O que temer com a saída da governanta

temerA governanta mor sai, impichada – afinal, D’us é brasileiro. E depois?
Serão pouco mais de dois anos de governo peemedenista.
A brigalhada por cargos e nomeações vai ser pesada. Afinal, esta sempre foi uma das especialidades do PMDB. Conseguiram se infiltrar em todos os governos, em ministérios, secretarias, cargos de confiança, com ou sem presidentes, com ou sem democracia. Lembram-se do Sarney, o coronel maranhense, o imortal? Há poucos dias ele surgiu no meio de uma reunião do partido e recebeu, oras bolas, um beijo estalado na face da plastificada Martha Suplício. Significa que continua vivinho da silva.
Difícil será tirar do caminho os milhares e milhares de petistas nomeados pelo molusco e pela governanta. São eles a base – e esta é de fato a base – de sustentação do partido que está no poder, se movimentando nos bastidores, nas associações de bairros, nas periferias, nas fábricas. São eles os responsáveis pelo andamento ou emperramento da “máquina pública”, pelo visto muito mais emperrada do que eficiente.
São eles os responsáveis pela distribuição de sanduíches de mortadela, transporte, dos R$30,00 de “ajuda de custos”, das camisas vermelhas e outros apetrechos e subsídios para colocar um bando de anônimos nas manifestações de rua, que sequer sabem porque estão alí. São eles também que controlam as listagens de bolsas-família, bolsas-escola, bolsas-presidiário…
Difícil mesmo será traçar um projeto de governo e tirar o Brasil do fundo buraco econômico em que a governanta nos jogou.
Viu? Há um longo e penoso trabalho pela frente. Não dá para esperar muitas mudanças no cenário político e econômico, Mas só o fato de tirar a governanta mais incompetente da História do Brasil já terá sido um alívio. Como imagino o que diria Dunga, o “técnico” da Seleção Brasileira: “a gente põe onze jogadores em campo, mostra onde é o gol adversário, avisa que eles têm de chutar para fazer gol… e depois seja lá o que D’us quiser”. Ontem, contra o Paraguai, foi assim.

Sem categoria

3 comentários sobre “O que temer com a saída da governanta

  1. Valdo 30 de março de 2016 13:35

    Temer o Temer e sua cambada do PMDB, como sempre oportunistas em todas as ocasiões, não estão nem aí para a população; a preocupação deles é assumir logo o poder para poder tomar atitudes que barrem as investigações em andamento e que tem um grande volumes de PMDBistas na relação de próximos investigados.

  2. carolina 30 de março de 2016 17:16

    O “bolsa-presidiário” nao seria o auxílio-reclusao previsato na constituiçao de 88? Do jeito que vc colocou parece que isso tbm é invençao do PT.. cada coisa…

    • Bahr-Baridades 30 de março de 2016 19:45

      A leitora não prestou atenção no texto: está escrito com todas as letras que o “gerenciamento” das bolsas é feito pelo Executivo – inclusive cortando auxílios-faculdade, atrasando perícias médicas para efeito de aposentadorias ou de afastamento do trabalho… quem garante que todos estes benefícios têm sido cumpridos satisfatoriamente e não caiam em mãos erradas?

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.