Coluna de sexta-feira, dia 19 de janeiro

GIBA NELES O PSD tem no “banco de reservas” aquele que poderá ser uma das novidades eleitorais deste ano, no Paraná. Gilberto Amauri Godoy Filho, o Giba, do vôlei, está filiado ao partido e integrando a equipe de apoio a Ratinho Junior. Ele não quer, mas no partido tem gente defendendo a sua candidatura a deputado federal ou, em especial, ao Senado. Um dos defensores da candidatura de Giba é o deputado Edmar Arruda, coordenador regional do PSD.

MUDANÇA A informação é de Angelo Rigon: “Para que o coronel Padilha assuma a área da segurança na Prefeitura de Maringá será preciso uma mudança na estrutura administrativa.”

COMUNICAÇÃO Continuando a sua informação ele acrescenta: “É possível, neste caso, que o prefeito Ulisses Maia ouça os mais próximos, que defendem a criação de mais uma pasta, a de Comunicação Social.”

BALANÇO Rigon complementa: “Passado o primeiro ano de governo, é hora de fazer o balanço para ver quais são e onde estão as deficiências – e corrigi-las para que a máquina funcione melhor.”

HOSPITAL DA CRIANÇA Na quarta-feira foi assinado termo de cooperação para o início do Hospital da Criança de Maringá.

NA PREFEITURA A assinatura aconteceu na Prefeitura, com o prefeito interino, Edson Scabora, o secretário de Saúde, Jair Biatto, e a deputada estadual Maria Victoria.

PSD O partido realizará na segunda-feira, dia 22, reunião da executiva estadual, presidida por Ratinho Junior.

ARTICULAÇÕES A fase é de articulações políticas e também de montagem de chapas e definições de candidaturas. No dia 7 de abril tudo terá que estar pronto.

JANELA Pela legislação, de 7 de março a 7 de abril de 2018 haverá a janela de filiações. As filiações serão feitas tendo em vista as coligações e o ajuste final do quadro eleitoral.

DOADORES Em 2017 os cadastros de doadores de medula chegaram a pouco de mais de 280 mil, no país. Um número 14% menor do que em 2016.

NACIONAL Reportagem de William Souza foi exibida no Jornal Hoje. Uma das entrevistadas foi Ana Paula Estevão, mãe do João Bombeirinho, que conseguiu a doação e a cura.

JUDICIÁRIO O presidente da PARANAPREVIDÊNCIA, Wilson Quinteiro, participou de reunião para assinatura de convênio do Judiciário com o governo do Paraná e a Previdência.

ASSINATURAS O convênio foi assinado pelo desembargador Renato Braga Bettega, presidente do Tribunal de Justiça, o secretário de Administração, Fernando Ghignone e Wilson Quinteiro.

PODEMOS O advogado Juarez Firmino filiou ontem o jornalista José Marcos Baddini ao Podemos. No blog tem mais informações.

30 ANOS Ontem Juarez Firmino completou 30 anos de fundação do seu Escritório Canção, um dos mais conceituados escritórios de contabilidade da região.

 

MUNICÍPIOS

PAIÇANDU O vereador Carlos Fenille (Progressistas), o Carlos da Band, tem mostrado dedicação e trabalho sempre próximo das comunidades do município.

MARIALVA O vereador Paulo Barbado, do Partido Verde, tem trabalhado para auxiliar o partido nas articulações para as eleições deste ano.

MANDAGUARI A Prefeitura de Mandaguari iniciou ontem o recapeamento asfáltico em várias ruas do Jardim Progresso. As obras atendem aprovação da Câmara Municipal.

SÃO JORGE DO IVAÍ O vice-prefeito de São Jorge do Ivaí, Ailton Zago (Democratas), recebe os parabéns pelo aniversário.

 

FRASE “A maioria no Brasil espera crescimento na faixa de 2% neste ano. Se não houver uma crise externa ou caos na política, será mais do que isso – talvez bem mais -.” Ricardo Amorim

 

ÚLTIMA O futuro é onde vamos passar o resto da nossa vida.

