Tecnologia



Energia Solar x Energia Elétrica

No Paraná a energia elétrica sofreu reajustes de quase 80% em oito anos.

Naturalmente, muita gente pensa em instalar uma forma alternativa de geração de energia elétrica, mas essa é outra dura realidade.

Uma estação eólica custa milhões impossibilitando qualquer cidadão de ter seu próprio gerador. Então vamos pensar no gerador de energia elétrica com base na energia solar.

PORQUE NÃO? Afinal custa bem menos e energia elétrica sairá a custo zero.

Atualmente uma estação geradora de energia elétrica a partir da luz solar custa em torno de R$ 35.000,00 e, naturalmente, para instalar em casa precisa compensar ao longo dos anos. Ou seja, mesmo não pagando mais a energia da Copel, o investimento tem que ser plausível, compatível com os gastos futuros.

Por exemplo, vamos analisar o caso de uma família pequena que gasta, R$ 150,00 por mês (R$ 1.800,00 por ano) com a Copel:

Se dividirmos os 35 mil reais por 150 (valor mensal gasto) encontramos a quantia de quase 235 meses. Significa que, sem aumentos ou correções ou manutenção do equipamento, você poderia pagar 235 meses de energia elétrica para a Copel com essa quantia de 35 mil.

Se dividirmos essa quantidade de meses (235) por 12 que é a quantia de meses por ano, descobrimos que vai levar quase 20 anos para amortizar aquele investimento em condições ideais.

Conclusão: a partir do momento que você investir inicialmente 35 mil reais, terá que usar o sistema instalado durante 20 anos ininterruptos e sem gastar mais nada, tal como, manutenção para empatar com o valor investido.

Viável? não acho não! Pois qualquer máquina desse mundo tem manutenção, o que poderia aumentar facilmente o tempo de equilíbrio para 25 anos.

Por outro lado, não confunda o sistema de aquecimento solar. Esse, por sua vez, é viável pois serve apenas para aquecer a água sem energia elétrica ou com pouco uso dela.

Ultimação: Melhor ainda é pagar caro pelo o sistema fornecido pela Copel.

valor mensal conta  anos
80 35.000/80/12 36,46
100 35.000/100/12 29,17
150 35.000/150/12 19,44
200 35.000/200/12 14,58
250 35.000/250/12 11,67
500 35.000/500/12 5,83
1000 35.000/1000/12 2,92
1500 35.000/1500/12 1,94

 

Segundo Marco Aurelio Esteves, Engenheiro Eletricista aposentado da Copel, que trabalha atualmente com esse tipo de sistema: “toda novidade tecnológica quando chega ao mercado, tem seu preço base elevado em relação ao beneficio que dará. Mas a tendência é que com o tempo o custo de instalação fotovoltaico caia para o consumidor final inclusive com benefícios de financiamento prolongado pelo BNDS o que ja existe para pessoa jurídica. Se pensarmos no status atual, considero que para consumidores residenciais de baixo consumo (pequenas famílias) o sistema seja inviável. Mas acredito que estes últimos, as pessoas físicas, sejam os que vão melhor se beneficiar desta tecnologia de energia limpa no futuro.”

Comente aqui


Entre bombas e balas de borracha, UEM nos enche de orgulho.

Mesmo com o flagrante destrato do nosso agressivo patrão, mesmo sofrendo as consequências das ações inconsequentes do Governo do Paraná, a UEM dá resposta que nos enche de orgulho.

A resposta que nós demos para a sociedade, que muitas vezes não entende ou não aceita a luta classista por melhores condições de trabalho, ou mesmo a luta para que os fazedores de lei as respeitem como todos nós, foi o sucesso.

Quando o Governo do Paraná retirou dinheiro da nossa poupança da previdência a revelia, descumpriu a Constituição Federal e quando mudou a data base e o índice inflacionário para corrigir os salários dos professores, descumpriu a lei Federal 7.238/1984.

É assim, que no desespero, o governo reage, pois gastou mais do que deveria e que podia nos anos anteriores.

