Saúde



Câncer – Uma História de Fé, Amor e Esperança

Esta é uma obra verídica, na qual relato meu mal, juntamente com lições de resiliência e aceitação, de fé e coragem, de ânimo e força. Procuro levar até o leitor mensagens de como suportar na prática, com a técnica da resiliência, a dor sem revolta, o cansaço sem desânimo e o medo sem desespero.

Esta narrativa tem o objetivo de ajudar a todos em suas lutas pessoais, físicas e psicológicas, mais especificamente contra o câncer que costuma nocautear já no diagnóstico mais de 70% das pessoas atingidas. A maioria das lutas  iniciada com sentimentos extremamente negativos de revolta e medo paralisantes, e nesse estado emocional, o inimigo ganha força.

Muitas pessoas que sofrem com algum problema profissional, pessoal, físico ou psicológico, diferentes do câncer, podem se identificar com o conteúdo desta história real.

Recomendo também para empreendedores que desejam prosperar usando a resiliência como técnica, pois encontrarão muitos exemplos e conselhos úteis nesta moderna obra.

Como comprar:

Loja Virtual: www.carlossica.com.br

Você pode adquirir esse livro por apenas R$ 25,00 graças ao apoio cultural da Água Mineral Cristal Premium, Cocamar e Benner.

Dados técnicos:
Formato: 15 x 21 cm
Páginas: 180
Acabamento:
​. Luxo colorido
. Conteúdo totalmente colorido em papel couché 90 g/m2
. Capa em cartão colorido 300 g/m2 com laminação fosca e orelhas de 7 cm para marcar páginas.

 

Livro, Saúde
Comente aqui


A quimioterapia e a vida

Faz tempo que não falo da vida.

Em um momento de reviver momentos por meio de fotos, encontrei essa de 23 de outubro de 2016, a segunda vez que meu recém comprado jetski entrava na água.

Em primeiro lugar, reparei que eu pareço feliz, mas claro que eu sou feliz!

Depois reparei que eu estava um tanto pálido, mesmo estando em um local com clima adequado para bronzeamento. Em seguida, notei que me faltava cabelo e também as sobrancelhas. Em terceiro lugar, percebi que meus músculos já não tinham o tônus de antes e ponderei: Quantos defeitos para um só sorriso.

Eu me encontrava em pleno tratamento quimioterápico, não que eu esteja dispensado da quimioterapia agora, pois tomo comprimidos diários para controlar o tumor que insiste em crescer em meu fígado. Mas tem algo nesta foto que me mostrou o transcendimento de todo o sofrimento que eu sentia para viver uma vida normal.

Reconheço que pode parecer ostentação, mas não é de forma alguma, é pura alegria de estar entre familiares e amigos, nos divertindo em um dia super agradável.

Viver acima das dores é uma missão, acredito que aquele ditado “o que vem debaixo não me atinge” significa justamente determinar o que está cima de você.

Acima de mim? Deus!

Saúde
10 Comentários


Vamos falar da FOSFOETANOLAMINA sim!

Certo dia, passando por mais um sofrimento causado pela quimioterapia, claramente pelas reações adversas causadas por ela, minha esposa me perguntou: _o que você quer? Ela sempre pergunta e me serve como pode, com amor e cortesia. Mas naquele momento eu não precisava de ajuda, não sentia sede ou fome, não havia remédio para tomar, eu só estava ali deitado no sofá, amolecido pelos efeitos colaterais do Regorafenibe e pensei na velocidade de um raio:

_quero mais esperança.

No outro dia de uma forma muito evidente, comecei a pensar involuntariamente naquelas reportagens sobre a polêmica causada pela Fosfoetanolamina, e percebi que a esperança desejada chegou em formato de pílulas.

Deus sabe o que faz.

O Governo brasileiro proibiu a fabricação e a distribuição paga ou gratuita da Fosfoetanolamina, como possível remédio para tratamento do câncer. Mas isto não impede de conversarmos sobre o assunto não é?

VAMOS FALAR DA FOSFOETANOLAMINA SIM!

Segundo uma reportagem exibida pelo globo de SP, o grupo de pesquisa que, ao longo de 15 anos, sintetizou a Fosfoetanolamina se dividiu por motivos conceituais.