1 Comentário


Cooperação e negócios internacionais

João Regiani e José Martins Brandão Coelho, no BRDE

O diretor de operações do BRDE, João Regiani, recebeu no banco o presidente honorário da Câmara de Comércio Brasil-Portugal para o Paraná, José Martins Brandão Coelho. Ele é português, com atuação empresarial em Angola (África).
No encontro trataram sobre as possibilidades de mútuos investimentos entre os países, com foco especial no desenvolvimento de parcerias com empreendedores do Paraná. Segundo Regioni, sem dúvida, atualmente o intercâmbio internacional de investimentos se constitui numa das boas alternativas para o desenvolvimento da economia do estado.
Nesta direção Regiani, que representa o Paraná na diretoria do BRDE, tem focado a sua atuação na instituição.

Comente aqui


2017 teve menor número de homicídios, em 10 anos, no Paraná

Secretário de Segurança do Paraná, Wagner Mesquita

O número de homicídios do ano de 2017 caiu 12% em todo o Paraná quando comparado com o ano anterior. No ano passado foram 2.184 casos contra 2.476 em 2016. Em Curitiba, a queda foi de 19% (de 468 para 379 casos). Segundo a Secretaria de Estado da Segurança Pública e Administração Penitenciária, os números de 2017 são os menores desde 2007, quando começaram a ser elaborados os relatórios estatísticos. Naquele ano, o Paraná teve 2.687 homicídios e Curitiba 589.
Em 2017, na Região Metropolitana de Curitiba a redução de assassinatos foi de 15,3% e em todo o Interior a queda registrada foi de 8%. A redução não foi só em relação aos assassinatos. O número de roubos em todo o Paraná caiu 12,59% no ano passado. Na capital paranaense a redução ainda maior: 18%.
Em entrevista coletiva à imprensa, o secretário da Segurança Pública, Wagner Mesquita, afirmou que garantiram esses resultados os investimentos feitos pelo Governo do Estado nos últimos sete anos, principalmente em pessoal, viaturas e armamento.
“Este é o resultado de um trabalho preventivo e ostensivo da Polícia Militar, a especialização das polícias Civil e Científica, a atuação do Departamento Penitenciário e Departamento de Inteligência”, afirma Mesquita. “Todas as vertentes da segurança pública resultaram em uma taxa abaixo de 19,26 casos por 100 mil habitantes no Paraná. Taxa esta que pela primeira vez ficou abaixo de 20, desde o início da divulgação do relatório estatístico”, avalia o secretário.

INTEGRAÇÃO – O delegado-geral da Polícia Civil, Júlio Reis, também ressalta os fatores que resultaram na queda do número de homicídios. “A importante redução de homicídios ocorreu em razão de diversos fatores, entre eles os fortes investimentos do Governo na área de segurança pública, com compra de novas viaturas, armamento e qualificação dos seus policiais. Os índices vêm apresentando queda em razão, também, dos trabalhos integrados entre as polícias Civil e Militar”, afirma Reis.
O delegado-geral lembra, também, que neste governo foi criado a Divisão de Homicídio e Proteção a Pessoa (DHPP) na capital e em algumas delegacias de homicídios no interior, fazendo com que os policiais trabalhassem de forma mais dedicada aos crimes de homicídio, resultando todos estes fatores nessa importante redução.

MENOS ROUBO A COMÉRCIO – O roubo a comércios em todas as regiões do Paraná caiu: redução de 28,3% em Curitiba e 27,6% em todo o Estado.
Os assaltos a residências também diminuíram no ano de 2017 comparado a 2016: 26,8% em Curitiba e 9% em todo o estado. Já o roubo de veículos caiu 23,34% na capital e 9,5% no Paraná.
O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Maurício Tortato, também ressalta o processo de integração entre a Polícia Militar e a Polícia Civil. “Os protocolos estabelecidos entre as duas polícias referentes ao atendimento de locais de crimes, por exemplo, favorecem a identificação de testemunhas, a preservação da cena do crime e resulta em uma possibilidade maior de identificação de autor e prisão”, disse Tortato.
“Além disso, o acréscimo de três mil policiais militares em janeiro de 2017 melhorou a dinâmica operacional, assim como o incremento logístico, o poderio bélico e o aumento da presença policial”, afirmou.

INVESTIMENTOS – A partir de janeiro de 2017, cerca de 3 mil novos policiais foram para as ruas de todo o Paraná para reforçar a segurança – depois de passarem pelo curso de formação. Além disso, a Secretaria da Segurança Pública comprou em 2016 e 2017 mais de 2 mil viaturas, sendo 1.528 só para a Polícia Militar, que faz o trabalho ostensivo e de patrulhamento. Sem contar, as 250 viaturas que foram alugadas e destinadas ao trabalho da PM.
Armas importadas, como as pistolas Glock, foram adquiridas e entregues aos policiais de grupos de elite das Polícias Militar e Civil. Além disso, foram comprados 8 mil coletes balísticos e recebidos pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) quase 2 mil.

