Mês: julho 2014



Os diferentes usos do “wish”

“Wish” como substantivo tem o significado de “desejo, vontade, anseio”. Como verbo pode ser “ter vontade de, desejar, querer”.
Saber o seu significado não é tão difícil, o mais complicado é saber usá-lo no tempo verbal correto de acordo com o que se pretende falar.

1) Quando for representar um sonho que você tem para para o futuro usamos o verbo no passado após “wish”. Ex. “I wish I had a car” (Eu queria ter um carro). Significa que não tenho agora mas é um sonho meu ter no futuro.
Muito cuidado pois apesar de no português usarmos os verbo no infinitivo após o “queria, desejaria, tenho vontade de” no inglês o verbo vem no passado simples, mesmo se tratando de um sonho futuro.

2) Quando você quer que alguém ou algo mude usa “would” após o wish. Ex. “I wish it would stop raining” (Eu queria que parasse de chover)

3) Referente a sonhos no passado, ou seja, algo que já aconteceu, que não tem como mudar mas você gostaria que tivesse sido diferente, usamos “had/hadn’t + particípio”. Ex. “I wish I hadn’t eaten so much!” (Eu queria não ter comido tanto). Neste caso, no lugar de “wish” posso usar também “if only” (Se ao menos). Ex. “If only I hadn’t eaten so much!” (Se ao menos eu não tivesse comido tanto!)

2 Comentários


Do filme Pain & Gain: Doer or Don’ter

Este fim de semana assisti ao filme “Pain and Gain” (com Mark Wahlberg e The Rock) e ouvi muito a a fala “Are you a doer or a don’ter?”
Um “DOER” vem do verbo “to do” (fazer). Uma pessoa que é um “DOER” é aquela que faz as coisas acontecerem, que corre atrás de seus sonhos, no lugar de só pensar ou falar deles.

Um “DON’TER” vem da contração negativa do Do + NOT = “don’t” (não). Um “DON’TER” é aquele que resmunga sobre tudo o que quer mas nunca levanta e faz algo para conquistar o que quer.

Já o nome do filme: Pain & Gain, se formos traduzir “Pain” significa dor e “Gain” significa ganho. Vem da expressão idiomática “No Pain, No Gain” que seria algo como “sem sacrifício não há recompensa” ou “não há bônus sem ônus”.

Abaixo a cena do filme em que é usada a expressão “DOER or DON’TER”

Comente aqui


Dúvida do leitor: Pronúncia de Henry

A leitora Regina Martins perguntou: “Estou perguntando sobre a pronuncia correta de Henry, em inglês e não consegui nada. Não consegui nada em nenhum site nos quais busquei. Será que estou falando em grego, e ninguém me entendeu?”

A escrita fonética da palavra “Henry” é /ˈhenri/ para ouvir a pronúncia clique aqui

O som do H na maioria dos casos sai como nosso som do R da palavra rato. Exemplos: house, horse, home, hero, etc. Existem poucas exceções como “hour” em que o H é silencioso.

A palavra HENRY pode ser difícil de ser pronunciada pois o H tem som de R de rato e o R do RY tem um som do R da palavra PORTA falada por um paranaense ou paulista do interior. Da mesma forma, a palavra HORROR tem uma certa dificuldade de ser pronunciada pelos brasileiros. A escrita fonética é /ˈhɒrər/ clique aqui para ouvir a pronúncia.

Comente aqui


Como dizer em inglês bolha de ar, de sabão, imobiliária, de pele

Um aluno perguntou como dizer bolha em inglês. Depende de que tipo de bolha.

Bolha de ar: bubble. Escrita fonética: /ˈbʌbl̩/ Para ouvir a pronúncia clique aqui.

Bolha de sabão: soap bubble. Escrita fonética: /səʊp ˈbʌbl̩/ Para ouvir a pronúncia clique aqui.

Bolha imobiliária: Housing bubble Escrita fonética: /ˈhaʊzɪŋ ˈbʌbl̩/ OU “Real-estate bubble” OU “Property bubble”

bolha na pele: blister. Escrita fonética: /ˈblɪstə(r)/ Para ouvir a pronúncia clique aqui.

Plástico bolha: bubble wrap. Escrita fonética: /ˈbʌbl̩ ræp/ Para ouvir a pronúncia clique aqui.

Chiclete: bubble gum. Escrita fonética: /ˈbʌbl̩ ɡʌm/ Para ouvir a pronúncia clique aqui.

Abaixo entrevista sobre a bolha econômica no Brasil em inglês com ganhador do prêmio Nobel de economia:

Comente aqui


Rolling in the dough – significado

O leitor “curious” perguntou: “Por favor, quando puder me diga, o que significa a giria : “rolling in dough”, como poderia ser traduzida de forma que encaixe com o cotidiano?”

