Autor: Diniz Neto



Pacientes da UTI do HM são transferidos

Sete pacientes da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Municipal de Maringá, no norte do Paraná, precisaram ser transferidos às pressas para outros hospitais da cidade devido a uma queda de pressão na rede de oxigênio hospitalar, no início da tarde deste domingo (17).
De acordo com o secretário de Saúde, Jair Biatto, três pacientes foram levados para o Hospital Santa Rita, três para a Santa Casa e um para o Hospital Memorial. “Outros dois pacientes que estavam na unidade não precisaram ser transferidos porque não utilizavam oxigênio no tratamento”, explica.
O transporte dos pacientes contou com a ajuda do Corpo de Bombeiros, do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e de uma empresa particular. Segundo o secretário, os transferidos estão ocupando leitos do Sistema Único de Saúde (SUS) nos hospitais particulares da cidade. “Não houve nenhum prejuízo às pessoas transferidas”, garante Biatto.
Outros quatro pacientes da clínica médica, que utilizam oxigênio, não foram transferidos porque a rede ainda opera com baixa pressão. “Não podemos deixar aqui os pacientes que precisam de ventilação mecânica, que são casos mais graves, e demandam de alta pressão”, diz o secretário.
A UTI do Hospital Municipal tem 10 leitos e apenas dois estavam ocupados no final da tarde deste domingo. “Caso cheguem outros pacientes que não precisem de respirador, poderão ser internados normalmente na unidade”, indica.

1 Comentário


Inaugurado o 16º Centro Esportivo de Maringá

Foi inaugurado ontem, domingo, 17, o Centro de Iniciação ao Esporte do Jardim Paulista III. Além do prefeito, Ulisses Maia, secretários municipais e coordenadores de áreas da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (Sesp), a cerimônia teve a presença do deputado federal Enio Verri, dos vereadores Mário Verri, Do Carmo, Carlos Mariucci e William Gentil, lideranças do bairro, amigos e familiares do homenageado – professor Veldocir Roque Amboni – que dá nome ao complexo esportivo.
O secretário municipal de Esportes e Lazer, Valmir Fassina, destacou que o ginásio do Centro de Iniciação ao Esporte do Jardim Paulista III – com moderna quadra poliesportiva, de 40 metros por 20m de dimensão e iluminação com 33 refletores de 1.000 watts – será utilizado também como o 16º centro esportivo disponibilizado para a comunidade maringaense. “A administração entende que o município carece de estruturas de boa qualidade para desenvolver o trabalho de iniciação de novos atletas e, agora, com a revitalização do Complexo Esportivo e Cultural Brinco da Vila, na Vila Operária, e do Centro Social Urbano na Vila Morangueira, Maringá passa a ter o 16º centro de formação de talentos e de atendimento à comunidade”, disse.

1 Comentário


Prefeito de Arapongas elogia ações do ministro

Prefeito de Arapongas, Sergio Onofre, Jiroko Rosales, assessora da Prefeitura de Dallas, e o empresário Luiz Pontes

O prefeito de Arapongas, Sérgio Onofre (PSC), não pode receber o ministro da Saúde, Ricardo Barros, ontem á tarde, no seu município, mas fez questão de agradecer o apoio que ele e os demais prefeitos do país vem recebendo do Ministério da Saúde. A razão da sua ausência é justa: ele estava chegando de Dallas, nos Estados Unidos, onde foi aberto o show room da Feira “Brazilian Furniture Week”. O local ficará aberto em caráter permenante, um convênio com o porto de Dallas, empresas de Arapongas, com apoio do município, abrindo um canal permanente para exportações de móveis de Arapongas para os Estados Unidos. Atraso na conexão impediu o prefeiro de chegar em Arapongas a tempo.
O ministro da Saúde, Ricardo Barros, entregou R$ 1,5 milhão à UPA 24 horas. A UPA estava pronta, porém faltavam detalhes que o prefeito e a equipe encaminharam agora, em 2017, para o Ministério, colocando a UPA em condições de atendimento. O ministro também anunciou recursos mensais para o funcionamento da UPA, o que ampliará sobremaneira a capacidade de atendimento à população.
O prefeito Sérgio Onofre afirma que o ministro Ricardo Barros vem fazendo uma gestão positiva no ministério, formalizando parcerias com os municípios, que ficam na ponta do atendimento à população. Ele enumerou várias medidas e investimentos, como o recente anúncio de novas ambulâncias para municípios de todas as regiões do país.
O prefeito disse ainda que não falava apenas por ele, mas pelos demais prefeitos com quem tem contato, do Paraná e de outros estados. Para ele Ricardo é um ministro municipalista e de resultados, que tem coragem de enfrentar os problemas de frente e decidir de forma justa, com o objetivo de ampliar o atendimento de saúde a quem precisa.

