Educação: a sala de aula digital

Quando o assunto é o futuro do Brasil, todos concordam: a educação é o caminho.
Aceito isto, os discursos se multiplicam, mas as ações ainda são insuficientes e, às vezes, inexistentes.
Quando os municípios avançam, o estado deixa desejar e há casos onde acontece o contrário.
O grande nó da educação está no ensino básico e no ensino médio. Também não há dúvida de que o ensino básico tem um peso extraordinário na formação de cada aluno. Se ele for eficiente, os resultados se reproduzirão nos ensino médio e superior.
Não é pequeno o desafio para os municípios e o alerta para os estados.
O caso de Maringá e do Paraná é um exemplo: a rede escolar municipal, dos centro de educação infantil às escolas, está em excelentes condições. Há estrutura para o trabalho dos professores, profissionais e trabalhadores da educação, além de projetos importantes em andamento, como a iniciação em informática e a implantação da educação integral.
O estado fez alguns investimento na rede do ensino médio. Mesmo assim, a comparação da escola municipal com a escola estadual mostra o quanto o estado precisa investir.
Na nossa região há municípios que têm se destacado, com IDEB elevado: São Jorge do Ivaí e Ivatuba puxam a fila, entre os municípios líderes do estado e do Brasil. Maringá também avançou acima da previsão e tem um IDEB que estava previsto para ser alcançado em 2015.
Paixão – Convido vocês a assistirem o vídeo acima. A experiência de Piraí, no Rio de Janeiro, é impressionante. A frase da professora Maria Helena, “o que gera conhecimento é paixão”, é perfeita e verdadeira. A aluna Thaíza traduz isso afirmando: “Agora eu posso ver que a vida não é só para aqueles que têm, mas para aqueles que podem!”
Em Maringá e na associação de municípios, a Amusep, há trinta prefeitos unidos no objetivo de avançar na educação e na cidade digital.
O prefeito Silvio Barros e vários prefeitos já tomaram contato com projetos na área, onde chama a atenção o da OGI, coordenado pelo especialista em engenharia de softwares educacionais, Edvaldo Ogeda. Ele vai além da meta de um computador por aluno e professor, ao prever a preparação e o apoio aos educadores para o mundo de infinitas possibilidades da educação digital.
Na semana passada estiveram assistindo palestras em São Paulo vários prefeitos. O presidente da Amusep, Fernando Brambilla, prefeito de Santa Fé, convidou Edvaldo Ogeda para fazer uma palestra em Maringá, no dia 13 de setembro, para todos os prefeitos e secretários de Educação dos municípios da região.
Há o desejo dos prefeitos de darem os primeiros passos na formação da primeira região digital do Brasil. Os projetos são um sonho, difícil, mas são movidos pela paixão. O primeiro passo é persistir, os prefeitos já perceberam.
Pessoalmente estou na torcida para que os projetos na educação e na rede digital avancem, passo a passo. O processo de inovação já foi iniciado. Temos que torcer para que se torne realidade. Os resultados serão, certamente, bem maiores do que o esforço para esta conquista.

7 comentários sobre “Educação: a sala de aula digital

  1. magali peralta 21 de agosto de 2011 15:38

    É incrivel quando uma criança descobre o mundo através da educação. Emocionante!!!!!!!!!!!!!!

  2. Beto UEM 22 de agosto de 2011 09:52

    Eu já conhecia este projeto. Realmente é muito bom. Também achei importante a colocação sobre a qualificação do professor. Os professores precisam conhecer as potencialidades da informática e da internet para utilizá-la de forma motivadora e de acordo com as novas tecnologias educacionais.
    Espero que Maringá e a região consigam avançar nesta área.

  3. Helena Cardoso 22 de agosto de 2011 09:55

    Como professora fico impressionada com as novidades para a educação e assustada com o tanto que ainda teremos que avançar. Que estas mudanças cheguem o mais rápidamente possível para a nossa região. Parabéns aos prefeitos pelo interesse em algo de tanto valor importância para o nosso futuro.

  4. Marcela 22 de agosto de 2011 09:57

    Fiquei com inveja agora! Eu queria ter estudado numa escola assim.
    Dá pra ver o quanto estamos atrasados na educação, inclusive as nossas escolas particulares, que deveriam estar com salas de aula digital e não tem.

  5. Rodney 23 de agosto de 2011 11:47

    Realmente é muito importante a questão da capacitação do professor e consequentemente do aluno, mas não precisamos ir longe, pois Ibiporã-PR, próximo a Maringá tem o titulo de primeira cidade digital do PR e já utiliza projetos educacionais em suas escolas com muito SUCESSO!!!
    Boa sugestão para os prefeitos da região é conhecerem o que já estão aplicando por lá e está dando certo!

  6. Ademir 23 de agosto de 2011 20:52

    A Amusep esta estudando os projetos existentes para utilizar a integracao entre os municipios. Esta area e nova e exige muito cuidado.

  7. Lilian 24 de agosto de 2011 09:30

    Que inspirador esse vídeo! Nós, educadores, ficamos esperançosos com os potenciais de um projeto como esse. Eles podem ser, de fato, transformadores na vida dos nossos meninos e meninas. Fico muito feliz em saber que Maringá e região estão pensando em viabilizar projetos tecnológicos para a educação. As cidades têm tudo para se tornarem cidades modelo para a educação do país. Vi um comentário sobre Ibiporã. Tenho família na região e conheci o projeto por lá. Os professores estão muito motivados com as conquistas que estão alcançando. O projeto é muito querido pelo prefeito, inclusive. Acho que vale uma conversa do pessoal da Amusep com eles para uma troca de ideias. Abraços e bom trabalho para vocês!

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.