Mês: julho 2016



Chega de empurrar com a barriga!

bonecos dilma e lula

O Brasil precisa voltar à normalidade (se é que nosso sistema político pode ser chamado de normal).
Basta de discutir o impeachment da ex-governanta. Cadeia pra ela!
Basta de protelar o julgamento e a prisão do molusco. Cadeia pra ele!
Ninguém aguenta mais! Estamos pela tampa de ouvir repetecos das mesmas notícias sobre irregularidades, desvios, mentiras, acusações, corrupção, delações… até os jornalistas se cansaram de noticiar mais do mesmo!
Chega de mimimi!

Sem categoria
1 Comentário
 

Se esta moda pega no Brasil…

policial sueca

A foto mostra uma policial sueca de biquíni prendendo um suspeito de roubar um celular no parque onde ela tomava banho de sol em seu dia de folga com amigos. A cena foi fotografada por uma colega da policial e ocorreu dia 27 em Estocolmo, Suécia.

Segundo a policial Mikaela Kellner, um “sem teto” que vendia jornais se aproximou do grupo e, ao se afastar, um dos amigos notou que seu aparelho celular havia sido furtado. “O fato de estar vestindo biquíni não me fez hesitar em nenhum momento. Se eu estivesse nua, isso também não me impediria de agir como policial”, explicou Mikaela.

Sem categoria
1 Comentário


Joseval Peixoto, da Jovem Pan, denuncia irregularidades

Joseval Peixoto, da Rádio Jovem Pan, denuncia a Diretora de Imagem e Comunicação da Vivo, Cris Duclos, que foi demitida por suspeita de rombo milionário de R$ 27 milhões em superfaturamento de produções de filmes publicitários e repasse de propina para si.

Lamentavelmente, três grandes (e famosas) agências de publicidade aparentemente estão envolvidas: Àfrica, de Nizan Guanaes, DPZ (criada por Duailibi, Petit e Zaragoza) e a internacional Young & Rubicam.

Para mim, que sou publicitário, é com imensa tristeza que vejo o desvirtuamento de funções das agências de propaganda, que acabam se transformando em lavanderias de dinheiro ilegal. Já não bastavam as notícias do carequinha pseudo-publicitário Marcos Valério  (preso), do marqueteiro Duda Mendonça, ambos da época do Mensalão, da dupla João Santana e sua mulher, enrolados na Lava Jato e nas campanhas de Caixa 2 de Lula e Dilma (presos)… e eis que agora mais agências fogem do seu objetivo (a divulgação de serviços e produtos) para terem seus nomes ligados a desvios de finalidade e de conduta.

O que diriam meus mestres Rodolfo Lima Martensen, Geraldo Santos, Gerhard Wilda, Alfredo Carmo, Otto Scherb, Antônio Nogueira, Edmur de Castro Cotti, Antonio Sodré Cardoso, José Kfuri e tantos outros profissionais/professores da pioneira Escola de Propaganda de São Paulo, criada em 1953, ao verem enlameados seus conceitos éticos que tão orgulhosamente nos repassavam?

Sem categoria
Comente aqui


Suplicy, o ridículo

suplicy

Há políticos de todas as formas e para todos os gostos: os malandros (como Cunha), os chefes de clãs (como Sarney), os ladrões (como Lula), os desvairados (como Jean Wyllys), os porra-loucas (como Bolsonaro), os analfabetos (como Tiririca), os obtusos (como Vanessa do PCdoB), os papagaios (como Eduardo Paes), os cheiradores (como Lindbergh, assim dizem), os nervosinhos (como Collor)… mas ridículos como Eduardo Suplicy, só ele mesmo.

Sempre se posicionando do lado errado, sempre uma contradição (um milionário no partido socialista?) nas suas atitudes, sempre um lerdo no raciocínio e nas falas, sempre um crédulo (quem não se lembra da peça que lhe pregaram sobre a mudança de horário num debate na tevê?), sempre alvo de chacotas, Eduardo Suplicy agora já ex-senador, foi detido nesta segunda-feira dia 25 pela Polícia Militar após protestar contra uma reintegração de posse na Zona Oeste de São Paulo.

