Educação



Novos computadores para a Educação

A Prefeitura de São Jorge do Ivaí realizou um investimento de mais de R$ 60 mil, com recursos próprios, para atualizar equipamentos referente à informática (computadores, notebooks, impressoras etc.). As máquinas têm sido melhoradas com grande rapidez, recebendo novos processadores e sistemas operacionais. Nos dois últimos anos, a prefeitura já adquiriu mais de 60 computadores novos e 100 tabletes para os professores e alunos. Era necessário repor e ampliar os computadores, principalmente no setor de educação, para acesso aos recursos disponíveis.
Por último foram adquiridos 29 computadores. 20 deles vão para o laboratório de informática, localizado no Semeando o Futuro, que garante uma renovação do espaço e qualidade na sua utilização, em benefício da escola. Outros setores como Meio Ambiente, Frotas e Patrimônio também receberão novos computadores, o que permitirá melhorias no trabalho.

Comente aqui


Promoções e progressões

O chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni, e a secretária de Estado da Educação, professora Ana Seres, confirmaram nesta segunda-feira, 22, em reunião com a direção da APP-Sindicato, o pagamento até o final do ano das promoções e progressões salariais referentes de anos anteriores. Na reunião, o Estado se comprometeu a levar para apreciação da comissão de política salarial – instância que trata basicamente de questões de pessoal e de impacto financeiro, composta por representantes de cinco secretarias e a Procuradoria Geral do Estado – a equiparação salarial dos agentes de escolas ao piso mínimo regional, bem como a complementação do auxílio-transporte, entre outros itens.

Comente aqui


Brasil piora em ranking da educação avaliada em 70 países

Do presidente da Frente Parlamentar da Educação, deputado federal Alex Canziani (PTB-PR), recebo informações que mostram uma queda de pontuação em três áreas avaliadas: ciências, leitura e matemática. Conforme os dados divulgados agora, o Brasil também caiu no ranking mundial e ficou na 63ª posição em ciências, na 59ª em leitura e na 66ª colocação em matemática, entre 70 países avaliados pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE).
Para Canziani, que lamentou os resultados, fica clara a necessidade de mudanças, principalmente na formação dos professores. “Quando a gente pega o curso de pedagogia, que está entre os menos concorridos, sem dúvida alguma a falta de atratividade da carreira e o baixo salário têm um papel importante nisso”, afirmou. “Precisamos estar em alerta para o tipo de profissional que devemos ter para vencermos os desafios do século XXI.”

NA SALA DE AULA – O secretário de Educação Básica do Ministério da Educação, Rossieli Soares da Silva, informou que o MEC está atento às universidades particulares, responsáveis pela formação de mais de 80% dos professores do País. Segundo ele, “há, muitas vezes, uma distância muito grande entre o que o professor aprende na faculdade e o que ele vai realmente poder usar na sala de aula. É preciso trazer a prática para a formação do docente, que isso seja um norte”.
O presidente do Conselho Nacional de Educação, Eduardo Deschamps, destacou a importância de atrair a atenção dos jovens para vida docente. “É necessário criar uma espécie de carreira inicial, fazer com que o estudante se sinta desde o ensino médio interessado em dar aula”, sugeriu.

COMO ENSINAR – A presidente-executiva do Movimento “Todos pela Educação”, Priscila Cruz, propôs que a reforma do ensino médio inclua, entre as áreas temáticas que serão oferecidas aos alunos, a formação em educação como meio de incentivar o interesse dos jovens pelos cursos de licenciatura.

Comente aqui


Faculdade Integrado realiza vestibular neste final de semana

Faculdade Integrado

Candidatos são de nove estados do Brasil e concorrem à 1.200 vagas ofertadas pela instituição nas áreas de saúde, exatas e humanas

Candidatos de nove estados da federação – como Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Piauí, Paraná, Santa Catarina e São Paulo – prestam o Vestibular 2016 da Faculdade Integrado de Campo Mourão, na tarde deste domingo (22). Os inscritos são de aproximadamente 90 cidades e concorrem à 1.200 vagas da instituição oferecidas nas áreas de saúde, humanas e exatas.
O resultado do processo seletivo para os cursos de Administração, Agronomia, Biomedicina, Ciências Biológicas, Direito, Educação Física, Enfermagem, Engenharia Civil, Engenharia de Produção, Farmácia, Medicina Veterinária, Nutrição, Pedagogia, Psicologia, Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Tecnologia em Estética e Cosmética será divulgado a partir das 14h do próximo dia 26, no site da instituição (www.grupointegrado.br).
O período de matrículas para os aprovados em primeira chamada será entre os dias 1 e 2 de dezembro, sendo das 8h30 às 11h30, e das 13h30 às 17h30 no Anfiteatro da Faculdade Integrado Centro (Avenida Irmãos Pereira, n° 670). O resultado da segunda chamada será divulgado em 4 de dezembro.

