Cida Borghetti



Recursos para investimentos nos bairros

 

O prefeito de Maringá, Ulisses Maia, esteve reunido na tarde de hoje, 10, com o governador Beto Richa e a vice-governadora Cida Borghetti para formalizar o repasse de R$ 10 milhões ao município. Os recursos serão investidos na construção de 20 unidades de lazer nos bairros. Também participaram da reunião os vereadores Alex Chaves, Belino Bravin, William Gentil e Do Carmo e o deputado estadual Tiago Amaral.
O espaço de lazer terá campo de futebol com grama sintética, alambrado e iluminação, parque infantil e área de convivência com jardins, bancos e mesas. O valor representa apenas parte de outros recursos que serão destinados a Maringá pelo governo estadual para obras de lazer e infraestrutura.
O recurso formalizado hoje em Curitiba se soma aos R$ 650 mil anunciados pelo governador Beto Richa no último dia 5 durante abertura da Expoingá. O valor será aplicado na implantação do sistema de esgoto do Jardim Alvorada III. No sábado, 6, o ministro a Saúde, Ricardo Barros, anunciou R$ 10 milhões para a ampliação do Hospital Municipal.

O vídeo foi publicado por Ulisses, na sua página no Facebook.

Comente aqui


Cida assume governo do Paraná

cida
Às 9 horas dessa segunda-feira (19), Cida Borghetti assumirá o governo do Estado do Paraná.
A transmissão de cargo ocorrerá no Salão Nobre do Palácio Iguaçu.
Cida estará no cargo até o retorno do governador Beto Richa que chefia missão oficial na China, Rússia e França.
Na agenda da governadora em exercício estão trabalho no Palácio e viagens ao interior e à Brasília.

Comente aqui


Créditos na questão do Gerardo Braga

Foi grande a mobilização em defesa da continuidade do funcionando do Colégio Estadual Dr. José Gerardo Braga, em Maringá.
Comunidades e políticos trabalharam para que o fechamento proposto pela Secretaria de Educação não se concretizasse.
Deputados estaduais, vereadores e Câmara Municipal, entidades, foram muitas as ações e contatos com o governo para que a escola continuasse funcionando.
O Diário fez uma reportagem ampla, reportando a importância histórica da escola.
A decisão veio em nota da vice-governadora Cida Borghetti: “Sou contra o fechamento das atividades na instituição”. O Colégio Dr. José Gerardo Braga, em Maringá, não vai fechar e não haverá remanejamento dos estudantes, informou em nota a sua assessoria.
Segundo a vice-governadora os estudos de otimização da infraestrutura serão revistos pela Secretaria da Educação e uma nova solução será apresentada para ser discutida com a comunidade de Maringá.
Também é importante ressaltar: todos que se mobilizaram e manifestaram a favor do colégio fizeram a sua parte.
O resultado esperado, que é a continuidade do Gerardo Braga, foi alcançado. Isso é o que importa.

2 Comentários


Sucessão estadual: Ricardo fala sobre o governo e a sucessão

Deputado federal Ricardo Barros (Foto: Wenderson Araújo/Gazeta do Povo)

Deputado federal Ricardo Barros (Foto: Wenderson Araújo/Gazeta do Povo)

A Gazeta do Povo traz entrevista com o deputado federal Ricardo Barros sobre “sucessão estadual”.
O título é “Barros já tem até slogan para Cida em 2018: ‘Fazer no Paraná o que foi feito em Maringá’”. A entrevista é assinada por André Gonçalves.

A vice-governadora Cida Borghetti (Pros) não apenas é candidata a assumir o Palácio Iguaçu em 2018, como já tem até plataforma de campanha: levar ao estado a experiência da gestão municipal de Maringá. Quem revela os planos é o marido dela, Ricardo Barros (PP), deputado federal que trabalha em diversas frentes para pavimentar a candidatura da esposa. Uma delas é viabilizar a antecipação dos contratos com as concessionárias de pedágio, que acabam em 2022, em troca de redução na tarifa e obras. “Esperamos que o governo [Richa], terminando bem, facilite a possibilidade de ela concorrer. Mas a nossa referência política é Maringá”, cita Barros.

