Economia



Paranaense ganha 1º lugar do Prêmio Brasil de Economia

Odisnei Antonio Béga (conselheiro CORECONPR), João Adolfo Stadler Colombo (delegado regional Maringá CORECONPR), Maria De Fatima Miranda (presidente CORECONPR), Juliana Franco Afonso e seu marido, o advogado André Luís Rodrigues Afonso

A economista maringaense Juliana Franco Afonso ganhou o 1º lugar do Prêmio Brasil de Economia, na categoria Tese de Doutorado. Ela concorreu com o trabalho “Convergência Espacial da Produtividade Total dos Fatores da Agricultura Brasileira: Implicações dos Investimentos em Infraestrutura de Armazenamento, Pesquisa, Capital Humano e Crédito Rural”.
Juliana Franco Afonso é professora nos cursos de economia da Universidade Estadual de Maringá (UEM), Faculdade Cidade Verde (FCV) e EAD UniCesumar.
A solenidade de entrega da premiação aconteceu na sexta-feira, dia 8, na cidade de Belo Horizonte – MG, durante encerramento do Congresso Brasileiro de Economia (CBE 2017).
A importância do prêmio para o Paraná foi reconhecida pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (CORECONPR), que teve representantes acompanhando o evento.

Comente aqui


Agenda única para micro e pequenas empresas, no Paraná

Ercílio Santinoni defende que o apoio às micro e pequenas empresa precisa começar pela desburocratização, em todos os níveis legais

Em dois dias de evento quase mil pessoas participaram do 2º Encontro das Micro e Pequenas Empresas (MPEs) do Paraná, realizado na FIEP, em Curitiba. Uma das diretrizes aprovadas será a elaboração de uma agenda conjunta para o segmentos das micro e pequenas empresas, no Paraná, focando na melhorias do ambiente de negócios em todas as regiões do estado.
O evento teve palestras e atividades gerais e oficinas temáticas sobre Associativismo, Serviços Financeiros; Inovação e Tecnologia; Simplificação e Desburocratização; Compras Públicas; Educação Empreendedora. Com as oficinas foi possível partir das melhores experiências dos municípios paranaenses, discutir e elaborar conjuntamente uma agenda de compromissos e ações com os empresários de MPEs, voltada para o fortalecimento dos negócios locais.
Ercílio Santinoni, líder do movimento nacional das micro e pequenas empresas, presidente da Confederação Nacional do segmento, coordenador do Fórum Permanente do Paraná e membro do conselho deliberativo do Sebrae nacional, participou da oficina de “Racionalização Legal e Burocrática”. Para ele, o apoio aos empreendedores da micro e pequena empresa precisa começar pela desburocratização, hoje ainda um obstáculo a quem quer investir, trabalhar, produzir, gerar empregos.
Na Oficina de Compras Públicas, foram apresentados painéis com cases do município de Entre Rios do Oeste, vencedor do Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor; da Associação Comercial e Industrial de Londrina (Acil), que mantém um escritório de compras públicas; da cooperativa Cooperu, de Umuarama, sobre seu trabalho com a aquisição de merenda escolar pelo município; e do município de Laranjeiras do Sul, também vencedor do Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor.
“A ideia foi refletir como os cases relevantes do Estado podem causar impactos positivos nos municípios. Com base neles, foram discutidas as propostas que serão apresentadas no encerramento do evento”, destacou a consultora do Sebrae/PR Juliana Schvenger, uma das instrutoras da oficina.
As experiências do sistema de inovação Fundação Parque Tecnológico Itaipu (FPTI) na região Oeste, da Bússola de Inovação do Sistema Fiep/Senai e do ecossistema do município de Pato Branco foram destaque na oficina de Inovação e Tecnologia. Um painel também apresentou o que vem sendo feito pelas diferentes instituições nos seis Sistemas Regionais de Inovação do Estado.
Edivaldo Souza, de Curitiba, participou da oficina Inovação e Tecnologia. Ele disse que as apresentações mostraram que diferentes regiões do Paraná estão em pé de igualdade em relação ao tema. “Não há grandes diferenças entre as regiões apresentadas, como norte e capital, por exemplo. Outra questão foi que a oficina desmistificou um pouco o conceito de startups, mostrando que elas precisam estar inseridas num contexto econômico, operacional e social e não necessariamente são empresas de TI”, afirmou.
Para Amanda Amaral, secretária de educação de Carlópolis, na região norte do Estado, a oficina gerou um debate interessante entre os participantes, que resultou em ideias criativas e produtivas. “Temos o Programa implantado em duas escolas, e achei ótima essa troca de experiências. Uma das ideias que podemos implantar são as oficinas para confecção de material, para revender e arrecadar dinheiro para as escolas”, contou.
A desburocratização para facilitar o acesso a crédito foi um dos pontos debatidos na oficina de Serviços Financeiros. “Levantamos a possibilidade de parcerias com a Fomento Paraná, visando a criação de um fundo estadual de garantias. A ideia é possibilitar taxas melhores para os empreendedores de pequenos e médios negócios do Paraná”, explicou Itamar Carminatti, secretário da Agência do Trabalhador de Barracão, no sudoeste do Estado.
Além do Sebrae/PR, promoveram o evento o Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte do Estado do Paraná (Fopeme), a Fiep, a Fecomércio PR, a Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado do Paraná (Faciap), a Federação das Associações de Micro e Pequenas Empresas e Empreendedores Individuais do Estado do Paraná (Fampepar) e o Governo do Paraná. O BRDE é patrocinador do encontro.

