Uma bancada de jornalistas facciosos

Desde a campanha eleitoral deu para notar muito bem a tendência política de um grupo de jornalistas da Globo News que formaram uma “bancada” para entrevistar candidatos, muitos agora eleitos.

Na entrevista em 02 de janeiro com o General Augusto Heleno, novo ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, os entrevistadores se esmeraram em tentar esmiuçar o “caso Queiroz”, um ex-assessor de Flavio Bolsonaro citado em relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF) por movimentações financeiras de mais de R$ 1,2 milhão consideradas suspeitas,na investigação que faz parte da operação Furna da Onça, desdobramento da Lava Jato no Rio.

O interrogatório da bancada em relação ao general surpreende. Não pelo fato de tentar esmiuçar a movimentação financeira do tal Queiroz, que deve ser amplamente esclarecida. Mas sim pela absoluta incongruência em relação à era PT, quando raras eram as ocasiões em que os mesmos jornalistas ousaram confrontar a então equipe no poder, que sabidamente desviou bilhões de dólares em razão de corrupção, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.

Na modesta opinião deste blogueiro, para que a Globo News recupere um pouco de credibilidade, deveria trocar a atual equipe de jornalistas que formam essa famigerada bancada por outros, politicamente neutros e que saibam entrevistar políticos com absoluta isenção. Jornalismo é informação sem facciosismo!

JEB

Sem categoria

5 comentários sobre “Uma bancada de jornalistas facciosos

  1. Pavani 4 de janeiro de 2019 9:51

    Caro blogueiro,
    Concordo com você quando diz que essa equipe tem que ser substituída por outra que seja imparcial.
    Essa mesma equipe entrevistou a Ministra Damares ontem (03/01/2019).
    Fiquei impressionada com as perguntas mal intencionadas e repetitivas que partiram de renomados jornalistas.
    Ao meu ver Damares deu show, respondendo todos os questionamentos com grande conhecimento de causa, lembrando que estava com apenas 1 dia à frente do ministério.
    Em tempo: na ocasião a jornalista Andreia Sadi vestia azul. Mera coincidência???

  2. Adolfo Musso 4 de janeiro de 2019 10:35

    Finalmente temos um presidente que vai pôr ordem na casa. Esses jornalistas da Globo a serviço do PT e do presidente da Venezuela vão ficar sem notícias do amigo do Mito, o policial militar Queiroz, A bancada da Globo não vai, a partir de agora, continuar essa campanha contra o presidente Bolsonaro e seu filho senador distorcendo fatos e espalhando mentiras. Bolsonaro disse que o dinheiro que sua esposa recebeu de Queiroz era pagamento de dívida. Está explicado. Acabou o assunto. Queiroz disse que a movimentação de seu dinheiro decorria de negócios com carros. Está explicado. Morreu o assunto. Bem fez o Bolsonaro e o nosso grande ministro Moro em determinar que, daqui pra frente, assunto do COAF é sigiloso e não mais será explorado politicamente pelos jornalistas da Globo e da Folha de S. Paulo para tirar a autoridade de nosso Mito.

  3. maso 4 de janeiro de 2019 17:57

    A Globo News pegava leve com Lula por causa dos jabás.

  4. Carlos 5 de janeiro de 2019 17:14

    Engraçado, a Globo era boa quando enquadrava drasticamente o governo do PT e seus candidatos, agora com Bolsonaro a Globo não presta? Estranho né…Dois pesos x duas medidas??????????????

    • Bahr-Baridades 6 de janeiro de 2019 19:21

      E quem disse que a Globo era boa antes? Onde você leu isso?

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.