Mês: março 2017

 

Rio de Janeiro: sangria desatada

Obras para as Olimpíadas 2016

Parece inacreditável a sangria sofrida pelos cofres do Estado do Rio de Janeiro nos últimos anos. Nunca se roubou tanto por lá, para chegarem ao ponto de faltar dinheiro até para o pagamento dos salários e das necessidades básicas do dia-a-dia. 146 mil aposentados e pensionistas, estavam até há poucos dias com o 13º salário atrasado.

O Ministério Público Federal afirma que durante 15 anos a quadrilha liderada pelo ex-governador Sérgio Cabral desviou mais de R$ 400 milhões e que, desde 2002, ele guardava o dinheiro da propina em contas no exterior.

Agora, a Polícia Federal cumpriu mandados de prisão contra cinco conselheiros e um ex-conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro. O presidente da Assembleia Legislativa, Jorge Picciani, foi alvo de condução coercitiva (quando o investigado é levado a depor pelos policiais). As ações fizeram parte da “Operação Quinto do Ouro”, que apura desvios para favorecer membros do Tribunal de Contas e da Alerj.

De acordo com a PF, o esquema de corrupção pode ter desviado até 20% dos valores de contratos com órgãos públicos para políticos e integrantes do Tribunal de Contas.

Como o Estado do Rio de Janeiro sediou as Olimpíadas, a cidade virou um enorme canteiro de obras – um manjar dos deuses para os corruptos se locupletarem e encherem seus bolsos com propinas.

Ética e moral destes corruptos? Nem um sinal. As famílias deles devem estar sim, muito orgulhosas, trafegando por aí em carrões de luxo, viajando e fazendo compras no Exterior, exibindo joias, morando em mansões…

Sem categoria
Comente aqui


Culpa do estagiário?

Há alguns dias, a empresa Extra Supermercados conseguiu a proeza de deixar escapar um erro grotesco de revisão quando publicou uma vinheta de previsão de tempo (veja imagem). Mas a proeza ainda maior foi a reversão das críticas que recebera, ao publicar logo em seguida um pedido de desculpas, mostrando o erro em sua fanpage – e a errata acabou fazendo sucesso!

Eis o texto da errata:

O EXTRA TEM CULPA

ERRATA 1 – Ficou tão nublado na redação do jornal Extra que ninguém viu o erro passar. Desculpa, gente… De todo modo, as piadas de vocês serviram para amenizar nossa vergonha. Todos sabem que quem tem estagiário tem medo, mas o erro não foi dele.

ERRATA 2 – A palavra que grafamos de forma errada não tem acento.

UFA: Pelo menos o tempo no Rio está nublado.

Sem categoria
Comente aqui


As mordomias da Câmara dos Deputados

Desde 1993, a Câmara dos Deputados é composta por exatamente 513 Deputados, assim distribuídos por Estados da Federação:
Acre 8
Alagoas 9
Amazonas 8
Amapá 8
Bahia 39
Ceará 22
Distrito Federal 8
Espírito Santo 10
Goiás 17
Maranhão 18
Minas Gerais 53
Mato Grosso do Sul 8
Mato Grosso 8
Pará 17
Paraíba 12
Pernambuco 25
Piauí 10
Paraná 30
Rio de Janeiro 46
Rio Grande do Norte 8
Rondônia 8
Roraima 8
Rio Grande do Sul 31
Santa Catarina 16
Sergipe 8
São Paulo 70
Tocantins 8

Segundo seu próprio site na WEB e a serem números reais, a Câmara conta com 3.349 servidores concursados; 1.573 cargos de natureza especial, 10.732 secretários parlamentares e 3.056 funcionários terceirizados.

Feitas as contas, estes 513 deputados (que sabidamente recebem salários e proventos nababescos), contam com mais de 17.500 funcionários à sua disposição – o que resulta em mais de 340 funcionários por parlamentar. Nenhum CEO (presidente de multinacional) no mundo conta com tais mordomias…

Para comparação, o Grupo Pão de Açúcar, que é a maior rede varejista do país, e tem mais de 2.100 lojas espalhadas pelo território nacional, conta com 151.000 funcionários. Ou seja, setenta e poucos funcionários por loja… bem diferente de Brasília.

A Câmara dos Deputados (de pífias realizações) é ou não é uma verdadeira afronta à nossa inteligência?

Sem categoria
5 Comentários


Ideologia de gênero: a discussão continua

Do site ‘Acontecendo Aqui’:

“Os meninos têm pênis. As meninas têm vagina. Não deixe que te enganem. Se você nasce homem, é homem. Se é mulher, continuará a ser”.

Este é o texto que a Associação Espanhola HazteOír está usando desde o final de fevereiro na campanha “O ônibus que não mente”. Segundo referida Associação, a iniciativa visa combater a propagação da ideologia de gênero.