Parte do grupo original, defende que o produto desenvolvido deve ser encarado como “remédio” que cura o câncer, assim para distribuir ou comercializar esse remédio, são necessários muitos testes em seres humanos, e claro, esse procedimento pode despender anos.

Esse conceito, sem expressar opinião, impediu que a distribuição gratuita que vinha sendo feita, continuasse. O laboratório de química da USP em São Carlos foi desativado e não fabricam mais as cápsulas.

Por outro lado, a outra parte do grupo estabeleceu acordo com um laboratório uruguaio e adicionou ao complexo, a vitamina D3, o que permitiu o enquadramento do produto como suplemento alimentar diário. Eles optaram por registrar e fabricar nos EUA, em Miami (Flórida), devido a facilidade comercial que o país oferece.

Seguindo esse conceito comercial (desconheço se com parceria ou não) já existem outros laboratórios estrangeiros que fabricam e oferecem a Fosfoetanolamina em forma de complexo alimentar.

Eu fiz uma pesquisa até cansativa na internet e encontrei três sites que vendem a Fosfoetanolamina como suplemento alimentar. Em todos, o princípio ativo vem misturado com algum complemento que o caracterizam como um complexo que suplementa a alimentação diária. Seja o cálcio, a vitamina D, o magnésio, enfim, algum elemento químico já consagrado como benéfico para a saúde humana.

Continuando minha pesquisa, conversei com um amigo médico que deu a informação de que esse principio ativo tem princípios presentes no leite materno, portanto é muito bom para fortalecimento do nosso sistema imunológico. Isso por si só já é um bom motivo para tomar esse suplemento.

Reportagens antigas revelam que a propriedade defendida pelo professor pesquisador, líder da pesquisa, que a Fosfoetanolamina denuncia as células cancerosas para o sistema imunológico. Entendeu a diferença? Ela não mata as células cancerosas, mas é uma “dedo-duro do bem”, pois as tornam visíveis para nosso sistema imunológico acabar com elas sem dó nem piedade.

Alguns médicos acham um absurdo ingerir um remédio sem autorização, as industrias concorrentes abominam a possibilidade de existir um concorrente.

Eu sou leigo em medicina e saúde, sou apenas mais um portador de câncer no intestino com metástase no fígado, peritônio e ameaças no pulmão. Descoberta tardia é assim. O monstro silencioso tomou meu corpo inteiro sem que eu tivesse algum aviso.

Agora pergunto a você leitor, que em geral pede a Deus por mim: Você acha que eu devo ingerir regularmente o suplemento alimentar com base na Fosfoetanolamina?

Sua opinião é muito importante.

Para auxiliar sua opinião, saiba que a Anvisa autoriza a importação para uso próprio.

Na minha pesquisa encontrei os seguintes site que vendem o produto de forma regular:

 

EUA

Quality Elements

Empresa Americana com alguns brasileiros envolvidos na pesquisa no Brasil

Site em português como atendimento online

US$ 99,00 frasco com 90 cápsulas (se comprar 3 frascos o frete é grátis)

https://shopqualityelements.com/?gclid=CjwKCAiA8vPUBRAyEiwA8F1oDFawHqfZhqvcqP8CZ7P3iYexoFfI2g00KTbQHEy8nty8zYrF9NldVRoCGDUQAvD_BwE

 

EUA

New Life

Empresa americana com sede em Curitiba

Site em Português com vendas no Brasil

R$ 310,00 o frasco com 60 cápsulas

http://newlifeusa.net/produto/phospho-2-aep-copy/?lang=pt-br

 

INGLATERRA

BioCare

Empresa Inglesa

Site em Inglês

£26,60 (Libra Esterlina) Este site cobra £71,00 de frete e informa que o preço sem VAT é £22,17

https://www.biocare.co.uk/eap-complex-90-capsules

 

20 Comentários


Reclame menos

Fala a verdade, só pelo título você já sabe sobre o que desejo debater.

Reclame menos e faça mais, fazer é viver.

Não é o fato de descobrir uma doença que te faz melhor ou pior que os outros, nós somos sempre iguais uns aos outros e todos vamos morrer um dia, mas essa certeza é muito legal, assim você pode viver mais intensamente.

