Morte



Padre Geraldo Schneider morre, aos 81 anos

Padre Geraldo Schneider

Morreu hoje, às 6 horas, o padre Geraldo Schneider, aos 81 anos. Ele estava na casa dos padres idosos, anexa à residência de Dom Anuar Battisti. Padre Geraldo teve um infarto fulminante. Schneider sofria de insuficiência cardíaca e renal crônica.

O velório será realizado a partir das 16h na Catedral de Maringá. A última missa de corpo presente será celebrada nessa terça-feira (14) às 15h30. Logo após a celebração o corpo do padre Geraldo será cremado, a pedido do próprio presbítero. As cinzas serão depositadas no ossário da Catedral de Maringá.

O Arcebispo de Maringá, Dom Anuar Battisti, pede que, ao invés de coroas de flores, quem quiser, pode fazer doações em dinheiro na secretaria da Catedral. O valor arrecadado será destinado às obras sociais que o padre Geraldo criou.

Na página da Arquidiocese está publicado um texto sobre o padre Geraldo Schneider, que escreveu seu nome na história de Maringá.

Comente aqui


Dirceu Oscar de Mattos

O conheci há muito anos, sempre militando no esporte. Atleta, dirigente, árbitro, comentarista. Alto astral, bom papo, amigo. Presidia a Liga Desportiva Amadora de Maringá e era assessor do deputado federal Luiz Nishimori.
Hoje chegou a hora da notícia que ninguém queria dar: Dirceu morreu, vencido por uma doença agressiva, semelhante à leucemia.
Nas redes sociais é possível perceber como ele é admirado e tem amigos.
Muita tristeza nos meios esportivos, especialmente entre os profissionais da comunicação que conviveram com ele, por muitos anos.
Uma perda irreparável.

O velório será a partir das 20 horas desta segunda-feira, na Sala 3 do Prever, em frente ao Cemitério Municipal de Maringá. O sepultamento será amanhã, terça-feira, dia 5 de setembro, às 10h30.

1 Comentário


Morre a ex-vereadora Márcia Socreppa

Na madrugada deste domingo, 30 de julho, morreu Márcia Socreppa. Ela nasceu em Irati, tinha 62 anos e foi vereadora em três legislaturas (2001 e 2009 e 2013 a 2016).
Márcia também foi secretária de Educação, de 2009 a 2011, e presidiou a Fundação de Desenvolvimento Social de Maringá, de 1993 a 2000).
Aconteceu um velório no Cemitério Parque, no começo da manhã. Neste momento o corpo segue para o Cemitério Parque Iguaçu, em Curitiba, onde acontecerá o supultamento.

2 Comentários


Cantora morre no palco

A cantora francesa Barbara Weldens morreu durante o concerto que realizava na igreja de Goudron, na França, durante o Festival Léo Ferré, nesta quarta-feira (19). Segundo apurações da rádio Europe1, Barbara teria morrido eletrocutada. Um inquérito para a investigação do caso foi aberto. Ainda de acordo com informações da rádio, Barbara sofreu uma parada cardíaca e não houve tempo para a equipe médica prestar socorro quando chegou ao local. Jovem talentoBarbara Weldens tinha 35 anos e, em 2016, recebeu venceu o concurso de jovens talentos no Festival l Jacques Brel além do prêmio de revelação pela Academia Charles Cros.
No início de fevereiro, a cantora havia lançado se primeiro álbum, intitulado “Le grand H de l’homme”.

Comente aqui
 

Inesperado

Causou consternação a morte do policial Cortez e da investigadora Marileia, em acidente nas proximidades de Maringá.
A Prefeitura publicou no seu site uma Nota de Pesar:
“A Prefeitura de Maringá se solidariza à Polícia Civil do Paraná pela morte na madrugada desta quinta-feira (20), do superintendente da 9ª SDP, Hoxisley Cortez, 46, e a investigadora de polícia Marileia de Carvalho, 48. O superintendente Cortez tinha 21 anos de serviço na área de segurança e a investigadora Marileia 15 anos de carreira policial”.

Comente aqui


Morre Zé Eduardo, em Londrina

O portal de O Diário, redação de Londrina, e o Blog do Zé Otávio, informaram hoje de manhã sobre a morte de José Eduardo de Andrade Vieira, conhecido na política como Zé Eduardo, eleito senador pelo Paraná, pelo PTB, no começo dos anos 90, como o Zé do Chapéu.
Ele presidiu o Bamerindus, desde 1981. Em 1990 foi eleito senador, pelo PTB, em campanha independente.
Essa eleição tem uma história que envolve o acordo de coligação do PTB com o PL, não confirmado na convenção trabalhista. O adversário mais forte de Zé Eduardo foi o jovem empresário Tony Garcia (PRN).
A forte candidatura independente ao Senado deixou a disputa ao governo ainda mais acirrada, com José Carlos Martinez (PRN), Roberto Requião (PMDB) e José Richa (PSDB). O segundo turno foi entre Martinez e Requião, com direito a Ferreirinha, virada e vitória de Requião.
O senador foi ministro nos governos Itamar e Fernando Henrique Cardoso.
Atualmente, aos 76 anos, completados em 30 de dezembro, era dono e administrador do Grupo Folha, de Londrina.
O empresário estava internado em um hospital e teve uma parada cardiorrespiratória.

