Paraná



Ratinho Jr. e Edmar realizam encontro regional suprapartidário

O deputado estadual Ratinho Jr. (PSD) estará em Maringá hoje e promove, junto com o deputado federal Edmar Arruda (PSD), uma reunião com prefeitos, vereadores e lideranças da cidade e da região.
Ratinho Jr. está percorrendo o estado. A ação chamada de “Conexões por um novo Paraná” pretende abrir espaços para apontamentos sobre as necessidades e as reivindicações de cada município.
Ratinho Jr. e Edmar Arruda são filiados ao Partido Social Democrático (PSD). O evento, no entanto, deve reunir representantes de diferentes partidos políticos, associações, organizações sem fins lucrativos e sindicatos.
O evento acontece às 19h, na Câmara Municipal de Maringá, localizada na Av. Papa João XXIII, nº 239 – Zona 2.

Comente aqui
 

Mães solteiras ocupam casas interditadas pela Justiça, em Mandaguari

Um grupo de mulheres de Mandaguari, ocupou cinco casas populares interdidatas pela Justiça, no Jardim Boa Vista, na tarde de quarta-feira (20). Elas alegam ser mães solteiras, desempregadas e não ter condições de morar em casa própria. As moradias não têm água e energia elétrica. Janelas e portas, de acordo com elas, estavam arrombadas, e havia vestígios de uso de drogas dentro das residências. As cinco mulheres contaram que ocuparam as casas depois que uma das moradias interditadas também foi ocupada por uma família, que, segundo elas, simplesmente levaram os pertences e passaram a morar no local.”Se eles podem, por que a gente não?”, questiona Adiliane Stephani Laras Dutra, de 22 anos, mãe de quatro filhos – o mais velho tem cinco anos e o mais novo um ano e meio. Ela, que faz diárias como doméstica, diz que foi despejada da casa alugada onde morava com os filhos.

Comente aqui


No rádio

Lindolfo Júnior e Pantera Litro, diretor da Radio Pé Vermelho FM

Pantera Litro recebeu ontem, véspera do Dia do Radialista, a visita de Lindolfo Júnior, que fez grande sucesso no rádio de Maringá e do Paraná. Lindolfo também foi apresentador da Globo, é graduado em Gestão Pública, e faz consultoria para anunciantes de rádios, em várias regiões o país.
Muita gente lembra de Lindolfo Júnior no no rádio e na TV. Muitos ouvintes ligando e mandando seu abraço. Na foto, Lindolfo com Pantera Litro, diretor da Rádio Pé Vermelho FM.

3 Comentários


Maria Victória visita hoje cinco municípios

Em São João do Triunfo

A quinta-feira da deputada estadual Maria Victoria será de visitas a cinco municípios. No roteiro, que começa cedo, Campo Largo, Palmeira, São João do Triunfo, a comemoração do aniversário de São Mateus do Sul e, quase no final do dia, Antonio Olinto. Para Maria Victoria, uma oportunidade de encontrar lideranças, ouvir a população e debater, de perto, as principais demandas dos municípios. Fabio Campana

1 Comentário


Para entender o caso da construtora Valor, no Paraná

“Houve conluio entre Valor e servidores para desvio de recursos”, explica Romanelli

O líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) apresentou na terça-feira (19) os processos que comprovam os desvios de recursos para construção de escolas pela Construtora Valor e as providências adotadas pelo governo do Estado. Segundo Romanelli, houve um claro conluio entre o proprietário da Construtora Valor e servidores da Sude (Superintendência de Desenvolvimento Educacional) para desviar recursos públicos.

“A análise dos processos de pedidos de aditivos revela que foram feitos cronogramas de obras, medições e relatórios falsos para justificar assinatura de termo aditivo. Posteriormente, a construtora ainda solicitou que fossem feito mais dois aditivos, referentes a prazo, um por 180 dias e outro por 12 meses, justificando que as condições climáticas impediram a realização da obra, embora os relatórios indicassem que mais de 99% da obra estaria concluída- o que era absolutamente falso”, revela Romanelli.

