Mês: agosto 2013



Festival Nipo-Brasileiro deve receber mais de 120 mil visitantes

Derico: presença confirmada na penúltima noite do festival

O 24º Festival Nipo-Brasileiro, que tem início no próximo dia 6 e este ano terá duração de 10 dias, deverá receber público recorde. Sem contar as pessoas que trabalharão no festival e os milhares de voluntários, mais de 120 mil visitantes são aguardados no festival, cerca de 20 mil a mais do que nos últimos anos.

A expectativa de aumento em 20% no público foi confirmada pelo presidente da Associação Cultural e Esportiva de Maringá (Acema), Afonso Shiozaki, no último dia 22, em discurso feito no jantar de lançamento do festival. “Já somos um dos maiores eventos da cultura japonesa no Brasil e nossa festa continua crescendo. Este ano, teremos um dia a mais para os visitantes”, comenta Shiozaki.

Assim como nas edições anteriores, os visitantes terão inúmeras atrações no palco de shows, exposições variadas no pavilhão cultural e a ala gastronômica com o melhor que a culinária japonesa tem a oferecer. Uma mostra do que vem por aí pode ser vista na programação artística do festival, que terá músicos e cantores de renome nacional.

Clique aqui a programação completa do festival

A primeira noite, sexta-feira (6), terá a tradicional cerimônia de abertura, às 20 horas. Em seguida, haverá apresentações dos premiados grupos Wakadaiko, com os tambores japoneses (taikô); e Saikyou Yosakoi Soran. Ambos se apresentarão novamente no decorrer do festival.

Entre os destaques deste ano está o retorno do Duo Sciotti, que conta com o músico Derico, do Programa do JÔ. A apresentação será sexta-feira (13), às 21h45. Outro show musical que sempre atrai bom público é o do cantor Joe Hirata, que subirá ao palco na última noite, às 21h30. Hirata ganhou respeito internacional ao se tornar o primeiro estrangeiro a vencer o maior concurso da canção japonesa, o KHK Nodojiman, organizado pela rede estatal de TV NHK.

Pra quem curte comida japonesa, o festival é imperdível

Continue lendo

Comente aqui


Jess Greenberg no palco do Café

Jess Greenberg na voz e violão: talento e beleza no cover de famosos, como AC/DC

Esta semana, mostramos aqui no Café a dupla Jayesslee, da Austrália. Dica de Ivan Tomita, da TV Maringá (Band). Deu bom acesso, sinal de que os viciados em um bom expresso aprovaram as orientais. A dica desta vez é do engenheiro Guilherme Barros, que atualmente mora e trabalha em Londrina.

Guilherme nos apresenta Jess Greenberg (foto), 18 anos, compositora e guitarrista de Londres. Fã de jazz, blues e rock, a bela é um dos mais novos fenômenos nas redes sociais, com a divulgação de covers na voz e violão. Em um único vídeo, no cover de “Highway to Hell”, da banda AC/DC, Jess já ultrapassou a marca de 1,3 milhão de visualizações.

É ou não é um belíssimo cover (ao que pese AC/DC não precisar de cover)? Jess também já gravou sua versão de Everlong, da banda Foo Fighters – uma das preferidas do editor/barista deste Café. Certamente, David Grohl se sentiu lisonjeado com o tributo.

A dica de Guilherme é uma ótima maneira de desejar aos frequentadores deste Café um bom fim de semana. Se quiser saber mais sobre Jess Greenberg, visite as páginas da moça no Facebook e no Twitter (onde também há vídeos disponíveis) e o canal dela no YouTube.

Comente aqui


Deputado Tadeu Veneri alerta para o risco de o governo perder o controle da Sanepar

O deputado estadual Tadeu Veneri (PT) alertou, nesta quarta-feira (28), durante sessão plenária da Assembleia Legislativa do Paraná, que o novo acordo de acionistas da Sanepar, assinado pelo governador Beto Richa (PSDB), traz embutido o risco de o Estado deixar de ser o acionista majoritário da companhia.

“Vamos aguardar para ver o que o governo vai mandar para a Assembleia, mas estamos preocupados com a possibilidade de privatização da Sanepar”, afirmou Veneri (foto). Leia mais.

