O dilema das cores

Posso assegurarIMG_9818, minha vida não passa em branco.

Pensando nos detalhes, lembro que já chorei, lutei, desisti e até já fiquei vermelho de raiva, mas na maior parte do tempo eu me diverti e fiquei vermelho de rir e até chorei de rir. Muitas vezes não, na maioria das vezes que chorei, foi rindo.

Nasci de saco roxo e por isso fui homem o suficiente para enfrentar as intempéries da vida e participar de uma linda família, não por meu mérito, mas simplesmente por estar presente.

Quantas vezes fiquei azul de fome, roxo de raiva e até bege, como dizem os homossexuais quando pasmam. O importante e que eu vivi.

A coisa tá preta… não… nada e tão ruim que o tempo não possa dar um jeito. Quando algo de ruim estiver acontecendo, é só lembrar de algo também ruim que já aconteceu e passou. Tudo na vida vem para nos melhorar, ajudar a crescer e nos tornar cada dia melhores.

Vivendo, até já votei em branco e rasurei o voto também, mas já tive o prazer de eleger e de ser eleito.

E na prova da escola… deu branco, bom na verdade, sem ficar vermelho de vergonha, a gente vai mal na prova simplesmente porque não sabe a matéria, ninguém precisa saber tudo o tempo todo, mas essa cor era uma boa justificativa.

Uma cor pouco usada na minha vida foi o verde de inveja, não sinto e não senti inveja de ninguém, pelo contrário, sempre achei saudável ver pessoas prosperando. Prosperar nos faz bem, então porque faria mal aos outros, e porque a prosperidade dos outros pode nos fazer mal?

Nunca fui um sucesso, mas graças a Deus eu também nunca fui alvo da imprensa marrom, mas de língua preta já… e quantas vezes?!?!

Mas precisamos usar tudo isto para crescer. Transforme sempre o mal dos outros em um bem para você.

Por fim, para deixar tudo preto no branco, quero dizer que não acho a vida nem longa nem curta, apenas uma vida colorida.

É… se não fossem as cores, não teríamos uma vida colorida.

Viva!

Arte

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.