Segundo a Polícia Militar, ele foi detido depois que desobedeceu a ordem dos oficiais de justiça de desobstruir a via e teve que ser retirado do local pelos policiais”. Suplicy se deitou na rua ao lado de uma moradora na rua para impedir a reintegração de posse.

O ridículo Suplicy chegou a ser carregado por policiais militares.

Sabe o que a atitude dele representou no processo legal de  reintegração de posse de área, que já tinha dono (a Prefeitura) e foi invadida? Absolutamente nada!

Sem categoria
2 Comentários


Os alienados

dilma e lula

– Não sei de nada!
– Nunca ouvi falar!
– Ninguém me disse!
– O que é isso?
– Não era comigo!
– Se fizeram, não fui informado!
– Não assinei nada!
– Eu não sabia!

Você confiaria em algum executivo da sua empresa que lhe desse estas respostas, ao descobrir um rombo, um furo de caixa, um desvio de dinheiro, um “caixa dois”, uma compra superfaturada???

Pois foi exatamente isso que nossos dirigentes maiores fizeram nestes 14 anos de (des)governo do PT. Ainda bem que a verdade sempre vem à tona. Nas próximas semanas teremos muitas novidades, através das denúncias do marqueteiro João Santana, da sua mulher e, muito provavelmente, do tesoureiro do partido, João Vaccari Neto, que está sendo abandonado às feras no tribunal de Curitiba pelos seus “cumpanhero” e certamente irá abrir o bico.

Prepare seu coração!

Sem categoria
1 Comentário


Como deixaram o Brasil chegar a esse ponto?

favela

Na maioria das cidades médias e grandes, anéis e mais anéis de favelas vão se formando geometricamente nas periferias, envolvendo os bairros centrais. Em 2013, segundo o IBGE, o Brasil já contava com mais de 15 mil favelas, onde mais de 11 milhões de pessoas viviam em “aglomerados subnormais”, caracterizados pela ausência de serviços públicos e infraestrutura.

Estamos em 2016. A crise econômica bateu fundo. Milhões de pessoas estão sem emprego e vão sendo empurradas primeiramente para as periferias das cidades e posteriormente para as favelas, que os “luminares” do PT cismaram de chamar eufemisticamente de “comunidades”.

É fácil de se imaginar como estas pessoas sobrevivem: drogas, prostituição e criminalidade proliferam, subjugando e até explorando aqueles que ainda se mantêm honestamente em empregos e subempregos, vivem de bicos, frequentam igrejas e procuram ser fiéis aos seus valores éticos e morais, as suas heranças familiares. O que se torna cada dia mais difícil.

As favelas se originaram no final do século XIX, com os primeiros assentamentos chamados de “bairros africanos”. Eram os lugares onde ex-escravos sem terras e sem opções de trabalho iam morar. As favelas mais “modernas” apareceram na década de 1970, devido ao êxodo rural, quando muitas pessoas deixaram as áreas rurais do Brasil e mudaram-se para as cidades. Sem encontrar um lugar para viver, muitas pessoas acabaram morando nas favelas, com o maior número delas localizadas no Rio de Janeiro.

Chega a ser intrigante a passividade dos governantes que, gestão após gestão, foram permitindo a proliferação de favelas por todos os cantos, à beira de córregos, em morros e em áreas de risco. Obviamente a quase totalidade das favelas não possui infraestrutura, saneamento, escolas, creches, serviços públicos, postos de saúde – e aparentemente, nenhum governante encontrou alguma solução para mudar esse quadro.

Quando ouvimos, por exemplo, a notícia de que algum turista errou o caminho, guiado por informações erradas do seu GPS e foi assaltado e até assassinado por algum grupo criminoso na entrada de alguma favela, nos vem à mente aquela velha expressão “as favelas são as escolas do crime”.

Qual a solução?

