Agosto



Uningá organiza congresso internacional de odontologia

Uningá. Foto de Douglas Marçal

Em 2018 0 Congresso de Especialidades Odontológicas da Uningá chega à quinta edição internacional, com ampla abrangência a partir de 2018.
O Congresso deve ser realizado em Florianópolis, no mês de agosto, e pretende reunir os maiores especialidades nas diversas áreas da odontologia e ampliar a área de abrangência dos grandes eventos realizados pela Uningá.

Comente aqui


Promessa de muita chuva, em agosto

O site de Olho no Tempo publicou simulações numéricas que começam a indicar a possibilidade de retorno da chuva, inclusive em maior quantidade, na segunda quinzena de agosto no centro-sul do Brasil. A precipitação avançaria da Região Sul para Mato Grosso do Sul e São Paulo, inicialmente, de modo discreto, no dia 14 de agosto.
Entre os dias 15 e 16, um cavado – área alongada de baixa pressão – é previsto para aprofundar-se entre o Paraná e a Bolívia e por isso, a carga de precipitação, de até 40 milímetros, seria mais generosa entre Mato Grosso do Sul, Paraná e São Paulo. Até o dia 18, a chuva é prevista para retornar também ao sul de Goiás, oeste e sul de Mato Grosso e leste e sul de Minas Gerais.
Outro cavado, frontal, e bem amplificado, é projetado para avançar pelo continente entre os dias 20 e 21 levando umidade até Rondônia e distribuindo melhor a chuva sobre a Região Sul, além de Mato Grosso do Sul e São Paulo.
Veja como ficaria a distribuição das chuvas no dia 16 de agosto  segundo prognóstico feito pelo modelo norte-americano GFS. Nos dias 14, 15 e 16 há possibilidade de chuvas fortes em Maringá e região.

O acumulado até 23 de agosto indica valores acima de 100 mm sobre áreas da Região Sul e entre 50 e 70 mm para municípios de Mato Grosso do Sul e entre o oeste e sul de São Paulo, o que superaria a média climatológica (1961-1990) de agosto, uma vez que o oitavo mês do ano é o mais seco de todos nas regiões que seriam beneficiadas.
A anomalia de precipitação feita por outro modelo, o CFS, mostra uma mudança no padrão de precipitação para as próximas duas semanas sobre a América do Sul, onde a fração anômala positiva partiria da Argentina para o Sul do Brasil, principalmente.

Portanto, as chuvas seriam anômalas, ou seja, anormais para o mês, mas bem-vindas para minimizar os efeitos da estiagem.
Embora a projeção seja para um período relativamente curto, os órgãos oficiais, Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Cptec/Inpe) e Inmet limitam-se em prognósticos para no máximo, cinco dias (Cptec/Inpe) e 48 horas (Inmet), infelizmente.

(Crédito das imagens: Arquivo/Milene Cardoso/News Free – Reprodução/Cptec/Inpe – Reprodução/Tropical TidBits)

(Fonte da informação: De Olho No Tempo Meteorologia)

 

Comente aqui