Comente aqui


PT agiu nos bastidores para livrar Donadon da cassação, diz deputado Edmar Arruda

Edmar Arruda (PSC)

O pior da semana não foi a hostilização aos médicos cubanos, por colegas brasileiros, nem o pedido de aumento do supersalário do Supremo no dia do anúncio do novo mísero salário mínimo. Nada supera o (mais um) momento vergonhoso promovido pela Câmara dos Deputados, que livrou da cassação o político corrupto Natan Donadon – eleito pelo PMDB-RO e agora sem partido, .

Mesmo condenado pelo Supremo a 13 anos, 4 meses e 10 dias de prisão pelos crimes de peculato e formação de quadrilha – e já cumprindo pena – o deputado Donadon conseguiu se safar e manter o mandato, apesar de estar com os direitos políticos suspensos. Isso porque foram 233 votos favoráveis à perda do mandato, enquanto eram necessários 257. 

Prestaram um deserviço à República os 131 deputados que votaram contra a cassação, bem como os 41 que se abstiveram, os 54 presentes na sessão que deixaram de votar e outros 54 que não compareceram. Veja a lista completa dos deputados que deveriam ter votado, mas não votaram.

Segundo o deputado federal eleito por Maringá, Edmar Arruda (PSC), o Partido dos Trabalhadores (PT) trabalhou nos bastidores para livrar Donadon da cassação. “Tem de deixar claro que houve uma manobra dos deputados do PT no sentido de manter o mandato, já pensando nas próximas votações”, afirmou Arruda.

Em entrevista à rádio CBN, Arruda demonstrou indignação com o resultado da votação e também com o voto secreto. “Mas creio que os deputados que têm compromisso com a nação votaram pela cassação. Agora, vamos trabalhar para que os deputados condenados pelo mensalão do PT sejam cassados”, comentou.

Deputado
Empresário em Maringá e economista por formação, Edmar Arruda está em seu primeiro mandato como deputado federal. Foi eleito com 61.309 votos e atualmente é titular da Comissão de Finanças e Tributação (CFT) da Câmara.

Comente aqui


Justiça condena Eternit a indenizar 8 mil trabalhadores contaminados por amianto

Da CUT

A Eternit, fabricante de telhas e caixas d’água, terá de pagar indenização a 8 mil ex-funcionários que foram contaminados por exposição ao amianto – produto cancerígeno que causa graves problemas respiratórios. A fábrica, situada em Osasco, na Grande São Paulo, funcionou por 52 anos e fechou suas atividades em 1993.

Decisão judicial foi proferida na semana passada pela juíza Raquel Gabbi de Oliveira, da 9ª Vara do Trabalho de São Paulo. Numa amostra de mil ex-trabalhadores avaliados pela Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Medicina e Segurança do (TrabalhoFundacentro), quase 300 adoeceram pela contaminação. Destes, 90 morreram entre 2000 e 2013.

Leia mais…

Geral
Comente aqui


Français Facile: o que ler em francês

Por Luigi Ricciardi*, de Maringá

Salut, les gars.

O Pequeno Príncipe: um dos clássicos mais consagrados da literatura francesa

Depois de uma semana de hiato, voltamos com tudo. Hoje (29), uniremos duas coisas que eu gosto muito: língua francesa e literatura. A literatura francesa é muito conhecida no mundo e por muito tempo foi imitada, inclusive pela literatura brasileira, sobretudo pelos simbolistas. Cruz e Sousa, por exemplo, era um amante da obra de Charles Baudelaire.

Enquanto estudantes de uma língua estrangeira, sempre tememos o momento em que nosso professor nos obrigará a pegar um livro e ler no original. Mas saibam que, apesar do medo inicial, o prazer de ler e entender um livro em outra língua é magnífico.

Em francês, temos várias obras que são convertidas para o chamado français facile. A dificuldade de leitura vai subindo de acordo com os níveis de compreensão na língua. Hoje, darei alguns exemplos de ótimos livros da literatura francesa. E, caso você ainda não seja estudante da língua, as dicas também servem para você ler as versões em português. Mas em francês é ainda melhor.

Les Misérables – Victor Hugo
Já foi musical na Broadway e agora chegou novamente às telas do cinema hollywoodiano. Os Miseráveis conta a história de Jean Valjean, preso injustamente, mas que no futuro, apesar de ter roubado para sobreviver, redime-se e vence na vida. Ele conhece Fantine, mãe solteira que trabalha para tentar enviar dinheiro para a família que cuida de sua filha única, Cosette. Jean Valjean, após a morte de Fantine, adotará Cosette, ao mesmo tempo em que tenta escapar do inspetor Javet, chefe da prisão onde Valjean ficou outrora.