1 Comentário


Suspenso ou expulso

A expectativa dos desafetos do senador Roberto Requião no PMDB estadual e nacional. Como o partido fará seu congresso nacional no dia 4 de outubro, em Brasília, até esperam que Requião, no mínimo, seja suspenso das atividades partidárias por 60 dias. No encontro, o presidente Michel Temer e o ex-presidente José Sarney serão homenageados. Ulysses Guimarães, fundador do PMDB, também será lembrado. “Guimarães será o ícone da resistência democrática, José Sarney aparecerá como o agente que consolidou a democracia e Temer como o que liderou a reconstrução do país pós-Dilma”, adianta a coluna Painel da Folha de S. Paulo deste domingo, 16.
Há algum tempo se fala na possível expulsão do senador. O processo está aberto no partido. Mas sobre “suspensão” foi a primeira vez que ouvi falar. Do jeito que vai, talvez fica difícil saber o que acontecerá.

Comente aqui


Economizando energia

Diretores da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Maringá (APAE) apresentaram nesta sexta, 15, sistema de energia solar fotovoltaico instalado na sede. O sistema faz parte do projeto beneficente para a instalação de placas fotovoltaicas e reduz gastos de energia elétrica, por meio da energia solar, sem infringir as normas ambientais. O serviço foi realizado em parceria com o Grupo Construserv e Rotary Cluib Maringá.
Representando o prefeito, Ulisses Maia, a secretária de Educação, Valkíria Trindade, falou sobre a importância do desenvolvimento sustentável nos espaços educacionais. “Hoje é um momento histórico e de aprendizado muito grande para todos, porque a educação ambiental e desenvolvimento sustentável ainda é um desafio que estamos aprendendo a construir. Parabéns pelo trabalho, que com certeza, servirá de exemplo para nossos espaços educacionais do município”, disse.
Com a iniciativa, a Apae segue o objetivo de zerar a conta de energia, que gera um custo médio de R$ 6,5 mil. O valor economizado será destinado a outras despesas da Associação. O presidente da Apae de Maringá, Fernando Meneguetti, agradeceu a parceria. “Agradeço de forma especial todos os nossos parceiros, pois as placas não têm apenas o valor econômico, mas também o nosso carinho. Já estamos com outros projetos de melhorias e vamos fazer acontecer, obrigada a todos”, destacou. Após a solenidade, o presidente fez apresentação das placas fotovoltaicas.