Lembre-se de usar aquela roupa que gosta mais vezes, pode repetir sim, faça o que gosta de fazer e seja feliz.

Tire ferias o maior número de vezes que puder, não trabalhe muito, apenas o suficiente. Aliás, tenha somente o estresse suficiente para saber que está produzindo, não para ficar nervoso e muito menos para ficar doente. O seu patrimônio também deve ser na medida para dar segurança, não para acumular desnecessariamente. Nem pense em deixar herança, use o seu dinheiro.

Sabe aqueles copos, talheres, louças que você guarda como relíquia? Use… use muito, até quebrar, aproveite bem e viva melhor.

Passe seu perfume predileto, sem economia e sem exagero.

Cuidado para não engordar, coma pouco, mas coma coisas boas, daquelas que fazem bem para a saúde. Nunca tome refrigerante nem coma margarina. Fuja dos produtos industrializados. Seja saudável, deleite-se com coisas gostosas e muito cuidado se pra você coisas gostosas são apenas as que fazem mal.

E as pessoas? telefone, visite, sorria, ria, gargalhe, abrace, segure na mão… porque isso é muito bom e faz muito bem para todos. Seja social.

Reze a qualquer momento, ore bastante, o suficiente para você se sentir amado, como realmente o é.

Ame a vida como a vida te ama, não lute contra ela, seja amigo e amante dela.

Viva a vida de bem com a vida!

 

Saúde
Comente aqui


Amamentação: Idealização X Realidade

Por: Mariana Borghi Sica Duarte

MEU RELATO!

Um dia idealizei que amamentaria meus filhos exclusivamente até os 6 meses, achei que era apenas questão de querer, que meu corpo saberia o que fazer, como produzir leite suficiente, que o bebê instintivamente saberia mamar e que teria que ter apenas paciência para esperar o alimento descer.

Mas aí meu primeiro filho nasceu, não soube mamar logo de cara, precisamos ensinar/incentivar a sucção e depois de mais ou menos uma semana, ele aprendeu a mamar, aprendeu tanto que passava a maior parte do tempo no seio…e eu pensava que era porque era guloso.

Aí veio o primeiro choque de realidade… Chegou o dia da primeira consulta do Téo, e ele não havia ganhado peso, aliás havia perdido, nasceu com 3.265 kg, e para nossa surpresa com 12 dias estava com 2.900 kg. O médico explicou que eu não estava produzindo leite suficiente para fazê-lo engordar, nisso veio frustração, sentimento de incapacidade, mas ele nos orientou como fazer para aumentar a produção, receitou inclusive um remédio que ajudaria a aumentar essa produção, e seguimos firme complementando com leite artificial, pesquisamos e decidimos oferecer no copinho para que ele não deixasse de mamar o pouco leite materno que tinha, em seguida aluguei uma bombinha elétrica que ajudaria a aumentar a produção, pois enquanto ele não estivesse no peito, teria um outro estímulo fazendo com que meu corpo entendesse que havia uma necessidade de produzir mais leite.

Foi assim durante dois meses, porém ele engolia muito ar bebendo o leite do copinho e tinha muito cólica, sendo assim optamos por oferecer o leite na mamadeira…sim diminuíram as cólicas, mas depois da primeira mamadeira não quis mais o peito, assim a realidade trouxe mais uma vez o sentimento de incapacidade, mesmo a razão sabendo que era o melhor pra ele o coração estava cheio de decepções. Faz parte! Tudo isso foi superado e buscamos o apego materno de outras formas, criando vínculo e aumentando o amor.
Um ano depois a notícia de uma nova gestação, e uma nova idealização se formava, dessa vez pautada em estudos e pesquisas. Estava confiante, pronta para mais um desafio, dessa vez daria certo, pelo menos por mais tempo… Errado!