Crédito das imagens: Luiz Costa

Yagor Victor Assis Mariano representou o secretário Francisco Favoto e a Prefeitura de Maringá no 2º Encontro das Micro e Pequenas Empresas do Paraná

1 Comentário


Contas do governo têm pior julho em 21 anos

O governo federal registrou um déficit primário de R$ 20,152 bilhões em julho, o pior desempenho para o mês da série histórica, que tem início em 1997. O resultado, que reúne as contas do Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central, sucede o déficit de R$ 19,227 bilhões de junho.
O resultado de julho ficou acima das expectativas do mercado financeiro, cuja mediana apontava um déficit de R$ 18,2 bilhões, de acordo com levantamento do Projeções Broadcast junto a 24 instituições financeiras. O dado do mês passado ficou dentro do intervalo das estimativas, que foram de déficit de R$ 25 bilhões a R$ 11,15 bilhões.
Entre janeiro e julho deste ano, o resultado primário foi de déficit de R$ 76,277 bilhões, também o pior resultado para o período da série histórica. Nos primeiros sete meses do ano passado, esse mesmo resultado era negativo em R$ 55,693 bilhões.

Comente aqui


Em busca de investimentos externos

Governador Beto Richa apresenta em Brasília, potencial de investimentos do Paraná para embaixadores. Foto: Escritório de Representação do Paraná

Nesta quinta-feira, 10, em Brasília, o governador Beto Richa apresentou o potencial do Paraná para investimentos externos a um grupo de nove embaixadores. A reunião teve a participação de representantes dos EUA, China, Japão, França, Espanha, Itália, Ucrânia, Alemanha e Suécia. Juntas – países que somam 58,63% do Produto Interno Bruto mundial.
“Temos a segunda maior indústria automotiva, a terceira indústria de transformação, o quarto maior parque petrolífero, a segunda indústria de alimentos. Somos o segundo maior produtor de grãos e a quinta maior economia do País”, disse Richa. Forte no agronegócio, o Paraná é o maior produtor de frango, trigo e feijão, o segundo em soja e milho e o terceiro em carne de suínos.

Comente aqui


Repatriação

Fracassou. Prevista para terminar nesta segunda-feira (31), a regularização de ativos no exterior, também chamada de repatriação, arrecadará menos que o previsto. A estimativa do governo é arrecadar R$ 2,852 bilhões com a segunda etapa do programa, o que representa pouco mais de 20% da estimativa inicial de R$13 bilhões.
O valor foi divulgado pelo Ministério do Planejamento no último dia 21, no Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas. O novo número leva em conta a arrecadação bruta do programa. Ao considerar a partilha do Imposto de Renda e das multas com os estados e os municípios, a União ficará com R$1,34 bilhão.

