Trânsito



Passeio Ciclístico do Movimento Prociclovias Maringá

PASSEIO CICLÍSTICO EM PROL DAS CICLOVIAS DE MARINGÁ

17/07/2016 (Domingo) 8:00 na Catedral de Maringá

 

Iniciativa de 15 grupos de ciclismo e apoio da Associação Noroeste, O MOVIMENTO PROCICLOVIAS MARINGÁ fabricou uma camiseta com malha ecológica (PET), contendo a logomarca do Movimento e de todos os grupos de ciclistas que apoiam voluntariamente a melhoria da segurança no trânsito.

Nenhum patrocínio foi aceito, cada grupo que integrou o projeto se dispôs a participar com a aquisição 20 camisetas, que custou R$ 15,00 cada, e muitos superaram essa meta.

Dia 17/07/2016 será realizado um passeio ciclístico, utilizando a nova camiseta, passando por algumas ciclovias já construídas e algumas avenidas que ainda não tem estrutura. Em especial, a avenida Morangueira que está sendo reformada, mas não receberá ciclovias ou ciclofaixas.

 

O Grupo BICICLETEIROS MARIALVA vem prestigiar o passeio ciclístico e eles vem pedalando de Marialva até Maringá!

 

MOVIMENTO PROCICLOVIAS MARINGÁ

É um grupo específico para debater políticas públicas e privadas para a criação de infraestrutura cicloviária e incentivo ao uso da bicicleta e outros modais não motorizados, como meio de transporte, lazer e esporte.

Em 2012, inspirados e afinados com o grupo de Ponta Grossa chamado ProCicloviasPG, nós tomamos a iniciativa de criar no facebook, um grupo aberto chamado Movimento Prociclovias Maringá.

De forma voluntária e sem vínculo com qualquer entidade pública, privada ou política, como deve ser uma Movimento Popular, resolvemos dar uma passo em direção a união dos ciclistas de Maringá, em defesa dos direitos de usar as vias de locomoção.

Desde lá, muitos participaram de reuniões com vereadores e candidatos pra tentar criar a figura de um Conselho Municipal que pudesse atuar na área de mobilidade urbana. Este projeto foi de certa forma inibido pelo líderes políticos e não chegou a ser realizado.

Em fevereiro de 2014 criamos uma logomarca que pudesse comunicar a ideia virtualmente.

Sempre pensando em algo que pudesse apoiar a causa da bicicleta, mais especificamente em Maringá, os debates foram amadurecendo e estão todos registrados no grupo do facebook.

passeio

Comente aqui


Grupos de Ciclismo de Maringá Unidos

Os grupos de ciclismo de Maringá se uniram para criar o MOVIMENTO PROCICLOVIAS, eles reivindicam melhorias nas ciclovias já construídas, educação dos pedestres e motoristas para respeitarem as vidas que utilizam bicicletas. 

SÃO MAIS DE 300 CICLISTAS FORMADORES DE OPINIÃO UNIDOS EM UMA CAUSA JUSTA!

logoDesde 2012 o grupo debate políticas e atitudes relacionadas ao uso da bicicleta no trânsito.

Existe um grupo no Movimento Prociclovias Maringá específico para debater políticas públicas e privadas para a criação da infraestrutura cicloviária e incentivo ao uso da bicicleta e outros não motorizados, como meio de transporte, lazer e esporte.

A justificativa é que estudos de mestrado apontam para uma rede cicloviária de 100 km em média e mMringá tem poucas Ciclovias e a maioria já necessita de restauração na estrutura e na sinalização. Há necessidade de investir em estacionamentos públicos e infraestrutura de apoio ao ciclista.

HISTÓRICO

Em 2012, inspirados e afinados com o grupo de Ponta Grossa chamado ProCicloviasPG, nós tomamos a iniciativa de criar no facebook, um grupo chamado Movimento Prociclovias Maringá.
De forma voluntária e sem vínculo com qualquer entidade pública, privada ou política, como deve ser uma Movimento Popular, resolvemos dar uma passo em direção a união dos ciclistas de Maringá, em defesa dos direitos de usar as vias de locomoção.
Desde lá, muitos participaram de reuniões com vereadores e candidatos pra tentar criar a figura de um Conselho Municipal que pudesse atuar na área de mobilidade urbana. Este projeto foi de certa forma inibido pelo líderes políticos e não chegou a ser realizado.
Em fevereiro de 2014 criamos uma logo que pudesse representar a causa.
Sempre pensando em algo que pudesse apoiar a causa da bicicleta, mais especificamente em Maringá, os debates foram amadurecendo e estão todos registrados no grupo do facebook.

