Arte



Pedro Cardoso estrela a comédia “O autofalante” em Maringá

Um homem conta ter sido abordado por outro homem na rua, que afirma que os dois são a mesma pessoa. Como pode duas pessoas serem a mesma? Ou não são? Este mistério é elucidado ao longo da trama de “O autofalante”, monólogo protagonizado e dirigido por Pedro Cardoso que desembarca em Maringá na próxima sexta-feira […]

1 Comentário


More, uma história de amor e de vida pelo cinema

Recebi de Morimassa Miyazato, o More, o vídeo em que  ele fala da sua paixão pelo cinema.
Ele não economiza, no dia a dia, informações, conversas e textos sobre cinema.
O vídeo é resultado de entrevista a Fabiane Kitagawa. O produção e edição é de Ribamar Nascimento,  com apoio da Associação de Profissionais Cinematográficos de Maringá (Procinema).

Comente aqui
 

Alê Jordão apresenta trabalhos em apoio à luta contra o câncer de mama

Reconhecido pela arte de mesclar luzes e esculturas, o artista plástico Alê Jordão apresenta Neon Graffiti, projeto inédito em que se volta para o espaço público, retomando não somente seu ativismo pela inovação dentro da cena de arte urbana, mas escolhendo o Outubro Rosa como cenário para essa estreia. O mês é marcado por uma série de campanhas que visam despertar reflexões e conscientizar a população sobre a prevenção do câncer de mama.

O artista espalhará por diversos pontos da cidade sua tag Nunca Desista /Never Give up, espécie de assinatura com a qual grafiteiros se identificam. Desta vez, seus letreiros ganharão uma particularidade: serão todos em neon cor-de-rosa. Um dos primeiros locais a receber a intervenção será a APRAÇA, na Vila Madalena, local que desde 2016 abriga uma exposição permanente de Jordão em parceria com a Galeria Choque Cultural. No dia 14 de outubro, o espaço ganhará mobiliário urbano pink e a tag em neon em uma ação que convidará o público para uma festa a céu aberto.

Ao longo do mês, Alê Jordão promoverá ainda passeios-performances com uma de suas criações: uma carroça em neon pink fluorescente. A iniciativa visa, mais uma vez, chamar atenção para a causa. Na última semana de outubro, o artista promove em seu ateliê, no Itaim Bibi, uma oficina de neon voltada às mulheres e familiares engajados na luta contra o câncer de mama.

São Paulo e o neon – Característico de cidades efervescentes como Las Vegas, Nova York e Tóquio, o neon teve, também em São Paulo, uma ligação bastante forte com a cidade. Até o início dos anos 2000, regiões como a da Liberdade e do Baixo Augusta eram tomadas por comunicações visuais de neon. As lâmpadas coloridas a gás cumpriam não apenas um papel informativo, mas também decorativo, atribuindo a esses espaços um tom quase lúdico.

Essa história modificou-se radicalmente a partir da implementação da Lei Cidade Limpa, que aboliu a publicidade visual no espaço público em 2007. A Lei não teve piedade com a identidade cultural desses bairros e até os mais clássicos letreiros começaram a desaparecer.

Jordão saiu recolhendo algumas das peças, lançando luz, literalmente, sobre esses letreiros. Começou aí a sua relação com o neon. “Uma cidade sem a festa visual do neon não é uma cidade viva”, destaca o artista.

Artista – Alê Jordão estudou artes plásticas na Faap, em São Paulo, na segunda metade dos anos 1990, com Carmela Gross, Regina Silveira e Nelson Leirner – principal referência para o artista – e começou sua carreira profissional em 2001. Seu trabalho explora o campo entre arte e design, entre o objeto escultórico e o funcional. Realizou exposições individuais e coletivas em cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Paris, Milão, Roma, Londres, Munique, Estocolmo, Bruxelas e Miami.

Serviço:
APRAÇA ROSA
Endereço: Praça José Afonso de Almeida | Rua Simpatia, 2, Vila Madalena
Dia: 14 de outubro (sábado)
Horário: 15h
Entrada: Gratuita

Comente aqui
 

Cultura urbana, na praça: A arte que vem dos movimentos populares


A cultura urbana ganhou novo espaço em Maringá, com Adriano Bacurau, na Juventude, e o apoio nas demais secretarias, como Mulher, Igualdade e Idoso, Cultura, Educação e Esportes. Na foto, lado do Adriano, a professora Rosângela Panucci, diretora da Semulher, e Salete (fico devendo um nome…).
A 1ª Mostra de Arte de Rua, realizada hoje, teve música, dança e fotografia.
Cultura é fundamental para os jovens, de todas as idades. A cultura urbana, que nasce na cidade, nas mais diversas comunidades, sempre tem muita realidade, emoção e sentimento, de quem vive a cidade nas suas veias mais populares, cheias de sonhos, lutas e teimosia, garra, vontade e resiliência.
Gosto dessa abertura a coisas novas, a expressões legítimas que as vezes incomodam. Mas são elas que nos colocam de cara com o que a maioria da população sente e vivencia. Temos que aprender, muito, com a cultura urbana.