RESPOSTA DA UEM:

  • O estudante Cristian Tomazela Prado, do curso de Engenharia Mecânica, da Universidade Estadual de Maringá, recebeu o prêmio de melhor aluno da área fluido-térmica de uma universidade canadense. A premiação foi concedida pela American Society of Heating, Refrigerating and Air-Conditioning Engineers (ASHRAE), a entidade mais importante do mundo na área de mecânica dos fluidos e transferência de calor aplicados à refrigeração, aquecimento e ar-condicionado.

 

  • O professor Nelson Guilherme Castelli Astrath, do Departamento de Física (DFI), da Universidade Estadual de Maringá (UEM), ganhou o Prêmio Jovem Cientista da Associação Internacional de Fotoacústica e Fototérmica (The International Photoacoustic and Photothermal Association – IPPA), uma entidade norte-americana, e que é considerado o maior prêmio mundial da área.
2 Comentários


Água vira eletricidade

A Lucid Energy é uma empresa fornecedora de sistemas de energias renováveis e um dos pioneiros no desenvolvimento de energia hidrelétrica “no cano” (in-pipe) com o Sistema de Energia LucidPipe.

A ideia é bastante simples, pois quando a água flui pelos canos do sistema hídrico, giram as turbinas que geram de energia elétrica.

A instalação não promove grandes alterações na pressão da água, pois isto comprometeria o abastecimento na rede hídrica, mas não serve para redes residenciais

https://www.youtube.com/watch?v=qc02qOe–qU
Tecnologia
Comente aqui


Tecnologia sem eletrônica

Hoje é segunda-feira, dia da segunda sessão de quimioterapia.

É um pouco diferente do que imaginava, a aplicação básica é idêntica a que fiz há 15 dias, apenas diferencia porque é injetada no cateter.

Ao tratamento, foram acrescentada duas novidades: uma medicação que foi injetada com uma ampola bem grande (kkkkk, só para assustar) e a esperada nova tecnologia. É estranho, quer dizer, não tem nenhum LED, bateria ou display digital…. decepcionante kkkkkkkk

Trata-se de uma ampola realmente grande, mostrada na foto abaixo, que é comprimida automaticamente, bem, na verdade ela foi selada com uma determinada pressão, assim, quando o profissional da saúde, abre ela permitindo a saída do medicamento, ligando o fio ao meu cateter, a pressão programada, vai comprimindo o compartimento do medicamento suavemente, até que todo o medicamento seja injetado.

Este processo deve demorar 44 horas.

Podemos acompanhar o progresso, pois a “ampolona” tem uma escala que nos permite identificar a dosagem.

2014-10-27 18.30.47

 << Anterior                                                                                        Próxima >>

4 Comentários
 

CIAM: de Maringá para o mundo!

20140402_142235 copyMaringá conta com Centro Integrado de Análise do Movimento (CIAM) que é um centro especializado no diagnóstico e tratamento dos movimentos do corpo humano totalmente preparado para identificar e atender desde os casos mais simples aos mais complexos.

O CIAM utiliza equipamentos avançados para exames e tratamentos fisioterápicos trabalhando com softwares específicos para a manutenção e recuperação total dos movimentos musculares, entre eles o Dinamômetro Isocinético e a Pista de Força e Equilíbrio..

DINAMOMETRIA ISOCINÉTICA

O Dinamômetro Isocinético (Biodex) permite avaliação da força muscular em todos os sentidos, podendo quantificar déficits musculares, torques, força, velocidade e potência. Com gráficos e relatórios precisos o aparelho possibilita melhor tratamento desportivo e também aos tratamentos fisioterápicos convencionais. Mensuração e Avaliação das Articulações: ombro, cotovelo, punho, quadril, joelho, tornozelo e coluna.

FORÇA E EQUILÍBRIO

Diagnósticos exatos sobre a reação da força muscular no solo são obtidos pela plataforma que mensura direta e indiretamente as forças, pressões, impulsos e centro de pressões das articulações. Além de mapear o deslocamento do Centro de Pressão na base da plataforma e indicar valores relativos à estabilização do corpo humano.

O CIAM atende atletas profissionais e amadores, e pessoas que não são atletas, até mesmo sedentários, que desejam começar uma atividade física da forma correta, sem se machucar.

O Grupo Pedais da Liberdade e o CIAM fechou uma boa parceria que promoveu bons descontos para os ciclistas.

