Educação



Inscrições ao vestibular Uningá: Último dia

Hoje, 16 de novembro, quinta-feira, é o último dia para as inscrições ao Vestibular 2018 módulo II, da Uningá. As provas serão realizadas no dia 26 de novembro das 8 às 12 horas no campus de Maringá, na avenida Morangueira.
O processo seletivo oferece vagas em 24 cursos presenciais. As inscrições podem ser feitas pelo site da instituição www.uninga.br.

EAD
Para os cursos do Ensino a Distância (EAD) o prazo de inscrições segue até 27 de janeiro, com isenção de taxa e desconto de 50% na primeira mensalidade para os aprovados.
Os candidatos do EAD também fazem as inscrições pelo site, onde agendam a data, horário e local da prova, que pode ser realizada no campus de Maringá e nos polos de apoio. O AED da Uningá oferece 42 cursos.

Comente aqui


Prazo de inscrições do Vestibular Uningá termina nesta quinta-feira

Termina nesta quinta-feira, 19 de outubro, o prazo de inscrições do Vestibular 2018 da Uningá para 25 cursos de graduação. O curso de Medicina encerrou o prazo de inscrições do vestibular na semana passada. Os candidatos para os demais cursos tem até as 16 horas deste dia 19 de outubro para confirmar as inscrições através do site http://uninga.br/vestibular.
As provas serão realizadas no dia 29 de outubro, no campus da instituição em Maringá das 8 às 12 horas. O resultado será divulgado no dia 24 de novembro. As inscrições não tem custo para os candidatos.
Para os cursos do Ensino a Distância (EAD) o prazo de inscrições segue até 27 de janeiro, também com isenção de taxa e desconto de 50% na primeira mensalidade para os aprovados. Os candidatos do EAD também fazem as inscrições pelo site, onde agendam a data, horário e local da prova, que pode ser realizada no campus de Maringá e nos polos de apoio.

Comente aqui


Sou Professora!

Sou Professora!

Quando digo que sou professora de educação infantil em geral, me respondem: “Ah!” tão insípido, que gostaria de dizer:
Meu caro(a) eu não passo fome, consigo honrar com meus compromissos e sim, me sinto realizada no que faço!
Em que outra profissão eu poderia por laços no cabelo, fazer penteados inovadores e ver um desfile de moda todas as tardes?
Onde te diriam todos os dias: “Você é linda” e “Eu te amo”
Em que outro trabalho te abraçariam para te dizerem o quanto te querem bem?
Em que outro lugar esqueceria das tuas tristezas para atender a tanto joelho esfolado e coração afligido?
Onde receberias mais flores?
Onde mais poderias ajudar na escrita de
uma mãozinha que, quem sabe, um dia poderá escrever um livro.
Em que outro lugar receberias de presente um sorriso como este?
Em que outro lugar te fariam um retrato grátis através de um desenho?
Em que outro lugar as tuas palavras causariam tanta admiração?
Em que trabalho te receberiam de braços abertos depois de teres faltado um dia?
Onde poderias aprofundar os teus conhecimentos sobre super heróis, bichos da seda, caracóis, formigas e borboletas?
Em que outro lugar derramarias lágrimas por ter que terminar um ano de relações tão felizes?
Sinto-me grande trabalhando com os pequenos!
A todos os professores de educação infantil, que tanto semeiam para que outros recolham…
A todos os que escolheram esta profissão…

Feliz Dia dos Professores!

* Texto destacado pela professora da rede pública de Maringá Maria Agusta Soares, neste Dia do Professor.

2 Comentários


Falta menos de um mês para o Enem

Contagem regressiva para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017: falta menos de um mês para o início da aplicação das provas, marcadas para os dias 5 e 12 de novembro. Os candidatos inscritos precisam lembrar de verificar o cartão de confirmação da inscrição, que será liberado para impressão no dia 20 deste mês e pode ser acessado pela página do exame.