SETE ANOS – Desde o primeiro ano da atual gestão já foram contratados 11 mil novos policiais e adquiridas 3 mil novas viaturas. O resultado destes investimentos fica claro quando comparados com os índices criminais de 2010 – último ano da gestão anterior.
Em Curitiba o número de registros caiu de 750 (em 2010) para 379 (em 2017 – uma queda de quase 50%. No Paraná a queda foi de 3.276 casos para 2.184 homicídios – redução de 33%.

CAIXAS ELETRÔNICOS – A redução nas explosões de caixas eletrônicos foi de 61,8 % em comparação com o ano anterior. Em 2017 foram 50 casos e em 2016, foram 131. Além disso, o índice de roubo a bancos reduziu em 30% em todo o Estado.
“Através do trabalho do Departamento de Inteligência do Paraná, investigações especializadas feitas pelo Centro Operações Policiais Especiais e outras unidades da Polícia Civil e a atuação da polícia reservada da Polícia Militar, hoje estamos com uma redução de 61% de casos de explosão de caixas eletrônicos em todo Estado”, diz o secretário Mesquita. “Instituições nacionais e outras secretarias nos procuram constantemente e solicitam informações de como fazer um enfrentamento a essa modalidade criminosa. Isso é mais uma prova de que estamos no caminho certo e devemos manter essa política de trabalho para obter também bons resultados em 2018”, conclui Mesquita.

Comente aqui


Dr. Dráuzio Varella fala e escreve sobre a febre amarela

Febre amarela. As mortes no Brasil causaram pânico na população das áreas delcaradas de risco. Importante saber mais sobre este doença, quem deve se vacinar, quem não deve se vacinar, enfim, informações mais amplas e gerais.

Neste vídeo o Dr. Dráuzio Varella fala sobre a doença.

Neste texto ele descreve a febre amarela e dá várias orientações:

Febre amarela é uma doença infecciosa, de gravidade variável, causada por um arbovírus (vírus transmitidos por mosquitos) do gênero Flavivirus febricis da família Flaviviridae, cujo reservatório natural são os primatas não humanos que habitam florestas e matas tropicais.

Estudos genéticos demonstraram que esse vírus surgiu na África, há cerca de três mil anos e chegou no Brasil nos navios que traziam escravos para trabalhar nas minas e na lavoura, numa época em que as cidades não dispunham de saneamento básico e estavam infestadas de mosquitos.

O resultado desse encontro do vírus da febre amarela com os mosquitos urbanos trouxe trágicas consequências para a saúde da população.


Ciclos de transmissão

Existem dois tipos de febre amarela: a silvestre e a urbana.

A silvestre acomete os macacos. Eles funcionam como hospedeiros do vírus, que é transmitido pela picada dos mosquitos Haemagogus e Sabethes a outros macacos ou a seres humanos não vacinados que penetrem em seu habitat natural.

De hábitos diurnos, esses insetos vivem em áreas de mata e cerrados principalmente nas copas das árvores ou perto do solo. Uma vez infectados, tornam-se vetores do vírus para sempre (ciclo de transmissão macaco-mosquito-homem).

Por isso, a morte de primatas nas imediações das cidades representa um dos sinais de que o vírus da doença está circulando em determinada região.

A forma urbana da febre amarela é transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti, o mesmo que transmite a dengue, a chikungunya e a zika. Ele vive nos arredores das casas em depósitos de água parada e ataca principalmente no começo da manhã e no final da tarde.

Os macacos não estão envolvidos nesse tipo de transmissão. Ela ocorre quando o mosquito pica uma pessoa doente (o homem é o único hospedeiro do vírus nas cidades) e depois ataca uma pessoa saudável que não foi vacinada (ciclo homem-mosquito-homem).

Vale ressaltar que, embora os mosquitos envolvidos na transmissão da febre amarela sejam diferentes, nos dois casos, o vírus e as manifestações clínicas da doença são absolutamente idênticos.

No Brasil, a forma urbana da doença já foi erradicada. O último caso de que se tem notícia ocorreu em 1942, no Acre. Os que surgiram depois foram todos do tipo silvestre.