O sr. tem feito críticas à gestão Richa e falou em “muitas decisões equivocadas”. Quais foram?
O Paraná tem o mérito de já ter aprovado seu ajuste fiscal. Então, isso quer dizer que nós temos a perspectiva de terminar bem o governo, com condições de fazer os investimentos que o Paraná precisa. Agora, a condução da votação do ajuste teve alguns equívocos, que todos conhecem, que provocaram um desgaste muito grande para o governador. Os erros são aqueles que toda imprensa já noticiou. O governador e o líder do governo na Assembleia [Luiz Cláudio Romanelli] escolheram mal os caminhos para alcançar o objetivo da votação. Mas está feito, está aprovado e o resultado final é bom.

O governo errou na negociação com os servidores?
Não. Acho que conduziu mal o processo legislativo. Encaminhou o projeto na data errada. Criou uma possibilidade de reação muito forte. Podia ter mandado o projeto numa segunda-feira para votar até quinta. Mas mandou na semana anterior à votação, o que permitiu uma grande mobilização. São erros que custaram grande desgaste.

Como o sr. se considera em relação ao governo Richa: um aliado, independente ou alguém que pode fazer oposição em determinados momentos?
Somos aliados porque escolhemos essa aliança e vamos participar do governo na medida em que formos chamados a opinar. A nossa condição de aliado decorre da iniciativa do governador em nos ouvir nas decisões tomadas.

Ele procura o sr.?
Nós temos procurado encontrá-lo e dar a nossa opinião sobre a condução dessas questões. Esperamos ser ouvidos.

A impressão que existe é que o sr., a vice-governadora e o secretário de Planejamento, Silvio Barros [irmão de Ricardo], têm buscado uma pauta própria dentro do governo, principalmente com a atração de recursos federais e investimentos da iniciativa privada. É isso ?
É o caminho que escolhemos para cooperar. O governo tem o seu orçamento e nós estamos buscando ações que permitam que a iniciativa privada invista muito no Paraná. Nosso objetivo é consolidar essas oportunidades, primeiro pelos investimentos que as concessionárias [de pedágio] possam fazer, por ampliação de prazo das concessões [que acabam em 2022]. O contrato com as concessionárias é ruim. A taxa de retorno de 19% ao ano é muito alta. Queremos o quanto antes reformular esse contrato para que ele possa se tornar bom para os paranaenses, com menos tarifa e mais investimentos.

O sr. tem convicção de que a saída é a antecipação da renovação dos contratos com as atuais concessionárias?
Eu estou convencido de que, se pudermos negociar com as concessionárias, numa corresponsabilidade com o governo federal, porque dependemos da delegação deles no caso das rodovias federais, isso necessariamente é bom para o Paraná. Se nós podemos antecipar obras e reduzir tarifas agora, porque devemos esperar mais sete anos? Vamos antecipar. Esse é o caminho e devemos fazer isso com absoluta transparência.
O governo do estado tem batido na tecla de que é possível separar a delegação da renovação das concessões.
É nisso que eu discordei do governador. Não vai acontecer dessa forma. A União nos dará a renovação da delegação se souber o que o governo do estado vai fazer com essa delegação. Não vai dar uma carta em branco para o estado.

O sr. vê semelhanças entre a crise da gestão Richa com a do governo Dilma?
Não. O problema do governo federal está em outro estágio. A presidente tem um problema de consolidação do governo de coalizão, que o governador não tem. Ele tem uma base segura, que participa do governo efetivamente. Cada secretário segue uma diretriz, mas tem a liberdade de aplicar o programa do seu partido na área em que atua. No governo federal não é assim. O PT quer que todos ajam dentro da sua mentalidade e detém a enorme maioria dos cargos. Evidentemente, o compromisso dos partidos que fazem parte da coalizão é bem menor. Os ministros não se sentem corresponsáveis pelo governo. É isso que fragiliza o governo Dilma.

Qual deles têm mais possibilidades de recuperar a popularidade?
O governador. Ele já fez o ajuste fiscal. Recuperando o governo, recupera sua imagem. Vejo no governo Dilma mais dificuldades para o ajuste fiscal e na relação com a base aliada.