Para mobilizar o Poder Público para executar de ações, o projeto atual é de fabricar uma camiseta com malha ecológica (feitas com fio de PET reciclados), contendo a logomarca de todos os grupos de ciclistas que desejam se engajar voluntariamente.

14 grupos solidarizaram com a causa e financiaram a camiseta voluntariamente que não conta com nenhum patrocinador, pois a ideia é mostrar que as pessoas usam a camiseta por iniciativa própria!

 ENTRE NO GRUPO E COMPRE A SUA PELO PREÇO DE CUSTO, QUE  É SÓ R$ 15,00.

logos

Comente aqui


Caminhões tomam conta da ciclovia sem cerimônia

Passando pela rodovia PR 323no sentido Maringá – Paiçandu, verifiquei uma fila de caminhões, aparentemente esperando para descarregar. São dezenas deles e todos fazem a mesma coisa.

Os motoristas desavisados ou não continuaram a fila sobre a ciclovia, impedindo que centenas de trabalhadores pudessem usar o único meio de transporte que eles tem em uma via segura.

Isso tem acontecido dias após dia, passei por ali vários dias, sem que nenhuma providência seja tomada pelas autoridades competentes.

O ponto tomado por caminhões é de extremo perigo, sem a ciclovia, muitas vidas podem ser perdidas ali.

Comente aqui


Academias são contra ciclismo no entorno do Bosque dos Pioneiros

2015-04-14 Câmara

Foto: Câmara Municipal

Ontem, 14/04/2015, foi discutia a Proposta de Lei que retira o estacionamento do entorno do Bosque dos Pioneiros (Bosque II). Isto acontecerá como no Parque do Ingá, em horários que não interfiram no horário comercial.

A proposta de Lei, do Vereador Ulisses Mais, sugere que das 18:00 as 21:00 a pista interna daquela avenida

As vantagens são enormes, pois o local já é utilizado para prática desportiva e tem as características adequadas para a prática desportiva, pois a calçada já foi adaptada para caminhada, corrida até para passeio ciclístico, se bem que esta última fica comprometida pela invasão dos pedestres mal educados.

Assim sendo, um dos motivos para ampliar a pista de rolagem para ciclistas é justamente evitar um confronto entre pedestres e ciclistas em pleno treino. É importante destacar que Maringá está cada dia mais conhecida por este esporte, porque está criando campeões.

2015-04-14 Câmara2

Foto: Elirani Fernandes

Voltando a criação da lei, os Vereadores reunidos particularmente, resolveram tirar o projeto de Lei da pauta ordinária, adiando a votação para 15 dias adiante. Foi montada uma comissão que deve ouvir a comunidade e apresentar os resultados em 15 dias.

Uma academia que estava presente, alegou que teria prejuízos financeiros e que os ciclistas deveriam pedalar em outro lugar. Curioso que um empresa que vende a ideia de saúde e contra a plena prática da saúde ao lado de uma reserva “respirável” de Maringá.

Com o aumento do número de carros, não adianta pensar que os clientes terão estacionamento em frente à sua empresa. Isto já acabou! Aliás, Maringá já promulgou a Lei que indica aos comerciantes a terem seus estacionamentos próprios.

Outro motivo, positivo desta vez, é que somente a pista interna seria adaptada, fato que deve interferir em poucos carros, cujos motoristas estão ali para caminhar e podem vir a pé intensificando a boa prática esportiva.

Quanto aos que vão para a academia a solução é a mesma, porque não ir a pé ou de bike? Isso economizaria até o tempo de aquecimento na academia, que também ganharia,  pois não seria necessária a utilização da esteira e da ergométrica… aliás, você vai de carro para pedalar na academia? Estranho não?

6 Comentários


Itália: Bicicleta guarda-chuva com rodas sem raio

Gianluca Sada, Italiano, engenheiro, inventou uma bicicleta com rodas sem raios e, além disso, pode ser dobrada e fica praticamente do tamanho de um guarda-chuva.

O protótipo foi fabricado com alumínio, o que a torna muito leve. Claro que o inventor já a patenteou, principalmente o sistema inovador de aros que dispensa os tradicionais raios das rodas comuns de bicicletas e motocicletas. 

A invenção é resultado de uma parceria com a Fonderie e Officine Meccaniche Tonno com a incubadora de empresas inovadoras de Turim.