No entanto, é preciso estar sempre alerta. O menor descuido e a febre amarela urbana pode voltar. Para tanto, basta que uma pessoa infectada na região onde vivem os hospedeiros e vetores silvestres do vírus, sirva de fonte de infecção para o Aedes aegypti nas cidades.

Se é difícil controlar a proliferação dos mosquitos que transmitem a doença nas zonas urbanas, é impossível acabar com os vetores silvestres da febre amarela.

Eles fazem parte do ambiente natural em que vivem. A estratégia, então, é impedir que o vírus transmitido por esses vetores penetre nas zonas urbanas, vacinando a população que vive em áreas endêmicas.


Sintomas

Depois de inoculado sob a pele dos seres humanos ou macacos, os vírus da febre amarela concentrados nas glândulas salivares das fêmeas dos mosquitos invadem os vasos linfáticos do doente.

Dali, caem na circulação e infectam as células do fígado, rins, coração, pulmões, a mucosa do sistema digestivo e até do cérebro. A pele e os olhos do doente adquirem um tom amarelado próprio da icterícia. Daí, o nome febre amarela.

Os sintomas dessa enfermidade variam muito. Podem ser leves a ponto de serem confundidos com os de uma virose banal e regredir espontaneamente, ou podem evoluir para complicações graves e morte.

Febre com calafrios, mal-estar, dor de cabeça, dores musculares muito fortes, cansaço, vômito e diarreia são sinais da doença que surgem de repente, em geral, de três a seis dias após a picada do inseto (período de incubação do vírus).

Icterícia progressiva, hemorragias, comprometimento dos rins (anúria), do fígado (hepatite e coma hepático), do pulmão, problemas cardíacos (miocardite) e encefalopatias (convulsões e delírios) são sintomas da doença, que podem levar à morte.


Diagnóstico

O diagnóstico da febre amarela leva em conta os sintomas que o paciente apresenta, se já foi vacinado e há quanto tempo, e a ocorrência de casos da doença asua volta.

visitou ou reside em áreas . A morte de macacos nos lugares em que vive ou visitou é outro indício importante a ser considerado.

No entanto, só é possível confirmar o diagnóstico depois de realizar exames laboratoriais complementares (MAC-Elisa, PCR ou isolamento do vírus em cultura) em laboratórios de referência indicados pelas secretarias estaduais de saúde. Se o resultado dos testes for positivo, a única forma de impedir que o vírus se espalhe é vacinar a população que vive ou esteve nas áreas de risco.

A febre amarela é uma doença de notificação compulsória no mundo. O objetivo é manter as autoridades sanitárias informadas, a fim de que tomem as medidas profiláticas necessárias com presteza.

Tratamento

Não existem medicamentos específicos para destruir o vírus, reverter o quadro clínico e evitar as complicações da febre amarela. O doente deve permanecer em repouso, em ambiente hospitalar e sob cuidados médicos para evitar as complicações graves da doença.

O único tratamento possível é o de suporte. Basicamente, ele consiste em manter o paciente bem hidratado e introduzir drogas para equilibrar a pressão arterial, corrigir os desequilíbrios metabólicos e aliviar os sintomas.

Assim como na dengue, o uso de remédios que contenham ácido acetilsalícilico é contraindicado, porque aumenta o risco de sangramentos.

Nos casos mais graves, o paciente pode necessitar de diálise e transfusões de sangue.

Vacinação

Existe uma vacina bastante segura e eficaz contra a febre amarela, produzida com o vírus vivo atenuado, da doença. Administrada em dose única por via subcutânea, ela é distribuída gratuitamente nos postos de saúde e raramente apresenta efeitos colaterais adversos. Em vários estados brasileiros, essa vacina já faz parte do Calendário Nacional de Vacinação.

A Organização Mundial de Saúde, em maio de 2013, anunciou que uma dose única da vacina contra febre amarela garante imunidade por toda a vida. Portanto, não considera necessária a aplicação da dose de reforço. Fica garantida, porém, a liberdade de cada país escolher a conduta que melhor se adapta às suas necessidades.

No Brasil, o Ministério da Saúde optou por manter o esquema de aplicar duas doses da vacina contra a febre amarela e recomenda que uma dose de reforço seja aplicada dez anos depois da primeira em adultos e crianças residentes em áreas de risco ou que vão viajar para esses lugares. por isso, quem já recebeu as duas doses da vacina, com intervalo de dez anos entre elas, pode considerar-se definitivamente imunizado contra a doença e não precisa mais repetir as doses de reforço.