De Brasília saem recursos para o Paraná?
Saem. Evidentemente que eu, como relator-geral do orçamento de 2016, privilegiarei o Paraná, que é minha obrigação e farei com prazer.

Hoje o sr. acha que a vice-governadora Cida Borghetti é a candidata natural à sucessão do governador?
Não acho que ela é a candidata natural. Mas ela, assumindo o governo [em caso de desincompatibilização de Richa para disputar o Senado, por exemplo], vai concorrer ao governo. Claro que isso vai depender de vários fatores. Mas é natural que ela, como vice-governadora, pleiteie o governo ao assumir a cadeira. Temos outras pretensões legítimas também que se apresentam no estado. Para nós, não tem problema, é democrático. Como é nosso estilo, ao acabar a eleição, se ganharmos, estaremos convidando todos para estar juntos. E se perdermos, estaremos juntos. Para nós, disputar eleição é disputar a oportunidade de servir a comunidade.

A candidatura da Cida só se viabiliza se o governo Richa for bem?
Nós estamos trabalhando muito para o governo ir bem. Por isso, trabalhamos em frentes que não dependem do caixa do estado. Esperamos que o governo, terminando bem, facilite a possibilidade de ela concorrer. Mas a nossa referência política é Maringá. Então, qual será o discurso da vice-governadora? Vamos fazer no Paraná o que fizemos em Maringá. É uma prefeitura extremamente organizada, com a melhor gestão fiscal do Paraná, com 22% de capacidade de investimento sobre a arrecadação. Somos primeiro no estado em quase tudo e segundo no que não dá para concorrer com a capital. A gente tem muita alegria de poder ter construído, junto com outros administradores competentes que a cidade teve, essa referência que é Maringá.

Se o governador optar, por exemplo, em tentar fazer um sucessor do PSDB, Cida pode ser candidata mesmo assim? Independe de uma decisão do grupo de Richa?
O governador, se deixar o cargo, será candidato. Evidentemente, será candidato na coligação da vice. Não vai ser candidato para ser contra quem está no governo. É natural que estejamos juntos no próximo pleito. Não vejo nenhuma dificuldade nisso. Acho que a aliança está bem formada. Temos outros pretendentes dentro do mesmo grupo político, mas não vejo nenhuma dificuldade de compor. Tem espaço para todos.

Comente aqui


O incrível Beto Richa

A vice-governadora Cida Borghetti, a deputada estadual Maria Victória e o secretário de Planejamento Silvio Barros distribuíram nota conjunta em que pedem ao governador que aceite a proposta dos servidores feita à Assembleia Legislativa, para acabar com o impasse que mantém a greve.
Essa é uma notícia muito importante, que mostra o isolamento a que chegou o governador Beto Richa, nos desastrados cinco meses iniciais do seu segundo mandato.
Se é inacreditável tudo que fez ou permitiu que fosse feito (e desfeito), muito mais inacreditável é a forma como trata o assunto, sem considerar a realidade, a situação geral em que se encontra e na qual colocou o estado do Paraná.
Filho de um político que fez história no Paraná, ex-deputado estadual, ex-prefeito da Capital, com avaliação muito boa, ninguém poderia imaginar, nem no cenário mais pessimista, que chegasse ao ponto de ser quase uma unanimidade negativa no estado.
Nem na equipe, nem entre aqueles que o apoiaram na recente campanha ele consegue apoio. De fato algo precisa ser feito, rapidamente.
O prejuízo maior é da população, em especial dos adolescentes e jovens sem aula e sem calendário para os seus estudos.
Cida, Maria Victória e Silvio estão certos em pedir atitude a um governador do qual tanto se esperava e que decepciona, de forma inacreditável, a milhões de paranaenses, inclusive seus eleitores e aliados.
Sem dúvida o que todos esperam é que o governador Beto Richa surpreenda positivamente, iniciando a necessária ação para recolocar o Paraná na normalidade.

9 Comentários


Cida Borghetti participou de reunião com a bancada federal

Bancada

A vice-governadora do Paraná, Cida Borghetti (PROS), participou ontem da reunião da bancada federal do estado, em Brasília. Cida representou o governo do Estado.
O convite foi feito pelo coordenador da bancada João Arruda (PMDB).
Na pauta estavam a análise de Medidas Provisórias em tramitação no Congresso, restos a pagar que o governo federal deve ao Paraná, a indicação do ministro Joel Ilan Paciornik para a vaga de ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e o orçamento impositivo para as emendas de bancada.