O aluno deve informar seu CPF e a senha cadastrada no momento da inscrição para ter acesso ao cartão de confirmação. Constam do documento o número de inscrição, a data das provas, locais e horários (abertura dos portões às 12h, fechamento às 13h e início dos testes às 13h30, no horário de Brasília). No cartão também é informado se o estudante pediu atendimento especializado e ou específico e qual foi sua opção de língua estrangeira – inglês ou espanhol.

Novidades – A edição deste ano tem várias novidades. A primeira delas é a realização do exame em dois domingos consecutivos. No primeiro dia, os estudantes terão cinco horas e meia para resolver as provas de ciências humanas, linguagens e redação. No segundo, quatro horas e meia para matemática e ciências da natureza. Até o ano passado, o Enem era realizado em um sábado e um domingo, no mesmo fim de semana. A prova de redação era aplicada no segundo dia do exame.

Outra mudança é que, a partir deste ano, o Enem não poderá ser usado para certificação do ensino médio. A função volta a ser do Exame Nacional de Certificação de Jovens e Adultos (Encceja). Nesta edição, também estará disponível um novo recurso de acessibilidade para pessoas surdas ou com deficiência auditiva: a videoprova traduzida em Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Segurança – Dois recursos de segurança passarão a ser utilizados no Enem 2017. Um deles é a prova personalizada com nome e número de inscrição do participante. O outro se refere aos detectores de ponto eletrônico, novidade que foi apresentada na última semana, durante o Encontro Nacional para Alinhamento Operacional do Enem 2017, em São Paulo.

Trata-se de um receptor avançado de detecção de campo próximo, capaz de captar a emissão de sinais em radiofrequência de wifi, bluetooth, celulares e transmissões ilegais. O aparelho Andre, da marca Rei, fornecido pelo grupo Berkana, detecta transmissões de radiofrequência, independentemente de serem desconhecidas, ilegais, disruptivas ou de interferência.

O recurso será usado para localizar e identificar, com precisão e sem a necessidade de busca pessoal, participantes que tentarem usar pontos eletrônicos ou aparelhos de transmissão e que, eventualmente, possam ter burlado a inspeção por meio dos detectores de metal. A adoção dessa nova tecnologia reforça a estratégia de segurança do Enem, que já utiliza detectores de metais para a fiscalização e identificação de aparelhos eletrônicos. Os detectores são usados desde 2014 de forma amostral e estarão presentes em todas as 13.620 coordenações de aplicação do Enem 2017.

Comente aqui


Seminário Regional da Educação marcado para 25 de outubro


Com o tema “Gestão da Educação Municipal”, o III Seminário Regional da Câmara Técnica do segmento, da Associação dos Municípios do Setentrião Paranaense (Amusep), vai ocorrer no dia 25 de outubro, uma quarta-feira, em Maringá. A data e os assuntos a serem debatidos no evento foram definidos durante reunião, realizada na tarde desta quinta-feira (28), na sede da entidade.
O local das atividades será o auditório da Associação Comercial e Empresarial de Maringá (Acim), com capacidade para 200 pessoas. As vagas serão distribuídas entre as secretarias municipais de Educação das 30 cidades da área de abrangência da Amusep. A programação terá início às oito horas, com encerramento previsto para as 17 horas.
Pela manhã, os trabalhos serão conduzidos pelo promotor de Justiça da Infância, Juventude e Pessoa com Deficiência, de Presidente Prudente (SP), Luiz Antônio Miguel Ferreira. Ele vai falar sobre o acesso das crianças aos centros municipais de Educação Infantil (CMEIs). Na faixa etária de zero a três anos, quais devem ser as prioridades e os requisitos para o preenchimento das vagas nas creches; quais argumentos devem ser usados no atendimento às famílias; aspectos legais, entre outros assuntos.
À tarde, o horário vai estar reservado para o secretário Municipal de Educação de Novo Horizonte (SP), Paulo Magri. Há mais de uma década e meia no cargo, o professor de Matemática e pedagogo se notabilizou no cenário nacional por desenvolver uma metodologia, que levou a cidade dele a exibir o segundo melhor Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), principal indicador brasileiro da qualidade do ensino, do País.
Para a coordenadora da Câmara Técnica, secretária Municipal de Educação de Mandaguari, Adenise Batista Rodrigues, os temas escolhidos são oportunos e vão aprimorar a qualificação dos profissionais da área que atuam nas cidades da Amusep. “As palestras vão proporcionar ferramentas para melhorarmos, ainda mais, o acolhimento aos alunos e o relacionamento com os pais”, destaca.

