Del Mondo



Marcela e seus 25 países

A colaboradora deste café, Marcela Ikeda, deu um tempo no frio do Japão para curtir suas férias no Brasil. Em parada em Maringá para rever a família, a viajante do mundo relembra um pouco do que viu em suas andanças mundo afora em mostra fotográfica no shopping Maringá Park.

A exposição fotográfica, que começa no próximo sábado e vai até o dia 31 deste mês, foi destaque no caderno de Cultura de O Diário.

Inquieta, de espírito explorador (Marco Polo teria orgulho dela), a moça – que já trabalhou em navio de cruzeiro e fala japonês fluentemente – já visitou 25 países. A mostra traz fotos de seis países: Mônaco, Marrocos, Espanha, Grécia, Japão e Brasil.

 

 

1 Comentário


Del Mondo: O dia que conheci Okinawa

A partir desta postagem, Marcela (leia mais sobre ela aqui) estará conosco semanalmente no Café. No texto de estreia da coluna “Del Mondo”, a moça escreve sobre a ilha de Okinawa, no Japão.

Por Marcela Ikeda*

Localização de Okinawa: o Havaí japonês

Em junho, tive a brilhante ideia (que depois percebi não ter sido tão brilhante assim) de “sair do Japão” por alguns dias. Sem muito tempo nem dinheiro, pensei em ir pra Okinawa, que é uma ilha cheia de americanos. Distante duas horas de Tokyo, é considerada o Havaí japonês.

Sempre vi fotos e achava o lugar lindo, logo, tinha vontade de conhecer. Como viagem nacional por aqui sempre custou mais caro que uma semana em Hong Kong, Bangkok ou Seoul, faltou-me coragem. Eis que um belo dia, exercendo meu passa tempo favorito (planejar viagens), procurei por passagens baratas pra Okinawa e encontrei um pacote vôo+hotel por 40.000 Yens (400 doletas, mais ou menos) e nem pensei duas vezes. Comprei e esperei o grande dia chegar, na maior expectativa.

Já sabia que não teria muito o que fazer, então pensei em transformar esta mini viagem de três dias numa experiência diferenciada. Investi nos passeios sub aquáticos. Fui mergulhar com tartarugas, arraias, tubarões, baleias, sereias, com a Dilma e com toda a fauna/flora do palácio do planalto. Foi uma viagem inesquecível, né? Espera. Vamos por partes.

Primeiro dia em Okinawa com direito a café da manhã reforçado e aulas de mergulho

Dia #1

Já cheguei tarde na cidade. O voo partia de Tóquio às 13h30 e eu só fui ver o sol de Okinawa pelas 16h20. Até chegar no hotel, fazer check in e me localizar naquele pântano, já era pôr do sol – que não vi, pois estava em meio a concretos e a umidade do “centro” (que parecia a minha cidade natal) de Naha. Perguntei ao taxista qual seria a praia mais próxima e ele me ofereceu uma carona até o local, que assegurou-me ser quase a oitava maravilha do mundo.

Parecia o piscinão de Ramos. Nada contra, adoro farofa, mas estava esperando algo parecido com Mykonos. Claro que fiquei deprimida… e claro que fui pro bar beber todas. Sozinha.

Dia #2.

Acordei às 7 horas, pois a escola de mergulho me buscaria na porta do hotel para irmos mergulhar (sério?). Antes, claro, tomei um café da manhã reforçado: sardinha, arroz, espinafre, mais sardinha, ovo cozido, carne moída, sopa de soja e um croissant, afinal, era café da manhã e não jantar.

Continue lendo… 


* Marcela Ikeda
é uma viajante do mundo. Sem endereço fixo por longo período, ela odeia rotina. Estudou fotografia em Tóquio e fez curso de comissária de bordo no Brasil, mas preferiu trabalhar num navio de cruzeiro. Nossa colunista ama comer e cozinhar… e se vira muito bem com seu fogão elétrico de uma boca. Autora do blog Marcela del Mondo, a jovem maringaense fala fluentemente japonês e inglês e já conheceu mais de 20 países (apesar de ter menos de 30 anos). Atualmente, Marcela mora no Japão, de onde compartilha com os viciados em café – semanalmente, aqui no blog – um pouco de suas aventuras e loucuras mundo afora.
Comente aqui