Comente aqui


Mostra de Arte de Rua, domingo, em Maringá

De Adriano Bacurau, que coordena o setor da Juventude na administração municipal, recebo a informação sobre evento nesse domingo.
A Mostra de Arte de Rua começa às 14 horas, na Praça Pedro Alvares Cabral, a famosa Praça da Patinação (ou banks para a galera da cultura urbana).
Muito importante o apoio que a cultura urbana vem recebendo da Juventude, da Semulher, da área da cultura e também do esporte.
As manifestações populares dos jovens são ricas em cultura e novas linguagens e merecem ser conhecidas e apoiadas.

Comente aqui


Ferreira Gullar, 1930-2016

fraseFerreira Gullar foi um protagonista. Criativo e inovador pagou o preço. Idealista, suas ideias políticas também custaram muito. Mas nunca parou. Continuou ousando e por isso a sua obra nem sempre foi compreendida ou aceita.
A frrase “a arte existe porque a vida não basta” revela mais do que um sentimento, uma atitude que manteve a vida toda.
Inquieto e sem medo do novo, do inédito, do único, do espanto, assim viveu e foi Ferreira Gullar.
Sua obra permanecerá e, quem sabe, será melhor entendida e valorizada daqui há alguns anos. Acho que ele foi uma daquelas pessoas que nasceram antes da hora e viveram a frente do seu tempo.

Comente aqui


Argila como arte e inclusão social

argila
Em Sarandi a Secretaria de Assistência Social tem obtido resultados positivos com as aulas de Escultura em Argila, desde o inicio do ano.
O trabalho é realizado por Valmir Batista da Silva, bacharel em Psicologia. Ele é o coordenador do Ateliê de Modelagem e Escultura em Argila na UEM e participou de diversas mostras no Paraná.
Cerca de 200 alunos participam das aulas no Centro de Referência de Assistência Social-CRAS, no Centro Integrado de Ações Pedagógicas Sociais-CIAPS e no Programa de Acolhimento Institucional Municipal- PAIM.
Valmir éxplica que a prioridade é privilegiar a relação lúdica, o desenvolvimento humano os preceitos da arte-terapia, que surgiu para promover a estruturação psíquica pela arte. A modelagem em argila auxilia a pessoa a se reorganizar internamente, a reestruturar-se psiquicamente, a adquirir autoconfiança e auto-estima, a detectar e descobrir potencialidades, além de estimular a formação de novas sinapses e de trabalhar os movimentos mais finos.
Nesse ano ele pode observar benefícios para adultos e crianças. Um dos segredos não ensinar apenas a arte, mas as técnicas, oferecendo liberdade aos alunos para criar de expressar os sentimentos.

Assessoria de Comunicação de Sarandi
Sueli Coelho Pacheco – (44) 3126-8900
Contatos com Valmir Batista da Silva: (44) 9942-5142

Comente aqui


Grupo Elenco, sexta e sábado, em Marialva

Nessa sexta (7) e sábado (8), ás 20h30, espetáculo de dança no Teatro de Marialva

Nessa sexta (7) e sábado (8), ás 20h30, espetáculo de dança no Teatro de Marialva

As apresentações do Grupo Elenco de Teatro, com o Musical Wonderland, foram um grande sucesso no final do ano passado.
Em razão disso foram realizadas apresentações extras.
Agora a montagem terá o seu encerramento com mais duas apresentações a pedido, nessa sexta-feira, dia 7, e sábado, dia 8 de março, às 20h30, no Teatro Sonia Silvestre, em Marialva.
O trabalho de Cultura do Município, coordenado por Antonia Celeste Tuca, é exemplar e referência no Paraná e em todo o país para municípios do interior.
Quem ganha é a população e, de forma muito especial, crianças, adolescentes, jovens e pessoas de todas as idades que têm a oportunidade de participar de projetos culturais criados e geridos com carinho e muita seriedade.

Imperdível!
Já reservei meu convite!

Comente aqui