Unidos, de nome “Em Guarda”, que retratava os horrores praticados pelos nazistas e fascistas na Europa, que assassinaram vários e vários dos meus parentes. entre avós, tios e primos que jamais cheguei a conhecer.

Eu lia também muitos e muitos livros, até “proibidos” para menores, que surrupiava da biblioteca do meu pai e de minha irmã mais velha. E foi através dos escritores dissidentes russos que tomei ciência da realidade cruel que o comunismo com Lênin e Stálin impunham ao seu povo. O que ficou mais horripilante ainda quando foi construído o Muro de Berlim, uma barreira para que aquele povo explorado, humilhado e sujeito ao desterro na Sibéria, para lá passar frio, fome e possivelmente morrer, sempre que cometessem algum tipo de “crime” – crime aos olhos de uma KGB, a polícia soviética, ou por causa de denúncias falsas, acusados por vizinhos invejosos, bêbados e intoxicados por vodka.

Vibrei muito quando o Muro foi derrubado. Lágrimas teimaram em pairar nos meus olhos quando, pouco tempo depois da derrubada do muro, convidado por um amigo, almocei com ele no restaurante da Câmara Brasil-Alemanha em São Paulo; lá havia um pedaço do muro original, trazido a título de lembrança dos nefastos dias em que as duas Alemanhas, a ocidental e a oriental foram separadas. Ao tocá-lo com as mãos, e lembrar-me de tantos alemães que foram cruelmente assassinados ao tentar cruzá-lo, retratados pela tevê e pelos jornais e revistas, a emoção foi muito forte.

Por tudo isso, fico estarrecido com o grau de ignorância de tanta gente que se deixa ser levada pelas conversas mentirosas de falsos “gurus” políticos, que estufam o peito ao se proclamarem esquerdistas, comunistas, leninistas, stalinistas, castristas, “che-guevaristas” chavistas e outras figuras exdrúxulas, aproveitadoras e mal-intencionadas, alardeando serem aqueles regimes políticos o caminho para o paraíso, induzindo um povo deliberadamente mal informado a seguir seus passos.

O brasileiro parece estar acordando e descobrindo a podridão que esse tipo de gente causou ao país. Não dá mais para aguentar lulas, dilmas, ruis falcões, lindbergs farias, mercandantes, suplicys, martas, erenices, berzoinis, gleises, idelis, gilbertos carvalhos, joões santanas e tantos e tantos outros aproveitadores, gângsters e verdadeiros usurpadores do bem estar dos brasileiros. Chega! Rezemos para este ser o fim de um ciclo nefasto! Fora com eles!

Sem categoria
7 Comentários