Mês: outubro 2017



Brasil, mais um recorde negativo: lideramos o número de assassinatos no mundo

Dados divulgados pelo Anuário Brasileiro de Segurança Pública nos mostram, infelizmente que o Brasil teve o maior número de homicídios da história no ano passado (2016), com 7 casos por hora: foram registradas 61.619 mortes violentas, o que, para espanto do mundo, equivale ao número de mortes provocadas pela bomba atômica em Nagasaki, no Japão.

Mais uma vez o Nordeste (do velho cangaço) apresentou os piores índices: Sergipe registrou a maior taxa de mortes violentas por 100 mil habitantes: 64, seguido de Rio Grande do Norte, com 56,9 e Alagoas, com 55,9, todos estados do Nordeste.

As capitais com maiores taxas de assassinatos por 100 mil habitantes são Aracaju, com 66,7, Belém, 64, e Porto Alegre, 64,1.

Os latrocínios, que são o roubo seguido de morte, totalizaram 2.703 ocorrências em 2016, um crescimento de 50% em comparação com 2010. E foram registrados oito desaparecimentos por hora de 2007 a 2016 no país, grande parte assassinados, cujos corpos não foram encontrados ou reconhecidos.

O Rio de Janeiro, apesar da mídia nos mostrar diariamente os crimes que por lá são cometidos, não apresentou em 2016 dados tão negativos como os do Nordeste. Quem sabe, no Anuário do ano que vem?

Foto: Pavablog
Sem categoria
1 Comentário


Agentes de turismo inconsequentes e gananciosos

Qualquer brasileiro sabe que nosso país atravessa problemas sérios lá no Rio de Janeiro, especialmente nas favelas e nas suas ruas e becos, inclusive nos seus acessos.

Pois uma agência (!?) de turismo gananciosa inventou de vender a ideia de que seria muito “pitoresco” os turistas conhecerem in loco as favelas cariocas. E criou passeios por dentro da Rocinha, a favela que nestas últimas semanas não sai da mídia por causa dos tiroteios e assassinatos provocados por narcotraficantes rivais. São tiroteios com armas pesadas, somados a incursões de policiais e soldados, com um saldo absurdo de mortos, feridos e presos.

Parecendo ignorar a verdadeira guerra que se trava por lá, a empresa de turismo Rio Carioca Tur ofereceu o passeio pela Rocinha a um grupo de turistas, ocorrendo a morte da turista espanhola María Esperanza Jiménez Ruiz. Em depoimento à polícia, a guia Rosângela Cunha, que acompanhava o grupo de María Esperanza, afirmou que escolheu o destino e que foi “a primeira vez” que ela voltou à comunidade após a ocupação.

As agências e os agentes de turismo querem faturar a qualquer preço. Agora, mostrar as favelas como “atração turística” no momento em que o mundo inteiro recebe notícias e assiste a reportagens sobre a verdadeira guerra que se trava por lá, passa de todos os limites do bom senso.

Talvez estes agentes devessem fazer um estágio no Afeganistão, Paquistão, Nigéria, Síria, Somália e Iêmen – e. se sobreviverem, repensarem seus planos de como promoverem turismo no Brasil.

Sem categoria
Comente aqui


Quanto Temer desperdiçou do nosso dinheiro para comprar votos

Teimoso como uma mula, o presidente Temer insiste em permanecer na presidência da República, apesar de estar sendo – há meses – acusado de liderar uma organização criminosa e por obstrução judicial. Ao invés de renunciar para defender-se como qualquer cidadão normal, tentando provar sua inocência, Temer esconde-se por detrás do cargo e vem-se utilizando de artimanhas e principalmente de dinheiro que não é de propriedade dele.

Assim, Temer gastou R$ 1 bilhão com emendas parlamentares apenas nos últimos dois meses antes da primeira denúncia ser votada e vem liberando verbas (que não são suas) para conquistar (eufemismo para a palavra comprar) votos dos parlamentares que votarão por sua quase certa desqualificação no segundo processo que, caso aprovação da Câmara, seria então julgado no Supremo Tribunal Federal.