O Noah nasceu, mamou na primeira hora de vida, de cara já teve uma pega perfeita e tive alta já com o remédio que aumentava a produção de leite receitado. Com certeza tudo isso fortalecia meu sentimento que dessa vez daria certo, viemos para casa e eu percebi que ele ficava também muito tempo no peito, e já de cara começamos a complementar com leite artificial no copinho, massss (tudo tem um masss né) ele odiou o copinho e não bebia o complemento direito, ficamos 10 dias insistindo, o papai que dava o leitinho artificial porque com a mamãe era só choro, do 11º dia eu já havia percebido que ele não engordava, e como forma de alimentá-lo só restou oferecer a mamadeira, dessa vez uma diferente, a qual possui o bico similar ao seio, e fluxo baixo o que teoricamente faria ele não deixar o peito. No dia seguinte, o 12º de vida dele consultamos com a pediatra e o bebê que havia nascido com 3.365 kg estava com 3.130 kg confirmamos que não havia sido o suficiente, e precisamos intensificar as mamadas na mamadeira.

Hoje ele completa 15 dias, e demonstra ter pedido todo interesse pelo peito, apenas “chupeta” depois de mamar a mamadeira para poder dormir, e meu sentimento mais uma vez é de que a realidade é dura e traz muitas frustrações, mas ao mesmo tempo sei que eu fiz tudo que podia, e que meu amor por eles nunca será menor do que se tivesse dado tudo certo!
Em breve o coração se acalma e entende o que a razão já sabe, e tudo volta a ficar bem!
O intuito principal desse textão: Desabafo!

Mas se tiver alguma mãe que se identifique, espero poder ajudá-la a sentir-se melhor!
Meus meninos, independente de qualquer coisa a mamãe sempre irá amá-los INCONDICIONALMENTE!

Comentário de Celso Duarte Junior

Parabéns pelas palavras de desabafo, mas também vou falar o que vejo.

Uma mãe que fez 2 partos normais, até reclamou, mas segurou a dor, lutou e aguentou! É… tudo isso é AMOR.

Dizem que ele, o amor, só pode ser sentido, mas eu o estou vendo bem aqui e todos os dias da nossa vida!

Dá para falar do quanto carinho você tem com os filhos, o quanto demonstra paciência, palavras dóceis e amorosas você diz, mimos, cânticos sempre transmitindo energia positiva e amorosas. Só de ver a maneira que você os acomoda em seu colo, já vejo amor… um amor que transborda e é feito em cada toque. Quanta dedicação e luta existe por trás, principalmente de cada mamada. Eu sabendo de tudo isso, sei que vínculo existe, e amamentar é um ato de amor, e lutar e ter lutado por ele também.

Você pode até não ter amamentado o quanto desejava, ou ter leite como gostaria mas sabemos que lutou e buscou o suficiente, então saiba que não existe nesse mundo, demonstração maior de amor por um filho que batalhar por ele e por você.

O vínculo surge e se mantém do amor e carinho que você emprega em cada função, mas não só da função em si, você o constrói esse vínculo alimentando, dando banho, cuidando, até dando uma mamadeira, por que não?

Que vc continue sendo Mariana, a Mari ama os filhos.

1 Comentário


Comida Típica de Maringá é Cancerígena

Hoje, 20/06.2017 reúnem-se na Câmara de Vereadores de Maringá os nobres Edis para “decidir” se o cachorro quente é a COMIDA TÍPICA de Maringá.

Muitos vão dizer: hummmm, que delícia; outros vão dizer: tenho nojo dessa comida, duvido das condições higiênicas das barraquinhas… e por aí em diante.

Poucos vão pensar nos ingrediente básicos:

Pão feito de farinha branca sem nenhum nutriente significativo, mas de efeito negativo comprovado, tal como GORDURA HIDROGENADA, SÓDIO, açúcar, etc. Todos comprovadamente altamente maléficos à saúde.

Salsicha feita de materiais orgânicos ou não de origem desconhecida, com notável excesso de sódio e conservado com NITRITO DE SÓDIO, já considerado e declarado tão cancerígeno quanto o cigarro pela ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE.

Batata palha, frita geralmente em gordura vegetal (óleo de soja) saturada ou pior que isso. Quem garante a troca regular desse óleo?

Salada, ufa! Pelo menos uma coisa saudável… engano seu. A base desta parte nada saudável são produtos enlatados como milho e ervilha que além de conservantes, trazem para seu organismos, acidulantes, estabilizantes, corantes e outros produtos que você nem imagina do que se trata.