Nas fotos, o professor Fernando Possamai avalia este blogueiro.

Comente aqui


Internet por fibra óptica da Copel chega a Maringá

Em 18/02/2014 16:32 a copel informou:

fibra copelA Copel Telecom iniciará em março a oferta de internet ultrarrápida por meio de fibras ópticas em Maringá. Será o sexto município paranaense a contar com conexão por banda extralarga, em que as velocidades de transmissão chegam a 100 Mbps (megabits por segundo). 

O lançamento do serviço “BEL Fibra” no município ocorreu na noite de segunda-feira (17), na Associação Comercial e Industrial de Maringá (Acim), e contou com a presença da equipe do Moda Maringá, que disputa a Superliga Masculina de Vôlei sob o patrocínio da Copel Telecom.O marketing esportivo faz parte da estratégia da empresa para introduzir a internet super-rápida no município. “Com a expansão da banda extralarga residencial, queremos atender à demanda reprimida por internet de boa qualidade no interior do Estado, melhorando a competitividade em mercados que hoje contam com poucas alternativas de conexão”, explica o diretor da Copel Telecomunicações, Adir Hannouche.

O serviço é atualmente oferecido em Curitiba, Pinhais, Ponta Grossa, Irati, Ventania, Telêmaco Borba e Reserva do Iguaçu. “Depois de Maringá, nossa meta é levar a banda extralarga a outros 13 municípios até o final de 2014”, afirma. Paralelamente ao BEL Fibra, a Copel Telecom também já leva internet com velocidade de 1 Mbps a Ventania e Reserva do Iguaçu, por meio do programa Paraná Conectado, que deve chegar a outros 23 municípios este ano.

As conexões do serviço oferecido pela Copel Telecom são feitas exclusivamente por meio de fibra óptica, do provedor até a casa do usuário. Embora as vendas estejam previstas para março, já é possível conhecer detalhes do produto e fazer um pré-cadastro pelo site www.copeltelecom.com.

CIDADES DIGITAIS – A Copel Telecom está presente em todos os 399 municípios do Paraná, atendidos a partir de uma rede de fibra óptica de mais de 25 mil km. Esta malha digital permite à empresa atuar em três frentes de comercialização de produtos: com soluções de conectividade para clientes corporativos em todo o Estado; com internet entre 20 e 100 Mbps pelo programa BEL Fibra, que estará em 21 municípios até o final do ano; e com internet de 1 Mbps para pequenos municípios no programa Paraná Conectado, com a meta de chegar a 25 cidades em 2014.

Além de possibilitar a atuação da Copel Telecom como provedora de banda larga no varejo, o anel óptico também permite a integração digital das instalações do poder público nas esferas municipal e estadual. O Governo do Paraná, por exemplo, responde atualmente por 20% das conexões realizadas pela Copel Telecom no Paraná – destinadas, em boa parte, a prover escolas estaduais, hospitais e prédio públicos de acesso de alta velocidade à internet.

Prefeituras e órgãos públicos municipais também já exploram a disponibilidade do backbone de fibras ópticas em seus anéis urbanos. A infraestrutura óptica é base para o desenvolvimento de programas de cidades digitais – onde os serviços públicos são levados aos cidadãos por meios virtuais – e, em parceria com provedores locais, promover a inclusão digital dos cidadãos.

“Ao levar infraestrutura de ponta em transmissão de voz e de dados aos cidadãos e aos segmentos empresarial e de administração pública do Paraná, estamos dando uma contribuição inestimável para um salto no desenvolvimento econômico e social de nosso Estado”, afirma Adir. O dado confirma-se na projeção do Banco Mundial, que relaciona a expansão da conexão em alta velocidade ao incremento da economia regional: cada 10% de rede de banda larga construída equivale a 1,2% de evolução do PIB.

Fonte: COPEL

Tecnologia
Comente aqui


Sistema eletrônico salva pedestres e ciclistas

A Volvo, fabricante sueca de carros, lança um detector de Pedestres e Ciclistas com freio automático. Ele para automaticamente ao detectar perigo de colisão ou atropelamento. Assista ao vídeo e veja como ficou bom, tão bom que finalista no “2013 Technology Awards AOL”.