Comente aqui


Cida disputa eleição para Conselho Italiano

A deputada federal e vice-governadora eleita, Cida Borghetti (Pros), coloca seu nome para mais uma eleição. Ela lidera uma das chapas que concorre ao Com.It.Es (Conselho de Italianos no Exterior) para o Paraná e Santa Catarina. O Com.It.Es representa italianos que vivem no Brasil e descendentes com cidadania italiana junto ao Consulado e ao Governo Italiano.
Cida, que já é conselheira do Com.It.Es há 10 anos, explica à coluna que entre as propostas do movimento “Passione Italia” estão auxiliar os descendentes na obtenção da cidadania, dar suporte a novos imigrantes e estimular bolsas de estudos, intercâmbios e estágios em Universidades e empresas italianas. O trabalho é voluntário e o mandato é de cinco anos.
Os italianos ou descendentes com cidadania interessados em votar devem preencher um formulário, disponível no site do Consulado, até o dia 19 de novembro. As cédulas de votação serão encaminhadas às residências dos cadastrados. A votação vai até o dia 19 de dezembro.

Confira a chapa completa:

Maria Aparecida Borghetti
Maringá – PR
Cida Borghetti. vice-governadora eleita do Paraná, exerce o mandato de deputada federal, presidente estadual do PROS. Membro do Comites há 10 anos é também presidente do grupo parlamentar Brasil-Itália. Formada em Administração Pública pela Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul) com especialização em Políticas Públicas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).
Neta de imigrantes de Veneza e Trentino. É reconhecida pelo seu trabalho em favor da mulher, criança e adolescente, pela saúde preventiva e o cuidado especial com as pessoas. Cursou inglês no Inter Americano e italiano no curso Dilit, em Roma

Delise Guarienti Almeida
Pato Branco – PR
Empresária dos meios de comunicação, está a frente de jornais que são referências no jornalismos do Sudoeste do Paraná e Oeste de Santa Catarina, bem como a região Centro-sul paranaense. No âmbito social, desenvolveu e é atuante em projetos que visam à inclusão. Sua atuação e ética lhe concederam diversos títulos que comprovam que ama o que faz e luta por seus ideais.

Juliano França Tetto
Curitiba – PR
Advogado sênior no escritório Tetto, Macedo, Mees & Tisi Advogados; Diretor Jurídico do Sindiclubes e do Clube Curitibano. Foi membro do Conselho Executivo da Câmara de Comércio Brasil-Itália do Paraná entre os anos de 2008 e 2010. Conhecedor das leis brasileiras e italianas participou como palestrante no evento 60 Anos da Constituição Italiana / 20 anos da Constituição Brasileira (Fundazione Giuseppe di Vittorio, Associação Insieme Brasil, Associação Giuseppe Garibaldi.

Roberto Carlos Castagnaro
Balneário Camboriú – SC
Empresário com formação em direito, é sócio-proprietário de cinco empresas de Rádio Difusão em Santa Catarina, além de outras empresas que contam com seu vasto conhecimento nos negócios. Foi Presidente da Câmara Junior Internacional de Balneário Camboriú. Preocupado em promover os interesses dos italianos no exterior, vê no Comites a possibilidade de colocar toda sua integridade, dinamismo e experiência para tal objetivo.

Valentina D’Orazio
Londrina- PR
Uma italiana que teve seu futuro mudado após sua primeira viagem ao Brasil. Paralelo ao curso de graduação em Línguas e Culturas Estrangeiras (língua portuguesa), frequentou vários cursos promovidos pela Embaixada do Brasil. Depois do Master em Marketing, Gestão e Administração das Empresas Turísticas, o trabalho na American Express como “Lifestyle Counsellor”, tornaram as viagens ao Brasil cada vez mais frequentes até a mudança para Londrina em 2009. Atualmente, trabalha como interprete e professora de italiano.

