Mês: março 2014



O que é St Patrick’s day

Esta semana, na segunda-feira, foi celebrado no mundo todo o dia de São Patrício (St. Patrick’s day). Apesar desse dia não ser amplamente comemorado no Brasil, há principalmente bares que seguem essa tradição. Em Maringá por exemplo, MPB bar fez uma festa dedicada à esse dia. Mas por que essa data é tão importante pra tanta gente?

Breve história: St Patrick era um garoto britânico que foi capturado por piratas aos 16 anos e levado de navio para a Irlanda, aonde a população era pagã (paganismo:do latim paganus, que significa “camponês”, “rústico”- usado principalmente em um contexto histórico, referindo-se a mitologia greco-romana, bem como as tradições politeístas da Europa e do Norte da África antes da cristianização). Patrick ficou como escravo lá por anos e fugiu graças à uma visão que teve e o liderou para a fuga de volta ao seu país de origem. Anos depois ele virou padre e adotou esse nome cristão (Patrick), pois seu nome antes era diferente. Então ele teve outra visão: voltar para a Irlanda e evangelizar a população local. E foi o que ele fez. Diz a lenda que ele usou um trevo de três folhas (em inglês – shamrock) para explicar a Santíssima Trindade: pai, filho e espírito santo. Por isso até hoje o trevo é considerado um dos símbolos dessa celebração. St Patrick faleceu no dia 17 de março e foi quem trouxe o cristianismo para a Irlanda. Por isso essa celebração.

Mas voltando à pergunta inicial: por quê essa data é tão importante para tanta gente?
Apesar desse dia já ser comemorado em muitos outros países que tinham imigrantes irlandeses, na década de 1840 houve um acontecimento que mudou a história da Irlanda. A chamada “The Great Famine” – quando a população de 8 milhões passou por um período de muita miséria e fome e acabou fugindo para países como Canadá, EUA e Austrália. Hoje a população é da Irlanda é de cerca de 4 milhões de habitantes. Nos EUA desde 1762 há desfile dos imigrantes Irlandeses no St Patrick’s day, mas quando houve essa imensa massa de imigrantes vindo da Irlanda é que as coisas mudaram. O desfile de Nova Iorque é o maior do mundo, levando de 160 a 180 mil pessoas marchando e de 2,5 a 3 milhões de espectadores. É diferente de qualquer outro desfile nos EUA porque é super tradicional, composto inteiramente por pessoas marchando, militares, bandas militares. Nada de balões gigantescos e músicas nas caixas de som (típico de outros desfiles). Neste dia a cidade de Boston pinta seu rio de verde. No mundo há cerca de 80 milhões de pessoas que se dizem descendentes irlandesas.

Por quê as pessoas usam verde nesse dia? Porque Irlanda sempre foi conhecida como “Emerald Isle” (ilha da esmeralda) por ser muito verde. Isso se da devido ao fato de que la chove ate 225 dias do ano. Por isso e também pelo fato do trevo de três folhas ser o simbolo dessa festividade, que as pessoas usam verde no dia de St Patricks Day.

Abaixo vídeo com algumas curiosidades em inglês

2 Comentários


Bom filme para praticar + Diga não às dublagens

Domingo fui ao cinema assistir 300 – A ascensão do império. Achei que a fala dos personagens era muito clara, sem sotaque forte, sem falar muito rápido. Muito bom para praticar a audição do inglês. Claro que uma sala com som de alta qualidade também ajuda. Mas para quem gosta de praticar o inglês por meio de filmes, está aí um bom filme para a prática do “listening”. Fui a um cinema aqui em Maringá que há muito tempo não tinha filme legendado. Eu ficava revoltada quando via que todos eram dublados, pois as salas são muito boas, mas dublado ninguém merece. Alguns amigos meus até questionaram antes no cinema o motivo dos filmes serem só dublados. De acordo com eles, foram informados que a tendência agora era que os filmes começassem a vir todos dublados. Quase tive um treco quando ouvi isso.

