Mês: dezembro 2011



Internet na África…

Shopping Victoria Warf, no V&A Waterfront

Li num livro, que comprei neste fim de semana, que Cape Town é o lado mais “light” da África. Ou seja, é mais fácil de se acostumar do que outras cidades.

A internet aqui é péssima. Então, se Cape Town é referência em qualidade de vida no continente, fico a pensar como deve ser a internet no resto da África.

É o problema com conexão que tem me desencorajado a escrever aqui no blog. Carregar uma única foto (quando consigo) leva uma eternidade. Tenho postado alguma coisa na página do blog no Facebook – onde está mais fácil (ou menos difícil) fazer up loads.

O shopping Victoria Warf, onde comprei o dito livro, foi o único lugar onde, até agora, consegui uma boa conexão de internet. E o cappuccino de lá estava espetacular.

Cape Town
1 Comentário


Gatinhos a espera de um dono

Como os amigos bem sabem, moro em apartamento e, tecnicamente, não posso ter gatos. O apartamento é muito pequeno e, fora isso, correria o risco de o gato cair do oitavo andar.

A questão é que, recentemente, peguei dois gatinhos para tratar. Depois dos devidos cuidados, estão ficaram mansinhos. O pelo está bonito e eles, cada vez maiores.

Procuro alguém encontrar alguém que queira adotá-los. Caso saiba de alguém de Maringá que tenha interesse, favor ligar para o telefone 44 9956-8214 (fa lar com Inês).

Comente aqui


V&A Waterfront… com frio em Cape Town

A fabulosa Table Mountain vista do V&A Waterfront

Cheguei na cidade do Cabo no último sábado. Desde então, apenas no domingo fez muito calor. Aproveitei aquela ocasião para visitar o V&A Waterfront – certamente o lugar mais charmoso desta bela cidade.

De lá para cá a temperatura caiu. Nesta quinta-feira (8), em pleno mês de dezembro, a mínima foi de 12°C, com máxima não passando de 20°C. Vale lembrar que na África do Sul é verão assim como no Brasil e, portanto, vim para cá psicologicamente preparado para morrer de calor… e só trouxe uma blusa. O frio tem uma explicação. Cape Town é a primeira cidade do continente que os ventos vindos da Antártica encontram pelo caminho.

Nesta quinta, não resisti e tornei a visitar o V&A Waterfront, bem sucedido cais que leva o nome da rainha Vitória e de seu filho, Alfred, que foi quem iniciou a construção do cais em 1860. Há muito o local deixou de ser apenas um cais. Hoje, possui excelentes restaurantes, hotéis de luxo e uma série de atrações para os visitantes, como passeios de barco e de helicóptero. Para ampliar a gama de atrativos, o principal estádio da última Copa do Mundo fica a 15 minutos a pé do Waterfront.

Cape Town
Comente aqui


Greenmarket Square e St. George’s Mall

Igreja Metodista, na Greenmarket Square

Tirei este domingo (4) para caminhar pela cidade. Parti da Long Street – rua do hostel onde estou hospedado – em direção à Greenmarket Square (uma das praças mais antigas da cidade, bem arborizada).

A Greenmarket tem seu mercado de artesanatos desde 1806 e, hoje, é considerada monumento nacional. Fica ali a antiga prefeitura da cidade e também a bela Methodist Church (Igreja Metodista), em estilo gótico. Já que estava lá, por volta das 10 horas, participei de parte da escola dominical (o culto metodista, quando realizado pela manhã) e bati um papinho rápido com o pastor Alan Storey, reverendo responsável pela metodista central em Cape Town.

Segui adiante pela St. George’s Mall, uma rua fechada para pedestres e repleta de lojinhas. Muito estilosa, a la Europa! De segunda a sábado, há dançarinos e músicos entretendo os turistas, mas no domingo a rua é pacata. Depois tomei o rumo do V&A Waterfront pela chamada Fan Walk (caminho sinalizado até cais). Sobre isso escreverei em outra oportunidade.

Greenmarket Square, no coração de Cape Town

 

PS.: meus agradecimentos à cafeteria Vida e Caffè, que em troca de um cappuccino pequeno me deixou usar a internet por uma hora para essas duas últimas postagens! 

Cape Town
Comente aqui


Long Street, a rua das baladas

Long Street vista do meu quarto

Estou hospedado no Centro de Cape Town, em uma rua chamada Long Street. O hostel se chama Carnival Court Backpackers (foto abaixo) – um prédio velho, bonito por fora e rústico, bem simples, por dentro.

O guia de turismo que comprei informava que se trata de “de uma rua histórica bem conservada, ladeada por elegantes construções vitorianas, com balcões de ferro batido”, mas não disse que a Long Street se tratava da rua das baladas em na capital legislativa da África do Sul.

Hostel: Carnival Court Backpackers

Na madrugada passada, pelo cansaço da viagem, apaguei completamente lá pelas 23h30. Acordei às 4h30 para ir ao banheiro e o festerê, lá embaixo, nos barzinhos, ainda era grande.

Para os mais afixionados por balada é uma beleza. Tem gente bonita, turistas de todos os cantos e policiais em constante ronda. O melhor: não é caro. Bebi um chope caprichado, bem gelado, cerca de 500 ml, ao custo de 20 Rands (cerca de R$ 5).

Cape Town
Comente aqui


Primeiro dia em Cape Town

Vai chegando ao fim meu primeiro dia na África. E foi como eu esperava, com muito sol e nenhuma nuvem para estragar o céu azul de doer. Na Cidade do Cabo, porém, ventou muito e fez menos calor do que eu imaginava para uma cidade africana.

Conheci brasileiros a caminho de Cape Town, também com o propósito de estudar inglês, e um cidadão de Moçambique, que deixou seu país para tentar uma vida melhor por aqui. Não conseguiu e, desempregado, passou a morar numa estação de três/ônibus.

O almoço com o irmão de língua portuguesa, chamado João, foi às 15h30. Frango com batatas e salada. Foi sua primeira refeição dele no dia. Depois, dei um grande giro na região central da cidade. A cidade, charmosa e com paisagens naturais a la Rio de Janeiro, causou-me uma primeira impressão mais do que boa!

Aí no Brasil são 18 horas, mas aqui já são 22 horas. Vou terminar o chopinho por aqui e descansar, porque a viagem foi longa. Amanhã, se tiver internet, postarei as primeiras fotos.

Cape Town
4 Comentários


Pit stop na Paulista

Já faz alguns bons meses, escrevi uma crônica sobre a Avenida Paulista. Quando venho a São Paulo, é um lugar onde gosto de estar, especialmente em dezembro, quando a mais famosa avenida do Brasil ganha um charme especial.

Na sexta-feira (2), com garoa e temperatura na casa dos 15°C logo cedo, fiz um pit stop para um vanilla latte do Starbucks. Garanto aos viciados em café, se um dia eu ganhar na loteria abrirei um Starbucks em Maringá! Então, torçam para eu ganhar na loteria.

Aqui na Paulista, dando o último gole em meu café (e já planejando pedir outro), vou matando o tempo. O voo para a África do Sul parte só no início da noite. De momento, vou atualizando minhas leituras sobre Cape Town.

Cape Town
Comente aqui