Lewandowski e suas lewandowskadas

Além de fazer parte do trio pró-criminosos, junto com os ministros Dias Toffoli e Gilmar Mendes, que providenciou a inacreditável soltura de  José Dirceu, ex-ministro de Lula, Ricardo Lewandowski tem um bom histórico de decisões estapafúrdias e absolutamente contrárias ao bom sendo. Lembramos que Zé Dirceu foi condenado a 30 anos e 9 meses de prisão, sob a acusação de ter recebido R$ 10 milhões em propinas da empreiteira Engevix, por meio de contratos superfaturados com a diretoria de Serviços da Petrobras. Como é que soltaram o gajo?

Logo depois desta patacoada, Lewandowski concedeu uma liminar (decisão provisória) impedindo que o governo venda, sem autorização do Legislativo, o controle acionário de empresas públicas de economia mista. A decisão também inclui empresas subsidiárias e controladas das estatais e abrange ainda as esferas estadual e municipal da administração pública. Neste caso, ele meteu o nariz em outro poder (o Executivo), cujas decisões devem sempre passar pelo Congresso. Pior: ele concedeu esta liminar na véspera do recesso do STF, complicando a defesa do governo.

Outra de Lewandowski: no ano passado ele liberou decisão que garantia reajuste a servidores, suspendendo a tramitação da Medida Provisória que previa o aumento da contribuição previdenciária para servidores públicos federais de 11 para 14%. Mais uma vez Lewandowski extrapolou das suas funções. À época, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, comentou a liminar de Lewandowski e disse que a decisão geraria um “impacto fiscal negativo muito ruim”.

Quem não se lembra da decisão de Lewandowski, escancaradamente inconstitucional, quando comandou a sessão de julgamento de Dilma Rousseff, concedendo à ex-presidente uma salvação política graças à sua interpretação heterodoxa da Constituição, urdida pelo ex-presidente Lula e seus aliados? A Constituição reza que junto com a perda de mandato, o acusado fica inabilitado por oito anos para o exercício de qualquer função pública. Lewandowski violentou a Constituição, deixando de cassar os direitos políticos da ex-presidente, algo inédito.

Por estas e por outras, não deixa de ser surpreendente que a população não se manifeste com veemência contra o Supremo Tribunal Federal e em especial contra Lewandowski, Dias Toffoli e Gilmar Mendes – todos eles sentados nas cadeiras erradas.

Sem categoria

17 comentários sobre “Lewandowski e suas lewandowskadas

  1. José Azevedo dos Passos 28 de junho de 2018 18:48

    Realmente é uma vergonha. A justiça nossa única esperança nesse país tão corrompido, aliou-se de modo escancarado a corrupção. É inacreditável o que acontece com estes três juízes. O que será que passa pela cabeça desses “ilustres”? Eles demonstram com a maior cata de pau que não estão nem aí pelas causas do Brasil. Para eles quanto pior melhor. Mas prestem atenção…. isso ainda vai dar coisa ruim.

  2. Carlos 30 de junho de 2018 16:05

    Esses três citados juízes ainda são os melhores dentre todos do STF. A maioria, pois, são mercenários e golpistas. São seletivos em julgamentos principalmente contra políticos e partidos de esquerda, a fim de prejudicá-los.

    • Bahr-Baridades 30 de junho de 2018 17:10

      Essa realmente é uma visão totalmente distorcida da realidade, resultado de um incrível sectarismo político.

      • Campos 30 de junho de 2018 20:46

        O Bahr-Baridade acusar alguém de “incrível sectarismo político” é a perfeita piada pronta!

    • Dr. Charles Montigomere Burns 9 de julho de 2018 22:24

      ai coitadinhos dos políticos de esquerda..,. tudo inocente que são salvos pelo trio de libertadores gerais de bandidos.

      na verdade tem ministro legislando em causa própria para defender seus [email protected]$ pois se não andarem na linha determinada pelos caciques que eles colocam nas ruas, também cairao

  3. João 1 de julho de 2018 7:15

    3 baluartes da justiça brasileira, com eles a Lei é cumprida na risca.

    • Contribuinte 1 de julho de 2018 13:05

      Barbaridade!!!!

  4. Hugo 1 de julho de 2018 11:57

    Só falta soltar o criminoso Lula, ai é o fim da picada.

