A avacalhação do ensino público no Brasil

Antes de falarmos da educação no Brasil, eis alguns extratos descritos pela brasileira Ana Paula Pires, que conheceu a educação na Coreia do Sul, país com uma das mais baixas taxas de criminalidade do mundo:

… nos dias de hoje, a rotina “normal” de um estudante coreano no Ensino Médio consiste em: Ir para a escola cedo antes das 8 da manhã para estudar ou se preparar para os estudos, para então assistir aulas das 8h30 às 12h; depois do almoço, recomeçar as aulas das 13h30 às 16h. Até às 19h, os estudantes geralmente jantam e continuam na escola para estudar ou fazer deveres de casa. De noite, a grande maioria dos estudantes (se não todos), vão para cursinhos e só voltam para casa perto das 23h, depois de terminado as tarefas do dia e aulas extras….

…mais do que os recursos empregados, foi a vontade da sociedade em investir seu tempo e energia na melhoria do “capital humano” que no final, ajudou os esforços do governo a levantar o país das cinzas. O técnico, o “homem da ciência”, o engenheiro e o intelectual, se tornaram ideais a serem alcançados e respeitados…

Em contraste, o Brasil mostra uma curva decrescente na qualidade da nossa educação. No tempo de escola da minha geração os alunos eram obrigados a mostrar um respeito absoluto aos mestres, nos levantando quando das suas entradas nas salas de aulas, tanto nas escolas particulares como públicas. Em São Paulo havia escolas públicas de altíssima qualidade, cujas vagas eram disputadíssimas. A jornada escolar no segundo ciclo era de mais de cinco horas, além de algumas aulas no outro período do dia.

Hoje em dia a mídia nos mostra quase que diariamente agressões aos professores nas escolas públicas, absoluta falta de respeito, enorme evasão escolar, ambientes deteriorados, falta de equipamentos e de manutenção, além da falta dos próprios professores, muitos deles intimidados com a violência ou desiludidos pelos baixos salários.

Como resultado, levantamento inédito do governo federal sobre evasão escolar divulgado ano passado revelou que 12,7% e 12,1% dos alunos matriculados na 1ª e 2ª série do ensino médio, respectivamente, abandonaram os estudos entre os anos de 2014 e 2015, de acordo com o Censo Escolar. Ainda de acordo com a análise, o 9º ano do ensino fundamental teve a terceira maior taxa de evasão, 7,7%, seguido pela 3ª série do ensino médio, com 6,7%. Considerando todas as séries do ensino médio, a evasão chegava a 11% do total de alunos nessa etapa de ensino. Provavelmente índices de 2017 nos revelariam dados ainda piores.

Ensino precário, violência, drogas, evasão escolar: o que esperar do nosso país para os próximos anos?

Sem categoria

3 comentários sobre “A avacalhação do ensino público no Brasil

  1. João 5 de fevereiro de 2018 12:25

    Com a lei do teto de gastos terminamos de afundar o país. Faça uma pesquisa dos presidentes do Brasil que investiram nisso. Vai estar lá todos que vc é contra.

  2. Bim 5 de fevereiro de 2018 13:26

    No meu tempo, se a professora me desse uma bronca, eu apanhava em casa… Hj é capaz dos pais irem até a escola pra bater na professora.

  3. maso 5 de fevereiro de 2018 21:28

    Tempos passados, conversando com colegas, contei que eu era um problema na escola. Vez em quando ia para a diretoria, que na minha cabeca era como se eu fosse hoje para a 9& SDP, envergonhado e me sentindo um transgressor. Motivo= sujava camisa branca jogando biroca no patio escolar. Aquele joquinho de burga com 5 buracos no chao. Era proibido jogar biroca, mas a gente nao resistia. Vez em quando caia. E tinha de levar uma carta escrita pela diretora para casa, que a me devolvia assinada. Boletim e comportamento idem.
    Cantavamos todos os hinos do Brasil, etinhamos aula de Educacao, Moral, e Civica. Hoje tem funk, maconha, professor apanhando, ideologia de generos, ”direitos humanos”, Direitos do ”dimenor”, e ta essa zona ai!
    Imagina sehoje os problemas se resumissem nos pias que sujam a camisa branca.

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.