Quem deve tomar a vacina

Crianças em áreas de risco, a partir dos nove meses de idade, devem receber a primeira dose da vacina contra a febre amarela e uma dose de reforço quando completarem quatro anos.

A vacina está também indicada para todas as pessoas (adultos e crianças) que residam nas proximidades de áreas endêmicas ou pretendam viajar para esses lugares, dentro ou fora do Brasil.

Neste último caso, a primeira dose deve ser aplicada dez dias antes da partida para que o organismo tenha tempo de produzir os anticorpos necessários para combater o vírus.

Quem não deve tomar a vacina

Bebês com menos de seis meses, porque são mais vulneráveis a possíveis complicações da vacina, entre elas, a encefalite viral;

Gestantes, por falta de provas de que a infecção não passa para o feto;

Mulheres durante o período de amamentação, porque ainda não se sabe se o vírus atenuado da vacina consegue passar para o leite materno;

Pessoas imunodeprimidas, portadoras de HIV, de tumores malignos, incluindo leucemia e linfomas, que utilizam medicamentos derivados da cortisona, estão em tratamento de quimio ou radioterapia, ou são portadoras de doenças que alteram o funcionamento do timo (órgão do sistema imunológico) em virtude do comprometimento do sistema imune;

Pessoas com hipersensibilidade a algum componente da vacina (proteína do ovo, gelatina e antibiótico eritromicina).

Quem depende de orientação médica
Adultos com idade igual ou superior a 60 anos – só podem tomar a vacina depois de um especialista avaliar o custo-benefício da medicação, uma vez que, nessa faixa de idade, aumenta o risco de desenvolver os efeitos indesejáveis da vacina;

Paciente HIV positivo e imunodeprimidos de maneira geral – devem evitar as viagens para os lugares onde exista risco de febre amarela. Se houver absoluta necessidade, devem consultar um médico especialista no assunto.
Recomendações
Erradicar o mosquito transmissor da febre amarela é impossível, mas combater o mosquito Aedes aegypti nas cidades é uma medida de extrema importância para evitar surtos da doença nas áreas urbanas. Por isso, ninguém pode descuidar das normas básicas de prevenção.

NORMAS BÁSICAS DE PREVENÇÃO

São elas: eliminar os focos de água parada que possam servir de criadouro para os mosquitos, e usar repelentes de insetos no corpo e nas roupas para evitar as picadas. Além disso, é sempre recomendável:

* Usar, sempre que possível, calças e camisas que cubram a maior parte do corpo e mosqueteiros ao redor das camas, quando estiver em áreas de risco para a transmissão silvestre da doença.

* Aplicar repelente com regularidade. Não esquecer de passá-lo também na nuca e nas orelhas. É importante repetir a aplicação a cada quatro horas, ou a cada duas horas se a pessoa tiver transpirado muito.

* Reaplicar o repelente toda a vez que molhar o corpo ou entrar na água.

* Consultar um médico ou os núcleos de atendimento ao viajante para informar-se sobre a necessidade de tomar a vacina antes de viajar. Alguns países exigem um Certificado Internacional de Vacinação atualizado.

* Nota: As informações e sugestões contidas neste artigo têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Fonte: Drauzio Varella

1 Comentário


Juarez filia Baddini ao Podemos

Juarez Firmino e José Marcos Baddini: filiados ao Podemos

Recebi a foto e a informação do advogado e contador Juarez Firmino. Ele esteve com o jornalista José Marcos Baddini, pegando a sua assinatura na ficha de filiação ao partido “Podemos”.
Baddini é funcionário da Justiça do Trabalho, filho de Baddini Neto, um dos pioneiros do jornalismo maringaense, famoso pela seriedade e responsabilidade profisisonal.
Baddini é combativo e polêmico. Sempre disposto a dar a sua opinião, acompanha a política de Maringá há muitos anos. Tem declarado apoio a Alvaro Dias para presidente e agora o fará como um dos filiados ao Podemos.
Juarez Firmino começou a trabalhar cedo, aos 14 anos. Contador respeitado, presidiu o Sincontábil. Há anos milita na política de Maringá, com filiações partidárias, dedicação e fidelidade aos projetos do seu partido. Ingresso no Podemos para apoiar a candidatura de Alvaro Dias a presidente e tem declarado este apoio em todos os espaços, de forma pessoal e e na internet.
Firmino foi secretário de Gestão e Fazenda de Ângulo, no governo de oito anos de José Manoel de Campos Silva. Um profissional que conhece contabilidade pública e privada como poucos. Além disto, concluiu o curso de Direito há algum tempo e está advogando com qualidade, usando sua experiência e conhecimentos especializados.
Hoje é um dia especial para ele: completa 30 anos do Escritório Canção, com clientes importantes.