Comente aqui


Construir cidadania num país de privilégios

* Maria Alice Setubal

Sim, somos uma nação que naturalizou as desigualdades.
Essa é uma questão que há tempos me intriga, pois me parece óbvio que, para além do sentido de justiça e humanidade, desigualdade em excesso corrói o tecido social, a coesão entre indivíduos e espaço público, abre frentes para o crime organizado, compromete o crescimento sustentável e o futuro do país.
Todos os dias, somos bombardeados por dados, estudos e pesquisas que apontam para as diversas facetas das nossas enormes iniquidades: renda, educação, saúde, saneamento, segurança, moradia.
Em estudos e rankings internacionais, nosso posicionamento é sempre entre os últimos países, mesmo dentro do continente latino-americano. Estamos também entre os países com mais baixo nível de confiança nas pessoas e instituições, o que pode ser interpretado como uma consequência das desigualdades em excesso.
Para contornar essa situação, a opção das elites econômicas, políticas, intelectuais, artísticas e esportivas é assegurar os serviços privados básicos para nosso bem estar e, muitas vezes, morar encastelados em condomínios fechados.
Cenário que, como descreve o psicanalista Christian Dunker, nos aprisiona e fortalece o medo do desconhecido, tornando aquele que é diferente uma ameaça constante.
A valorização do indivíduo e a convivência exclusiva entre iguais têm acarretado o aumento da intolerância e dos preconceitos, amplamente difundidos nas redes sociais.
Diversos estudiosos têm apontado para o passado escravagista e patrimonialista como marcas ainda persistentes das nossas desigualdades.
Nesse sentido, somos ainda um país que valoriza em demasia as aparências, gosta das hierarquias e sempre consegue um jeitinho de fazer leis com diversas exceções e privilégios para grupos de interesse.
O antropólogo Roberto da Matta destaca que a igualdade é vivida como uma ofensa o Brasil, pois o anonimato associado à cidadania nos perturba; não queremos ser igual a todo mundo.
Embora nossa busca por mais equidade tenha começado tarde, é inegável que tivemos grandes avanços nos últimos 20 anos, com a expansão do acesso à educação, o aumento do salário mínimo, a implementação de programas de distribuição de renda, dentre outros.
Ao lado das políticas públicas, o avanço das tecnologias tornou possível o reconhecimento de inúmeras vozes antes excluídas do debate, especialmente entre os jovens que formaram coletivos e movimentos, em luta por microrrevoluções.
A grita geral na defesa da Amazônia ou os enfrentamentos das mulheres às questões da violência parecem ser sinais dessa insatisfação e da potência de grupos que querem ser ouvidos e não aceitam viver em um estado de paralisia até as eleições de 2018.
Diante de todo esse cenário, o que fazer?
A tessitura de vínculos de confiança que tornem possível a construção de diálogos e pontes entre os diferentes grupos que ocupam os mais diversos lugares na sociedade, cenário fundamental para a saída da crise, exigirá que nós, pertencentes às diferentes elites, possamos escutar, reconhecer o outro como igual no debate e construir, juntos, novas bases de diálogo.
O avanço no enfrentamento das desigualdades exigirá não apenas uma reflexão frente a nosso posicionamento como cidadãos, mas também o amadurecimento de questões centrais na sociedade contemporânea hoje, como a tributação progressiva, a universalização dos direitos para além da criação de políticas universais e a adoção da equidade e sustentabilidade como foco de todas as políticas.
Para que essa agenda possa disputar espaço nas próximas eleições, é preciso começarmos a nos organizar já, de modo que as conversas com familiares e amigos ou os debates em instituições e movimentos avancem para além do pessimismo e da desesperança, na direção de propostas concretas e elaboradas com a participação de diferentes grupos e setores da sociedade.

* Maria Alice Setubal, a Neca, é socióloga e educadora. Doutora em psicologia da educação, preside os conselhos da Fundação Tide Setubal e do GIFE. Fundadora e membro do conselho do Cenpec. Pesquisa educação, desigualdades e territórios vulneráveis

Comente aqui


Coluna do dia 17 de setembro, domingo

ENCONTRO EM ASTORGA Carlos De Paula esteve em Astorga, reunido com o ex-prefeito Carlos Keide, e a vereadora Suzie Pucille. Eles vão organizar um encontro do PP, na cidade.

MUDANÇAS O prefeito Ulisses Maia (PDT) faz a primeira grande mudança na equipe. O secretário de Meio Ambiente, Jaime Dallagnol sai. Entra em seu lugar Ederlei Alkamim.

SASC Ederlei deixa a SASC. Ainda não há um nome confirmado. Existe a possibilidade de um convite a entidades, para indicação de um nome.

PLANEJAMENTO Celso Saito sai. Em seu lugar deve assumir uma engenheira integrante do segundo escalão.

PREVIDÊNCIA O dentista Ricardo David deve deixar a Maringá Previdência. Também não tivemos acesso ao nome de quem assumirá.

DIRETORIAS Dema deve deixar a diretoria de Esportes. Na Educação também haverá uma troca de diretoria. Há outras diretorias que podem ter mudanças.

OUTRAS? No meio de estudos, podem surgir mudanças em outras secretarias. Mas não havia nada decidido, na sexta-feira, quando aconteceram algumas despedidas.

DEIXANDO O PMN O tenente Edson Luiz deixou a secretaria municipal e a tesouraria estadual do PMN. Ele também se desligou do partido.

INSATISFAÇÃO Desde a eleição municipal, em que fez mais votos do que alguns vereadores eleitos, o tenente Edson estava insatisfeito com o partido.

SUPLENTE O professor Cristiano Niero Astrath, de 36 anos, nascido em Cianorte, fez 1.874 votos para vereador. Ele é o primeiro suplente do PV.

DE BEM COM A VIDA O primeiro Ciclo de Palestras Idosos de Bem com a Vida será realizado em 10 de outubro, Bristol. Manhã, profissionais da saúde e correlatas. À tarde, para idosos, familiares, cuidadores e a todos os interessados. www.ciclodedebates.com.br.