Setembro aparece como o terceiro mês de maior volume de promessas de dinheiro. Outubro, segue o ritmo. Até segunda-feira dia 23, foi outro R$ 1 bilhão embora. Além disso, para atender as expectativas do PR, Temer recuou na promessa de privatização do aeroporto de Congonhas, deixando de arrecadar possíveis R$ 5,6 bilhões com o leilão.

Para a bancada ruralista, Temer assinou um decreto que concede descontos de 60% em multas ambientais. Você já viu isso ocorrer com algum outro setor produtivo (indústrias, empresas prestadoras de serviços, comércio?). Com isso, o governo deixa de arrecadar quase R$ 3 bilhões.

Outro acerto é o refinanciamento de dívidas, o Refis. O governo cedeu muito além do que o pretendido pela equipe econômica e perdeu mais de R$ 2 bilhões em relação à previsão original.

E o mais grave: o presidente Michel Temer concentrou, só nas duas últimas semanas, o anúncio de programas e liberações de verbas que chegam a R$ 15,3 bilhões para estados e municípios, num aceno a parlamentares da base aliada.

Está mais do que na hora de se pensar em outro impeachment – antes que o Brasil afunde ainda mais no brejo.

Sem categoria
Comente aqui


E se o consumo de drogas fosse totalmente liberado?

Ao se assistir os programas policiais na tevê (Polícia 24 Horas e congêneres), dá para perceber que o número de policiais militares mobilizados para combater traficantes é absurdamente grande. Por vezes, três, quatro, cinco ou mais viaturas são deslocadas para uma blitz numa assim chamada “boca de fumo”, ou numa favela, ou em algum canto das periferias – e isso ocorre na maioria das cidades brasileiras.

Muitas vezes os resultados das apreensões são pífios – um saquinho com algumas pedrinhas de crack, ou algumas porções de maconha, ou pinos de cocaína… nestas incursões raramente são feitas grandes apreensões, já que os principais distribuidores das drogas (os reis da droga) permanecem intocáveis, desconhecidos ou no anonimato.

Se o governo liberar o uso das drogas, permitindo a venda em estabelecimentos pré-determinados, certamente terminarão as funções dos intermediários – os mulas, os vendedores nas bocas de fumo, os vigias nos morros e favelas… e o policiamento poderia ser muito mais eficiente no combate à criminalidade.

Já que a bebida alcoólica – que também é considerada droga – está liberada, propiciando-nos diariamente espetáculos dantescos de gente embriagada, brigas com o uso de armas, bêbados ao volante de veículos, todos eles sabendo antecipadamente dos riscos que correm ao manter este vício, por que não liberar da mesma forma o consumo de drogas, com os usuários arcando com os riscos e as penalidades que a lei prevê para infratores em geral?

Quanta economia seria proporcionada aos governos de cada cidade… quantos policiais a mais estariam disponíveis para efetuar policiamento preventivo, circular pelas regiões mais críticas, auxiliar os cidadãos comuns? Quantos crimes seriam evitados entre traficantes e usuários devedores? Quantos meninos menores de idade teriam forçosamente de buscar opções fora da criminalidade por perderem seus “empregos” no mundo do crime?

Sem categoria
1 Comentário


Os apoiadores da corrupção

Beto Mansur
Carlos Marun
Darcisio Perondi
Pauderney Avelino

Esses deputados são os que mais aparecem na mídia para defender Michel Temer.
Falam grosso, falam fino, falam manso, falam gritando. Pouco se importam se as acusações contra Temer são verdadeiras. Se Temer é corrupto. Se existe formação de quadrilha.
São seguidores do líder deles. Devem ter razões muito fortes para isso.
Mas é bom lembrar deles nas próximas eleições: jamais vote em quem coloca interesses pessoais acima da verdade, da dignidade, da decência e da honra.
Xô, puxa-sacos!