4 Comentários


Aposentadorias e pensões do Judiciário do Paraná

A PARANAPREVIDÊNCIA, a Secretaria de Estado da Administração e da Previdência e o Tribunal de Justiça do Estado do Paraná, assinaram ontem, quarta-feira (17), termo de convênio para concessão e manutenção de aposentadorias aos Serventuários da Justiça e os Titulares de Serviços Notariais e Registrais do Estado do Paraná, não remunerados pelos cofres públicos, e pensão aos seus dependentes.
O convênio foi assinado pelo diretor-presidente da PARANAPREVIDÊNCIA, Wilson Quinteiro, pelo secretário Fernando Ghignone e pelo desembargador Renato Braga Bettega, presidente do Tribunal de Justiça. Estiveram presentes, também, da PRPREV, o diretor Jurídico, Jefferson Zaneti e o diretor de Previdência, Edson Wasem; da SEAP, o diretor de Seguridade Funcional, Mauro Borges; e do TJ-PR, Drª Soraya Kawakami, Dr. Fabio Muniz e Dr. Vinícius Rodrigues Lopes.

Comente aqui


PSD quer fazer quatro governadores

O ministro da Ciência e Tecnologia, Gilberto Kassab, no programa A Voz do Brasil – 10/01/2017 (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

O jornalista Ernesto Neves na coluna Radar na Veja desta quinta-feira, 18, cita o Paraná entre os quatro estados apontados pelo presidente do PSD, Gilberto Kassab, com potencial de conquista do governo do Estado nas eleições de outubro. O deputado Ratinho Junior é o candidato do PSD e trabalha para ampliar a aliança de apoios com o PSC, PV, PRB, PTB, PR e PSDB.

Kassab, tem dito a interlocutores que o PSD terá crescimento expressivo nas eleições e além do Paraná, o partido pode conquistar os governos estaduais da Paraíba, Rio Grande do Norte e Mato Grosso. O PSD será vice em três estados: São Paulo (o próprio Kassab em chapa com o PSDB), Minas Gerais (provavelmente com Marcio Lacerda) e Santa Catarina (com Raymundo Colombo).

Comente aqui


Público da região se organiza para o show de aniversário da Maringá FM

Uma das festas mais aguardadas do ano está chegando. O Show de Aniversário da Maringá FM será no dia 4 de fevereiro e promete animar o público de Maringá e região. Excursões de diferentes cidades estão sendo organizadas para trazer o público, que vai curtir o show do sertanejo Luan Santana, Naiara Azevedo, Pedro Paulo e Alex, Munhoz e Mariano, Projota e mais outras atrações musicais. O evento será realizado no Parque de Exposições de Maringá, a partir das 13 horas.

Em Arapongas, a estudante Thais Pereira é organizadora de uma das excursões que virá para o show. “Já estamos tendo uma boa procura por lugares na van. Esse é o segundo ano que organizo a excursão de Arapongas para a galera curtir o Show de Aniversário da Rádio, uma festa maravilhosa por reunir os melhores cantores e também por ajudar ao próximo. É uma iniciativa muito linda”. A estudante explica que o valor cobrado por passageiro é apenas para arcar com as despesas da viagem.

“Todos irem de van é a melhor coisa, pois podemos nos divertir tranquilamente e depois retornar com segurança para nossa cidade, sem ter que se preocupar em dirigir. Além disso, há a interação entre os passageiros, que acabam virando amigos”, afirma Thais.

O empresário Anderson Martins de Oliveira, junto com mais dois parceiros, atua com uma empresa de fretamento nas cidades de Ivaiporã, Jardim Alegre, Lindianópolis, Lunardelli e São João do Ivaí. “Este é meu primeiro ano levando o pessoal para o Show de Aniversário, mas trabalho com excursões há 6 anos. A intenção é fechar o ônibus com 48 pessoas e logo no início já fechamos com 23 pessoas. A procura está grande, assim como a expectativa do show”, afirma.