CHAVES Inaugurada a Leo Chaves. Cel e zap: 99154 4393. Rua Antônio Bernardes, 279. Gente boa!

 

MUNICÍPIOS

LONDRINA O ministro da Saúde, Ricardo Barros, está anunciando, neste fim de semana a liberação de R$ 9,3 milhões para as cidades de Londrina, Arapongas e Medianeira.

ONTEM Ricardo esteve em Londrina onde anuncia o repasse de R$ 6,6 milhões para ampliação dos serviços no Hospital do Câncer.

ARAPONGAS Também no sábado, o ministro liberou mais R$ 1,5 milhão para a qualificação da UPA 24h que já funciona em Arapongas.

TOLEDO Hoje, o ministro participa da Festa do Porco no Rolete, em Toledo, onde anunciará R$ 1,2 milhão para habilitação de uma nova UPA 24h de Medianeira, que começa a funcionar e a receber recursos federais anuais de custeio.

NOVA ESPERANÇA O vereador Brayan Pasquini, de Nova Esperança, entregou pedido ao deputado Luiz Nishimori para um trator e um veículo para atender a Secretaria de Agricultura do Município, para melhor atendimento aos Produtores Rurais.

JURANDA O deputado federal Edmar Arruda participou do encontro regional das APAEs, em Juranda, na noite de sexta-feira. Presentes APAES de 11 municípios.

 

FRASE
“Quem apoia o vale-tudo mostra o vale-nada em que vive”. Padre Zezinho

 

PARA LEMBRAR

17 DE SETEMBRO, 12 horas, Arroz de Braga, no Centro Português de Maringá. Aberto ao público. R$ 30,00 por pessoa (bebidas à parte). Música ao vivo.

21 DE SETEMBRO, 18h30, na Uningá. Palestra com o Dr. Maurício Casa, especialista Invisalign e Tratamento Ortodôntico Estético. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no site da instituição: uninga.br.

 

ÚLTIMA
Não importa o que você diga, sempre alguém vai entender algo absolutamente diferente do que você quis dizer.

 

Comente aqui


Ministério da Saúde quer ampliar oferta do “Farmácia Popular”

Esta é uma notícia importante: O Ministério da Saúde iniciou uma rodada de negociações com a indústria farmacêutica e o setor de drogarias para ampliar o acesso aos medicamentos do “Farmácia Popular”. O ministério observou que, em média, os valores que paga pelos produtos de asma, hipertensão e diabetes estão 30% acima dos praticados pelo mercado. A estimativa é que, quando adequados, seriam economizados R$ 750 milhões. Assim, o custo do programa passaria de R$ 2,6 bilhões para R$ 1,85 bilhão atendendo o mesmo número de brasileiros. Os recursos obtidos podem ser utilizados para ampliar o acesso a medicamentos e a serviços da rede pública. Não há qualquer restrição de oferta para os pacientes que utilizam o programa.
Os valores praticados atualmente na venda de produtos do “Farmácia Popular” para o Ministério da Saúde obedecem as regras da CMED (Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos), a qual regula o mercado, e estabelece critérios para a definição e o ajuste de preços de medicamentos. A entidade estabelece um valor teto para a venda, mas os laboratórios e drogarias podem praticar preços menores para o consumidor. Em uma pesquisa feita pela pasta, foi observado que os descontos estavam sendo realizados para os clientes individuais, porém, não, para o Ministério da Saúde. Além de comprar em maior escala, o programa “Farmácia Popular” atrai consumidores para dentro dos estabelecimentos comerciais. Esse cenário está sendo levado para a mesa de negociações.
Outra análise é sobre a insulina. O Ministério da Saúde apresentou ao setor os valores de compra do produto. De forma centralizada, o valor de aquisição pela pasta, incluindo o custo da insulina NPH, a transferência de tecnologia, os impostos e a logística, sai por R$ 10. No “Farmácia Popular,” o desembolso do Ministério da Saúde é de R$ 27,50, um recurso suficiente para mais que dobrar a oferta de insulinas. O objetivo é sensibilizar os parceiros para diminuir essa diferença de custo.
A oferta dos medicamentos está mantida no programa. O objetivo da negociação é dar maior eficiência a utilização dos recursos públicos e garantir que não haja ônus para o SUS, além de buscar ampliar a oferta de produto e serviços da rede de saúde. A decisão será tomada conjuntamente com o setor para a garantia da continuidade do “Farmácia Popular” em todo o país.