Comente aqui


Novo recorde

Com 25 milhões de toneladas de cargas, o Porto de Paranaguá fechou o primeiro semestre de 2017 com a maior movimentação de toda sua história para o período. Comparado com o mesmo período do ano passado, o crescimento foi de 3,3%. O recorde vem acompanhado de outro feito importante: nunca o Porto de Paranaguá teve uma diversificação tão grande nas suas cargas. Ao longo destes seis meses, o porto bateu o recorde de movimentação de cargas gerais e graneis líquidos e, pela primeira vez na sua história, os produtos desta natureza ultrapassaram os 33% do total movimentado. Exemplo disso é que nesta quinta-feira (20) os mais de 20 berços do Porto de Paranaguá estão todos ocupados por navios, operando um total de 13 tipos diferentes de cargas – como milho, veículos, açúcar, óleo de soja, farelo, cloreto de potássio e ureia.

Comente aqui


Coluna do dia 21 de julho, sexta-feira

CONSUMIDOR Tem sido uma surpresa positiva a atuação do Procon de Maringá sob o comando do advogado Rogério Calazans. A liminar conseguida para fazer valer os anúncios de operadora de celular para todos os consumidores, de abrangência nacional, é o mais expressivo exemplo dos resultados que o Procon vem consolidando.

DIFERENTE Não há dúvida que a atuação do Procon, em 2017, tem sido inovadora. Um novo capítulo na defesa do consumidor. Isto é necessário e é importante.

GUARDA MIRIM A prefeitura articula a volta da Guarda Mirim. Projeto de grande memória e importância na história da cidade.

DESBUROCRATIZAÇÃO O governo federal publicou no dia 17 de julho o decreto 9094, de desburocratização. Caiu a exigência de reconhecimento de firma em documentos.

BOA FÉ Caiu a autenticação em cópia de documentos e também não pode mais ser exigida cópia de comprovante que esteja na base de dados de órgão do governo.

CARTA DE SERVIÇOS Os órgãos de atendimento à população deverão elaborar “carta de serviço”, relatando e orientando sobre os serviços que prestam. Excelentes medidas.

ATENÇÃO Tenho recebido mensagens de alerta sobre o projeto de lei complementar 1.657/2017 que altera o uso e ocupação do solo no município de Maringá.

CÓRREGOS E NASCENTES Uma das alterações se refere às vias paisagísticas, ao longo dos cursos d’água. Maringá tem 75 quilômetros de córregos preservados, mais as centenas de nascentes.

ESTUDO O projeto está nas comissões da Câmara e precisa ser muito bem estudado pelos vereadores. É preciso manter o que é bom para o meio ambiente.

PASSADO Há, em fundos de vale, ocupações irregulares que precisam ser resolvidas. O projeto 1.657 se refere a novas construções e ocupações.

 

REGIÃO

PLANTÃO Foi alterada a data do plantão da Biometria no Fórum Eleitoral de Sarandi. Será no domingo, dia 23 de julho, das 9 às 18 horas.

ATALAIA Hoje, às 9 horas, no Parque de Rodeios, começa uma grande cavalgada que marca o começo das festividades de 57 anos do município de Atalaia. CORRIGINDO: A cavalgada é domingo, dia 23.

DESTAQUE O município de Sarandi se destacou na fase regional dos Jogos da Juventude do Paraná, realizada em Floraí. Campeão, vice e muito bem colocado em várias modalidades.

RODEIO De 27 a 29 de julho será realizado o 13º Atalaia Rodeio Festival. Além das montarias, show com Edson e Hudson, na sexta-feira (28), e com Day e Lara, no sábado (29).

 

FRASE
“Não é a carga que te quebra. É a forma como você a leva”. Lou Holtz

 

PARA LEMBRAR

21 DE JULHO, das 14 às 17 horas, Semana de Atividades de Férias Escolares, Juventude. Praça Pedro Álvares Cabral (praça da Patinação – Banks).