“Rolling in dough” ou “rolling in the dough” é um “idiom”. “Idioms” são expressões que geralmente traduzidas ao pé da letra não representam o que realmente significam. Para mais detalhes sobre IDIOMS clique aqui

Enfim, o IDIOM “rolling in the dough” seria uma expressão usada para dizer que a pessoa tem muito, mais muito dinheiro. ROLLING = rolando; DOUGH = massa, dinheiro (gíria)
Portanto, se traduzirmos ao pé da letra seria o mesmo que “rolando no dinheiro”. Em português expressões que mais se aproximam de “rolling in the dough” são “nadando em dinheiro” ou “ganhando rios de dinheiro”

No filme “Tudo por Justiça” (em inglês “out of the fornace) com Christian Bale (ator famoso pelo filme Batman) há uma cena no início em que ele pergunta ao seu irmão o que ele está fazendo ao vê-lo apostando em corridas de cavalo. O irmão responde: “I’m just trying to make some dough” (estou apenas tentando ganhar um pouco de dinheiro)

2 Comentários


Pronúncia correta: director

Muitos alunos já me perguntaram qual é a pronúncia correta desta palavra pois ouviram “dairector” e “director”

Bem, ambas estão corretas mas muito cuidado na hora de escolher qual pronúncia você irá usar.
Fonética do inglês americano: /dɪˈrektər/ Fonética do inglês britânico: /dʌɪˈrektə/
Ouça ambas as pronúncias aqui.

Minha opinião pessoal: O ideal é que você fale o inglês de uma região só. Seja britânico, americano, australiano, etc. mas que se fixe às pronúncias e vocabulários desta região específica de onde seu sotaque será. Caso contrário, se ficar misturando pronúncia de um lugar com outro, ficará uma mistura muito grande e aí seu sotaque vai ser de “estrangeiro” mesmo. Já vi muita gente falando uma frase e aí em segundos os nativos já perguntam “de onde você é?”. Nada contra as pessoas perceberem que seu inglês não é nativo mas é que quanto mais correta a pronúncia menos a atenção ficará em “como” você fala e mais em “o que você fala”. É como se no Brasil uma pessoa começar a falar algo numa reunião de negócios, por exemplo, usando palavras e sotaques de várias regiões do Brasil. Muita gente vai parar de prestar atenção no que a pessoa está falando e ficar pensando: “nossa, de onde será que ela/ele é? Que sotaque engraçado/diferente”. Isso desviará o foco da reunião ou de algum assunto mais importante.
Digo isso por experiência própria tanto no inglês quanto no português. No inglês já passei por ambas as situações: no início pessoas me paravam perguntando de onde eu era por causa do sotaque. Depois que comecei a focar num sotaque só (mais especificamente de onde morei e ainda tenho contato e influência) já ouvi “nossa seu sotaque é bem da Califórnia” (o que eu amei). No português falo com o R igual o de carioca porque meus pais são cariocas mas eu nasci e moro em Maringá e falo só o R igual de lá(não puxo o S nem outras palavras típicas do RJ) então muita gente não entende e fica perguntando: Você é cearense? Você é mineira? Você é carioca? Então tenho que parar o que estou falando para explicar que esse meu sotaque misturado de carioca com paranaense é por causa dos meus pais.

3 Comentários


Pronúncia diferente Tear (rasgar) e Tear (lágrima)

Esta semana estava dando aula e um aluno se confundiu com a pronúncia do verbo TEAR (rasgar). Ele leu a palavra como se estivesse lendo o substantivo TEAR que significa lágrima. Normal errar na pronúncia pois a escrita é exatamente igual e só há como saber qual dos dois significados (rasgar ou lágrima) de acordo com o sentido da frase. Mas na hora de falarmos, assim que detectado o significado da palavra (se é o verbo rasgar ou o substantivo lágrima) é importante pronunciarmos corretamente.

TEAR (verbo) no sentido de Rasgar tem a escrita fonética assim: /teə(r)/ ou seja, um som parecido com “é” e depois o “shuá”, que é o nome dado a esse som /ə/. Veja detalhes de como pronunciar o “Shuá” aqui. Para ouvir a pronúncia do VERBO TEAR clique aqui.

TEAR (substantivo) no sentido de lágrima tem a escrita fonética assim: /tɪə(r)/ ou seja, som da lera “i” curto e depois o “shuá”. Ouça a pronúncia aqui.

Há no youtube também um vídeo ensinando a diferença das pronúncias:

Comente aqui


Palavras que estrangeiros mais aprenderam durante a Copa

A BBC fez uma matéria bem divertida pedindo aos estrangeiros que estavam no Brasil durante a Copa para falarem palavras que aprenderam em português. As respostas foram bem engraçadas e me fizeram lembrar de quando conheci estrangeiros aqui e quando fui morar do exterior o que mais aprendi.
Certa vez tinha um mexicano nos visitando por um mês e perguntei a ele em inglês o que ele mais tinha gostado do Brasil. Eles respondeu: The “chuchucas”. Um outro aluno meu brasileiro havia ensinado esta gíria a ele, que nunca mais esqueceu. Uma intercambista francesa quando ficou na minha casa também chegava direto falando palavras engraçadas que tinha aprendido com os meninos na escola. Ela, por sua vez, só me ensinou besteira também em francês e até hoje lembro as palavras.
Quando morei nos Estados Unidos mesmo, as primeiras palavras que aprendi foram “bored” (entediado) e “dork” (idiota, babaca). Meu treinador de futebol lá certo dia chegou falando algo muito engraçado em português que ele havia aprendido com os brasileiros muitos anos antes. Já contei essa história aqui no blog e o que ele falou. Para quem quiser saber o que aconteceu clique aqui