Acompanha:  maionese, catchup e mostarda. Preciso falar disso também?

Mas existe outra opção para nossa COMIDA TÍPICA: pastel frito em óleo supersaturado e tão maléfico para a saúde quanto a batata frita.

Caros Vereadores, preocupem-se com a vida do cidadão maringaense. Lutem por leis que nos protejam do trânsito violento. Lancem campanhas educativas para que possamos viver sem violência. Preocupem-se com a educação tão abandonada. Ajustem as leis para atender a população tão adoentada pelos erros de alimentação.

Representem-nos!

4 Comentários


Minhas fraquezas são mais fortes que eu!

Quantas vezes nos deparamos com situações que a decisão, ou o resultado de uma decisão, implica em uma mudança comportamental definitiva.

Sempre ouço de todos, quero melhorar como pessoa, mas realmente não sei se isto é possível. Oportunidade temos, mas mudar mesmo… difícil. Mudar é difícil.

A ansiedade faz tanta gente sofrer de uma maneira vil, torpe, sem necessidade, mas desse mal não padeço graças a Deus.

Compreendo as fraquezas de cada um, pois aos poucos estou compreendendo as minhas e não falo das minhas fraquezas físicas promovidas pelo câncer, mas sim das psicológicas.

Sou obrigado a esperar muito no sistemas de saúde: filas para exames, tempo para laudos de peritos, tempo de tratamento, tempo de espera para cirurgia… enfim, se eu fosse ansioso teria uma parto a cada espera, ainda mais que muitas são infrutíferas.

Porém, enfrentar o envelhecimento precoce é um dos fatores que me assustam. Não poder frequentar uma academia e não poder praticar o ciclismo, pedalando 50 km pela zona rural, pelos campos e visitando as cachoeiras, isto sim me deprime, pois vejo meu corpo mudando de uma forma que eu não tenho controle.

Hummm… uma boa comida com uma sobremesa deliciosa, nossa difícil de resistir. Uma boa festa de família e ou amigos com uma cervejinha gelada e uma carne mal passada, impossível não sucumbir.

Por isto julgo essas fraquezas tão fortes, mesmo sabendo o quanto devemos ser moderados na alimentação, nem sempre resistimos a um bom prato.

Tantas outras fraquezas fortes residem no meu ser que não posso nem contar (kkkkkkk), mas cada um sabe de suas fraquezas e lutam para mudar e se tornar melhor.

Nem sempre vencemos, mas sempre lutamos, o que é até mais importante. Não perder o afã da vida, não deixar de viver bem, com alegria e com respeito aos outros. Liberdade para mim é isto, fazer o que quer sem interferir no que o outro quer. Nunca obrigue o outro a fazer o que não quer, pois ser livre é, antes de tudo, dar liberdade.

Conhecer, reconhecer e aceitar nossas fraquezas é o primeiro passo para a felicidade. A partir daí você pode lutar contra o inimigo certo: você mesmo.

Em nome da Santa Cruz, livrai-nos Senhor dos nossos inimigos. Principalmente quando nossos inimigos são nossos pensamentos, palavras e sentimentos.

Pense nisto, seja feliz e fique com Deus.

Saúde
1 Comentário


Justiça seja feita

Amigos, como todos sabem, tratar da saúde, quando realmente necessário, é uma tarefa de árduo trabalho. Temos que vencer os planos de saúde, o Governo e toda sorte de esquivas para conquistar os tratamentos necessários.

No caso do Paraná, quando funcionários públicos, somos atendidos pelo SAS (Sistema de Assistência à Saúde). Quando CLTistas, funcionários públicos ou não, somos atendidos pelo SUS (Sistema Único de Saúde).

Ademais resta-nos pagar um plano de saúde particular.

Relatos de amigos, me deixam desanimados com todos os sistemas de atendimento à Saúde, pois mesmo pagando mensalmente os planos privados, sofrem na hora que precisam ser atendidos em casos graves como o câncer.

Eu, Professor Universitário do Paraná, sou atendido pelo SAS que cobre o protocolo básico ao tratamento do câncer com dignidade. Nunca me senti mal por ser atendido por esse sistema público.

