Mês: janeiro 2016



Hora de levantar e sorrir

12631224_884317655019210_1575564579_o

Foto: Sergio Brunhara, amigo ciclista, em frente a igreja de Jaçanã, pequeno distrito de Marialva – PR.

Muitas são as intempéries de uma doença como o câncer. Já citei o tratamento como uma guerra, ouço muitos dizerem que a luta contra o câncer é árdua, brava e temos que ser mais fortes que ele para sairmos bem da guerra. Feridos mas vivos, por nós mesmos, pelos que amamos e pelo amor Divino.

Para relembrar eu já fiz duas cirurgias, a do intestino que retirou o tumor principal e a do fígado para remover 2 centímetros que restaram de metástase, após um ano de quimioterapia.

Alguns exames mostraram que tudo tinha dado certo, outros mostravam ainda uma pequena macha sem descrição definida.

Pois bem, era ele mesmo, querendo crescer no meu corpo, esse corpo que mando eu. E por isso ão vou deixar que ele exerça nenhum poder e por nenhum tempo a mais. Agora chega.

A dúvida também é uma inimiga chata e persistente sempre nos atrapalhando, o conhecimento cura.

Fizemos uma ressonância magnética de alta precisão e localizamos o “maledeto”, foi como olhar o inimigo noturno com óculos de infravermelho. Agora te achei e você não tem chance alguma contra minhas poderosas armas.

Após a descoberta, foram previstos 15 dias para realizar uma nova, a terceira cirurgia, mas agora com a certeza de onde ele está e quem ele é.

Um ovinho de 3 por 4 centímetros na ponta inferior do fígado, conhecida como Setor VI. Será uma cirurgia grave como as outras que já vencemos e vamos vencer mais esta.

Como estou? Bem!

Vivendo tudo que posso viver, sem medo dele que chego até a brincar com o que vem pela frente. Será apenas mais uma subida e eu até já estou gostando de fazer cirurgias.

Brincadeiras a parte, considero o caminho para uma nova vitória sólida, sem dúvidas, uma subida que vou subir devagar mas confiante que posso terminar sem descer da bicicleta.

E se eu tiver que descer, vou caminhar, mas não vou parar até que chegue ao fim desse desafio.

Saúde
1 Comentário
 

O Câncer e a Cura

sicaRecentemente, recebi os resultados de alguns exames que me deixaram muito animado, eu e todos os meus, os que me amam de verdade.

Esses exames não indicaram nenhum indício de câncer, fato que nos leva a acreditar na cura.

Acontece que essa doença não tem uma cura imediata, são necessários anos de acompanhamento e tratamento complementar. Segundo a médica que me acompanha, ele pode voltar, por isto temos que estar atentos e tratando o tempo todo. Um possível diagnóstico de cura, só vem depois de alguns anos.

A felicidade continua sendo uma arma imprescindível nesta luta insólita.

O que significa o susto exacerbado dos pais quando uma criança cai?
_ Significa uma valorização exagerada de um fato.

É muito provável que a criança na ausência dos pais repita o ato exagerado e que ela mesmo super valorize o tombinho que nem ralou os joelhos. Ai vem a conhecida “manha”!

Bom, acredito que com as doenças também seja assim. Eu, portador e um câncer, não o valorizei mais do que o tratamento exigiu. Não dei bola para ele, tornando-o razão, simplesmente assumi a razão para mim e depositei na mão do meu Pai o destino dele, porque o da minha vida sempre esteve nas mãos Dele.

Percebo que muitas pessoas super valorizam a sua doença, sucumbindo por uma simples gripe. Imagine o psicológico de pessoas, se descobrissem algo mais grave.

O Câncer é mais simples do que outras doenças e mais grave que muitas outras, por isso não devemos subestima-lo jamais, porém também não podemos dar moral para ele fazer manha. Temos que ser mais astutos que ele.

Bem, escrevi este artigo a pedidos de amigos que gostariam de saber como estou neste momento. Sinto-me curado, porém respeito profundamente a decisão médica de aplicar um novo esquema de quimioterapia com o intuito de não dar chances a ele. Esse é o inimigo que devemos  derrubar e pisar em cima dele, para que não volte nunca mais.

E a vitória, a quem devo? a mim mesmo, por ter sido racional?
Não, esta foi uma pequena parte do tratamento. Os medicamentos, apesar de serem muito caros para o Governo que me financia, foram essenciais.

Mas acima de tudo Deus, que atendeu nossas preces. A sua e a minha.

A Ele toda honra e toda glória.

 

Saúde
6 Comentários