Mês: janeiro 2012

 

24 horas de crack no Centro de Maringá

Considerada modelo de segurança e organização, Maringá está perdendo a luta contra o crack… e está prestes a ser nocauteada (se já não foi). A manchete de O Diário deste domingo (29) revela uma situação alarmante. O tráfico da “droga da morte” e o consumo acontecem de dia, na cara das autoridades, e piora na calada da noite.

A reportagem “24 horas de crack no Centro” é assinada pelos repórteres Edmundo Pacheco, Poliana Lisboa, Roberto Silva e Luiz Fernando Cardoso (este, do Café). Confira abaixo:

– Consumo de crack: um ritual em pleno Centro
20h00 (Rua Joubert de Carvalho)
8h00 (Praça Raposo Tavares)

1 Comentário


Café para todos os gostos

Vi circulando no Facebook essa cartilha, em espanhol, com vários tipos de café. Como toda segunda-feira é dia internacional do café (essencial pra despertar depois do domingão), achei por bem compartilhar.

O que me chamou a atenção foi o Café Amaretto. Faz “um século” que não tomo um e não faço ideia onde poderei encontrar essa opção em Maringá. É nessas horas que você sente falta da cidade grande.

Feliz daquele que tiver a oportunidade de provar todos esses tipos de café no decorrer da semana. Ao menos do expresso tradicional não abro mão.

Uma ótima semana aos viciados num bom expresso!

Geral
Comente aqui
 

Morto em acidente, advogado Wanderson Fontini era aposta do PPS

Familiares, amigos e companheiros de política acompanharam ontem (25), mesmo debaixo de pancada de chuva, o funeral do advogado Wanderson Fontini de Souza, 35 anos, morto em um acidente de trânsito na segunda-feira passada.

Vice-presidente do diretório municipal do Partido Popular Socialista (PPS), o advogado era uma das principais apostas da sigla no interior do Estado. A avaliação é do líder do PPS na Câmara dos Deputados, Rubens Bueno, que veio a Maringá para acompanhar o enterro.

“O Wanderson era uma aposta de renovação. Tinha todas as condições de trilhar um bom caminho na política”, disse o deputado federal.

Wanderson vinha se preparando para a vida pública. Segundo o presidente do PPS em Maringá, Willy Taguchi, o jovem coordenaria a campanha de vereador do pai, João de Souza, o “João Oficial”, nas eleições deste ano. A tendência, disse Taguchi, era ver o nome de Wanderson nas urnas, na eleição seguinte.

O corpo foi velado na capela 5 do Sistema Prever. Em meio a mais de 15 coroas de flores, o clima era de tristeza e abatimento. “É natural que os filhos enterrem os pais. É sempre triste ver pais e avós sepultarem alguém tão jovem e com toda uma vida pela frente”, disse Bueno. O ofício fúnebre foi realizado pelos pastores da Igreja Metodista, Marta Ortigoza e José Ortigoza, da qual Wanderson era membro.

O advogado perdeu a vida em colisão frontal – do Nissan que guiava contra um caminhão – na PR-444. O acidente aconteceu no município de Arapongas, quando Wanderson retornava de Londrina para Maringá, onde morava com a família e tinha um escritório de advocacia.

Comente aqui


Filme conta a história de John Wesley

Difícil de encontrar nas locadoras, o filme “Wesley: um coração transformado  pode mudar o mundo” – que teve lançamento divulgado pelos colegas do InforGospel – já pode ser assistido no You Tube. Clique aqui para ver a versão completa.

O filme conta a história de John Wesley (1703 – 1791), teólogo anglicano e precursor do Movimento Metodista, do qual se originou a Igreja Metodista. É um drama de fé e renovação baseado no diário real de Wesley e de seu irmão, o compositor musical Charles Wesley.

O DVD pode ser comprado no site oficial do filme. Abaixo o trailer.

 

Geral
Comente aqui


Paris é uma Festa

Eis minha leitura dos inícios de tarde, logo após o almoço.

Escrito por Ernest Hemingway, “Paris é uma Festa” é uma compilação de crônicas ambientadas na Cidade Luz da década de 20 do século passado. O livro, presente de Natal de minha namorada, tem me inspirado a prosseguir firme na proposta de lançar meu primeiro livro, também de crônicas, este ano.

Prêmio Nobel de Literatura em 1954, Hemingway foi contemporâneo de outros grandes escritores norte-americanos, entre eles Scott Fitzgerald, Ezra Pound e Sherwood Anderson. Historicamente, ficaram conhecidos pela alcunha de “geração perdida”, termo atribuído a Gertrude Stein – uma das melhores amigas de Hemingway em seus tempos de Paris.