Comente aqui


Congresso Brasileiro de Reumatologia apresentou novidades da especialidade

Termina hoje, perto das 13 horas, o XXXIV Congresso Brasileiro de Reumatologia, realizado no Centro de Eventos Florianópolis (CentroSul). Mais de 2.400 reumatologistas de todo o Brasil se inscreveram para o evento, que teve convidados de outros países, conferências, simpósios, debates e cursos. Novos consensos e diretrizes de tratamentos foram apresentados, ao lado de avanços em prevenção, diagnóstico e terapias.
O Paraná participou do evento com 150 reumatologistas e com um estande, onde a Sociedade Paranaense de Reumatologia (SPR) mostrou seu trabalho no estado. A ênfase é para a valorização dos médicos e da especialidade, com integração e regionalização, levando orientação e informações para todas as regiões do Paraná.
O médico Marco Rocha Loures, que preside a SPR, considerou o evento muito bom, de alto nível, importante para a troca de informações e conhecimentos, que resultam am atualização para os profissionais utilizadas em benefício dos pacientes.

TODAS AS IDADES As doenças reumáticas, estudadas e tratadas pelos reumatologistas, ocorrem em pessoas de todas as idades. Estão muito longe de ser “doenças de velhos”. Hoje são estudadas mais de 100 doenças, algumas bem conhecidas, como osteoporose, artrite, artrose, fibromialgia, lúpus e gota. Outras são mais raras e naturalmente menos conhecidas. Essas doenças geram nas crianças sintomas semelhantes aos que afetam os adultos, como dor e rigidez nas articulações e algumas delas podem levar a dano e limitações permanentes comprometendo o futuro do pequeno paciente.
O Dr. Marco alerta para a necessidade de atenção a estes sintomas, em pessoas de todas as faixas etárias. A rápida procura de um reumatologista pode ajudar, e muito, no tratamento e para evitar sequelas, muitas delas permanentes, sem possibilidade de reversão.
No site da SPR há uma sessão com a lista de todos os reumatologistas do Paraná. É possível acessá-la aqui.

CONVITE O presidente da SPR, reumatologista Marco Rocha Loures, levou aos colegas de todo o país um convite por uma mobilização nacional em favor da especialidade. Ele propõe a união em torno de um projeto que reúna, mobilize e integre os reumatologistas de todas as regiões do país, valorizando os profissionais e a especialidade, além de levar informações e conhecimento à população, em eventos públicos de responsabilidade social.

O site da SPR é reumatologiapr.com.br/

A fan page, com fotos e informações, pode ser acessada aqui.

3 Comentários


Jussara enfrenta epidemia de escorpiões

O município de Jussara, no noroeste do Paraná, enfrenta uma epidemia de escorpiões, segundo a prefeitura. A cidade, conforme a Secretaria Estadual de Saúde (Sesa), está entre as quatro do estado com o maior índice de picadas por escorpião neste ano. De janeiro a agosto deste ano, foram registrados 27 casos de pessoas picadas. Uma menina de dois anos, moradora da cidade, precisou ser internada depois de ser picada, mas se recuperou. Já outro menino de quatro anos, que levou uma picada enquanto dormia, morreu em agosto deste ano. Os escorpiões, que preferem o tempo seco, se escondem em meio aos entulhos, folhas, tijolos e madeiras que ficam nos quintais das casas. A prefeitura tem notificado moradores onde os escorpiões são encontrados. Em caso de reincidência, a multa pode variar entre R$ 100 a R$ 600. Há casos em que são encontrados mais de dez em um mesmo quintal, segundo Josafá José da Silva, diretor de endemias do município. “Se o morador fizer a limpeza do quintal, não vai ter escorpião. Agora se não faz, o risco está na própria residência”, afirma. No Paraná, foram registrados 800 casos de picadas por escorpiões nos oito primeiros meses do ano. As regionais de saúde de Maringá (168), no norte do Paraná, Paranavaí (107), no noroeste do Paraná, e Ponta Grossa (90), na região dos Campos Gerais, foram as que mais tiveram casos confirmados.
De acordo com o médico Henrique Martins, quando uma pessoa é picada por escorpião deve ser encaminhada a um hospital. “O médico vai avaliar a gravidade. Em quase 90% dos casos não precisa ser aplicado o antídoto”, explica.

Fonte: RPC

Comente aqui