O deputado Romanelli analisou o processo referente à Escola Ribeirão Grande, em Campina Grande do Sul, mas salientou que o “modus operandi” era o mesmo em todas as obras. “Cerca de quatro meses depois de assinado o contrato para construção, a construtora solicitava um aditivo, sob o argumento de que as condições do solo eram desfavoráveis. O chefe de fiscalização da Sude dava parecer favorável e anexava medições e documentos forjados. Na sequência, o diretor de Engenharia, Projetos e Orçamentos e o superintendente da Sude concordavam com a necessidade do aditivo”, diz.

Trâmite – Romanelli explica que a liberação de recursos era realizada com anuência de técnicos, fiscais, diretor e superintendente. “Em relação ao pedido de aditivo, o processo percorreu toda a cadeia de comando, passando pela coordenação de orçamentos, coordenação de fiscalização, diretoria de engenharia, projetos e orçamento, superintendente da Sude, setores de Orçamento, Financeiro, Jurídico e Diretor Geral da Secretaria de Educação, Núcleo Jurídico da Casa Civil, Conselho de Gestão Administrativa e Fiscal. O processo passou por doze instâncias ou profissionais antes de ser assinado pelo governador Beto Richa”, explica.

O líder do governo também detalhou as providências adotadas pela Secretaria de Educação e pelo Governo do Estado para apurar as irregularidades. “Em 5 de abril o então secretário Fernando Xavier Ferreira determinou a abertura de sindicância. As obras foram todas vistoriadas e constatou-se que não foram executadas. Providências administrativas foram adotadas, com afastamento dos engenheiros e criação de comissão de supervisão da fiscalização. O governador determinou abertura de processo administrativo”.

“Os servidores envolvidos foram exonerados e a Procuradoria Geral do Estado ajuizou ações de improbidade administrativa, pleiteando ressarcimento por danos materiais e morais coletivos que superam R$ 41 milhões. O governador também determinou a declaração de inidoneidade da Valor, proibição de contratar com a administração pública por cinco anos, multa de R$ 5 milhões, rescisão dos contratos e nulidade dos termos aditivos”, explicou.

Comente aqui


“Meu filho é candidato a governador”, diz Ratinho

O comunicador Carlos Roberto Massa, o Ratinho, disse ontem terça-feira, 19, que seu filho, o deputado Ratinho Junior (PSD), é candidato ao Governo do Paraná em 2018.  “Ele (Ratinho Junior) estudou, se preparou, buscou experiências bem sucedidas de gestão no exterior e pelo Brasil, está construindo uma agenda que prioriza o desenvolvimento de todas as regiões do Paraná. É um ótimo gestor público, provou isso na Secretaria de Desenvolvimento Urbano, e traz sua experiência como administrador na iniciativa privada. Reúne todas as qualidades para ser o próximo governador do Paraná, é candidato a governador e eu, como pai, estou muito feliz por mais esse desafio que o Junior enfrenta”, disse Ratinho.
Ratinho estará em Maringá nesta sexta-feira, dia 22, às 18h30, para evento do PSD na Câmara Municipal de Maringá. No envento serão debatidos problemas da cidade e da região, no ciclo de eventos #paranáinovador.

1 Comentário


Campanha de vacinação contra dengue inicia nesta quarta, 20 de setembro

A Secretaria de Saúde inicia nesta quarta, 20, a 3ª etapa de vacinação contra a dengue. A vacina estará disponível na Sala de Vacina e em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) para pessoas com idade entre 15 e 27 anos completos, que já iniciaram o esquema de vacina, composto por três doses e intervalo de seis meses. A expectativa é vacinar aproximadamente 55 mil pessoas somente com as 2ª e 3ª doses. É necessário levar documento de identificação, preferencialmente o RG ou CPF, e a carteira de vacinação. A campanha segue até o dia 27 de outubro. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, quem não foi imunizado nas etapas anteriores da campanha, não poderá iniciar a vacina nesta nova etapa. O ciclo deveria ser fechado nesta 3ª etapa, mas devido à cobertura vacinal insuficiente da 1ª etapa, abriu-se exceção para quem não tivesse tomado dose em 2016 a iniciar o esquema. Na 1ª etapa de vacinação contra dengue, foram aplicadas 34.211 doses, o que corresponde a uma cobertura de 36,78% das 93.004 pessoas no total. Já na 2ª etapa, foram 46.792 doses aplicadas, o que significa a cobertura de 50.31% de um total de 93.004 pessoas.
O “Dia D” para atendimento exclusivo da campanha está definido para o dia 21 de outubro. Neste dia, as unidades de saúde ficam abertas para facilitar o acesso da população à vacina. Postos volantes também reforçarão a campanha, com atendimento em instituições de ensino e empresas.