Tempo integral – Outro assunto da pauta da reunião desta quinta-feira foi a escola em tempo integral. Ficou decidido que na segunda quinzena de novembro, a Câmara Técnica vai promover um encontro para debater o tema. O evento será destinado, exclusivamente, para os secretários e diretores da Pasta. O objetivo será apresentar experiências existentes, casos de sucesso, as dificuldades enfrentadas na implantação, erros a serem evitados.
Adenise ressalta ser necessário aprofundar a discussão, conhecer modelos e fontes de inspiração para aperfeiçoar o sistema. Ela defende que o ensino em tempo integral precisa ser encarado como uma forma de reforçar o aprendizado e consolidar o conhecimento. “Os dois períodos que o aluno passa na escola são para ampliar os horizontes dele. Para torná-lo melhor como pessoa e cidadão”, frisa.

Comente aqui


Fórum Municipal de Educação será instalado hoje, às 14 horas

Às 14 horas, na Câmara de Maringá acontecerá a posse do Fórum Municipal de Educação que participará do processo de concepção, implementação e avaliação da política municipal de educação no município de Maringá.
Participam do Fórum a Secretaria Municipal de Educação, o Núcleo Regional de Educação de Maringá, o Cobselho de Educação de Maringá, o conselho do FUNDEB, a Câmara Municipal de Maringá, o Sindicado dos Servidores Públicos Municipais de Maringá, o Sindicato dos Servidores Públicos Estaduais de Maringá, o Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Noroeste do Paraná e a Universidade Estadual de Maringá.
O Fórum deverá realizar conferências municipais, acompanhar o Plano Municipal de Educação e o cumprimento das suas metas, promover a articulação das conferências municipais de educação com as conferências regionais, estaduais e nacionais.

2 Comentários
 

Dona Diva, que emocionou o país, faz palestra em Mandaguari

A professora Diva faz palestra hoje em Mandaguari

No fim de julho a professora aposentada Diva Guimarães se tornou a principal personagem da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip), no Estado do Rio de Janeiro, ao fazer um discurso de improviso sobre racismo e preconceito. O fato aconteceu quando o ator Lázaro Ramos e um escritor português participavam de um debate sobre discriminação racial. Em determinado momento a professora pediu a palavra e fez um breve relato sobre as situações constrangedoras que sofreu ao longo da vida e o que teve de fazer para superar o preconceito e se firmar na profissão e na sociedade. As palavras dessa descendente de escravos arrancaram lágrimas do ator e de boa parte da plateia que acompanhou o discurso e serviram para reascender o debate sobre racismo no Brasil.

A convite da Comunidade Social Cristã Beneficente (CSCB), Diva, que é paranaense e mora em Curitiba, estará em Mandaguari no dia 18 de outubro, quando irá conversar com as crianças que participam do Projeto de Literatura mantido pela instituição e em seguida fará uma palestra no Centro de Convenções Dr. Décio da Silva Bacelar. A renda obtida com a venda dos ingressos da palestra será revertida para manutenção das atividades e projetos da entidade.

Quem é Diva Guimarães

Nascida em Uraí, no Norte do Paraná, Diva Guimarães é filha de uma parteira e de um funcionário da rede ferroviária. Ao longo da vida, a professora passou, e ainda passa, por situações constantes de preconceito que em alguns casos extrapolaram o âmbito das humilhações morais e se transformaram em agressões físicas. O convívio com essa hostilidade fez com que a mulher optasse por não ter filhos para que eles não sofressem as mesmas intolerâncias que ela sofreu.

Primeira pessoa de sua família a obter uma graduação, a professora encontrou nos estudos a arma para lutar contra o preconceito e conquistar seu espaço. “A educação me salvou, sobrevivi graças aos estudos”, disse em entrevista à revista Veja.

