Um insulto à nossa inteligência

A Comissão da Câmara aprovou o sistema do “distritão” para as próximas eleições e, para demonstrar que os legisladores nos acham uns idiotas, aprovou também um fundo de R$ 3,6 bilhões para campanhas. Será dinheiro retirado dos cofres públicos, em um país cujo Ministro da Fazenda estimou o rombo do orçamento (cuja previsão inicial era de 129 bilhões) em 139 bilhões e, pelas análises de economistas, talvez chegue aos 150 bilhões, ou até mais. Um buraco sem fundo!

Para vigorar em 2018, o projeto terá de passar até outubro por votações em dois turnos nos plenários da Câmara e Senado. Mas como conhecemos perfeitamente as cabeças deste grupo que se locupletou do poder, a terndência de aprovação desta aberração é praticamente certa.

Mais de três bilhões de reais servirão para que deputados vitalícios continuem grudados em suas poltronas mesmo sem contribuir com projetos nem ideias, conseguindo eleger também seus filhos, sobrinhos, primos e parentes. Há dinastias políticas eleitas graças às verbas das chamadas “doações” – eufemismo para a palavra corrupção – e que agora serão eleitas com as chamadas “verbas oficiais”.

Newton Cardoso, devedor de R$ 67 milhões ao Estado da Bahia, onde é deputado, teve como pai o ex-governador Newton Cardoso.

Beto Richa, governador do Paraná, é filho do ex-governador José Richa. Um dos filhos de Beto, Marcello, já está engatinhando na política: foi recentemente exonerado da Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Juventude de Curitiba.

Requião Filho, deputado estadual no Paraná é filho d o ex-governador Roberto Requião, atual senador e que leva o apelido de “Maria Louca”.

Hélder Barbalho, que já foi Ministro da Pesca, é filho do ex-governador e ministro Jáder Barbalho. Ambos enriqueceram “por meios não tradicionais”…

Renan Filho, atual governador de Alagoas, é filho de… Renan Calheiros, uma das mais perniciosas figuras políticas brasileiras.

Roseana Sarney, Sarney Filho e José Sarney são figurinhas carimbadas no cenário político nacional, A biografia deles, inclusive seus malfeitos não caberia neste espaço.

Arthur Virgílio Neto, Arthur Virgílio Bisneto, Sergio Cabral Filho, Zeca Dirceu, Felipe Maia, Antonio Carlos Magalhães Neto (filho de Antonio Carlos Magalhães Filho, e neto do famoso ACM, da Bahia, já falecidos), Vital do Rego Filho, Garibaldi Alves, Maguito Vilela… são apenas uma pequena amostra da quase infindável lista das dinastias que fazem da política suas cadeiras cativas. Com o nosso dinheiro!

Sem categoria

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.