Comente aqui


Antonio Ermírio de Moraes (04.06.1928-24.08.2014)

Antonio Ermírio de Moraes nasceu em São Paulo, no dia 4 de junho de 1928 e morreu ontem, na noite de domingo. Foi, sem dúvida, uma pessoa diferenciada, líder nas empresas e destacado no que fazia.
Do pai herdou empresas e negócios que fez crescer e prosperar.
Diplomou-se engenheiro metalúrgico em 1949 na Colorado School of Mines dos Estados Unidos e, em 1989, recebeu daquela escola o título de “Doutor em Metalurgia”.
Antônio Ermírio de Moraes foi empresário, Presidente do Conselho de Administração do Grupo Votorantim (com 96 anos). As principais áreas de atuação do gruopo são metais, cimento, papel, química, eletricidade, sucos e outras.
Ao lado do trabalho industrial, Antônio Ermírio desenvolveu uma intensa atividade no campo da saúde, em especial, no Hospital da Beneficência Portuguesa em São Paulo. A instituição mantém cerca de 60% dos seus serviços à disposição dos pacientes carentes e conveniados com o Sistema Único de Saúde – SUS.
Durante toda a sua carreira de trabalho, Antônio Ermírio participou ativamente dos principais movimentos de desenvolvimento e democratização do Brasil, com um engajamento direto e pessoal em inúmeras campanhas voltadas para a geração de emprego e melhoria da educação e da saúde dos brasileiros.
Antônio Ermírio de Moraes também dedicou-se a escrever artigos, publicados em jornais e revistas de âmbito nacional.
Seu hobby era o teatro. Escreveu e produziu três peças teatrais, focalizando problemas brasileiros, que foram representadas em várias cidades do Brasil: Brasil S.A., SOS Brasil e Acorda Brasil.
Era membro da Academia Paulista de Letras.

1 Comentário


Rubem Alves

Morreu hoje Rubem Alves, aos 80 anos

Morreu hoje Rubem Alves, aos 80 anos. Arte de Thiago Rocioli

Rubem Alves morreu hoje, em Campinas. Nasceu em Boa Esperança, Minas Gerais, em 15 de setembro de 1933.
Psicanalista, educador, teólogo e escritor, é autor de livros e artigos abordando temas religiosos, educacionais e existenciais, além de uma série de livros infantis.
Deixa um legado intelectual e cultural de grande importância, que o coloca como um dos brasileiros imortais.

1 Comentário


10 anos de dor e impunidade

http://g1.globo.com/pr/parana/paranatv-2edicao/videos/t/maringa/v/familias-que-perderam-parentes-ha-10-anos-em-um-acidente-ainda-esperam-justica/3027820/

A imprensa de Maringá dedicou atenção especial a esse caso de aniversário de 10 anos de dor e impunidade.

Há 18 anos 10 pessoas perderam a vida em Ponta Grossa, na PR-376, em acidente causado por lama sobre a estrada. Houve um rompimento de tubulação, o que teria ocasionado o acidente no dia 18 de dezembro de 2003.
A rodovia é de responsabilidade da RodoNorte e o vazamento ocorreu em obra da Sanepar.

O acidente que matou nove funcionários da Vivo e um motorista em 2003, no trecho da BR-376 que passa por Ponta Grossa, ainda não recebeu um ponto final. As famílias das vítimas, nove de Maringá e uma de Londrina, aguardam a decisão da Justiça sobre a responsabilidade do acidente, para que a indenização seja liberada.

O acidente aconteceu há exatos 10 anos. As vítimas voltavam de Curitiba para Maringá, após uma festa de confraternização, quando a van na qual estavam derrapou em lama que havia na pista, invadiu a pista contrária e bateu de frente com um caminhão. Nenhum ocupante da van sobreviveu.

As famílias movem uma ação desde 2004 contra a RodoNorte, concessionária responsável pelo trecho da rodovia, e a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar). Segundo a Polícia Rodoviária Estadual (PRE), o acidente foi provocado pela lama que havia na rodovia. A lama foi ocasionada pelo vazamento de água de uma tubulação da Sanepar que rompeu horas antes.

Perguntas e cobrança de uma mãe vítima da irresponsabilidade e impunidade:

A pergunta que faço é: Dia 18 de dezembro serão 10 anos…
Até quando vai este descaso?
E se fosse a filha do presidente da RodoNorte ou da Sanepar ou até mesmo de um juiz?
Como estaria este processo hoje?

O que pedimos hoje não é que seja feita a justiça.
É que se cumpra a mesma, fazendo com que as concessionárias parem de tripudiar em cima da nossa dor.
Pois a última perícia que foi solicitada foi da composição da camada do asfalto. Então pergunto: quantos acidentes aconteceram naquele período na mesma rodovia. quantos foram culpados pela “composição da massa asfáltica”?
A Rodonorte alega que não consegue achar UMA das testemunhas e por isso não pode dar prosseguimento ao processo.
Se temos em torno de 30 testemunhas, o que mudaria essa pessoa? Até porque até onde sei mudar o testemunho dado e assinado é crime.
Quando alguma delas vai chegar em nós e dizer – nos desculpe, nós poderíamos ter cuidado deles, mas não fizemos a parte que era de nossa responsabilidade, enquanto voces sempre cumpriram com a sua parte, pagando o pedágio para que pudessem viajar com segurança por nossas estradas.
Quando isto vai acontecer?
Até quando vamos esperar?

Hilda Morales, mãe de Flávia Morales Graziano
3265-8175 / 9921-1898

1 Comentário