Quais as vias de Maringá que deveriam receber ciclovia?

 

Até o momento 10 vias maringaenses foram citadas.

Os ciclistas de Maringá estão cada dia mais unidos em um movimento em prol da transformação pessoal para o bem, a paz e a harmonia no trânsito.

Todos querem uma Maringá mais humana e o debate aberto tem sido uma grande ferramenta para encontrar caminhos para atingir este objetivo.

Os motoristas estão muito estressados e acabam cometendo erros e abusos no trânsito, e quando o erro se trata de colher uma bicicleta, pode ser fatal. Todos estão de luto pela morte de ciclistas no trânsito de cidades brasileiras.

Uma das iniciativas, para a questão estrutural é levantar a opinião da população, por meio de uma enquete, para saber quais ruas e avenidas deveriam receber ciclovias para amenizar o problema estrutural e contribuir para a diminuição da violência no trânsito.

Existem aqueles que vislumbram a necessidade de se implantar ciclovias em todas as ruas e avenidas, já existem outros que desejam um trânsito sem ciclovias, mas com respeito de todos os motoristas.

Participe (clique aqui), a enquete é aberta, você pode votar em quantas opções quiser e pode sugerir novas opções de ruas e avenidas.

Até o momento 10 vias maringaenses foram citadas.

Lembrem-se que todos os veículos de maior porte, devem dar preferência para os de menor porte.

Por fim, o pedestre, único ser vivo desta história tem sempre a preferência!

Isto é lei e, mais que isto, é humano!

12 comentários sobre “Quais as vias de Maringá que deveriam receber ciclovia?

  1. Paulo Vergueiro 3 de março de 2012 17:39

    Meu caro Carlos Sica.

    Ha duas vertentes para esta questão.

    A discussão dela, no sentido de se fazer “ingrediente politico” e disso tirar vantagem e a outra, discutir de fato a questão de ciclovias.

    Confesso que fico em dúvida, ante a proposta surgir em um momento ímpar do convivio social de um municipio.

    Mas vamos lá…

    Esta é uma questão TÉCNICA.

    Não pode haver o paternalismo de tentar agradar a este ou aquele grupo de pessoas.

    É preciso ter avaliação tecnica do que de fato pode ser feito ou não.

    Ha vias que precisariam de uma ciclovia, porém tecnicamente não ha possibilidade para isso assim por diante.

    Gostaria, ao invés desta “espuma de enquete” que ela viesse acompanhada de pareces tecnicos de profissionais competentes e democraticamente avalizando e não tais projetos.

    Grato
    Prof. Paulo Vergueiro

    • Carlos Sica 3 de março de 2012 17:46

      Paulo, fico feliz com sua participação e questionamento.
      Eu não tenho ainda, possibilidade de fazer a necessária avaliação técnica, mas o município pode fazer isto se a sociedade se mobilizar para tal, ou se alguém se interessar pelo assunto. O que existe é muita gente querendo utilizar a bicicleta para ir trabalhar e não consegue.
      Tenho visto muitos debates sobre esta questão e ouvido muitas ideias bacanas, por exemplo, as vias paralelas à Mandacaru poderiam receber ciclovias aos invés do canteiro central, não é bacana? É viável tecnicamente?
      Vamos ver se despertamos o interesse em mais pessoas, ai sim o assunto será verdadeiramente importante.

  2. Paulo Vergueiro 4 de março de 2012 7:45

    Bom dia Carlos.

    Fico feliz que tenha entendido minha posição.

    O fato é que não se pode, a todo momento, servir-se de maneira pobre aos interesses politicos.

    A ciclovia é um conceito internacional bastante interessante, que modestamente apoio.

    No entanto, conciliar o transito pesado, com veículo tão leve, frágil e portanto de risco se torna o “X” da questão.

    Imaginemos uma ciclovia na Colombo. Seria preciso antes de mais nada, oferecer a ela ssegurança, o que em principio poeria ocorrer instalando-a “dentro do canteiro central”…e os eco-chatos, vão deixar?

    Se, levarmos este corredor para dentro da pista de rolamento, vamos estrangular o espaço para outros veículos. Onde poderia compensar?

    Percebe? tem que ser tecnicamente elaborado.

    Por fim: para educar um povo, não podemos usar a vida de pessoas, ou seja ate que aprendam a respeitar o ciclistas alguns teriam que morrer!!!

    Vamos evitar esta tragédia, elaborando e planejando adequadamente a questão.

    Grato
    Prof. Paulo Vergueiro

    • Carlos Sica 5 de março de 2012 18:20

      A democracia não é construída com a unanimidade burra. Suas opiniões são cultas e importantes. Professor, seja muito bem-vindo ao debate.

    • Carlos Sica 6 de março de 2012 6:27

      Prof. Paulo, verifiquei agora o resultado parcial da enquete e notei que não há nenhum voto para a Avenida Colombo.

  3. Mauro Volponi 4 de março de 2012 20:51

    Nas férias fiz um propósito de ficar 30 dias sem veículos motorizados (moto, automóvel, ônibus). Usei minha bicicleta monark 1959. Pedalei pela Av Pedro Taques, Av Mandacaru (ciclovias) – armadilhas perigosas. Por que tem tantos retornos? Quem está motorizado deveria rodar um pouco mais: 1, 2 mil metros.Pedalei pelo centro (correio, prefeitura, cartório, banco, livraria… Fiquei desapontado e envergonhado, porque tive que ir na praça da catedral cadear a magrela numa árvore (não existem biciletários, com tantas praças vazias e desaparelhadas na cidade.
    Pedalar deixa as pessoas mais criativas. E é saudável para o ser humano e para o meio ambiente.Seria bom começarmos com as faixas vermelhas para os domingos e feriados, e os adeptos deste veículo se mobilizarem para encaminhar suas reivindicações.
    Mauro Volponi/Maringá -PR

    • Carlos Sica 5 de março de 2012 18:19

      Mauro, tempos atrás, eu fui trabalhar de bicicleta (um modelo mais moderno que o seu) e passei tantos apuros que o medo me fez mudar de ideia. Infelizmente hoje utilizo a bici apenas para lazer em finais de semana no meu bairro. Domingo fui à reunião do ciclistas na Catedral, estava tranquilo, mas mesmo assim ainda senti um pouco de medo dos carros.

  4. Vinicius 5 de março de 2012 12:41

    Acho que falta conscientização de alguns pedestres tambem em locais que já existem ciclovias, por exemplo a mandacaru, que em horarios de pico as pessoas caminham na ciclovia onde devia ser apenas pra ciclistas, causando meio que um caos ali, acontecendo alguns atropelamentos de ciclistas em pedestres

    • Carlos Sica 5 de março de 2012 18:22

      Vinicius, esse movimento tem algo de belo. Procura educar e conscientizar o ser humano como um todo, não somente os ciclistas. Todos são gente, no volante, no pedal ou no chão. Concorda?

  5. Marcelo Castro 5 de março de 2012 15:12

    Prof. Paulo Vergueiro:

    Aconteceu hoje uma defesa tese de dissertação a respeito do assunto. Com base nestas informações é que iremos basear as discussões futuras.
    E que fique bem claro que não tenho nenhuma pretensão política e não apoio qualquer pré candidato. Há 4 anos que estamos realizando atividades visando promover o uso da bicicleta como meio de transporte, lazer e esporte, nas regiões urbanas e rurais.

    • Carlos Sica 5 de março de 2012 18:21

      Marcelo, quando o autor tiver publicado em PDF nos passe o link.

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.