História do Thanksgiving

Thanksgiving, que é o Dia de Ação de Graças nos EUA, surgiu quando os peregrinos ingleses decidiram vir para os EUA. Tempos depois, no inverno de 1620, quase metade de sua população acabou morrendo. Esses peregrinos tiveram a ajuda de uma tribo local americana/estadunidense que os ensinaram a pescar e caçar. Um ano depois, quando os peregrinos tiveram sua primeira colheita de sucesso, chamaram os nativos para um banquete com eles em comemoração à fartura e dando graças à mesma. Esse foi considerado o primeiro Thanksgiving e eram três dias de festa com comida, caça e dança. Os índios mataram 5 cervos para aquela festa. Perú não era pare dessa data festiva na época. Nem torta de abóbora, nem purê de batatas. Os peregrinos não pensaram em dar sequência anual a esta festa. Na verdade não celebraram mais.
Até que em 1789 o então president George Washington anunciou o primeiro dia Nacional de Thanksgiving, que aconteceu na quinta-feira, 26 de novembro. Mas só no século 19 tornou-se uma celebração nacional.
A escritora americana Sara Josepha Hale recriou a ceia. Em 1827 começou uma campanha mas só em 1857 conseguiu com que fosse nacional. Também publicou receitas de torta de abóbora, peru, entre outras. Esses depois viram os ingredientes principais da famosa ceia.
Em 1863, durante a guerra civil, presidente Abraham Lincoln anunciou que a nação celebraria o dia da Ação de Graças toda última quinta-feira de novembro. Depois, e, 1941, foi mudada para a quarta quinta-feira de novembro, quando é celebrada até hoje.
George Bush ( o pai), em 1989, iniciou uma tradição bem diferente que é o perdão ao perú, que existe até hoje e todo ano o presidente pega um perú e o solta em uma fazenda para o resto da vida, no lugar de mata-lo e levá-lo para uma mesa de jantar.

Abaixo vídeo explicativo em inglês:

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.