Li uma reportagem da Folha de S. Paulo Ilustrada (reportagem aqui) mencionando que no Rio de Janeiro uma pesquisa feita em 2012 mostrou que 56% das pessoas preferiam filmes dublados, 37% legendados e os demais eram indiferentes. De acordo com a reportagem, devido a esse fator e ao barateamento das cópias dubladas, os exibidores estão apostando nas versões dubladas como uma nova tendência. Outras reportagens que li afirmam que estão apostando mais na classe C e por isso mais filmes dublados.

Cuidado! Todos os filmes dublados que assisti até hoje não têm equivalência real das falas dos personagens e muito da essência do filme acaba se perdendo com a dublagem. No legendado a equivalência, além de ser melhor, quando não é fiel, se você tem conhecimento da língua, consegue pegar o significado real. Além disso, compartilho do pensamento de muitas pessoas que acreditam que a qualidade do som também se perde um pouco na dublagem.

Mais que isso, dublar um filme porque “é mais fácil” ou para “agradar a classe C” acredito que seja “emburrecer” uma sociedade, desestimular a leitura, a cultura e o aprendizado e também subestimar a inteligência das pessoas. Hoje a classe C não só tem mais acesso ao cinema quanto ao ensino de idiomas e está cada vez mais interessada no estudo do inglês, principalmente pelo barateamento do estudo por meio de inúmeras escolas de idiomas no país (em Maringá por exemplo tem praticamente uma em cada esquina) e facilidade de aprender também online, que também por vezes é uma opção mais barata e cômoda. Não digo isso somente com relação aos filmes em inglês, mas em todas as línguas. Devemos estimular o conhecimento das pessoas, e não o contrário.

Sem categoria
15 Comentários


Inversão após negação ou restrição

ERRO: Geralmente quem está no nível avançado aprende essa regra e fica chocado porque nunca ouviu falar disso ou acredita que só no inglês muito formal mesmo que se usa. Engana-se quem acredita que nunca vai usar essa regra ou nunca ouviu falar. É mais comum do que parece.

Já vi frases com o uso dessa regra em livros, discursos do presidente americano, reportagens da CNN e ontem vi no “Keeking Up with the Kardashians!” (Reality show americano com uma família super famosa em Hollywood por ser da alta sociedade e considerada muito fútil). O que me surpreendeu foi que até eles usam, ou seja, é muito comum o uso de frases com inversão!

Vamos explicar:
Isso se chama “Iversion after negative ou restrictive adverbials” – Inversão depois de advérbios negativos ou restritivos. Ou seja, quando COMEÇAMOS (somente quando começamos) uma frase com negação ou restrição (ex. NEVER, NOT ONLY, NO SOONER, LITTLE, SELDON, RARELY, HARDLY, SCARCELY, ONLY) falamos ou escrevemos o restante da frase como se fosse uma pergunta, mesmo que seja uma afirmativa)

Exemplificando:
“I have never seen this movie before” (Eu nunca vi esse filme antes) – normal
Mas se quero enfatizar que foi nunca, nunquinha mesmo, começo a frase com a palavra NUNCA, mas aí tem que haver a inversão, ou seja, frase na forma de pergunta, apesar de não ser: “Never have I seen this movie before” (Nunca vi esse filme antes)

Abaixo exemplo de frases usando essa regra, com os atores do Glee anfatizando que “Nunca fizeram algo” (Never have I ever).

Outro exemplo: “He had no idea I was there” (Ele não fazia a menor ideia que eu estava lá) – para enfatizar que ele não tinha ideia mesmo, posso começar a frase com a palavra LITTLE. Assim a frase ficaria: “Little did he know I was there” Exemplos do uso disso abaixo:

Abaixo explicação detalhada em inglês:

Sem categoria
1 Comentário