21 DE JULHO, das 17 às 20 horas. Gabinete Itinerante do vereador Odair Fogueteiro, na Feira Verde Pôr do Sol ao lado do Centro Comunitário do Jardim Alvorada.

26 DE JULHO. A Rede Cidade Digital (RCD) e a Associação das Empresas de Tecnologia da Informação do Paraná (ASSESPRO-PR) realizam, em Foz do Iguaçu, o II Fórum de Cidades Digitais do Oeste Paranaense.

DE 2 A 4 DE AGOSTO, II Congresso Regional de Direito dos Animais. Abertura: dia 2, 19 horas, com palestra de William Fracalossi. Plenário da Câmara Municipal de Maringá (entrada pela avenida Cerro Azul).

 

ÚLTIMA
Se a vida só te dá limões… tá na hora de mudar de pomar.

Comente aqui


Confiança

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio-PR) divulgou nesta segunda-feira (17) a Pesquisa de Opinião do Empresário do Comércio, Serviços e Turismo, que apontou a expectativa de dias melhores para a economia neste segundo semestre. De acordo com a Fecomércio-PR, 58% dos empresários do Estado declararam ter boas expectativas para o período, o que representa alta de 17,4% em relação ao primeiro semestre. Na edição anterior da pesquisa, 49% dos proprietários de estabelecimentos comerciais ou de prestação de serviços esperavam um faturamento melhor. Esta é a terceira alta consecutiva do indicador, e trata-se do melhor resultado desde o segundo semestre de 2014.
O setor de turismo possui o maior nível de otimismo, com 62%, enquanto os empresários do varejo e serviços apresentam opiniões bastante parecidas, com 57% e 56% de expectativas favoráveis, respectivamente.

Comente aqui


Dólar em queda

O dólar opera em queda nesta terça-feira (17), acompanhando o movimento no exterior, após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sofrer nova derrota no Congresso, reduzindo as expectativas de que conseguirá implementar uma agenda reformista e maiores gastos com infraestrutura. Às 14 horas, a moeda norte-americana recuava 0,73%, vendida a R$ 3,1580. Veja a cotação. As férias de verão no hemisfério norte e o início do recesso parlamentar no Brasil devem contribuir para um clima mais tranquilo e de menor volume financeiro, segundo a Reuters.
Exterior
O dólar norte-americano aprofundou a queda para a mínima de 10 meses ante uma cesta de moedas nesta sessão, influenciado pelo último fracasso de Trump para entregar nova reforma no setor de saúde diante do mercado profundamente preocupado com o ritmo do crescimento da maior economia do mundo.
Sem essa reforma, avaliavam os especialistas, Trump pode ter dificuldades de caixa para tirar do papel seu plano de estímulos, como reduzir impostos. Neste cenário, também ajudava a percepção de que o Federal Reserve, banco central norte-americano, possa não elevar os juros além do esperado, o que aumentaria o potencial para atrair recursos aplicados hoje em outros mercados, como o brasileiro. Segundo pesquisa Reuters, o Fed deve anunciar planos de reduzir seu balanço patrimonial em setembro e ainda esperar o último trimestre para anunciar aumento de taxas de juros novamente.

Comente aqui


Recuperação da poupança

O Banco Central informou nesta quinta-feira (6) que os depósitos superaram os saques na caderneta de poupança em R$ 6,08 bilhões em junho. Este foi o melhor resultado para o mês de junho nos últimos quatro anos. Pelo segundo mês consecutivo houve mais depósitos do que saques.Ao todo, segundo o BC, os depósitos somaram em junho R$ 174,53 bilhões e os saques, R$ 168,44 bilhões. Os rendimentos creditados nas contas dos poupadores somaram R$ 3,75 bilhões.Em junho do ano passado, a retirada líquida de recursos da poupança, ou seja, acima dos depósitos somou R$ 3,71 bilhões.

Comente aqui