vereadores



Vereadores cobram de Pupin proposta de reajuste aos servidores municipais

O prefeito de Maringá, Carlos Roberto Pupin, está reunido com seu secretariado na manhã desta sexta-feira (18). Para antes do meio-dia, também está prevista uma reunião com os vereadores. A expectativa de dirigentes do Sismmar, sindicato que representa a categoria, é de que Pupin apresente uma proposta para a campanha salarial dos servidores municipais às 14 horas. Nesta sexta, completam 44 dias sem nenhuma proposta da administração municipal aos servidores.

Plantão organizado pelo Sismmar

Plantão organizado pelo Sismmar em frente ao Gabinete do prefeito, nesta sexta-feira (18), 44º dia sem proposta de Pupin à categoria. Ao centro, o vereador Ulisses Maia, que se juntou ao plantão em apoio aos servidores

A mobilização ganhou força na sessão ordinária da última terça-feira, quando vereadores prestaram apoio aos servidores municipais em sua campanha salarial. “A administração tem de dar uma satisfação para os funcionários. Porque ficar ali onde estão estão () é uma coisa chata para nós”, disse Bravin, vereador da base governista. “Resta à Câmara fazer com que o Executivo receba o sindicato e apresente uma proposta que seja digna da nossa cidade”, disse Ulisses Maia, vereador de oposição a Pupin.

Leia mais sobre a Campanha Salarial na página do Sismmar no Facebook. Abaixo, trecho da sessão ordinária de terça-feira (15) da Câmara Municipal de Maringá.

 

 

Comente aqui


Disputa pela presidência da Câmara de Vereadores

Grande parte das câmaras municipais do país decidirão, em dezembro, a composição de suas mesas diretoras para a próxima Legislatura. As regras variam muito de uma Casa legislativa para outra, pois cada qual tem seu próprio Regimento Interno. Em Joinville, a definição será em 16 de dezembro, na última sessão ordinária do ano. E entre os 19 vereadores, os principais candidatos à presidência são Maurício Peixer (PSDB), que tentará o comando da Câmara pela terceira vez; e o novato Rodrigo Fachini (PMDB), que tem se destacado como líder do governo no Legislativo.

O assunto foi manchete no Notícias do Dia, que trouxe ilustração interessante, com cartas de truco, para ilustrar a disputa. Qual será o vencedor da disputa?

2 Comentários


Patrimônio dos candidatos de Joinville cresce 36%

Dos políticos de Joinville com cargo eletivo 15 disputam as eleições este ano. Considerando esses candidatos, o patrimônio declarado cresceu 36%, chegando a R$ 9,8 milhões. Na matéria do Notícias do Dia, publicada nesta fim de semana, fato curioso é que os vereadores da maior cidade de Santa Catarina “empobreceram”. Dos oito vereadores que disputam cadeiras para deputado, sete perderam patrimônio nos últimos dois anos.

Abaixo, infografia do ND, assinada pelo competente colega de redação Robson Brüning, de aniversário nesta segunda (14).

Info_bens políticos_1

.

Info_bens políticos_2

Comente aqui


Vereadores pressionam TCCC e preço da passagem de ônibus pode cair para R$ 2,40

O alto preço da tarifa do transporte público em Maringá, que pesa demais no bolso do trabalhador, foi pauta de reunião na Câmara Municipal, na tarde desta quinta-feira (6). Vereadores cobraram do diretor da Transporte Coletivo Cidade Canção (TCCC), Roberto Jacomelli, a redução da tarifa. Também participou da reunião o secretário municipal de Transporte e Segurança, Ademar Schiavone.

R$ 3,15 no dinheiro: vereadores garantem que passagem vai baixar

Recentemente, a Prefeitura de Maringá permitiu reajuste de 6% da tarifa, que saltou de R$ 2,50 para R$ 2,65 no cartão e para R$ 3,15 no dinheiro. De acordo com a assessoria de imprensa da Câmara, na reunião ficou definida a redução da tarifa, mas o novo valor ainda não foi definido. O Café foi informado de que a passagem pode cair para até R$ 2,40 (sem a integração).

Vergonhoso: ponto de ônibus sem cobertura, na Av. Paissandu, a poucos metros do Parque do Ingá

A redução da tarifa é um avanço, porém, pelo porte da cidade e pelo serviço que é prestado aos usuários, R$ 2,40 ainda pode ser considerado caro. Em vários pontos da cidade a frequência dos ônibus deixa a desejar e, pior, até mesmo perto do Centro usuários tem de aguardar debaixo de chuva e sol. Ainda existem paradas sem cobertura, demarcadas apenas por um pilar rústico de madeira. Outro ponto que gera constantes reclamações dos usuários é a superlotação dos veículos nos horários de pico.

Comemoração
Apesar de o valor da redução da tarifa ainda não ter sido definido, para os vereadores, o momento é histórico. Pela primeira vez, a planilha de custos do transporte foi aberta para a população e a Câmara – representante legítima da população – está participando da discussão para definir o valor da tarifa.

Uma nova reunião com a direção da TCCC e com a administração municipal foi agendada para sexta-feira (7), às 16 horas. Espera-se que a empresa apresente os cálculos solicitados pelos vereadores e definam o novo valor da tarifa. Segundo o presidente do Legislativo, Ulisses Maia, se houver necessidade de sessões extraordinárias para votar a redução do ISS elas serão realizadas no sábado e domingo.

1 Comentário


Câmara retoma sessões após recesso

Deu em O Diário. As sessões ordinárias da Câmara Municipal de Maringá serão retomadas nesta terça-feira (8), às 16 horas, após recesso parlamentar de 15 dias. Já na segunda-feira, alguns vereadores circularam pela sede do legislativo. Nas próximas semanas, assuntos polêmicos – pendentes do primeiro semestre – estarão em pauta, entre eles a concessão dos serviços de água e esgoto de Maringá para a Sanepar, que vence em agosto; a revisão do regimento interno da Casa de Leis, e a licitação do transporte coletivo.

Lei Seca
Outros projetos que deram o que falar no primeiro semestre devem entrar na ordem do dia ao longo das próximas semanas. É o caso do projeto de Lei Seca, que se aprovado proibiria o funcionamento de bares – salvo exceções – depois das 23 horas. Para entrar em regime de urgência, a proposta precisa do apoio de cinco vereadores. O presidente da Casa de Leis, Mário Hossokawa, adiantou a O Diário que é contra o projeto. “Não temos estrutura para fiscalizar todos esses bares e para fazer com que essa lei seja cumprida”, argumentou.

Mototáxi
Encaminhado pelo Executivo, o projeto que legaliza o serviço de mototáxi está emperrado pela existência de documento similar, dos vereadores Bravin e Zebrão (ambos do PP), em trâmite. Como o regimento interno dá prioridade à proposta mais antiga, diz Hossokawa, a chefia de gabinete terá de pleitear ou o arquivamento do projeto da dupla pepista ou a inclusão de emendas para adequações que contemplem a proposta do Executivo.

Comente aqui