“Eles votam por igual”. Como assim?

Num dos programas da Globo News (Painel), a comentarista Eliana Catanhêde afirmou que “Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski sempre votam juntos”, isto é, suas decisões são conjuntas e por igual em todos os julgamentos.

Como assim? Então não importa o teor do processo em pauta? Que tipo de justiça é esta no Supremo Tribunal Federal? Se um deles votar contra determinado fato, mesmo estando errado em suas ponderações, os outros dois acompanham o seu voto?

Está mais do que na hora de se rever a forma de nomeação dos juízes do Supremo. Se em outras áreas públicas se exige concursos, provas e títulos, a mais alta corte do país deveria contar com ministros/juízes nomeados exclusivamente por méritos próprios, sem o protecionismo do presidente e/ou partido que se encontra momentaneamente no poder.

Inúmeros votos sacramentados por alguns dos ministros do Supremo estarrecem e afrontam a opinião pública, principalmente por que batem de frente com a lógica dos fatos. Até quando?

Sem categoria

4 comentários sobre ““Eles votam por igual”. Como assim?

  1. maso 15 de setembro de 2018 11:46

    O Brasil espera por isso. Mas com esta vagabundaiada corrupta eleita e reeleita difícil mudar alguma coisa.

    • Passig 16 de setembro de 2018 6:46

      Deveriam ser exonerados

  2. Alaor 19 de setembro de 2018 14:24

    Não custa lembrar:

    Para se chegar a Ministro da mais alta corte, é necessário demonstrar NOTÓRIO SABER JURIDICO!

    Dias Toffoli demonstrou isso pois fez pós graduação na universidade… ops.. ele não fez pós… logo também não fez mestrado ou doutorado!

    Mas ele demonstrou seu notório saber jurídico escrevendo sobre sua área de direito com os títulos.. ops.. ele tbm não “escrevinhou” nenhum livro!

    Ahhh, mas ele conseguiu demonstrar seu notório saber juridico nos concursos que fez pra Juiz.. dois se não me engano… mas.. ops… ele FOI REPROVADO NOS DOIS… Claro que podem dizer que a reprovação em um concurso não tem condições de avaliar muito bem o tal saber juridico do indivíduo (o que eu discordo), mas essa mesma reprovação não pode dar ao candidato, diante da reprovação o notório saber juridico kkkkk

    Bem, de qualquer maneira, Dias Toffoli demonstrou seu notório saber juridico advogando para o PT, que foi quem o indicou a cargos importantes como Advogado Geral da União, onde ele conseguiu umas duas páginas em seu curriculo!

    mas evidente que não foi o curriculo dele que o levou a advocacia geral da união, e sim o fato de ser um dos puxa saco petista.

    Bem, pra chegar a Ministro do STF, não sei como se deu essa prova do saber juridico, mas é evidente que o intem de peso em seu curriculo era mesmo o QI ! kkkk

    • Hugo 20 de setembro de 2018 0:25

      ora Alaor, não toque no ungido do Lula, cuidado que o Messias M. vem aqui no blog do Bahr pra dizer que vc “interpretou errado” kkkkkkkkkkkkkkkk

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.