Sem categoria
2 Comentários


Bandidos deitam e rolam em Brasília

Contra todos os princípios da justiça, da dignidade, da honra e da honestidade, 44 senadores afrontaram e derrubaram a decisão da Primeira Turma do STF (agora chamado de Submisso Tribunal Federal), que havia determinado o afastamento de Aécio Neves do mandato. Segundo a Procuradoria Geral da República, o tucano pediu e recebeu propina de R$ 2 milhões dos bandidos da JBS – provavelmente os mais ricos bandidos do Brasil. Além disso, Aécio teria atuado em conjunto com o presidente Michel Temer para impedir o andamento da Lava Jato.

Os partidos que abrigam a maior parte dos votos recebidos nas eleições – possivelmente também o seu voto, caro leitor – que são PMDB, PSDB, PP, PR, PRB, PROS e PTC, orientaram os senadores das respectivas bancadas a votar “não”, ou seja, contra o afastamento. Com isso, Aécio poderá retomar normalmente às atividades parlamentares.

O mais triste de toda essa lamentável história é o esfacelamento da justiça, do certo e do errado, do pudor, da honestidade. Este é mais um exemplo negativo promovido por políticos e que legaremos aos nossos descendentes, tentando justificar que sim, o senador é corrupto, mas os juízes da Corte Suprema não mandam nele e nem nos seus colegas, que agora poderão continuar a roubar deslavadamente, infringir as leis, corromper e serem corrompidos, ignorando e dando as costas para a enorme massa de brasileiros que estão revoltados e envergonhados com este epílogo.

“Respeito os poderes, mas entendo que nenhum poder é maior do que o outro. Portanto, entendo que o poder guardião da Constituição não é o STF. O STF interpreta a Constituição, mas o guardião é quem escreve a Constituição para que seja seguida pelos outros dois poderes.”

Este foi o voto de Romero Jucá, um dos grandes bandidos do Senado e que “orgulhosamente” acumula os seguintes processos e acusações (dentre outros):

– Teria recebido R$ 4 milhões para atuar de acordo com os interesses da Odebrecht no Congresso Nacional, auxiliando a aprovação de uma resolução que reduziria a disputa fiscal entre os estados para o desembarque de mercadorias em portos.

– No episódio da licitação da Usina Hidrelétrica de Santo Antônio, Jucá teria recebido, segundo o Ministério Público, R$ 10 milhões da empreiteira e da construtora Andrade Gutierrez.

– Juntamente com seu filho, Rodrigo de Holanda Menezes Jucá, o senador é alvo de um inquérito no qual são apontadas irregularidades com o objetivo de a Odebrecht ver aprovada outra legislação favorável a seus interesses. Para isso, o parlamentar teria solicitado doações a seu filho, que concorria ao cargo de vice-governador de Roraima, no valor de R$ 150 mil.

– Jucá está envolvido na cessão de fazendas fantasmas para quitar empréstimos que somavam 18 milhões de reais do Banco da Amazônia feitos a uma empresa da qual era sócio nos anos de 1990.

– Um delator da Operação Zelotes, que investiga, entre outras coisas o tráfico de influência no Congresso, afirmou que lobistas teriam repassado 60 milhões para Jucá e para o presidente do Senado, Renan Calheiros.

– Jucá tem em seu currículo um projeto de lei que regulamenta a mineração em terras indígenas, proposta que foi duramente criticada por ambientalistas e pelas comunidades nativas: sua filha Marina Jucá é sócia da Boa Vista Mineração, que em abril de 2012 solicitou ao Governo autorização para extrair ouro em terras indígenas.

– Jucá é investigado pela Procuradoria-Geral da República por ter supostamente agido para beneficiar outra mineradora, a Vale S/A, ex-Vale do Rio Doce, maior empresa do setor no Brasil, um processo que corre em segredo de Justiça.

Sem categoria
1 Comentário


Troca-troca com nosso dinheiro

“Troca-troca”, ou “toma lá, dá cá”, ou “favor com favor se paga”… para nossa vergonha e irritação é exatamente isso que há meses Michel Temer, nosso presidente em exercício, vem praticando ostensivamente e sem o mínimo pudor.