O veículo
Trata-se de um ônibus que vinha circulando pelas ruas de Madri, mas que foi impedido na segunda-feira, 06/03, por uma ação de grupos de militância LGBT que promoveram uma campanha de críticas à iniciativa e, graças à influência exercida em alguns setores públicos, obtiveram êxito. O ônibus não mais circulará por Madri até que a acusação de “transfobia” seja apurada. Apesar disso, um segundo ônibus, idêntico ao primeiro, passou a circular nas ruas de Madri na terça-feira, 07/03.

Foi a procuradora Cristina Cifuentes que pediu que se estudasse se a campanha se constitui como uma contravenção à Lei de Igualdade e Não-Discriminação vigente na comunidade. Em uma entrevista à emissora TVE, Cifuentes disse que a campanha lhe parece uma “provocação absoluta” e “completamente inapresentável”.

Defesa
Na coletiva de imprensa que lançou a campanha, o presidente da entidade, Ignacio Arsuaga, já havia questionado se “é um delito na Espanha dizer que os meninos têm pênis e as meninas vagina?” Arsuaga garantiu que a campanha não ataca ninguém, mas simplesmente reconhece um dado da biologia que todos estudamos na escola. “Respeitamos e exigimos respeito para todas as pessoas independentemente de suas características ou condição sexual”, afirmou. Ele disse ainda que a associação está recebendo ameaças, como pessoas incitando a queimar e apedrejar o ônibus, além de matar os membros de associação.

A campanha é uma resposta à propaganda que a associação Chrysallis Euskal Herria, entidade que reúne familiares de crianças consideradas transexuais, realizou nos pontos de ônibus de Pamplona e do País Basco em janeiro, que trazia desenhos de crianças nuas e afirmava: “Há meninas com pênis e meninos com vagina. Simples assim”. Segundo HazteOír, depois desse episódio, as empresas que gerenciam a concessão de publicidade nos transportes de Navarra e do País Basco vetaram à entidade a contratação de espaço para a divulgação das frases que hoje estão no ônibus. (Oriundo do site Sempre Família).

Sem categoria
1 Comentário


O dinheiro sagrado do trabalhador

Existe algo muito errado na fiscalização do Ministério do Trabalho em relação ao FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço). Pois agora que o governo federal liberou os saques das contas inativas, descobre-se que cerca de 7 milhões de trabalhadores não tiveram seus depósitos efetuados pelos empregadores, o que corresponde a um débito total de R$ 24,5 bilhões inscritos na dívida ativa da União.

O depósito de FGTS está previsto na Lei 8.036/1990 e determina que todos os empregadores são obrigados a depositar, em conta bancária vinculada, o correspondente a 8% da remuneração do trabalhador no mês anterior. Diz ainda a lei que os depósitos devem ocorrer mensalmente até o dia 7 e, quando a data não cair em dia útil, o recolhimento deverá ser antecipado. Além disso, as empresas são obrigadas a comunicar mensalmente os empregados sobre os valores recolhidos.

Como há precariedade na fiscalização do Ministério do Trabalho, é ao coitado do trabalhador que cabe verificar se os depósitos foram feitos, através de um extrato atualizado da conta vinculada do Fundo de Garantia. Quando escrevo “coitado” é porque a grande maioria dos trabalhadores em funções mais simples e até em serviços braçais nem tem noção de que o documento pode ser obtido em qualquer agência da Caixa Econômica Federal, ou que também é possível fazer essa checagem baixando o aplicativo do FGTS no smartphone. Imagine agora um trabalhador nos rincões mais perdidos do Nordeste brasileiro usando aplicativo em smartphone…

O trabalhador pode cobrar até cinco anos de FGTS não depositado. E há que considerar o prazo para entrar com uma ação: somente até dois anos após o desligamento da empresa. Passado esse período, o trabalhador perde o direito de ingressar com ação na Justiça do Trabalho para requisitar qualquer eventual problema de falta de pagamento de benefícios e obrigações, inclusive o FGTS. Onde ficou a fiscalização do Ministério do Trabalho neste lapso de tempo?

Resultado: as empresas podem brincar de gato e rato com seus trabalhadores. E não é por acaso que existe uma dívida de R$24,5 bilhões por depósitos não efetuados.

Sem categoria
Comente aqui


Veneração fatal

O historiador Marco Antônio Villa vem afirmando repetidas vezes em programas de tevê que “Lula e Dilma são os maiores ladrões e destruidores do Brasil e deveriam estar presos, pagando por seus crimes”. Entretanto, ao invés de presos, eis que lá estava a dupla na Paraíba, reinaugurando a obra de transposição do Rio São Francisco “entregue” poucos dias antes à população pelo presidente Temer.

Lula não perdeu a oportunidade: “Dilma e eu, Ricardo (referindo-se ao governador Ricardo Coutinho) e outros governadores temos o orgulho de dizer que somos pai, mãe, irmão, tio, primo e sobrinho da transposição das águas do Rio São Francisco.” Isso porque Temer, em seu discurso, afirmara “não quero a paternidade desta obra, ninguém pode tê-la. A paternidade é do povo brasileiro e do povo nordestino”,

Perguntam por aí se Lula tem chances de se eleger novamente para a presidência em 2018, o que faz estremecer a turma da oposição ao PT em Brasília e todos que odeiam a dupla de ex-presidentes. Pois a foto mostra que cerca de 70.000 pessoas estiveram naquela região de Monteiro, PB, venerando seu ídolo Lula. Uma veneração que demonstra a completa ignorância histórica daquelas pessoas humildes,  sem noção da realidade política que os cerca, doutrinadas pelos camisas vermelhas do ultrapassado esquerdismo soviético. E que certamente votariam novamente em seu ídolo maior. Mesmo estando Lula acusado de corrupção, enriquecimento ilícito, lavagem de dinheiro e de outros crimes financeiros.