Segundo a diretora artística da rádio Maringá FM, Jany Lima, o estilo musical da emissora atinge um público variado em diversas cidades da região. “Temos ouvintes de várias cidades que participam da nossa programação diariamente. É muito gratificante ver as pessoas se mobilizando para virem comemorar o aniversário da Maringá FM com a gente”.

Serviço
O Show é realizado pela GMC Eventos, com promoção da rádio Maringá FM.

Data: 04 de fevereiro
Local: Parque de Exposições (Av. Colombo, 2186)
Horário: a partir das 13 horas
Ingressos:
Arquibancada: R$ 11,00 – (ingresso preço único- Promocional)
Vip: Meia – R$ 25,00 (com carteirinha de estudante) / Solidário – R$ 25,00 (com doação de 1 litro de leite)
Backstage: Meia – R$150,00 (com carteirinha de estudante) / Solidário – R$ 150,00 (com doação de 1 litro de leite)
Pontos de vendas oficiais:
– Maringá:
Rádio Maringá FM – térreo do Edifício Três Marias (Av. Getúlio Vargas, 266)
Farmácias São Paulo (Av. Gov. Parigot de Souza, 550 e Av. Brasil, 3241)
Auto Escola Mandacaru (Av. Mandacaru, 1623)
Rede de Postos Digo’s:
Av. Cerro Azul
Av. Gastão Vidigal
Av. Guaiapó
Av. Sophia Rasgulaeff
Av. Bento Munhoz
– Astorga – Dony Eventos
– Santa Fé – Farmácia Drogamais
– Colorado – Stop Cowboy
– Santo Inácio – Autopeças Ronere
– Jaquapitã – Onen Modas
– Nova Esperança – WR Country
– Mandaguari – Nega Maluca
– Arapongas – Stop Jeans
– Apucarana – Stop Jeans

Comente aqui


Coluna de hoje, quinta-feira, dia 18 de janeiro

SEGURANÇA O coronel Antonio Roberto dos Anjos Padilha, Cidadão Honorário de Maringá, deve assumir uma nova missão: coordenar a área de segurança, integrando a equipe da Prefeitura de Maringá. O projeto é audacioso, a começar pelo seu comandante, líder e especialista.

RESERVA O coronel Padilha entra para a reserva no próximo dia 22. Em seu lugar, no comando do 3º CRPM (Comando Regional de Polícia Militar) assumirá o coronel Antonio Carlos de Morais.

FIM DE JANEIRO O coronel Morais comandou o 2º BPM, em Jacarezinho, por quatro anos. A troca de comando no 3º CRPM deverá ser ainda em janeiro.

COLETIVA O governador Beto Richa e o secretário de Segurança, Wagner Mesquita de Oliveira, devem apresentar em coletiva os números da segurança do estado, em 2017. São bons.

HOMICÍDIOS Maringá teve 6,7 homicídios por 100 mil habitantes, o menor número em 10 anos. O Paraná também teve o menor número de homicídios em 10 anos.

FECHAMENTO Há uma expectativa quando aos números do fechamento das contas de 2017 do município de Maringá. Devem ser anunciados pelo prefeito Ulisses Maia, nos próximos dias.

EM LONDRINA O prefeito Ulisses Maia já está em Maringá. Chegou na madrugada de quarta-feira, em vôo turbulento, que desceu em Londrina. O susto no vôo foi grande.

BRINCADEIRA No whatsapp Ulisses brincou com amigos: “Quase que o Scabora fica prefeito definitivo”.

HORAS EXTRAS Um dos desafios da administração de Maringá para este ano será a redução e o gerenciamento das horas extras. O valor aumentou muito, no ano passado.

CONTRATAÇÕES Ontem à tarde a secretária de Educação, Valkiria Trindade; a gerente de Educação Infantil, Juliana Jorge, estiveram reunidas com o secretário de Fazenda, Orlando Chiqueto, e o secretário de Gestão, Alexis Kotsifas. Na pauta contratações para CMEIs.

DISPUTADO O sargento Fahur, pré-candidato a deputado federal, tem sido disputado por vários partidos. Mas ele ainda não decidiu.