Foto: Eduardo Naddar / Agência O Globo
Sem categoria
Comente aqui


Comercial norueguês com a cara do Brasil

As Olimpíadas estão aí. Os noruegueses decidiram elaborar um comercial de tevê para a marca esportiva XXL Sport & Villmar, focando o evento. O roteiro se passa em uma favela carioca  e mostra a história de um garoto que persegue um misterioso homem para devolver a carteira que ele deixou cair.

Ao mesmo tempo, o próprio garoto é perseguido por policiais que acreditam que o acessório tenha sido roubado por ele. Durante as perseguições, várias provas são enfrentadas pelo menino até que na praia… assista ao comercial para saber o final da história.

Sem categoria
Comente aqui
 

Quem controla o Rio de Janeiro?

carro incendiado rio

Um dos seis veículos incendiados nesta madrugada no Rio de Janeiro (fotograma de vídeo Globo)

Segundo o secretário estadual de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, o esquema de segurança para os Jogos Olímpicos de 2016 será o maior da história do país, com 85 mil profissionais, sendo 47,5 mil deles vindos da Força Nacional de Segurança. O restante virá do Ministério da Defesa.

Provavelmente o Rio de Janeiro jamais contou com número tão expressivo de policiais que deveriam zelar pela segurança dos cariocas e principalmente, dos atletas e visitantes das Olimpíadas. Deveriam, pois mesmo com esse aparato a bandidagem mostrou sua força na madrugada desta segunda-feira dia 18: em apenas seis horas, nove carros foram incendiados em diferentes ruas da Tijuca, na Zona Norte do Rio. Todas as ruas ficam a menos de 500 metros da Rua Conde de Bonfim, uma das principais do bairro.

Segundo os bombeiros, dois ocupantes de uma motocicleta estariam colocando fogo nos veículos da região. Até esta manhã, o motivo da ação e seus autores ainda eram desconhecidos.

A criminalidade continua a todo vapor no Rio: dados do ISP – Instituto de Segurança Pública daquela cidade, referentes ao mês de abril, mostram a criminalidade cada vez mais em alta (os dados se referem apenas a ocorrências registradas oficialmente):

• Homicídio Doloso – No acumulado de janeiro a abril de 2016 houve aumento de 15,4% em relação ao mesmo período de 2015 (1.486 em 2015 – 1.715 em 2016).

• Letalidade Violenta (Homicídio Doloso + Latrocínio + Lesão Corporal Seguida de Morte + Homicídio Decorrente de Oposição à Intervenção Policial) – No acumulado de janeiro a abril de 2016 houve aumento de 12,0% em relação ao mesmo período de 2015 (1.818 em 2015 – 2.036 em 2016).

• Policiais Civis e Militares Mortos em Serviço – Redução de uma vítima em relação aos quatro primeiros meses de 2015 (9 em 2015 – 8 em 2016).

• Homicídio Decorrente de Oposição à Intervenção Policial – No acumulado de janeiro a abril de 2016 houve redução de 8,8% em relação ao mesmo período de 2015 (261 em 2015 – 238 em 2016).

• Roubo de Rua (Roubo a Transeunte + Roubo de Aparelho Celular + Roubo em Coletivo) – No acumulado de janeiro a abril de 2016 houve aumento de 23,7% em relação ao mesmo período de 2015 (31.083 em 2015 – 38.461 em 2016).

• Roubo de Veículo – No acumulado de janeiro a abril de 2016 houve aumento de 19,7% em relação ao mesmo período de 2015 (10.919 em 2015 – 13.074 em 2016).

Este seu blogueiro já esteve inúmeras vezes no Rio de Janeiro. Porém, desde a década de 1990, quando os traficantes mostraram suas garras (e principalmehte suas armas), deixei de frequentar alguns eventos (casamento, visita a amigos, seminários) e espero não ser obrigado a visitar novamente aquela cidade cruzando as linhas Vermelha e Amarela, que ficam constantemente sob a mira de tiros de traficantes, errar a entrada de acesso a algum endereço ou passar por arrastões nas praias, pontos turísticos e avenidas.

Corajosos serão aqueles turistas que virão assistir as Olimpíadas. Eu passo!

Sem categoria
Comente aqui