Porém existem remédios que não são incluídos no protocolo de atendimento e, por três vezes, precisei recorrer a justiça para conseguir tais remédios.

O protocolo de tratamento do câncer do intestino (CID C18.8) prevê duas baterias de quimioterapia e tantas cirurgias forem necessárias. Por isto julgo que sempre fui muito bem atendido, pois fiz quatro cirurgias de grande porte no abdome, sem que o sistema de saúde me barrasse em algum detalhe ou argumentasse contrário.

Para as duas baterias quimioterápicas previstas são receitados medicamentos complementares, mais modernos que auxiliam no processo de cura, segundo os médicos. Bem, apesar do SUS fornecer alguns desses remédios para alguns tipos de câncer, o mal que eu carrego não é contemplado, portanto foi necessário recorrer a justiça, pois a saúde, por força de Constituição Federal, é de responsabilidade de Governo.

Essa é a primeira dificuldade, pois precisamos de um advogado, visto que o valor da causa é sempre maior que o Tribunal Especial de Pequenas Causas pode receber. As custas de um causa dessa, atualmente está em torno de R$ 3.000,00 valor proibitivo para muitos pacientes. E para esses menos providos, como fica? Nem entrar na justiça ele conseguem.

Cabe neste caso, recorrer à Universidade que tem escritório público e gratuito de advocacia.

Para quem pode pagar o advogado e as custas processuais, basta aguardar o tempo da burocracia e receber o julgamento. Percebo que a Justiça está sendo feita, pois se o remédio é necessário e a obrigação do Governo é constitucional, porque um juiz analisando um justo pedido, negaria provimento? Pode acontecer, mas não seria justo.

Efeito do PANITUMUMABE, por fora e por dentro.

Eu tomei três remédios complementares: na primeira bateria o PANITUMUMABE que custa em torno de 22 mil a dose e, a previsão, era tomar 12 doses acompanhando a quimioterapia. Na segunda fase do tratamento quimioterápico, tomei o AVASTIN, menos caro, mas também inacessível para nós. Vencida estas duas etapas que levaram em torno de 3 anos, partimos para um tratamento diferente que não é contemplado pelos sistemas públicos de saúde. Nesta terceira fase então, eu tomo o REGORAFENIBE, que custa em torno de 17 mil 3 caixas equivalente ao mês e eu vou tomar por 6 meses.

É isto, manifesto meu reconhecimento aos juízes que compreenderam a necessidade de atender a população com assertividade e agilidade. Mais que isto, manifesto meu agradecimento ao Magistrado que julgou meus processos e entendeu a verdadeira necessidade que passamos. A doença nos deixa frágil e, resultados como estes nos faz acreditar no ser humano. Não revelo o nome por motivos óbvios, mas espero que ele leia este artigo e sinta meu reconhecimento pelo seu trabalho.

Quero transmitir também meu singelo agradecimento aos meus amigos Fábia e Evandro que sempre caridosos, são aliados nesta luta.

Muito obrigado.
Deus os abençoe.

Saúde
Comente aqui


Eu prefiro ser amigo

Eu fui chamado para uma guerra que não era minha.

Hoje me chamam de Guerreiro, e eu, mesmo sem querer me tornei esse Guerreiro. Confie em mim.

Fiz isso por mim, mas muito mais por você. Você que me ama e você me chama de amigo.

Um Guerreiro deveria ser forte e combativo, mas eu prefiro ser amigo.
Não gosto mais de bater de frente como fazia na juventude.

Hoje prefiro evitar, desviar, dialogar, mesmo que o estigma de confronto ainda faça parte do dicionário de muitos que me conhecem há tempos, eu não gosto dos confrontos e evito os confrontantes.
Vivo esse conflito entre ser forte e guerrear e esmorecer e te decepcionar. Mas por você eu vou continuar lutando.
Muitas vezes eu choro, algumas choro muito. Essas são as vezes que as pessoas me emocionam. A luta contra a autopiedade é outra, mas inerente ao processo de cura.