TURISMO No dia 1º de fevereiro, a Paraná Turismo comemora 23 anos. Seu presidente, Jacó Gimennes assina artigo (que está no blog) onde fala dos avanços concretizados nos últimos anos.

MASTERPLAN Além de muitos produtos e serviços, a Paraná Turismo construiu o Masterplan Paraná Turístico 2026 – que propõe ao estado um status de Produtor de Turismo.

PROFISSIONALIZAÇÃO O projeto, para a próxima década, prevê Destinos Inteligentes, Alicerces Sustentáveis na Rede de IGR´s – Instâncias de Governança Regional, em 14 Regiões Turísticas.

 

MUNICÍPIOS

ESTADUAL O vice-prefeito de Jandaia do Sul, Cir Albieri (PDT) deverá ser candidato a deputado estadual. Ele recebeu a visita de Carlos Moraes, pré-candidato a deputado federal.

CONTATOS Carlos Moraes que é maringaense e hoje faz sucesso na televisão em Cascavel, no Oeste do Paraná, tem feito contatos em regiões onde tem amigos. Está entusiasmado com o incentivo à sua candidatura.

NA ÁREA O deputado estadual Evandro Araújo, do PSC, aproveita o começo do ano para trabalhar nas bases e planejar o ano. Ele se destaca na Assembleia entre os parlamentares no primeiro mandato.

ÂNGULO O governador Beto Richa liberou recursos para asfalto, um caminhão coletor e um carro para Educação, no município de Ângulo.

 

FRASE “Com a idade as certezas vão ficando um tanto duvidosas”. João Cabral de Melo Neto

 

ÚLTIMA Rugas são coisas do passado.

Comente aqui


Hospital da Criança de Maringá deve ser concluído até dezembro

A deputada estadual Maria Victoria foi recebida nesta quarta (17) pelo prefeito em exercício, Edson Scabora, e pelo secretário municipal da Saúde, Jair Biatto, para a assinatura do termo de cooperação que vai permitir o investimento de R$ 124,2 milhões na obra do Hospital da Criança de Maringá.

A assianatura é mais um passo importante para que o Hospital da Criança do município comece a sair do papel. O documento assinado hoje permite investimentos na obra, que deve ser concluída até dezembro. Os recursos são do Ministério da Saúde, do Governo do Estado e da Organização Mundial da Família.

A agilidade na obra é explicada porque está prevista a utilização de blocos pré-moldados, tecnologia norte-americana que, além de permitir que a edificação seja erguida com muito mais rapidez, é bem mais barata: sai por cerca de R$ 5,3 mil o metro quadrado, já com os equipamentos. “É como se fossem peças gigantes de Lego. Os blocos chegam numerados e o processo de montagem é muito rápido”, explicou Maria Victoria. A técnica foi utilizada na construção do Hospital da Criança de Brasília José Alencar. “Depois que as estruturas chegarem aqui, a montagem leva de 90 a 120 dias. Por isso pretendemos inaugurar o hospital até dezembro”, acrescentou a deputada.

O secretário de Saúde de Maringá, Jair Biatto, revelou o que vem a seguir: “Estamos montando uma comissão envolvendo o município, Estado, União e a Organização Mundial da Família, que vai se reunir a cada 15 dias para acompanhar o andamento do processo”, detalhou. “Criamos uma força-tarefa para providenciar toda a documentação e agilizar todos os processos burocráticos, para apressar os prazos e iniciarmos logo a construção.” A prefeitura, por sua vez, já está se encarregando da preparação e manutenção do terreno, doado ao município no fim do ano passado pela Secretaria do Patrimônio da União, além da infraestrutura do entorno. E o Hospital Pequeno Príncipe, referência em pediatria, está prestando consultoria em todo o processo.

Edson Scabora destacou a importância desta unidade como referência no atendimento às crianças, em especial as portadoras de algum tipo de câncer. “Bem sabemos o quanto sofrem as famílias que precisam se deslocar para outras cidades para fazer o tratamento”, comentou.

O Hospital da Criança de Maringá vai ocupar uma área de 88,6 mil metros quadrados, pertencente ao antigo aeroporto da cidade. Terá 160 leitos e vai oferecer atendimento em 21 especialidades da pediatria, como oncologia, ortopedia, cardiologia, gastroenterologia e endocrinologia, entre outras, e vai cobrir uma área com aproximadamente 4 milhões de pessoas.

 

Comente aqui