O sistema é acionado quando um pedestre ou ciclista é detectado na frente do carro ou em um ângulo de 60 até graus na lateral. A partir daí uma luz vermelha pisca no pára-brisa. O mais sofisticado é que se o motorista não reagir com rapidez suficiente, o carro diminui automaticamente até chegar a velocidade de 25 Km/h.
Segundo estudo realizado a simples redução de 50 km/h para 25 km/h reduz o risco de morte em 85%, isto parece perfeito para todos os automóveis, mas especialmente para os ônibus, taxis e caminhões que vivem no trânsito.

Comente aqui


Nota Fiscal Eletrônica para o Consumidor Final

O Governo tem investido na informatização dos documentos fiscais. a Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) já está implantada e facilitou a vida de muitos, inclusive da Receita Federal.

O cupom fiscal, já conhecido por todos, é gerado quando acontece venda ao consumidor como a presença física do mesmo. Agora ele será eletrônico e se chamara Nota Fiscal Eletrônica para o Consumidor Final (NFC-e).

O interessante que poderá ser emitido e enviado diretamente o seu SmartPhone ali na loja onde você efetuou a compra.

Inicialmente, apenas sete estados brasileiros (AC, AM, MA, MT, RS, RN e SE) participaram do projeto piloto, reparem que o Paraná não participou. As NFC-es nestes Estados foram emitidas desde março de 2013.

A partir de outubro as empresas desenvolvedoras de sistemas do país começaram a utilizar um ambiente aberto oferecido pela SEFAZ/AM para realizar testes em seus aplicativos de NFC-e, mas precisa utilizar seu CNPJ e seu certificado digital para emitir e transmitir os documentos de testes.

nfce_smartphoneUma das particularidades da Nota Fiscal Eletrônica para Consumidor Final (NFC-e) é a impressão do Danfe resumido ou Danfe ecológico. É um comprovante fiscal sem o detalhamento da compra impresso, com um QRCode que permite a leitura online de todos os dados da compra que seriam impressos, como o Cupom Fiscal. O documento online também pode ser acessado por meio da Chave de Acesso, no portal da NFC-e.

Comente aqui


Primeiro teste de carro autônomo em vias públicas da América Latina será na próxima terça em São Carlos

Pesquisadores do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Sistemas Embarcados Críticos (INCT-SEC) realizarão o primeiro teste em vias públicas do projeto Carro Robótico Inteligente para Navegação Autônoma (CARINA) no próximo dia 22 a partir das 9 horas, próximo ao SESC. O teste será o primeiro autorizado a ser feito na América Latina e os interessados poderão acompanhar o trajeto a ser percorrido pelo veículo.

???????????????????????????????O carro possui sistemas que permitem sua locomoção automática, sem a necessidade de um motorista, composto por sistemas de percepção como sensor laser, câmeras e GPS, sistema de atuação, como os motores e circuitos eletrônicos e programas que fazem o controle de comando. Possui também o sistema de processamento, composto por dois computadores que recebem as informações da percepção e tem as decisões de acelerar, frear ou virar o volante.  Juntos esses mecanismos fazem o veículo navegar de forma segura e eficiente.

Desta forma, o projeto tem o objetivo de contribuir para a segurança no trânsito, podendo evitar acidentes e colaborar com idosos e pessoas que tenham deficiência física além de contribuir para a automatização agrícola e no transporte de carga.

A demonstração do carro autônomo faz parte da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) que ocorre pelo país de 21 a 27 de outubro. Em São Carlos o evento ocorrerá pela Prefeitura Municipal por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável, Ciência e Tecnologia / Coordenadoria do Meio Ambiente (SMDSCT / CMA) de 21 a 26 de outubro com apresentação de palestras, feira de ciências e debate sobre a produção científica na cidade.

De acordo com coordenador do projeto, Prof. Denis Wolf, “o teste nas ruas de uma cidade é a etapa final de validação de todo um trabalho árduo que vem sendo desenvolvido. Os experimentos realizados seguem um protocolo para garantir a segurança. Assim, o apoio da Prefeitura Municipal é fundamental para a o avanço da pesquisa local e nacional que é recente na área”.

