Comércio



Comércio poderá abrir até 21 horas, hoje, sexta-feira (11)

Um acordo firmado entre o Sivamar (Sindicato dos Lojistas do Comércio Varejista e Atacadista de Maringá e Região) e o Sincomar (Sindicato dos Empregados no Comércio de Maringá) autoriza o funcionamento do comércio de Maringá, Paiçandu e Sarandi até às 21 horas desta sexta-feira (dia 11 de maio). O acordo, firmado num termo aditivo à […]

Comente aqui


Sábados em que o comércio estará aberto, em Marialva

A Associação Comercial e Empresarial de Marialva (Acimar) emitiu comunicado divulgando os sábados em que o comércio estará aberto todo o dia, até às 18 horas:
· 14 de Setembro (porque dia 7 é feriado)
· 05 de Outubro (porque dia 12 é feriado)
· 09 de Novembro (porque dia 2 é feriado)
· 07, 14 e 21 de Dezembro (devido à serem anteriores ao Natal)

Comente aqui


Exposição no Museu Cesumar retrata comércio das décadas de 40 e 50

O Museu Cesumar está com uma nova exposição no espaço temporário. A mostra é intitulada “Comércio Maringaense: Histórias e Ima­gens” e tem por objetivo resgatar a história do comércio existente na cidade entre as décadas de 40 e 50. São 11 os estabelecimentos retratados com objetos, fotos, informações e biografia de seus proprietários.
A exposição serve também para homenagear os primeiros comerciantes da cidade, segundo afirma a coordenadora do Museu, Tatiane Caparróz. “Muitos empreendimentos surgiram antes mesmo da fundação de Maringá, como a Casa Santo Antônio e a Casa Maringá, cujos proprietários auxiliaram no processo de colonização do município”, conta Tatiane.
A exposição retrata 20 anos da história comercial da cidade e conta ainda com uma espécie de “venda”, que simula como funciona­vam os comércios, contendo desde bebidas engarrafadas da época, pescados conservados no sal, objetos de uso doméstico a materiais de carpintaria.
A maioria dos estabelecimentos retratados são armazéns de secos e molhados, como a Casa Maringá, que foi o primeiro comércio montado na cidade; a Casa Planeta, referência em opções de produtos e a Casa Estrela, estabelecimento que mantém até hoje suas atividades, na avenida Riachuelo, Vila Operária, de propriedade de João da Silva, desde o ano de 1954.
De acordo com a diretora do Museu Cesumar, Loide Caetano, a exposição reúne informações históricas da cidade e para isso, o material exposto é composto pelo acervo do museu e objetos e documentos que foram emprestados pelos familiares dos proprietários dos estabelecimentos.
A mostra ficará aberta ao público até o próximo mês de fevereiro e a entrada é gratuita. O horário de visitas é de segunda a sexta das 8h30 às 17h45 e aos sábados das 10h às 16h. Durante a semana, o museu fecha na hora do almoço, das 12h15 às 14h.