1 Comentário


Falha tectônica

O terremoto registrado na madrugada desta segunda-feira (18) em Rio Branco do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba, assustou os moradores que sentiram o tremor, mas não surpreendeu os estudiosos da área. A cidade está localizada sobre uma falha tectônica que é estudada desde os anos 1980.
A falha recebeu o mesmo nome de uma gruta famosa na região: Falha da Lancinha, que é considerada inativa e existe há cerca de um bilhão de anos. Trata-se de uma falha com mais de mil quilômetros de extensão, estende entre o norte de Santa Catarina e o litoral do Rio de Janeiro, e chega a 100 quilômetros de profundidade.
“As falhas têm movimentos esporádicos e provavelmente esse foi um deles. Do ponto de vista geológico, o tremor é esperado”, comenta o chefe do departamento de Geologia da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Eduardo Salamuni.
De acordo com o professor, eventos como o desta madrugada acontecem a cada três ou cinco anos. Em geral, a magnitude não é tão forte e, por isso, não chega a causar estranhamento da população. Porém, são registrados e estudados pelos especialistas. “Ele só é sentido a partir de 3 pontos. Abaixo disso nunca é percebido”, explica ele que ainda pontua que a percepção de um tremor depende ainda de outros fatores como profundidade do hipocentro e outros.
Apesar de Rio Branco do Sul estar sobre uma falha, a população não precisa se preocupar com novos tremores ou estragos causados pelo terremoto. “Não é o padrão da área, não tem com que se preocupar”, diz Salamuni.

Comente aqui


Cadastro desatualizado para doação de medula

No ano passado, 43 pessoas que apresentaram compatibilidade para a doação de medula óssea não foram localizadas no Paraná. A desatualização dos cadastros é um dos principais desafios para a realização dos transplantes e um dos temas destacados no Dia Mundial do Doador de Medula Óssea, celebrado neste sábado (16).
“Aquele cadastrado pode ser a única esperança do paciente que espera por uma medula compatível. Então, é fundamental incluir o maior número possível de formas de contato e sempre que houver alterações de telefone ou endereço é necessário atualizar para que possa ser localizado em caso de compatibilidade”, destaca a responsável pelos cadastros no Hemepar, Jaqueline Castro. A atualização cadastral deve ser realizada no próprio local de cadastro ou pelo site www.inca.gov.br/doador.
O Paraná é o terceiro estado com maior número de cadastros, com 496 mil pessoas cadastradas. Em 2016 112 paranaenses receberam uma doação de medula. “Se cadastrar é muito simples e rápido. Basta ir até um hemocentro com documento oficial de identificação. Lá será assinado um termo de consentimento e retirado apenas 5 ml de sangue para fazer parte do registro nacional”, explica o diretor do Hemepar, Paulo Hatschbach. Para se cadastrar é necessário ter entre 18 e 54 anos, estar em bom estado de saúde e não ter doença infecciosa, doença no sangue, do sistema imunológico ou câncer.
As chances de compatibilidade são de uma a cada 100 mil. Em alguns casos, chega a uma em um milhão. “O cadastro não deve ser feito como um modismo, pelo contrário, é necessário refletir sobre a importância desta doação que não traz malefício ao doador, apenas benefícios a quem recebe”, conta. No último ano, apenas em Curitiba, 23 cadastrados desistiram da doação quando convocados.

Comente aqui