O projeto é desenvolvido pelo INCT-SEC através do Laboratório de Robótica Móvel (LRM) do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) com a colaboração do Laboratório de Sistemas Inteligentes (LASI) da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) e o Laboratório de Sistemas Embarcados Críticos (LSEC) do ICMC, todos da USP em São Carlos. Recebe o financiamento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP).

Produção científica e tecnológica de veículos autônomos

As pesquisas na área são desenvolvidas há mais de 20 anos no exterior, com aportes de verba governamental e da indústria automotiva. Países como os EUA, França, Japão e Alemanha investem, atualmente, na tecnologia para que em alguns anos, aproximadamente de 10 a 15 anos, o número de acidentes rodoviários diminua e o fluxo de trânsito seja mais eficiente.

O desenvolvimento da tecnologia teve início no Brasil a partir de 2007 com poucos grupos de pesquisas do país. A partir de outubro de 2010, os pesquisadores do INCT-SEC/ICMC-USP iniciaram os estudos com o carro elétrico chamado CARINA I.

Os estudos passaram a ser produzidos em um carro convencional em julho de 2011, sendo denominado CARINA II, o que possibilitou a realização de testes experimentais em situações de trânsito urbano e em maior velocidade, permitindo o avanço na pesquisa.

Já em abril de 2012 os primeiros testes de controle computacional foram feitos e em setembro do mesmo ano o veículo foi testado nas ruas do campus 2 da USP, com controle 100% autônomo. Com isso, a pesquisa passou a ser aprimorada para que o veículo possa operar em ambientes e situações mais complexos.

A pesquisa na área de veículos autônomos inteligentes é multidisciplinar e envolve conhecimentos de inteligência artificial, visão computacional, processamento de sinais, fusão de sensores, sistemas distribuídos e sistemas embarcados.

Para que a autonomia funcione é necessário que os algoritmos desenvolvidos sejam rápidos o suficiente afim do computador tomar decisões corretas em um curto intervalo de tempo. “Caso uma criança atravesse na frente do carro atrás de uma bola, por exemplo, o mesmo deve observar isso através das câmeras e sensores, identificar a situação de risco elevado, decidir qual ação deve ser feita e enviar os comandos corretos para acionar o freio ou o volante em menos de um segundo”, explica o pesquisador.

Wolf afirma ainda que o desenvolvimento de sistemas complexos e críticos é um desafio para a pesquisa em diversas áreas. “O fato dos veículos operarem em ambientes urbanos faz com que a responsabilidade dos cientistas envolvidos aumente pois, por um pequeno erro do carro, é possível causar acidentes gravíssimos”.

A verificação do estudo começa com o teste dos programas de computador, que são o cérebro do veículo, feito em simuladores, permitindo o desenvolvimento rápido e seguro do software. A etapa seguinte é a realização de testes em campo aberto onde todos os elementos de hardware são integrados, porém, com uma grande margem para erros sem que haja risco de acidentes.

O veículo passa a estar preparado para andar nas ruas após a capacitação dos sistemas desenvolvidos, sendo esta uma etapa crítica. Os experimentos desse tipo são realizados, geralmente, nos campi das universidades, em áreas e horários de pouco trânsito. O teste nas ruas de uma cidade é a etapa final de validação da pesquisa.

Atualmente, o protótipo em produção é capaz de percorrer ruas e avenidas mantendo uma distância segura de outros veículos e de identificar os semáforos em seu caminho, respeitando os sinais vermelhos e avançando nos verdes. “Durante os testes nas ruas da cidade, a guarda de trânsito manterá outros veículos afastados do CARINA para garantir a segurança desses casos”, explica o pesquisador.

A velocidade do veículo de testes é limitada a 40km/h e há sempre um motorista dentro do carro preparado para frear ou assumir o controle caso haja problema nos sistemas computacionais.

Para saber mais sobre o projeto CARINA acesse aqui.

Serviço
Evento: Demonstração à população do projeto CARINA em via pública
Data: 22 de outubro
Horário: 9 horas
Local: Avenida Comendador Alfredo Maffei (próxima ao SESC)
Mais informações
[email protected]
Foto: Flávia Cayres

Reproduzido do INCT SEC

Comente aqui