O pato!

Dizem que o pato faz de tudo: sabe andar, correr, voar e nadar… só que tudo mal feito.

Bem, eu acho até que ele nada bem, mas é meio desengonçado para andar, muito engraçado ao correr e atrapalhado para voar.

A Google tem, sem sombra de dúvidas, o melhor sistema de buscas da internet e, além disso, é muito boa em outros serviços, como o analytics, o adsense e por ai a fora, mas o Google+ está muito parado.

O Facebook disparou na frente e faz tempo que deixou o Orkut na poeira, e hoje acho até estranho quando recebo algum recado nele, ou ainda quando alguém comenta: você viu aquela foto no Orkut? Já o Face está a toda, a participação é muito grande e até ouvi um comentário de um blogueiro amigo, que os blogs estão perdendo força. Não sei, acho que não, mas para consumo rápido a rede social americana está com tudo.

Quanto ao G+ eu continuo na expectativa, pois depois de meses participando, não vi nada de novo e muito menos de excepcional.

Muitos aguardam um crescimento, mas eu me sinto fazendo a mesma coisa, com as mesmas pessoas em várias redes sociais. Isto é retrabalho!

3 comentários sobre “O pato!

  1. Gui Puglia 25 de setembro de 2011 23:10

    E aí prof.

    Tudo bem?

    Não sou um especialista em web ou em produtos, mas vou falar um pouco da minha experiência.

    Todo produto tem um ciclo, e não deveria ser diferente na web.

    Vou restringir minha análise as redes sociais. Eu comecei utilizando o orkut. Produto muito legal, me introduziu no universo das redes sociais, usei, no mínimo uns 5 anos. Acredito que pela facilidade de uso, o orkut acabou explodindo no Brasil, todo mundo começou a usar e cada vez foi ficando pior o ambiente, meus amigos começaram abusar dos spams, recadinhos animados, etc. No meio termo, conheci o facebook, achei meio complicado de começo, mas abandonei, ninguém usava.

    Um certo dia, não dava mais para usar o orkut, ficava mais apagando spam que lendo recados interessante, mudei para o facebook (ainda tenho minha conta no orkut) e levei meus colegas mais próximos. Lá eu tinha um pouco mais de privacidade e a rede social fazia o que deve, me atualizar das atividades de meus amigos.

    O engraçado é que está acontecendo a mesma coisa com o facebook, mas de um modo bem mais rápido. O G+ está aí, me propõe coisas mais bacanas (como conversa em vídeo), e acredito, logo migrarei para o G+, pois o facebook tbm está se tornando inviável.

    Acho que vou voltar para o comum (atualmente, já é incomum). Vou passar meu contato de email, telefone e endereço, quem quiser conversar comigo, tomar uma cerveja ou um cafézinho, é só me contactar, aliás, acho que cerveja online, mesmo quando inventarem algo assim (vai saber) não deve ter graça nenhuma.

    Abraços

    • Carlos Sica 26 de setembro de 2011 8:33

      Guilherme Puglia, um dos discípulos que superam os mestres. Sua análise é boa, realmente o Orkut com aquele excesso de recadinhos brilhantes e piscantes nos enervam.
      O Facebook, com esta última mudança está cada dia mais poluído e o sobre G+, precisamos aguardar, a proposta é muito boa.
      O que influencia o “boom” de uma rede social virtual é o uso dela, ou seja nós mesmos, as pessoas que utilizam. Nada garante que o G+ vai ser um sucesso, nem que não vai, pois o velho fenômeno “Maria vai com as outras” é determinante nisto e, quando for um sucesso, os recadistas brilhantes e piscantes chegam, e daí a maioria quer ir embora.
      Gui, este papo me inspirou para escrever um outro artigo: “Recadistas brilhantes e piscantes” 🙂 que tal?

      • Gui Puglia 29 de setembro de 2011 11:14

        Acho que dá para ir bem mais fundo.

        Uma coisa que gostaria de refletir é sobre quanto as pessoas estão inseridas tecnológicamente. (não sei se este termo existe)

        Mas algo que noto, é que a maioria das pessoas acreditam que sabem usar o computador, inclusive universitários, mas no fundo sabem utilizar somente o google, o msn e alguma rede social (minha prima de 10 anos tbm faz).

        Fico um pouco em dúvida sobre o quanto isso é prejudicial.

        Acho um pouco vergonhoso ter que explicar que a internet não é um programa para um usuário. Que o orkut, facebook ou o site da folha tbm não são programas.

        Abraços!

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.