Mês: novembro 2013



Correspondentes da Globo também erram no inglês

Nesse vídeo aqui passado mês passado no Jornal Hoje, vi um jornalista, que considero muito bom, errar no inglês e não acreditei. Precisei rever o o vídeo para constatar e quando procurava , encontrei outro, com o outro correspondente, que é melhor ainda, cometendo o mesmo erro, numa matéria super parecida, para o mesmo jornal, em 2011.

Antes de continuar, quero deixar bem claro que é uma crítica construtiva e até mesmo um alívio pra você que morre de medo de escorregar no inglês. O cara é correspondente, fala inglês super bem, é um ótimo profissional… Mas ninguém é perfeito. Não quero desmerecer o profissional. Muito pelo contrário, acho legal mostrar isso para constatar que todo mundo erra e não se deve ter vergonha disso, já que até os melhores erram. Então não tenha medo de errar, o MAIS importante é conseguir fazer a outra pessoa entender o que você quer dizer. Claro que falar com a pronúncia correta é importante, mas não o primordial. O importante é aprender com seus próprios erros ou, como aqui, com os erros dos outros.

Eu já tinha feito um post sobre a pronúncia da palavra “waffle” (para quem não viu, clique aqui)que muita gente diz “ueifous” (escrita bem “tabajara” só pra você ler exatamente como quero que leia), assim como ambos os correspondentes fizeram . Veja o segundo vídeo, de 2011, abaixo:

No entanto, a pronúncia correta é “uófous” (bem “tabajara” a escrita fonética também). Na verdade, o som a letra “Ó” é bem curtinho, não como o som do nosso “Ó”. A representação fonética dessa palavra seria assim:  /ˈwɒfl̩/ esse “desenho” que parece “a” de cabeça para baixo – ɒ – é a representação fonética de um som parecido com a letra “ó”, mas bem curto, pois o som “ó” longo (como o nosso) é representado assim: ɔː (parece a letra c ao contrário com dois pontos em seguida. Toda vez que tem dois pontos junto a um som de uma vogal significa o prolongamento desse som. Ex. Door – dɔːr – som de ó longo.)

Clicando aqui você verá como é o som certinho da letra  “a”, representada foneticamente assim /ɒ/, de Waffles.

Neste outro site aqui tem cinco exemplos de pessoas dos Estados Unidos e Reino Unido pronunciando a palavra “waffle”.

* Este outro blog aqui cita a diferença da pronúncia de “waffle” e “wafer”, vale muito a pena ler!

 

 

 

1 Comentário


Pegadinha: casar com, acontecer com, ficar noivo de, etc…

Traduzindo ao pé da letra, COM seria “with”, DE seria “from” ou “of” e PARA seria “to” ou “for” .

O problema é que na MAIORIA das vezes essa regra está furada. Portanto, aprender inglês requer aprender expressões, e não palavras isoladas. Alguns exemplos, dos inúmeros, que podem ser pegadinhas:

 

Pão com manteiraBread and butter – se eu fosse traduzir ao pé da letra não usaria “and” mas sim “with”, o que estaria ERRADO em inglês.

Casar-se com – Get married to. Ex. “I got married to a photographer” (Eu me casei com um fotógrafo) – usa-se TO e não “with”, que estaria errado se fosse colocado aqui.

Acontecer comHappen to. Ex. “What happened to you?” (O que aconteceu com você?) – usa-se TO e não “with”, que estaria errado se fosse colocado aqui.

Ficar noivo deGet engaged to. Ex. “I got engaged to him yesterday” (Eu fiquei noiva dele ontem) – usa-se TO e não “of”, que estaria errado se fosse colocado aqui.

 

Comente aqui


I will X I’m going to

Muita gente me pergunta quando usar “will” e quando usar “going to” para se referir ao futuro. Não é tão simples de explicar, mas vou tentar:

COM RELAÇÃO AO TEMPO DE TOMADA DE DECISÃO DE UMA AÇÃO:

– Quando se toma uma decisão sobre algo que vai fazer imediatamente, usa “will” (decisão imediata). Ex. está quente aqui. Vou ligar o ar condicionado. “It’s hot here. I’ll turn on the air conditioning”.

– Quando a decisão foi tomada antes, ou seja, algo planejado, usa-se “going to”. Ex. Vou viajar para os Estados Unidos em janeiro. “I’m going to travel to the US in January”.

 

COM RELAÇÃO A UMA PREVISÃO:

– Geralmente, quando usa “eu acho, provavelmente, etc” usa “Will”. Para previsão, opinião. Ex. Eu acho que vai chover. “I think it will rain”.

– Baseado em evidências, a previsão pode ser usada com  “going to”. Ex. Olhe para essas nuvens escuras, vai chover. “Look at those black clouds. It’s going to rain”.

 

2 Comentários


So do I X Me too X So am I, etc

O leitor Junior me pediu para explicar a diferença, quando usar um ou outro.

Me too – Significa “eu também” e pode usar TODA vez que for concordar com alguém que falou uma frase na afirmativa. Ex: “I like chocolate” (Eu gosto de chocolate) – “Me too” (Eu também); “I am a student” (eu sou um estudante).  “Me too” (Eu também) – No entanto, vale destacar que é ais informal usar “Me too”.

Se a pessoa falar alguma frase na negativa e você quer concordar, pode usar sempre  “Me neither”. Ex. “I don’t like chocolate” (Eu não gosto de chocolate). “Me neither” (Eu também/eu também não). “I’m not a student” (Eu não sou um estudante). “Me neither” (Eu também/eu também não)

 

So do I, So am I, etc – é como o “Me too” só que é mais formal e cada um vai ser usado dependendo da frase falada anteriormente.

Ex.

Meu amigo diz: “I like chocolate” (Eu gosto de chocolate) – Esta frase está no presente e o verbo usado é “like”. Quando Faço pergunta no presente com o verbo “Like” par a primeira pessoa (EU) uso o auxiliar “DO”. Por isso, para dizer “Eu também” devo usar: “So DO I” (mais formal) ou “Me too” (mais informal)

Se meu amigo diz: “I am a student” (Eu sou um estudante) e eu quero dizer “Eu também” – Essa frase está no presente e o verbo é o “TO BE”. Para fazer perguntas no presente com o verbo “TO BE” não uso auxiliar, uso o próprio verbo. Como a pessoa a concordar sou eu, digo: “So am I” (mais formal)  ou “Me too” (mais informal).

Se meu amigo diz: “I did my homework yesterday” (Eu fiz minha tarefa ontem). A frase está no passado, o verbo é fazer. Para fazer perguntas no passado com esse verbo, uso sempre o auxiliar “DID”. Então, neste caso, para dizer “Eu também”, respondo “So DID I” (mais formal) ou “Me too” (mais informal)

Se meu amigo  diz: “I can swim” (Eu sei/posso nadar). Esta frase está no presente e o verbo é CAN. Para fazer perguntas com o verbo “CAN” no presente, uso ele mesmo como auxiliar. Então respondo “Eu também” assim: “So CAN I” (mais formal) ou “Me too”

 

Ou seja, vai depender do verbo que é usado em cada frase, você tem que pensar como começaria uma pergunta com esse verbo no tempo verbal da frase. Então pode ser “So am I, So do I, So can I, So will I, So did I, I was I, So have I”, etc.

Se for uma frase que a pessoa fala na negativa e você vai concordar, a regra é  mesma, mas no lugar de “So” usa “Neither”.

 

 

16 Comentários