Morei em Bonn, na Alemanha, e à época perdi a oportunidade de conhecer a capital francesa. Eram apenas 5 horas de trem de viagem. Agora, lendo “Paris é uma Festa”, lamento ainda mais não ter ido.

Tal como Hemingway em Paris, na década de 20, em Bonn o que eu menos tinha era dinheiro no bolso.

Geral
3 Comentários


John e Wellington serão suspensos por excesso de faltas em 2011

A Câmara Municipal de Maringá deve iniciar os trabalhos de 2012 sem dois dos 15 vereadores. John Alves (PMDB) e Wellington Andrade (PRP) serão suspensos pelo excesso de faltas em 2011. A punição pode ser aplicada já na primeira sessão ordinária do ano, em 2 de fevereiro. “Não existe a possibilidade de deixar de aplicar a pena. O Regimento Interno não permite isso”, explicou o presidente da Casa, Mário Hossokawa (PMDB).

Wellington Andrade (PRP): campeão em faltas em 2011

O regimento prevê pena de suspensão de 7 a 21 dias para parlamentares que faltarem, durante o ano, a 3 sessões ordinárias consecutivas ou 10 intercaladas. John faltou a 15 sessões sem justificativa. Vereador mais votado na eleição de 2008, Wellington teve 23 faltas.

A definição da pena cabe à Mesa Executiva, que além de Hossokawa, é composta por Zebrão (PP), Dr. Saboia (PMN), Heine Macieira (PP), Flávio Vicente (PSDB) e Paulo Soni (PSB). “Assim que retornarmos ao trabalho vamos decidir quantos dias cada um terá de suspensão”, disse Hossokawa.

Leia a matéria completa em odiario.com.

Cassação
Segundo o procurador jurídico da Câmara, Raphael Luque, a perda de mandato pode ser aplicada apenas se o parlamentar faltar a um terço ou mais das sessões. Como 2011 teve 84 sessões ordinárias, Wellington, por exemplo, teve cinco faltas a menos do que o limite de 28. Continue lendo

2 Comentários


Deputados de Maringá custam mais de R$ 7 milhões por ano ao contribuinte

Os seis parlamentares que representam Maringá na Câmara dos Deputados e na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) custaram ao contribuinte, em 2011, aproximadamente R$ 7,3 milhões. O valor corresponde à soma dos subsídios dos deputados, à verba de gabinete para pagamento de assessores e à cota para atividade parlamentar, também conhecida como verba indenizatória. O levantamento de O Diário foi realizado junto a dados disponibilizados nos portais da transparência das duas casas legislativas.

Os deputados federais saíram mais caro que os estaduais. No ano passado, a atuação de Cida Borghetti (PP), Edmar Arruda (PSC) e Luiz Nishimori (PSDB) custou à União pouco mais de R$ 4 milhões. O Estado, por sua vez, desembolsou R$ 3,3 milhões pela atividade parlamentar de Enio Verri (PT), Dr. Batista (PMN) e Evandro Júnior (PSDB). No caso dos deputados estaduais, não foram computadas as despesas com a verba indenizatória de dezembro – não disponíveis o site da Alep até a última sexta-feira (20).

Leia a matéria completa em odiario.com.

Gastos dos parlamentares
de Maringá em 2011

Deputados Federais
Subsídios dos deputados                R$ 962.032,68
Verba de gabinete (salários)         R$ 2.160.000,00
Cota Atividade Parlamentar*       R$ 895.406,93

Deputados Estaduais
Subsídios dos deputados                R$ 720.000,00
Verba de gabinete (salários)**    R$ 2.160.000,00
Cota Atividade Parlamentar*       R$ 455.429,33
Continue lendo

1 Comentário


Sidnei Teles vice de Pupin?

Sidnei Teles (PSC) parece não ter gostado da afirmação de um blogueiro da cidade de que seu nome seria cotado como vice de Carlos Roberto Pupin (PP). A notícia foi dada nesta segunda-feira (23).

No grupo Tomo Café com Jornalista, no Facebook, Teles postou que seguirá os passos do deputado federal Edmar Arruda (PSC) nas eleições deste ano.

Recentemente, em entrevista ao colunista de O Diário, Milton Ravagnani, Edmar não descartou a possibilidade de disputar a prefeitura de Maringá e deixou claro que não há a chance alguma de aliança com o grupo da família Barros, que tem Pupin como candidato.

Comente aqui