Essa linda bike, segundo o inventor, está pronta para ser fabrica em escala industrial.

Bicicleta, o transporte do futuro já chegou.

Fonte: Blog Radar Tecnológido do Estadão

“A ideia surgiu quando vi uma criança brincando com um brinquedo velho que tinha uma roda sem raios, e então eu pensei que a chave para resolver o problema da portabilidade e usabilidade seria revolucionar o aro”, explicou  Gianluca Sada.

Trânsito
Comente aqui


Até a Volvo está preocupada com os ciclistas

A Volvo investiu em pesquisa e criou o spray para ciclistas que pedalam a noite.

Quando aplicado o spray parece invisível a luz do dia, mas a noite quando é iluminada por um farol de carro, as partes pintadas, ficam totalmente iluminadas.

Isso sim é que é solução inovadora, pois o spray (LifePaint) que não é bem um tinta, pode ser aplicado sobre qualquer superfície como a bike e as roupas do ciclista tornando-o visível para todos.

Vamos nos preocupar também. Se os políticos soubessem quantos votos ganhariam se investissem em ciclovias, não ficaria parados. prociclovias3

 

Entre para debater!

Comente aqui


Ciclo faixa na UEM

Ciclofaixa na UEM, significa que a duplicação da Laura Werneck, aquela rua de entrada na UEM, está com ciclofaixas prontas.

Clique para aumentar.

Clique para aumentar.

Para quem não sabe a Rua Lauro Werneck (Continuação da Duque de Caxias) está sendo duplicada por um concessão da UEM que há alguns anos doou o terreno para o município.

Nem vou entrar nos detalhes dessa negociação, pois eu não participei dela, mas quero dizer que independentemente disto eu sou a favor da duplicação dessa avenida e da Herval também.

Tive a satisfação de participar de uma comissão que estudou a doação da Herval e, chegamos a conclusão sobre a viabilidade, mas contrapartida é forte. Entre construções e demais obras, está a exigência da Ciclovia, integrada à rede cicloviária da cidade.

De forma que o trabalhador e o estudante pudesse ir e voltar para a UEM com segurança.

Para minha surpresa, a duplicação que está praticamente pronta veio com um devido brinde.

Trânsito
6 Comentários


Você está atrapalhando sim!

Sou eu :)

Sou eu 🙂

Sou maringaense e sinto orgulho disso, mais ainda de ver a cidade bem administrada, mas não sinto orgulho por agir como os que aqui vivem, maringaenses ou não.

Pessoas que não aprenderam a viver em sociedade, em especial aqui, uma sociedade que cresce a cada dia. Esses muitos que não sabem viver em sociedade, atrapalham os outros, pois viver em harmonia com muita gente não é uma tarefa obvia.

  • Quando vejo um placa “não alimente os animais”, nos bosques de Maringá, eu não alimento. Mas o que se vê é uma orgia de pessoas dando alimentos que fazem mal para todos nós, imagina para os animais.
  • Quando vejo uma placa, pare para o pedestre, eu paro! Pare também, pois um carro, por mais caro que seja, não está acima da vida de uma pessoa, por mais simples que ela seja.
  • Quando vemos uma placa indicando: isto é uma ciclovia, não devemos fazer nossa ignorância prevalecer e usar aquele espaço para correr ou caminhar.

Isto é sociedade, cada um no seu espaço, respeitando e sendo respeitado. Maringá cresceu e você nem percebeu isto? Você quer que o comércio aqueça, mas não quer dar licença para seu cliente passar? tsc. tsc. tsc.

Eu tive o privilégio de visitar Londres, a trabalho, mas sobrou tempo para conhecer um pouquinho daquele povo preparado para o progresso. Lá até a escada rolante é compartilhada com educação. À direita ficam aqueles que querem parar nos degraus da escada e subir na velocidade dela; a esquerda fica livre, fica para aqueles que tem pressa e precisam subir ou descer rapidamente. Bonito de ver, não pela mecânica da coisa, mas pela educação e respeito que aquele povo conseguiu atingir.

Ao contrário, o que vejo na minha linda e amada cidade é grosseria impondo a vontade de pessoas que nem sabem ondem estão. É sério, duas voltas de bike na ciclovia do Bosque dos Pioneiros, foram suficientes para ouvir desaforos que ninguém merecia, mais ainda aquele que está certo. Além disso, encontrei pessoas que usavam a ciclovia para correr, caminhar e conversar, que nem sequer olharam para a bicicleta. Quase fui atropelado por pedestres que olhavam para o chão, ou conversavam entre si, várias vezes, e isto na ciclovia… será que eles também fazem isto no meio dos carros?