Sim, presidente em exercício, pois o cargo simplesmente caiu no seu colo após todo o imbróglio que a sua titular, agora “ex”, aprontara.

A cobertura da mídia nos mostra o presidente continuamente em cafés da manhã, almoços, jantares, reuniões e encontros – muitos deles suspeitos – com deputados, senadores, advogados, consultores, marqueteiros… sempre preocupado em se safar das acusações e ameaças de processos de que é alvo, tentando convencer os congressistas de que as acusações a ele imputadas são “mentirosas” e agora repetindo o mantra de sua antecessora, de que “tudo isso não passa de um golpe”.

Essa forma de exercer o cargo não é nada benéfica ao país, além de nos custar fortunas e mais fortunas. O troca-troca implica em soltar verbas para deputados “cumprirem as promessas de campanha com seus eleitores”, recebendo verbas que são sacadas da saúde, da segurança, dos projetos do país. Implica em criar cargos e mais cargos “de confiança”, premiando amigos e parentes daqueles que decidirão seu futuro na votação, aumentando cada vez mais a folha salarial, os gastos do governo e a nossa dívida pública. Implica em ceder aos pedidos de bancadas inteiras que legislam em causa própria, como ocorreu agora com a bancada ruralista. Implica em deixar de governar para tratar apenas do seu assunto particular, esquecendo-se que deve satisfações aos brasileiros que são seu verdadeiro patrão e pagam suas mordomias.

Nem as argumentações sobre nosso crescimento econômico (fraquinho, fraquinho) são verdadeiras: Temer desconsidera o crescimento vegetativo do país, o que significa obviamente aumento das necessidades de consumo: mais alimentos, mais combustíveis, mais locomoções… uma falsa ilusão de que o país esteja melhorando. Mas este já é outro assunto que fica para outra vez.

Sem categoria
Comente aqui


Rio de Janeiro revive os tempos da Máfia americana

Foi um sucesso o seriado americano “Os Intocáveis” que mostrava Eliot Ness (1903 – 1957), agente do Tesouro Americano, famoso por seus esforços para fazer cumprir a Lei Seca em Chicago. Ness liderava uma equipe lendária apelidada de Os Intocáveis, notabilizada pela participação na prisão do gângster Al Capone. O seriado compunha-se de ‎118 episódios e foi exibido no Brasil ainda em canal aberto, na década de 1960.

Pois nosso país parece ressuscitar os tempos de Al Capone, Lei Seca, tiroteios e mortes a granel. Neste domingo, bandidos armados com fuzis sequestraram uma ambulância com uma equipe médica para socorrer um homem, na “comunidade” da Maré, Zona Norte do Rio – na verdade, um eufemismo para denominar o conjunto de favelas onde traficantes dominam os moradores e toda aquela região.

Os bandidos foram até a Unidade de Pronto Atendimento pedir socorro, depois de trocarem tiros com policiais militares na Avenida Brasil, na altura de Bonsucesso. Na ação, um PM foi ferido e levado para o Hospital Geral de Bonsucesso. Um dos criminosos também foi ferido e, na fuga, deixou cair um fuzil, que foi apreendido pela polícia. A arma tinha as iniciais de um dos chefes do tráfico de drogas no complexo da Maré. Ninguém foi preso (talvez houvesse outro desfecho com as ações de Eliot Ness).

O médico sequestrado contou em depoimento que por volta das 2h do domingo fora acionado para socorrer um homem que estava sob custódia da polícia na UPA da Maré. Chegando no local, ele se deparou com cerca de cinquenta homens armados com fuzis. Os bandidos roubaram a ambulância, uniformes dos funcionários e ainda sequestraram o médico. Cerca de quatro horas depois os criminosos voltaram a unidade, devolvendo a ambulância e o médico.

