Mês: abril 2011



Servidores podem ficar sem plano de saúde

A quatro dias do término do contrato que garante atendimento médico-hospitalar e odontológico aos servidores municipais, a licitação promovida pela Prefeitura de Maringá para contratação da empresa que daria prosseguimento ao serviço não teve interessados. Tecnicamente, a concorrência pública foi considerada “deserta”, o que incorre no risco de os cerca de 8,7 mil servidores ficarem sem atendimento a partir de 1º de maio, Dia Mundial do Trabalho.

A falta de interessados em gerenciar o Serviço de Assistência à Saúde dos Servidores Municipais de Maringá (Sama) estaria ligada ao valor oferecido pela Prefeitura, considerado baixo. O edital previa repasse mensal de R$ 34 para cada uma das 22,5 mil pessoas atendidas – servidores e dependentes. O Hospital Santa Rita, que vem operando o Sama em contrato prorrogado por 120 dias em dezembro do ano passado, esperava proposta de, no mínimo, R$ 42 por beneficiário/mês.

Leia sobre o imblóglio em odiario.com.
Nota do LF
Acontece com a licitação para o plano de saúde dos servidores municipais o mesmo problema que se viu em vários concursos da prefeitura para contratação de médicos. O valor oferecido é baixo o suficiente para não haver sequer um interessado. O secretário de administração, José Roberto Ruiz, disse que a prefeitura fará de tudo para que os servidores não fiquem sem atendimento. Acredito que dará tudo certo, mas por precaução: funcionários e dependentes, cruzem os dedos.

 

1 Comentário


Maringá fica mais ‘devassa’ a partir de hoje

A cervejaria Devassa pré-estreia em Maringá, na noite desta terça-feira (26), da mais nova unidade de sua rede de franquias. Na data, convidados conhecerão o cardápio e chopes inusitados, que ao grande público serão oferecidos apenas partir de 2 de maio – data da oficial de inauguração.

A cervejaria tem como destaque chopes exclusivos, batizados com apelidos que exaltam a beleza feminina, entre eles: Devassa Loura (Pilsen, cerveja clara) e Devassa Ruiva (Pale Ale, cerveja com coloração avermelhada). O bar da Devassa em Maringá fica na Avenida Cerro Azul, 456. Vou lá conhecer e provar as louras e ruivas, depois deixo aqui minha opinião.

Mais informações no telefone (44) 3024-4717.
.

1 Comentário


Mais fã do Batman

Jornalista precisa estar preparado para escrever sobre tudo – e ter bons contatos para conseguir isso. Prefiro política, os amigos bem sabem, mas na semana que passou a pauta me trouxe o desafio de escrever sobre morcegos. Além do Batman, sabia muito pouco a respeito dos únicos mamíferos capazes de voar. Também não sabia que, de mais de mil espécies, apenas três se alimentam de sangue. A maioria deles prefere frutos ou insetos (incluindo as “apetitosas” baratas).

Com suporte do doutor em Ciências Ambientais e professor da Universidade Estadual de Maringá (UEM), Henrique Ortêncio Filho, o assunto rendeu boa matéria, que pode ser lida em odiario.com. O intuito do texto foi esclarecer que os morcegos, tantas vezes eliminados em decorrência do medo e da falta de conhecimento das pessoas, são os “mocinhos” da história, e não os “vilões”.

Em tempo, vale apenas uma correção na matéria. Segundo Ortêncio, são cerca de 15 espécies de morcegos em Maringá. Se considerada toda a região noroeste, o número certamente será maior.

.

2 Comentários


Processo contra Ulisses Maia foi arquivado

Dos seis processados pelo Ministério Público (MP) em ação civil de ressarcimento por danos ao erário, ajuizada em setembro de 2006, apenas o presidente da Câmara de Maringá, Mário Hossokawa (PMDB), compareceu à audiência de instrução e julgamento, marcada para a última segunda-feira (11/04), na 4ª Vara Cível de Maringá. Os cinco faltosos serão intimados pelo juiz Alberto Luis Marques dos Santos para nova audiência, em 13 de junho.

Leia a matéria em odiario.com.

Hossokawa comentou como foi a audiência. “Eu simplesmente relatei ao juiz o que aconteceu na época em que concorri a deputado estadual. Disse que ele [Gianoto, ex-prefeito de Maringá] me pagou os R$ 20 mil com recursos próprios e em cinco parcelas”, destalhou, referindo-se à ajuda de campanha.

Maia

Nota do Autor: na realidade, seis foram processados pelo MP, porém, o processo contra o secretário municipal de Assistência Social, Ulisses Maia (PP), foi arquivado. Ele não será ouvido na audiência marcada para julho.
.

1 Comentário


Arena Movement no Sábado de Aleluia

.
O tradicional Arena Movement de Jandaia do Sul está de volta. Sempre realizado no Sábado de Aleluia (próximo dia 23), a quinta edição do evento vai reunir no Country Club alguns dos DJs mais badalados do momento.

Com cinco ambientes, duas pistas, área vip (open bar), camarotes, bares e área de descanso, o Arena Movement promete agradar todos os gostos. Além da música eletrônica dos DJs, o evento terá o samba e pagode do Grupo Só de Brincadeira, show pop-sertanejo com Rodrigo Guidini e funk carioca.