Nós, que sabemos viver em sociedade, respeitando o próximo, não merecemos a sua falta de educação.

Você está atrapalhando sim!

Desrespeitando as leis de trânsito e de convivência em sociedade, você está involuindo, fazendo nossa cidade pegar fama de grosseira. Logo seus cliente vão embora para um centro mais educado.

Mas não é o local que é mal educado e sim você. Pense nisto!

Neste artigo nem vou falar dos motoristas… querem mais vagas e as tomam de quem tem: velhos, doentes, aleijados… vão em frente com sua arrogância. Transformem nossa cidade neste centro de grosseria e vejam, ondem vamos terminar!

Este é o primeiro artigo que considero “mal educado” em minha vida. Será que fui contaminado?

10 Comentários


#sófaltam70km

Há muito tempo temos estudado o caso da mobilidade urbana em Maringá.

cicloviaEu tive a satisfação de conhecer e estudar casos de muito sucesso para poder comparar e chegar a conclusão que Maringá “não está atrasada” quando comparada somente com Amsterdam, na Holanda.

Maringá está atrasadíssima quando comparada a Beltrão, Joinville, Toledo e muitas outras cidades que arrecadam muito menos. É uma triste constatação, mas veja só, Toledo tem 140 mil habitantes e conta com 40 km de rede cicloviária, projeto já executado há anos.

Ninguém vive só de acerto, nem só de erro, Maringá foi exemplo para muitas outras quando resolveu fazer uma campanha para o motorista respeitar o pedestre, em especial, as faixas de pedestre. Ponto positivo para a administração. Estamos de parabéns porque melhoramos muito, mas a ignorância de alguns ainda ameaçam os pedestres e ciclistas que transitam pela cidade. Nossos motoristas sequer ligam a seta quando vão “virar” e ainda reclamam dos pobres mortais que andam a pé ou de bicicleta. Educação.

Estou feliz por saber que nós demos o ponta pé inicial para termos a rede cicloviária em nossa cidade. Pessoas poderão ir ao centro da cidade fazer compras, pedalando com segurança, levar seus filhos para passear e se divertir. Funcionários poderão ir trabalhar nas lojas da Avenida Brasil sem arriscar suas vidas… isto é maravilhoso.

Lembro bem que quando as ciclovias da Avenida Mandacaru e Pedro Taques foram construídas, muitos reclamaram dessas obras. Criticaram porque ficaram caras. Hoje utilizando-as vejo: pedestres mal educados, xingando ciclistas em plena ciclovia, iluminação depredada e a via estragada pelo tempo e pelas raízes das árvores.

Mais uma vez precisamos de educação em primeiro lugar e manutenção contante do nosso patrimônio.

A rede cicloviária é formada por Ciclovias, ciclofaixa, ciclorotas e paramentos como os bicicletários. Tudo isto para assegurar as nossas vidas, dos nossos filhos e netos. Esta infraestrutura cicloviária foi alvo de pesquisa na UEM, na dissertação de mestrado do Prof. Tiago Botion Neri, neste estudo, o pesquisador chegou a conclusão que aproximadamente 90 km de rede cobririam as partes mais importantes da cidade, ligando todos os bairros ao centro e vice-versa.

Foi também proposta por vários partidos políticos e candidatos, inclusive com indicação de 120 km de rede. Diversos documentos de compromisso foram assinados, o que falta agora é fazer. Mesmo os candidatos que não se tornaram prefeitos devem agora, honrar seu compromisso com a cidade e defender os 70 km restantes.

Senhor Prefeito, Excelentíssimo chefe do executivo, senhores Vereadores, Excelentíssimos integrantes do nosso poder legislativo: nosso pedido é que deem continuidade ao projeto, não esqueçam o que não deve ser esquecido.

 

3 Comentários


Vai abrir a porta, olhe pelo retrovisor: básico!

Quando estacionar, olhe bem para atras antes de abrir a porta do seu carro pra sair dele.
Este acidente que aconteceu comigo, foi registrado pelo amigo ciclista Leandro Moreira.
Não dá para ver o tombo, mas dá para ouvir muito bem o grito de susto e indignação na hora que o motorista abre a porta sem atenção e bate no ciclista (eu).

2 Comentários