Não sei por qual motivo as pessoas tem a tendência de gravar mais rápido e de não esquecer palavras engraçadas, gírias e palavrões em outras línguas, mas que isso ocorre em tudo quanto é país com certeza sim!

Assista AQUI o vídeo da BBC mostrando as palavras que os estrangeiros mais aprenderam no Brasil

2 Comentários


Gírias e expressões do filme Transformers 4

Ontem assisti ao filme Transformers 4 – A era da extinção e ouvi muitas gírias e expressões interessantes.
Então resolvi anotar e colocar aqui. Para quem gosta de aprender gírias e expressões atuais vale muito a pena assistir:

Itchy fingers: esta expressão pode ter dois significados 1) Quando a pessoa está com alguma alergia nos dedos e nas mãos, por exemplo quem tem alergia a detergente ou produto químico e quando entra em contato com isso os dedos e mãos começam a coçar e escamar. 2) Quando você quer dizer que a pessoa tem “dedo nervoso” ou seja, não pára quieta, quer ficar pegando ou colocando a mão em tudo. Foi nesse sentido que foi usado no filme.

Show your true colors: traduzindo ao pé da letra, mostre suas cores verdadeiras. Na verdade quer dizer mostrar quem você realmente é, ou seja, sua essência.

Smooch: Na hora em que o pai viu a filha com o namorado deitados no sofá usou essa gíria para dizer aos dois para “pararem de se beijar e se abraçar”. Smooch é usado neste sentido, como um verbo que significa beijar.

Let’s Rock: Um dos transformers usou essa gíria que significa “Vamos detonar, vamos arrasar”

flaw: Erro ou farsa

Golden parachute: Tradução literal é paraquedas de ouro. Expressão muito usada em Business. É um acordo firmado entre uma empresa e um funcionário especificando que o funcionário vai receber alguns benefícios (geralmente em dinheiro ou ações) caso seja demitido. Grandes empresas fazem isso ao contratar um executivo de alto escalão que estava numa outra grande empresa.

Little punk: Um dos personagens disse isso ao outro. Quando chamamos alguém de “little punk” quer chamar de pestinha, quando quer ofender alguém mais novo que você que se acha o rebelde.

Comente aqui


Student book X Student’s book

Esta semana o leitor Lucas Blanco me perguntou: “Gostaria de saber a diferença, quanto ao uso, de ‘Student Book’ e ‘Student’s Book’. Vejo as duas formas em livros por aí”.

Eu já tinha visto também mas sabe que nunca me ocorreu em pensar o motivo dessas variantes? Muito boa pergunta. Tinha uma ideia mas para não falar besteira resolvi pesquisar. Primeiro perguntei a alguns amigos americanos. Nenhum soube me dizer a resposta. Então resolvi procurar nas minhas duas gramáticas: Advanced Language Practice (Michael Vince) e English Grammar in Use (Raymond Murphy). A melhor resposta que encontrei está abaixo mas se caso alguém tenha alguma outra resposta mais concreta será muito bem vinda:

Student’s book – a forma mais comum e fácil de entender: o apóstrofo significa posse. A tradução então seria “livro DO estudante”. Vale a pena ressaltar que o uso do apóstrofo para indicar posse é geralmente usado para pessoas e animais. Portanto, para dizer “perna da cadeira” dizemos “leg of the chair” e não chair’s leg. Para coisas e ideias o normal é usar “… of….” Exceção seria para organizações (ambos estão corretos: the company’s success “ou” the success of the company), lugares (the city’s streets) e expressões de tempo (yesterday’s newspaper; three weeks’ holiday)

Student book – podemos usar dois substantivos juntos para significar uma única coisa, ideia, pessoa, etc. Ex. Tennis ball – uma bola usada para jogar tênis. No caso da expressão “Student Book” a mesma quer dizer – livro usado por estudantes. O mesmo ocorre com profissões. Ex. “Laboratory managers” – dois substantivos juntos querendo dizer uma única coisa: gerentes de laboratório. A palavra laboratory, apesar de ser um substantivo, serve como função de adjetivo, por isso não está no plural (adjetivos em inglês são sempre no singular) como a palavra managers, que serve como substantivo. Então se eu quiser dizer “livros de estudantes” posso dizer “student books”. Lembrando que isso não quer dizer posse, ou seja, não são livros DOS estudantes, mas sim livros usados POR estudantes.

1 Comentário