Sem categoria
Comente aqui
 

Congresso brasileiro: nota zero

Quando se toma conhecimento dos salários, das mordomias e regalias, dos poucos dias “trabalhados” semanalmente, do inenarrável contingente de assessores e funcionários lotados no Senado e na Câmara dos Deputados com salários nababescos, e da pífia contribuição que estes políticos nos oferecem, vem-nos à cabeça a lembrança de histórias medievais, com os nobres praticamente intocáveis em seus castelos majestosos.

Estes senhores feudais também viviam cercados de incontáveis serviçais, usufruíam do bom e do melhor, enquanto os moradores do entorno, os camponeses, se esfalfavam para pagar impostos tão escorchantes que originaram diversas revoltas e ataques aos senhores dos castelos.

Pois na enorme crise econômica que vive nosso país, em nenhum momento os “nobres políticos” de Brasília se dignaram a contribuir com ideias, com exemplos, com redução das suas mordomias, com projetos modernos de reforma política, nem com qualquer atitude que mudasse seu invejável status quo. Pelo contrário: todos eles se protegem, pretendem disfarçadamente detonar a Operação Lava Jato, querem mudar as leis que os levariam à perda de mandatos, estudam projetos para legalização do chamado Caixa 2 – uma escancarada roubalheira de dinheiro público – e diariamente a mídia nos dá conta das artimanhas que utilizam para continuarem no poder, eleição após eleição, enriquecendo ostensivamente na mesma proporção em que aumenta a crise no nosso país, o desemprego, a insatisfação, o desespero.

Jamais se imaginou que tantos deputados, senadores e ministros pudessem estar tão envolvidos com a corrupção, a roubalheira, os desvios de verbas públicas – o nosso dinheiro. É incrível a desfaçatez com que se apresentam em entrevistas, com que tentam justificar seus atos ilícitos e como interpretam a moral sob seus distorcidos prismas de visão. E agem como se não fosse importante dar satisfações à sociedade brasileira.

Não à-toa que grandes contingentes de jovens brasileiros, futuros potenciais empresários e especialistas nos mais diversos campos de atividades, procuram por todos os meios mudar de país em busca de novas oportunidades, deixando para trás suas raízes e principalmente ficar bem distantes das mentes obtusas e obnubiladas da pior classe política que já passou por nossas vidas.

Sem categoria
2 Comentários


Hibristofilia*

*Hibristofilia é o fetiche/atração sexual por pessoas criminosas,
inclusive por pessoas que cometeram crimes horríveis como
assassinatos e esquartejamento. 

Breivik fazendo a saudação nazista no tribunal

Um caso marcante de hibristofilia ocorreu na Suécia: uma jovem de cerca de 20 anos estava enviando cartas toda semana e prometia que irá esperar seu “amado” Anders Breivik sair da prisão. Brevik é nada mais, nada menos, do que o matador de 77 pessoas em 22 de julho de 2011, dia em que detonou uma caminhonete-bomba no complexo governamental de Oslo, causando a morte de oito pessoas e em seguida se dirigiu à Utoya (40 km da capital), onde realizou um massacre no acampamento das Juventudes Trabalhistas.

A jovem afirmava que “realmente não gostaria de viver uma vida sem ele”, e estava fazendo tudo o que podia para obter uma flexibilização das condições prisionais de Breivik, que estava em isolamento em uma penitenciária de segurança máxima.

Essa história nos remete ao goleiro Bruno, para o qual, inexplicavelmente, a mídia está dando uma cobertura ímpar. Bruno, que deixou a prisão no final de fevereiro após seis anos detido, acusado pelo assassinato da ex-amante Eliza Samúdio e está temporariamente em liberdade (haverá novo julgamento), foi contratado por uma equipe de futebol da segunda divisão mineira, o Boa Esporte Clube, em Varginha. Na sua primeira visita à cidade, ele foi cercado por inúmeros fãs que fizeram questão de tirar selfies com ele, para publicação em redes sociais.

O anúncio da contratação fez a equipe mineira perder patrocinadores, mas a diretoria mantém a posição de contar com o jogador. Curiosamente, até alguns e algumas repórteres ficam alvoroçados ao conseguirem entrevistar o goleiro – assim como fizeram inúmeros e inúmeras fãs.

São claros os indícios de que esta palavra tão complicada – hibristofilia – tem fundamentos psicológicos de difícil compreensão. Traduzindo: esta adoração por assassinos é demais para nossas cabeças.

Sem categoria
Comente aqui