Para comprar o material escolar de Diva e dos outros 12 irmãos, a mãe da professora lavava roupas para fora. Além das dificuldades financeiras, ela era rejeitada na escola por ser a única negra da turma. Em entrevista ao jornal O Globo, Diva relatou que em um dos colégios que estudou, as freiras contavam uma história que Deus teria feito um rio pelo qual todas as pessoas teriam que passar. Os mais fortes e inteligentes teriam sido os primeiros a cruzar o curso d’água e por isso perderam a cor da pele e se tornaram brancos. Já os mais preguiçosos só fizeram a travessia quando restava apenas a lama do rio e por isso mantiveram a cor da pele ficando só com as solas dos pés e as palmas das mãos brancas.

Ela ainda enfrentaria outros episódios de preconceito protagonizados por religiosos. Em 1962, quando saiu de Cornélio Procópio, onde morava, para estudar Educação Física na Universidade Federal do Paraná (UFPR), em Curitiba, o padre da cidade a questionou se ela sabia como eram chamadas as mulheres que saíam de casa sob o pretexto de estudar. “Achavam que as negras que faziam isso eram prostitutas”, disse. Também não faltaram casos de injúria no ambiente universitário, onde ela era a única negra entre os milhares de alunos da instituição. “Quando fazia Fisioterapia na Universidade Tuiuti do Paraná, não quis emprestar meu caderno a uma colega e, no intervalo, ela e as amigas ameaçaram me bater. Uma das alunas disse que eu deveria agradecer por elas permitirem que eu me sentasse ao lado delas. Comportamentos assim são constantes”, lamentou na entrevista que concedeu para a “Veja”.

Serviço

As experiências vividas por Dona Diva, bem como os exemplos de como a leitura e a educação a ajudaram a superar as barreiras e conquistar seu espaço na profissão e na sociedade poderão ser conhecidos na palestra que ela fará no Centro de Convenções no dia 18 de outubro, às 19h30. Os convites custam R$ 25 e começam a ser vendidos esta semana na sede da comunidade, que fica na Rua Vereador João Xavier, nº 131, próximo ao Colégio Estadual José Luiz Gori e ao Parque da Pedreira. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (44) 3233-4700.

*Matéria publicada na 225ª edição do Jornal Agora

Comente aqui


Estado doa a Maringá o terreno da Escola Zuleide Portes

A vice-governadora Cida Borghetti anuncia a doação do Estado a Maringá do terreno onde funciona a Escola Municipal Zuleide Samways Portes, no Jardim Alvorada. O decreto de doação foi assinado pelo governador Beto Richa e publicado na edição de hoje (terça-feira, 12) do Diário Oficial.
O terreno de cerca de 5,6 mil m² de área total e 2,1 mil m² de área edificada está avaliado em aproximadamente R$ 3,7 milhões.

2 Comentários


Cindepar promove curso sobre gestão escolar, amanhã (16), em Maringá


O Consórcio Público Intermunicipal de Inovação e Desenvolvimento do Estado do Paraná (Cindepar) realiza, neste mês de agosto e em diferentes localidades, o curso “Gestão Escolar para Resultados”. Dia 16, quarta-feira, será em Maringá, das 8 às 12 horas, na Universidade Estadual de Maringá UEM – Campus Sede – Bloco B 33 – Auditório do Programa de Desenvolvimento Educacional – PDE – Av. Colombo, 5790 – Zona 7 – Maringá PR.
O evento, gratuito, é direcionado para secretários de Educação, equipe de servidores e diretores de escolas da região.
A palestra será do professor-doutor Gilberto Porto Barbosa, do instituto Publix, de Brasília. Porto é mestre em Administração da Fundação Getúlio Vargas e especialista em Gestão Estratégica pela Harvard Business School.

INSCRIÇÕES – Para participar do curso “Gestão Escolar para Resultados” em Maringá, o interessado deverá fazer sua pré-inscrição através do www.rededaeducação.net.br até dia 15, terça-feira. Será concedido certificado de participação. Informações pelo telefone (43) 3356-1414, em Londrina.

Comente aqui