Certa vez, preparado para dormir ao lado de minha esposa, virei de lado e chorei, simplesmente porque eu precisava chorar. Por mais que não pareça, as lágrimas são aliadas de um verdadeiro Guerreiro. Ela percebeu e colocou a mão em mim e eu a segurei. Isso foi suficiente para saber que eu não estava sozinho. A calma retornou, pois naquele momento a alma dela estava ali, não só estava, mas ela foi a alma caridosa e compreensiva que eu precisava naquele momento.

Eu não preciso que façam algo por mim, mas preciso que sejam.

Não preciso que me dêem algo a não ser a caridade espiritual.

O ser é mais que estar. O ser não é matéria, mas sim amor.

Tudo que eu peço é que não economize seu amor, seja mais e terá mais. Ame e será amado infinitamente, por nós e por Deus. Você acredita Nele? Sim, é porque ele é, muito mais do que está.

Prefiro ter pouco do que ter muito e ser pouco.
O verbo ser e estar é o mesmo em inglês, nunca entendi isso, pois são estados totalmente diferentes.

Quando estou doente, gosto de companhias, gosto de visita. Gosto que todos estejam perto de mim, isso é muito importante, pois sinto a energia dos que são é não simplesmente estao. Acredite, podemos sentir isso.

O ser é muito diferente do estar.
Estou doente mas não sou doente. 🙂

Seja meu amor, seja meu amigo.
Numa guerra muitos morrem, muitos vivem, mas aqueles amores que foram podem ter ido, mas ficaram por serem e não por estarem.

Meus pais, irmã, sobrinha, parentes e amigos, cada qual com sua luta, nunca foram derrotados, pois ainda permanecem. São parte da minha vida e sempre serão, mesmo que não estejam.
Porque só sobra o amor.
O dia que eu for, ainda estarei em forma de amor, por ter sido e não somente estado.

Inspirado no depoimento do Padre Fábio de Melo e no poema do Lucão.

Ser feliz é encontrar força no perdão, esperanças nas batalhas, segurança no palco do medo, amor nos desencontros. É agradecer a Deus a cada minuto pelo milagre da vida.” Fernando Pessoa.

Saúde
Comente aqui


Duas coragens :)

Procuro sempre um título que considero criativo, só pra não cair na mesmice do dia a dia. Esse artigo poderia se chamar “Vaidade” que não mudaria muito, o teor seria o mesmo.

Eu quis mostrar para os meus amores como estou bem, me esforcei muito nesses últimos meses para recuperar a saúde e estar no topo para enfrentar um nova cirurgia no fígado. Assim, no final de semana passado pedi a minha esposa que tirasse uma foto minha fazendo pose de fortão, precisei de coragem para isso e, agora que já tiramos essa foto, quero coragem para publicar. Só por isto o título “Duas coragens”.

IMG_0926 640

Estou orgulhoso de ter recuperado as forças, por isso a vaidade.

Hoje mesmo vou me internar no Hospital Metropolitano de Sarandi, conveniado pelo SAS, para realizar a cirurgia amanhã cedinho no primeiro horário do centro cirúrgico.

Deus me deu mais esta missão e mesmo com um pouco de preguiça, aceitei de bom coração e vou aproveitar para exercitar a tão famosa resiliência. Seguro na sua mão meu Deus e meu Senhor, mais uma vez, confiante que tudo que vem pela frente é pra nossa vitória em seu nome.

A última cirurgia, no fígado também, foi um sucesso. Os exames indicaram uma limpeza total, mas depois de 4 meses, novos exames mostraram um novo tumor de quase 2 cm nesse órgão atacado pela metástase. Bem, por isso mesmo existem os exames periódicos e precisamos enfrentar tudo que eles revelarem com força e vontade de viver. Pronto, a preguiça acabou, vamos trabalhar para remover este invasorzinho de bosta… bom… esse câncer nasceu no intestino não foi?

Vou hoje, com muita fé em Deus, com muita calma no coração, com muita confiança nos médicos e com muito, mas muito agradecimento porque sei que você rezou e vai rezar mais ainda por mim.

Obrigado, não preciso de dinheiro, apenas de suas orações, são elas que me fortalecem com a graça de Deus, nosso Senhor.

Fiquem com Ele que eu vou com Ele graças a Onipresença em nossos corações.

Saúde
7 Comentários