Comente aqui


Comércio eletrônico cresceu 43% no Brasil

Os brasileiros movimentaram US$ 25 bilhões em compras pela internet, em 2011, mais da metade do total da América Latina.
O estudo de Comércio Eletrônico na América Latina, feito pela AméricaEconomia Intelligence e encomendado pela Visa, revelou que entre 2010 e 2011, o comércio eletrônico cresceu 43% no Brasil, superando o valor total de US$ 25 bilhões, o que representa mais da metade do total da América Latina. Este volume colocou o Brasil, no posto de primeiro país latino-americano a conseguir que as vendas online atingissem 1% do seu PIB.
Segundo o estudo, nos últimos dois anos, o Brasil e a América Latina mostraram um significativo crescimento em vendas no e-commerce, devido a vários fatores determinantes no comportamento de compra da população entre eles: maior segurança e confiança no momento da compra, plataformas de negociação derivadas de novos canais como o social commerce (comércio proveniente de plataformas sociais), reformas governamentais que contribuíram para o incentivo ao e-commerce, aumento do nível de bancarização, além de um maior uso dos meios de pagamentos eletrônicos, como os cartões de crédito.
“Embora o uso do cartão de crédito contribua significativamente para o aumento das oportunidades de consumo na internet, hoje também é fundamental considerar as possibilidades oferecidas pelos cartões de débito Visa Electron”, afirmou José María Ayuso, vice-presidente global de Produtos da Visa Inc. “No momento em que o Visa Electron chegar a ser amplamente aceito na internet, o comércio eletrônico crescerá ainda mais, já que permitirá que aqueles sem acesso à linhas de crédito, também possam comprar pela internet com Visa Electron”.
O executivo ainda pontua que quando comparado com o boleto e a transferência entre contas, o Visa Electron oferece mais conveniência para o portador e maior conversão de vendas para as lojas online.
Em ordem percentual, os países da América Latina e do Caribe que apresentaram maior participação, no total das compras de e-commerce são: Brasil, responsável por 59,1% das vendas no comércio eletrônico, seguido pelo México, que registrou 14,2%. O Caribe contribuiu com 6,4%, Argentina com 6,2%, Chile (3,5%), Venezuela (3,3%), América Central (2,4%), Colômbia (2%) e Peru (1,4%).
Quanto às tendências que contribuíram para a evolução acelerada em compras on-line na região nos último dois anos, a AméricaEconomia Intelligence destaca:
• Social commerce e o fenômeno dos cupons: a adoção das redes sociais na América Latina permitiu a abertura de novos canais para a realização de transações on-line. Canais de descontos com o uso dos cupons, que funcionam como clubes de compras coletivas, estão transformando o comportamento dos consumidores com estratégias inovadoras de negócios.
• Maior segurança e mais confiança ao fazer compras online
• Segurança: Guillermo Rospigliosi, diretor-geral da CyberSource para a América Latina e Caribe, empresa da Visa que processa a gestão de pagamento e realiza sistemas de gerenciamento de segurança contra fraudes de mais de 370 mil empresas no mundo, assinala que 68% das lojas eletrônicas da América do Norte utilizam pelo menos três ferramentas antifraude, o que possibilita que as transações realizadas por seus clientes ocorram de maneira mais confiável e segura. Na América Latina, as empresas estão focando seus esforços em identificar soluções eficientes para oferecer o melhor nível de segurança aos seus clientes.
• Maior confiança: Os esforços para gerar uma melhor logística de compra, distribuição, recebimento ou devolução de produtos tem se aperfeiçoado muito mais por parte dos comércios que operam online. No Brasil, por exemplo, é possível devolver um artigo comprado em formato digital, sem custo para o cliente, aumentando a confiança na experiência de compras.
• Maior oferta de e-Tailers (comércios online): Motivadas pela grande expansão do e-commerce no Brasil e em toda a América Latina, muitas empresas de grande porte estão com as atenções voltadas ao continente latino-americano para aumentar oportunidades de negócios em e-commerce, por meio de plataformas inovadoras para que a experiência de compras seja mais ágil e eficiente.
• Maior bancarização: O desenvolvimento econômico na região permitiu que a nova classe média, que não exercia qualquer tipo de atividade comercial há dois anos, agora faça parte da economia, formalmente, graças ao acesso aos meios de pagamentos eletrônicos, o que também contribuiu para o crescimento das compras online.
De acordo com o estudo, espera-se que a região experimente um crescimento de 26% no comércio eletrônico em 2012, e de 28,5%, em 2013. Da mesma forma, espera-se que até 2015, a internet móvel gere uma maior atividade de compra, uma vez que a penetração de smartphones deva chegar a 50%.