  5. Júlio 2 de julho de 2018 4:24

    Defendo um amplo programa de privatizações, de bancos públicos como o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal, BNDS, BRDE e outros que só servem para encher de cargos CCs indicados por políticos e corrupção, MENOS ESTADO é a única solução para o Brasil

    • Lucio Carlos 2 de julho de 2018 15:20

      Esses CCS são verdadeiros morcegos do dinheiro publico, tem que privatizar também Sanepar, Copel…

    • Leonardo 2 de julho de 2018 17:43

      O BRDE é uma vergonha, cheio de cargos comissionados, sugadores do dinheiro do povo, sempre pulando de galho em galho em busca de um cargo, nunca produzindo nada de produtivo para a população, vão morrer e vão para o inferno pois ganham dinheiro que poderiam ser aplicados em saúde e educação.
      Vergonha! Vergonha! Ainda bem que FHC acabou com as boquinhas nos bancos estatais, acabando com esses monstrengos financeiros como Banestado, Banespa, etc. O que essa gente entende de banco de fomento? Quem indicou deveria ser processado por tentativa de improbidade…

      • Alemão 7 de julho de 2018 12:25

        Tenho saudade do FHC, bons tempos.

    • Campos 2 de julho de 2018 20:08

      Privatiza tudo! Aí os cargos serão preenchidos pelos parentes dos acionistas majoritários e os prejuízos serão pagos pela patuleia de sempre.

      • Alemão 7 de julho de 2018 12:26

        Tem que privatizar mesmo, defendo o estado mínimo.

  6. João Luiz 2 de julho de 2018 17:29

    É um absurdo mesmo, juízes do supremo (indicados politicamente ainda) ficar disputando poder com juízes de primeira e de segunda instancias, estes sim tem o condão de processar e condenar; é uma tranquilidade para o malandro, é condenado, aí fica esperando para mandar um STF, que ora se demonstra totalmente subserviente (não sei se ao poder ou ao sistema económico) aos mandos e caprichos de condenados; caraca, é um absurdo esse pais, que isso, tem de mudar tudo isso, constituição, códigos, tudoooo.

  7. Campos 2 de julho de 2018 20:09

    Todo mundo se acha técnico da seleção e ministro do STF. Todo brasileiro é especialista em futebol e jurista de profundo saber. Quá! Quá! Quá! Quá! Quá!

  8. Gilson 4 de julho de 2018 7:39

    TEM QUE PRIVATIZAR TUDO então pode começar livrando-se da Petrossauro. Aí vão cinco razões:
    1. Ao contrário do que dizem, não gera riqueza para ninguém, além daqueles que se locupletam com as falcatruas. Em maio de 2008, a Petrobras valia R$ 510 bilhões – seu recorde. Hoje, após a revelação das ladroagens que carcomeram a estatal, está valendo R$ 183 bilhões. Sim, uma queda de 64%. Isso é “gerar valor”? Além disso, a Petrobras não tornou o Brasil auto-suficiente em petróleo, o seu objetivo principal.
    2. A Petrobras não destrói a riqueza apenas dos investidores. Mesmo quem está fora da Bolsa (a grande maioria dos brasileiros) arca com os descalabros da estatal. Todos bancam os prejuízos e os sanguessugas que infestam a empresa por meio dos impostos, da sangria de recursos do Tesouro para cobrir seus rombos e do preço alto da gasolina, em momentos de queda do petróleo no mercado internacional.
    3. A Petrobras tem uma gestão totalmente inepta, fruto de décadas como cabide de emprego para aspones de políticos. Segundo relatório da Mckinsey, os projetos de construção de plataformas FPSO da estatal demoram 68% mais que a média global para concretizar-se Pior: nem esse prazo incompetentemente maior é cumprido. Na média, o atraso na entrega é de 12 meses. Pior: os custos de produção são 350% maiores.
    4. A desculpa era de que os atrasos fazem parte do aprendizado da indústria local, que precisa desenvolver tecnologia para atender aos percentuais de conteúdo nacional. Mentira: como se viu na Lava Jato, a ideia é mesmo restringir o mercado aos amigos da corrupção. A Embraer é uma empresa competitiva internacionalmente, porque incorpora em seus projetos o que há de mais moderno em tecnologia no mundo, e não porque fica reinventando a roda juntamente com parceiros que só querem uma boquinha.
    5. A Petrobras não gera tecnologia como as petrolíferas privadas. A estatal tem 1.515 pedidos de patentes. A Shell, mais de 16 mil.

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.