Antônio Carlos Carnasciali Goulart
Curitiba – PR
Advogado de profissão, na vida pública foi Presidente da CODEFI – Cia de Desenvolvimento de Foz do Iguaçu, entre outros cargos públicos. Pertence aos quadros sociais da Sociedade Garibaldi e da Dante Aleghieri. É filiado ao PD – Partido Democrático italiano, tendo trabalhado como Secretário. Assessorou a UIM – União dos Italianos no Mundo, em Curitiba. Na vida profissional pessoal, segue atuando na orientação jurídica aos aspirantes à dupla cidadania ítalo-brasileira.

Vicente Augusto Caropreso
Jaraguá do Sul – Santa Catarina
Médico neurologista. Deputado Estadual de SC e já foi vereador de Jaraguá do Sul. É líder comunitário, onde divide suas atividades profissionais, como médico voluntário da APAE há 30 anos, em seu consultório e hospitais. Faz parte da Associazione Bellunesi nel Mondo e é um dos idealizadores do monumento aos imigrantes Chiesetta Alpina em Jaraguá do Sul/SC.

Paulo Cezar Pereira
Curitiba – PR
Descendente das famílias Boscardin e Tulio, é formado em Ciências Contábeis e comerciante do ramo de moagem de milho, ofício centenário trazido da Itália pelos Boscardin. É presidente da “Comissão dos festejos dos 135 anos de Santa Felicidade”, diretor cultural da Associação do Comércio e Indústria de Santa Felicidade (ACISF) e em 2014 foi delegado pela regional de Santa Felicidade na Conferência da Cultura. Participa da vida social, política, cultural, religiosa e comercial da região e de Curitiba.

Marcello Ramella
Curitiba-PR
Nascido na Itália, depois de alguns anos no Brasil, se voltou ao mercado financeiro, participando da compra do Banco Denasa, o qual se tornou o maior acionista e vice-presidente-executivo. Depois da venda para o BNL, dedicou-se a operações de equity de empresas como a “Impressora Paranaense”. Hoje, desenvolve atividade de consultoria internacional e é o referente no Brasil da Confapi (Confederazione Italiana della Piccola e Media Industria) a da Aib (Associazione Industriale Bresciana).

Luciana Casagrande Pereira
Curitiba-PR
Formou-se em Arquitetura e Urbanismo pela Pontifícia Universidade Católica – PUC, em Curitiba. É especialista em Gestão Técnica do Meio Urbano, também pela PUC. Em 1992, morou na Itália, onde estudou História da Arte. Trabalhou com planejamento urbano até 2000 – ano em que assumiu a presidência do Instituto Paranaense de Arte, entidade que realiza a Bienal Internacional de Curitiba há 21 anos.

Antonio Fachin Filho
Criciuma-SC
Graduado em Gestão Pública, trabalhou 38 anos nas áreas financeira, de compra e de gestão em várias empresas. Sócio fundador da Associação Italo Brasileira de Tradição e Cultura desde 1988, participou de várias gestões na diretoria e no conselho fiscal. Participou da criação de associações venetas (trevisani/bellunesi), já apoiou as eleições passadas dos Comites e contribuiu à criação do Comitato das Associações Venetas de Santa Catarina (Conselho Fiscal da diretoria atual).

Rodrigo Pironti Aguirre De Castro
Curitiba – PR
Doutorando e Mestre em Direito Econômico e Social pela PUC- PR. Especialista em Direito Administrativo pelo Instituto de Direito Romeu Felipe Bacellar Filho e em Direito Empresarial pela PUC- PR. Conselheiro Estadual da OAB-PR e membro do Conselho Federal da OAB.
Vice-presidente do Foro Mundial de Jóvenes Administrativistas (México). Diretor Executivo do Instituto Paranaense de Direito Administrativo – IPDA. Professor de graduação e pós-graduação da Universidade Positivo, da Escola Superior de Advocacia, do IDRFBF-PR, da Universidade de La Plata-ARG, Michoacána-MEX e Instituto Tecnológico de Monterrey – MEX.

Vincenzo Cortese
Curitiba-PR
Nascido em Napoli, desde cedo participou do movimento estudantil na escola e em seguida no Conservatório. Migrou para o Brasil em 1981, onde atuou como músico performático nas mais importantes capitais brasileiras. Desde 2002 reside em Curitiba, onde fez parte integrante da diretoria na Dante Alighieri e na Associação Giuseppe Garibaldi, organizando vários eventos culturais e musicais. Atualmente é consultor de áudio analógico, uma paixão que cultivou e aperfeiçoou nos Estados Unidos.