Nota:
Os resultados da primeira parte deste estudo se baseiam em pesquisas realizadas pela AméricaEconomia Intelligence entre 2010 e 2011, na América Latina e no Caribe, com base em informações fornecidas por fontes oficiais de cada país (Câmaras ou Associações de comércio eletrônico). A informação foi caracterizada e complementada com a análise da indústria e de relatórios financeiros de grandes empresas, especialistas e um pesquisa criada pela AméricaEconomia Intelligence.
Sobre a Visa: a Visa é uma companhia global de tecnologia de pagamento que conecta consumidores, empresas, instituições financeiras e governos, em mais de 200 países e territórios, com uma moeda digital rápida, segura e confiável. Essa moeda digital tem o suporte de uma das redes de processamento mais avançada do mundo – a VisaNet –, capaz de processar mais de 20 mil transações por segundo, com proteção contra fraudes para os consumidores e garantia de recebimento aos comércios. A Visa não é um banco, não emite cartões, não concede crédito nem fixa juros e taxas aos consumidores. As inovações da Visa permitem às suas instituições financeiras clientes oferecerem mais opções aos consumidores finais: pagar na hora com o débito, adiantado com o pré-pago ou depois com os produtos de crédito. Para mais informações, visite www.moedadoprogresso.com.br e brasil.blog.visa.com.

Contatos Visa:
Sabrina Sciama, Visa do Brasil
(11) 2102-0021 , [email protected]
Priscilla Natale, Ketchum
(11) 5090-8934 , [email protected]
Fernanda Francisco, Ketchum
(11) 5090-8936 , [email protected]

Comente aqui


Oportunidades de compras governamentais

O evento foi programa do pelo Sebrae para as micro e pequenas empresas com o objetivo de fomentar a participação dos seus empresários nas compras governamentais.
O evento “Fomenta” pretende mostrar que os pequenos têm muitas oportunidades de negócios com os setores públicos.
A abertura do evento será às 8h30, no Sebrae Maringá, à Avenida Bento Munhoz da Rocha Rocha Neto, 1116.
O Fomenta terá programação pela manhã e à tarde.
Informações estão no site www.fomentapr.com.br.

Comente aqui


Brasileiros estão mais receptivos para compras on-line

O consumidor brasileiro está cada vez mais receptivo e assertivo para as compras on-line, principalmente a classe C. É o que confirma o 2º Estudo Global Neoconsumidor, realizado pela GS&MD – Gouvêa de Souza em junho de 2011. O estudo feito com 10,5 mil internautas de 15 países aponta que 96% dos usuários brasileiros já fizeram compras pela internet, a média global é 90%.
Entre as categorias mais consumidas pelos internautas brasileiros estão os eletrônicos, com 76%, e os cosméticos com 51%. “Apesar do grande crescimento, a loja física ainda é a grande preferência do consumidor”, afirma Luiz Goes, coordenador do estudo. Apesar do otimismo relacionado ao e-commerce as lojas físicas ainda representam 95% das vendas no país.
Quando o assunto é objetividade no momento da compra, a média é de 29% contra 23% do estudo anterior, realizado em 2009. Dentro desse percentual a classe C representa 37% daqueles consumidores que escolhem de maneira assertiva os produtos.
O estudo mostrou questões de segurança, como passar informações bancárias e pessoais, também são encaradas com mais naturalidade. Hoje 48% não efetuam a compra porque precisa informar os dados bancários, no estudo anterior 55% deixa de finalizar a compra.

Por Giane Laurentino / Newtrade

Comente aqui


Comércio aos domingos, em Maringá

Recebo de leitor do blog o seguinte comentário e sugestão: “Aqui em Maringá deveríamos fazer um movimento pela abertura dos supermercados e shoppings aos domingos. Não aguento mais, os meus parentes vêm de Presidente Prudente, que é menor que Maringá, e ficam fazendo brincadeirinhas sobre isso… e olha que Prudente tem 250mil habitantes, bem menor do que Maringá e já está mais desenvolvida nesta área.
Nao precisaria de mercado 24horas, mas,  noss domingos e feriados deveriam abrir. Vêm muita gente de fora e a cidade está crescendo.
Acredito que Maringa ganharia muito com a abertura de supermercados nos domingos e feriados.”
Realmente nas grandes cidades há opções de compra todos dias da semana, inclusive na grande maioria dos feriados.

7 Comentários