Provavelmente o seriado “Os Intocáveis” seria ainda muito mais realista se contasse as histórias da bandidagem do Rio de Janeiro, que há um bom tempo domina a cidade, mandando e desmandando na população apavorada e na polícia insuficiente, pois mesmo com reforços de tropas federais e militares, diariamente continuam ocorrendo tiroteios, mortes, balas perdidas, assaltos e arrastões na cidade, que um dia foi apelidada de “Cidade Maravilhosa”.

Sem categoria
Comente aqui


“Ministra Cármen Lúcia não reúne condições sequer para dirigir uma reunião de condomínio”

As palavras do título são de autoria do jornalista José Nêumanne, após o país acompanhar o cansativo blá-blá-blá dos ministros do Supremo Tribunal Federal durante 11 horas e sermos todos surpreendidos com o resultado: por 6 votos contra 5, a “maioria” decidiu que medida cautelar adotada contra um parlamentar, quando for pelo afastamento do mandato, deve ser submetida à aprovação do Legislativo.

O voto de desempate coube à ministra Cármen Lucia, presidente do STF e desapontou a maioria dos brasileiros. Aparentemente ela fraquejou, pois ao declarar seu voto, estava insegura, gaguejou, deu voltas e mais voltas no tema, para finalmente abrir caminho para que senadores e deputados deitem e rolem com a corrupção e a ilegalidade.

Aécio Neves, enrolado em denúncias, recuperará suas funções no Senado como se nada de anormal tivesse ocorrido tão logo a casa vote a sanção determinada pela Primeira Turma do STF – a tendência é que a cautelar seja derrubada pelo plenário da Casa. Está marcado para o dia 17 a sessão do Senado que discutirá o assunto e que agora tem o aval do plenário do STF.

Segundo Cármen Lúcia, “não seria admissível que um Poder se sobreponha a outro” (no caso, dando a entender que o STF não teria poderes sobre o Legislativo).

Eleitor brasileiro, prepare-se: seus queridos representantes vão deitar e rolar, chafurdando na corrupção, praticando atos à seu bel prazer, sem serem incomodados pela justiça. Só mesmo se o próprio Congresso Nacional julgar que eles passaram do limite e aí eventualmente marcar uma sessão para cassação do infrator.

Quantas sessões destas você já teve a oportunidade de assistir? Quantos “coleguinhas deputados e senadores” o Congresso já cassou?

Sem categoria
1 Comentário


Pasadena não é passado!

O plenário do Tribunal de Contas da União decidiu nesta quarta-feira dia 11 bloquear os bens de ex-membros do Conselho de Administração da Petrobras, à época composto de Antônio Palocci, Claudio Luis da Silva Haddad, Fábio Colletti Barbosa, Gleuber Vieira e do ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli, por causa da aprovação e compra de 50% da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, em 2006.

Também entrou no rol a ex-presidenta Dilma Rousseff, que era ministra da Casa Civil no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e presidia o Conselho de Administração da estatal. Em qualquer organização do mundo quem preside um Conselho de Administração numa empresa, assume também ampla responsabilidade – apesar das afirmações de Dlma de que “não sabia de nada”, frase aprendida com seu antecessor na presidência do país.

O valor do bloqueio é solidário, o que significa que bens de todos os acusados ficam indisponíveis até que chegue ao valor de US$ 580 milhões.

O Brasil inteiro, quando soube dos fatos, ficou abismado com a mutreta que estes indiciados aprontaram: a aquisição de 50% da refinaria, por US$ 360 milhões, foi aprovada pelo conselho da estatal em fevereiro de 2006. O valor foi muito superior aos US$ 42,5 milhões pagos um ano antes pela belga Astra Oil pela refinaria inteira. Em 2012, para atender os termos do contrato firmado, a Petrobras foi obrigada a comprar 100% da unidade, antes compartilhada com a empresa belga. Ao final, aponta o TCU, o negócio custou à Petrobras US$ 1,2 bilhão.

Se a empresa recuperar na venda da refinaria 30% do valor investido, já será por um valor bem acima do que se especula no mercado, mas como sempre ocorre nos meandros das empresas públicas, falta transparência e não há dados públicos sobre o valor da pretensa venda.

Sem categoria
Comente aqui