Sandro Giassi Serafim
Criciúma – SC
Mestre em Gestão Empresarial, representou ao longo de sua vida profissional várias instituições, tanto a nível de direção, quanto presidência. Atualmente é Vice Prefeito de Içara – SC, e além de suas atividades públicas na Prefeitura, tem outras atuações assim como Membro do Conselho Curador do Hospital São Donato, Diretor Superintendente e Consultor Técnico da Casan.

Comente aqui


Prefeitos declaram apoio a Beto Richa

cida

Em encontro com mais de 300 prefeitos de todas as regiões do Paraná que declararam apoio à reeleição de Beto Richa (PSDB), hoje, em Curitiba, a candidata à vice-governadora Cida Borghetti (PROS) pediu aos prefeitos e lideranças empenho para vencer a eleição no 1º turno.
“Prefeitos e prefeitas que aqui estão e querem a reeleição do governador Beto Richa, precisamos da ajuda e do empenho de cada um de vocês. Com esse apoio ganharemos no 1º turno e, juntos, vamos manter o Paraná no rumo certo”, disse.
Além dos 17 partidos da coligação “Todos pelo Paraná”, estiveram presentes lideranças e prefeitos de partidos como PDT, PSB, PV e PMDB.
Cida agradeceu aos apoios e fez uma homenagem às prefeitas. “São mulheres que, assim como eu, trabalham todos os dias por um Paraná melhor. Mulheres que se dedicam aos filhos e às suas famílias e também a um futuro mais próspero e justo”.
O prefeito em exercício de Umuarama, Sérgio Frederico (PSDB), elogiou o trabalho de Cida Borghetti pela região Noroeste. “Nós temos acompanhado o trabalho da Cida, ela é uma grande aliada. Sua família sempre fazendo o bem para a população e trazendo o desenvolvimento para nossa região”.
Já o prefeito de Tupãssi, José Carlos Mariussi (DEM), destacou a escolha de Cida Borghetti como vice-governadora. “A Cida junto com a Fernanda farão a diferença na classe feminina do Paraná. Isso vai contribuir muito para o desenvolvimento e crescimento do nosso estado. Perfeita escolha na Cida Borghetti, pelo que ela representa, pela mulher que ela e pela guerreira que é, mas acima de tudo pela história de vida e dentro da política. Fará com certeza toda a diferença dentro do nosso estado”.
O prefeito de Iguaraçu, Tião Aurélio (DEM), afirmou que a Cida vai ser mais uma aliada dos pequenos municípios no Governo. “A companheira Cida Borghetti é uma pessoa de um carisma muito grande, sensata, que conhece as dificuldades das pequenas cidades. Vai somar muito”.

1 Comentário


Ulisses, Cida e Silvio em novos partidos

Hoje, às 18 horas, o Auditório Hélio Moreira, o vereador Ulisses Maia assina filiação ao Partido Solidariedade (SDD). Ele deixou o PP. Estará presente o presidente do partido no Paraná, deputado federal Fernando Francischini.
A deputada federal Cida Borghetti está saindo do PP para ser a presidente do novo Partido Republicano da Ordem Social (PROS), no Paraná.
O ex-prefeito de Maringá, Silvio Barros, também deverá deixar o PP. Seu destino mais provável é o Partido Humanista da Solidariedade (PHS).
São mudanças que trarão novidades na composição de alianças e candidaturas nas eleições 2014 e 2016.

2 Comentários


Cida Borghetti anuncia licença do mandato

Em nota publicada agora há pouco no Facebook, a deputada federal Cida Borghetti anunciou que está entrando em licença de quatro meses.
A nota é a seguinte: “A partir de hoje estarei de licença do meu mandato de deputada federal por quatro meses, sem remuneração. Preciso neste momento cuidar de alguns assuntos pessoais e irei visitar e acompanhar mais de perto os municípios que compõem a minha base eleitoral. Aproveito pra agradecer o carinho de todos vocês.”

1 Comentário