Servidores



Servidores conquistam reposição da inflação e greve está próxima do fim

Depois de quatro dias de greve e de uma sexta-feira com várias rodadas de negociação, enfim, os servidores municipais de Maringá conquistaram a única reivindicação pela qual deflagraram greve: a reposição da inflação de 11,08%.

A Prefeitura aceitou a proposta elaborada pelo Sindicato dos Servidores Municipais de Maringá (Sismmar), pela Comissão de Organização da Greve (eleita em assembleia), pela Associação dos Funcionários Municipais de Maringá (AFMM) e por vereadores. Essa proposta foi elaborada pela manhã e entregue à administração no início da tarde. Com essa novidade, a greve está a um passo do fim.

Em assembleia realizada depois das 20 horas, na praça do Paço Municipal, a categoria aceitou o pagamento de 4% de imediato e do restante dos 11,08% parcelados em cinco vezes, nos meses de agosto, setembro, outubro, novembro e dezembro – conforme garantia dada pela administração.

A assembleia também autorizou a Comissão de Organização da Greve a acertar os detalhes de dois itens pendentes: como o pagamento do retroativo condicionado à arrecadação do município e a forma como os dias parados serão repostos. Segundo a presidente do Sismmar, Iraídes Baptistoni, esses detalhes serão acertados em nova mesa de negociação a ser realizada neste sábado, às 19 horas, no Paço Municipal. Leia mais detalhes aqui.

Nova assembleia
Para este domingo, o Sismmar já está convocando (e conta com isso com o apoio da imprensa) nova assembleia geral, às 8h30, na Câmara Municipal. Será essa assembleia que votará pelo fim da greve. Na sequência, por volta das 9 horas, os vereadores realizarão sessão extraordinária para aprovar o reajuste salarial da categoria.

Comente aqui


Reposição da inflação de 11,08% pode evitar greve dos servidores; Pupin ofereceu 4%

Uma nova reunião entre o prefeito Carlos Roberto Pupin e os representantes do Sindicato dos Servidores Municipais de Maringá (Sismmar), marcada para esta segunda-feira (21), pode pôr fim ao indicativo de greve da categoria. Na reunião, espera-se que o prefeito melhore a proposta de 4% (7,08%), recusada pela categoria na assembleia realizada na Câmara Municipal, no último sábado.

Na assembleia, os servidores rejeitaram por unanimidade a proposta de 4% e aprovaram a greve a partir do dia 28, caso não haja uma contraproposta da Prefeitura de, no mínimo, a reposição dos 11,08% da inflação. Na ocasião, oito vereadores se comprometeram a não aprovar na Câmara reajuste menor do que a inflação. Os vereadores são: Humberto Henrique, Ulisses Maia, Mário Verri, Bravin, Tenente Edson, Luizinho Gari,0 Da Silva e Dr. Manoel.

Assembleia decisiva
Em assembleia marcada para esta segunda-feira, às 18h30, na Câmara Municipal, a categoria avaliará a nova proposta de Pupin.

476655_938091732973362_4044195387317687077_o

Servidores fizeram passeata pelo Centro de Maringá no sábado (19) após aprovarem, em assembleia, indicativo de greve da categoria

 

 

Comente aqui


Madiba, ajude o prefeito de Maringá

Abismado. É o sentimento que me ocorre diante deste vídeo. Estou triste pelo que estão passando os servidores municipais. Caramba, prefeito Carlos Roberto Pupin, qual a dificuldade em apresentar uma proposta aos trabalhadores? Qual a dificuldade em dizer, por exemplo, que só pode repor a inflação? Pelo que consta, já são 41 dias sem qualquer proposta do prefeito à campanha salarial dos mais de 12 mil trabalhadores da Prefeitura e da Câmara.

 

Gosto sempre de ler a respeito de um líder político de quem sou verdadeiro fã, já falecido, infelizmente, chamado Nelson Mandela. O prefeito de Maringá deve ter ouvido falar dele. Após quase 30 anos recluso em uma pequena cela, como preso político de um governo totalitário, Mandela deixou a prisão para – baseado no diálogo e no respeito ao próximo (incluindo aqueles que o mantiveram preso) – derrubar o regime segregacionista do Apartheid e conduzir a África do Sul à democracia. Um Nobel da Paz lhe foi dado em reconhecimento por aquela luta.

Mandela

Nelson Mandela, ex-presidente da África do Sul

Em 2011, quando estive na Cidade do Cabo para estudar inglês, tive a felicidade de conhecer Robben Island, a ilha onde Mandela ficou preso. Ver o lugar onde Mandela foi prisioneiro só me fez ter ainda mais admiração por aquele homem, um político de fibra. Eu me perguntava: “Como alguém que passou por tanta dificuldade e sofrimento, como o que ele teve de superar, conseguiu deixar a raiva de lado para dialogar com pessoas que o fizeram tanto mal?”

Pode um exemplo de vida como o de Madiba sensibilizar outros chefes do poder Executivo? Pode, claro, e deveria sempre ser assim. Na vida, como nem todos são geniais como Mandela, é mais do que necessário se espelhar em bons exemplos. Na vida política, há desafios imensamente maiores do que negociar com servidores municipais em uma campanha salarial. E os desafios – não importa o grau de dificuldade, se é uma luta contra o Apartheid ou o coro de trabalhadores por melhores salários – podem ser superados com diálogo e uma pitada de humildade.

Mandela, sou seu fã!

Robben Island

Cidade do Cabo, às pés da majestosa Montanha da Mesa, vista de Robben Island – ilha onde ficava a penitenciária (hoje um museu) para presos políticos onde Mandela foi prisioneiro por 18 anos

Comente aqui


Servidores municipais distribuem panfletos à população com críticas a Pupin

Permanece o impasse entre os servidores municipais, representados pelo Sismmar (sindicato da categoria), e a administração municipal. De um lado, os trabalhadores pedem um reajuste de 17,5%, com ganho real de 6,42%, definido em assembleia realizada na última quarta-feira (9). Do outro, o prefeito de Maringá, Carlos Roberto Pupin (PP), ainda não apresentou uma contraproposta à categoria.

Segundo a diretoria do Sismmar, a espera dos servidores por uma resposta do prefeito já dura 37 dias. Em função disso, um grupo de trabalhadores mantém plantão diário em frente ao Gabinete do prefeito. Um outro grupo iniciou, nesta sexta-feira (11), uma panfletagem para a população com críticas aos prefeito. Segundo o panfleto distribuído (confira aqui), Pupin se recusa a negociar com os servidores.

Um nova assembleia foi marcada para a próxima quarta-feira, às 18h30, na Câmara Municipal.

Servidores municipais, em plantão diante do Gabinete do Prefeito

Comente aqui