Huis Clos – Jean Paul Sartre
A peça de teatro de Sartre, filósofo existencialista, foi traduzida para o português como Entre Quatro Paredes. É a história de três pessoas que estão mortas e são obrigadas a passar a eternidade juntas em um quarto que tem uma porta que não abre nunca e não possui janelas. As personagens não têm sono, sede, fome ou vontade de ir ao banheiro, e precisão convencer umas às outras de que eles são exatamente o contrário do que realmente são. Daí vem a tal frase célebre “L’enfer c’est les autres”. E realmente não é? Continue lendo

2 Comentários


Joaquim Barbosa pede R$ 30 mil para ministros no mesmo dia em que governo anuncia novo salário mínimo em míseros R$ 722,90

Joaquim Barbosa: sem motivo para tristeza

Não são apenas os políticos que estão dando demonstrações de falta de sensibilidade diante dos manifestos populares que tomaram as ruas em todo o País. A mais alta instância do Poder Judiciário também parece estar alheia ao clamor do povo, cansado de tanta farra com o dinheiro público.

Nesta quinta-feira (29), no mesmo dia em que o Ministério do Planejamento anunciou o novo valor do salário mínimo, que passará a ser de míseros R$ 722,90 (a partir de 1º de janeiro de 2014), o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa (foto), solicitou à Câmara dos Deputados que o salário de seus pares na Casa seja reajustado para R$ 30.658,42.

Isso mesmo: 42 vezes mais do que o trabalhador que recebe salário mínimo. Atualmente, um ministro do STF quase morre de fome com salário de R$ 28.059,29, sem contar a gama de benefícios. Leia mais sobre o pedido de aumento.

De acordo com levantamento do UOL, se aprovada, a medida impactará o orçamento anual do Supremo em cerca de R$ 598 mil, e em quase R$ 150 milhões no orçamento do poder judiciário da União. Uma gastança sem fim, paga com o dinheiro do contribuinte – inclusive daqueles que ganham salário mínimo.

Vale destacar que o salário dos ministros do STF corresponde ao teto do funcionalismo público. Ou seja, esse aumento, caso concedido, dá margem para que o Legislativo (em todas as suas esferas) aprove altos reajustes para também a deputados, senadores, prefeitos, governadores, enfim, um tsunami nos cofres públicos. 

E saber que, não faz muito tempo, Joaquim Barbosa era endeusado nas redes sociais e enaltecido pelas revistas semanais. Num momento em que a resposta dos Três Poderes deveria ser no caminho oposto, o da redução drástica dos gastos públicos, nem mesmo o “Batman” do Supremo tem ouvido as massas.

Comente aqui


Del Mondo: Sevilha, dos tempos em que trabalhei num cruzeiro

Por Marcela Ikeda*, de Tóquio

Até janeiro deste ano, eu trabalhava num navio da Costa Crociere, de bandeira italiana – aquela mesma empresa que teve um de seus 14 “barquinhos” afundados há pouco mais de 1 ano, causando o maior frisson no mundo dos cruzeiros. Lembram-se do Costa Concordia? Então.

A vida a bordo é uma loucura e durante todo o tempo que fiquei a bordo eu sofri, chorei, amei e escrevi pra caramba. E como essa semana andei sonhando com aqueles tempos, resolvi remexer minhas fotos e textos, encontrando várias coisas legais.

Vamos ver algumas fotos da cidade espanhola de Sevilha? Espero que gostem! Fotos abaixo da assinatura.

Marcela Ikeda é uma viajante do mundo. Sem endereço fixo por longo período, ela odeia rotina. Estudou fotografia em Tóquio e fez curso de comissária de bordo no Brasil, mas preferiu trabalhar num navio de cruzeiro. Nossa colunista ama comer e cozinhar… e se vira muito bem com seu fogão elétrico de uma boca. Autora do blog Marcela del Mondoa jovem maringaense fala fluentemente japonês e inglês e já conheceu mais de 20 países (apesar de ter menos de 30 anos). Atualmente, Marcela mora no Japão, de onde compartilha com os viciados em café – semanalmente, aqui no blog – um pouco de suas aventuras e loucuras mundo afora.
Continue lendo
Comente aqui