A coordenadora de eventos, Vanessa Nunes, diz que as atrações do Arena Movement, este ano, consolidam a tradição que o evento leva a cada edição. “É uma festa de conteúdo, diversidade, unindo ritmos e atrações diferenciadas com novidades a cada edição”, comenta.

O evento acontece todos os anos, desde 2002, em Jandaia do Sul. “No ano passado foi realizado na antiga boate Hurricane e recebemos 1.700 pessoas”, conta Vanessa. Desta vez, acrescenta ela, a expectativa é de superar o público de 2010.

Informações para a compra de ingressos podem ser obtidas no telefone (44) 9952 1661 e 9113.4588 ou no e-mail [email protected] Clique na imagem abaixo para ampliá-la.

.

Geral
1 Comentário


Moradores denunciam extinção de duas ruas

.
Tendo em mãos um abaixo-assinado com mais de 2 mil assinaturas, moradores do Jardim Cidade Monções recorreram ao Ministério Público, na tarde de segunda-feira (04/04), contra uma decisão da Câmara Municipal que suprime do sistema viário o prolongamento das ruas Tupã e Pioneiro José Vicente da Silva. Pelo Plano Diretor do município, as ruas devem ser concluídas para ampliar as opções de acesso de bairros da zona sul ao Centro de Maringá.

Leia a matéria completa.

O prefeito Silvio Barros (PP) não concordou com a alteração. Na mensagem de veto, o prefeito lembrou os vereadores que as ruas são estratégicas diante do crescente tráfego de veículos da cidade e também se posicionou contra a transformação dos lotes 252-A-1/252-B-2 e 253 da Gleba Patrimônio Maringá de zona residencial 1 (ZR1), que permite a construção de casas com térreo mais um piso, em ZR3 (pequenos prédios).

O procurador jurídico da Prefeitura, Luiz Carlos Manzato, explica que o prefeito se baseou em um parecer técnico do Conselho Municipal de Planejamento e Gestão Territorial para vetar o projeto. Membro do conselho, Humberto Henrique (PT) diz que seus colegas vereadores cometeram um erro ao derrubar o veto. “As leis têm de atender priorizar o interesse coletivo e não atender interesses pessoais”, disse.

Informação corrente no bairro é de que a lei fora aprovada na Câmara para permitir a construção de cerca de 300 apartamentos. Autor do projeto, John Alves (PMDB) alega que antigos proprietários haviam sido prejudicados pelo projeto de ruas que nunca saíram do papel.

O assunto começou a ser examinado pelo promotor de Direitos Constitucionais, Maurício Kalache, que vai se posicionar após receber informações mais detalhadas do Executivo e do Legislativo municipais. Ele adiantou que cobrará dos vereadores a relação dos critérios técnicos que motivaram a aprovação da lei e posterior derrubada do veto. “Critérios políticos não são suficientes”, disse.

***

PS.: o veto do prefeito pareceu pertinente. Com a frota de veículos cada vez maior em Maringá, devería-se pensar em abrir ou ampliar ruas e avenidas, ao invés de suprimir diretrizes viárias previstas no Plano Diretor. Além de Humberto Henrique (PT), votaram pelo veto, ou seja, para que as ruas fossem mantidas, os vereadores Flávio Vicente (PSDB), Dr. Sabóia (PMN), Heine Macieira (PP) e Márcia Socreppa (PSDB).
.

Comente aqui


Silvômetro acompanha promessas feitas pelo prefeito de Maringá na campanha de 2008

.

Silvio Barros

O prefeito de Maringá, Silvio Barros (PP), cumpriu 52% das promessas feitas na campanha de 2008 para seu segundo mandato. O levantamento parte de uma amostragem que tomou por base soluções propostas em uma série de oito artigos – publicados em O Diário entre 20 de julho e 7 de setembro daquele ano – assinados pelo então candidato à reeleição. Na ocasião, os oito “prefeituráveis” foram convidados a se posicionar sobre os temas: transporte coletivo, educação, transparência, pavimentação asfáltica, saúde pública, drogas, meio ambiente e violência no trânsito.

Em releitura dos oito artigos, a reportagem enumerou 27 promessas de Silvio e apurou que, restando 21 meses para o término do segundo mandato, o prefeito cumpriu com 14 delas. As demais soluções apresentas aos eleitores estão em andamento ou ainda não foram cumpridas. A lista compõe o projeto “Silvômetro”, inspirado em uma iniciativa do jornal St.Petersburg Times chamada de “Obameter” (Obamômetro, na tradução livre para o português), que visa a acompanhar mais de 500 promessas de campanha do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

Leia a matéria em odiario.com.
Acompanhe as promessas no Silvômetro.
Prefeito está devendo no meio ambiente.
Proposta é dar sequência ao projeto.


Do autor: havia várias maneiras de apresentar ao leitor a informação de quantas promessas o prefeito de Maringá, Silvio Barros (PP), cumpriu desde sua reeleição, em outubro de 2008. Sugeri à chefia de redação que o assunto fosse abordado por meio de uma matéria inspirada no Obameter, projeto do jornal norte-americano St. Petersburg Times, da Flórida, que ficou internacionalmente conhecido ao vencer o Prêmio Pulitzer em 2009. A diretoria gostou e, finalmente, o Silvômetro saiu do papel. Torço para que esse seja apenas o primeiro momento de um projeto maior. Quem sabe possamos acompanhar, em O Diário, as promessas do futuro prefeito de Maringá desde o início de seu mandato.
.

2 Comentários