Sobre o Grupo Integrado – O Grupo Integrado é composto pelo Colégio Integrado e a Faculdade Integrado e atua há mais de 29 anos oferecendo educação de qualidade no Ensino Infantil, Educação Fundamental, Ensino Médio e Pré-Vestibular, além dos 17 cursos de Graduação, 45 de Pós-Graduação (latu sensu) e diversas Extensões nas mais diferentes áreas do conhecimento.

Serviço
Faculdade Integrado
Avenida Irmãos Pereira, n° 870 – Centro
Campo Mourão/Paraná
Telefone: (44) 3518-2500

Jornalista Ana Guimarães
[email protected]

Comente aqui


Universidades públicas poderão ter cursos pagos

Uma comissão especial da Câmara dos Deputados aprovou Proposta de Emeda à Constituição (PEC) que possibilita a cobrança de cursos de extensão, pós-graduação lato sensu e mestrado profissional em universidades públicas. A PEC é de autoria do deputado federal Alex Canziani (PTB) e agora retornará para a Câmara dos Deputados, para votação em plenário.
De acordo com Canziani “a PEC apenas autoriza, não obriga as instituições a cobrarem. O que estamos, na verdade, é dando mais liberdade para as faculdades e universidades gerirem seus próprios recursos”, destaca o parlamentar paranaense, que preside a Frente Parlamentar da Educação do Congresso Nacional. “Estamos garantindo segurança jurídica para os estabelecimentos.”
As universidades terão autonomia para ofertar cursos pagos. Os pagamentos ajudam a garantir recursos extras para as universidades para pesquisas e laboratórios. Os cursos de pós-graduação lato sensu e mestrados profissionais capacitam estudante para um segmento específico do mercado de trabalho e não dá direito a diploma, apenas a certificado. Os programas de residência, como de residência médica, e de formação de profissionais na área de ensino, não poderão ser cobrados.
AÇÕES – Hoje, embora diversas universidades ofereçam cursos de pós-graduação e extensão pagos, há recursos no Supremo Tribunal Federal (STF) tentando barrá-los. “Os reitores, em sua ampla maioria, são favoráveis à proposta e têm a preocupação de que, se o Supremo declarar a cobrança inconstitucional, isso vai ser um problema seriíssimo para as nossas universidades”, disse Canziani, justificando o ingresso da proposta. “Os recursos que vêm da pós-graduação ajudam a graduação, porque melhoram a estrutura da universidade como um todo”, complementou.
BOLSAS – Ex-reitora da Universidade Federal de Juiz de Fora, a deputada Margarida Salomão (PT-MG) concorda com a proposta, mas acredita que é importante garantir a oferta de bolsas para aqueles que não têm recursos econômicos para fazer os cursos pagos. “Isso é consistente com a natureza da universidade pública”, ressaltou. A deputada fez acordo com o autor e o relator da PEC para apresentação conjunta de um Projeto de Lei Complementar prevendo percentual mínimo de bolsas nos cursos de especialização profissional pagos oferecidos pelas universidades públicas.

Comente aqui


Créditos na questão do Gerardo Braga

Foi grande a mobilização em defesa da continuidade do funcionando do Colégio Estadual Dr. José Gerardo Braga, em Maringá.
Comunidades e políticos trabalharam para que o fechamento proposto pela Secretaria de Educação não se concretizasse.
Deputados estaduais, vereadores e Câmara Municipal, entidades, foram muitas as ações e contatos com o governo para que a escola continuasse funcionando.
O Diário fez uma reportagem ampla, reportando a importância histórica da escola.
A decisão veio em nota da vice-governadora Cida Borghetti: “Sou contra o fechamento das atividades na instituição”. O Colégio Dr. José Gerardo Braga, em Maringá, não vai fechar e não haverá remanejamento dos estudantes, informou em nota a sua assessoria.
Segundo a vice-governadora os estudos de otimização da infraestrutura serão revistos pela Secretaria da Educação e uma nova solução será apresentada para ser discutida com a comunidade de Maringá.
Também é importante ressaltar: todos que se mobilizaram e manifestaram a favor do colégio fizeram a sua parte.
O resultado esperado, que é a continuidade do Gerardo Braga, foi alcançado. Isso é o que importa.

2 Comentários


Movimentos cristãos lotam a Câmara de Maringá

camara
O plenário da Câmara Municipal de Maringá está completamente lotado em uma das maiores manifestações da história do Legislativo. Movimentos cristãos defendem valores da família no Plano Municipal de Educação que será votado hoje à noite.
A mobilização é contrária à inclusão de propostas da ideologia de gênero no Plano Municipal de Educação.
A sessão pode ser assistida ao vivo no canal TV Câmara Maringá, no YouTube > Acesse aqui.

1 Comentário


Renault lança Projeto “O Trânsito e Eu”

renault

A Renault e a prefeitura de Curitiba anunciaram na sexta-feira (12), durante as comemorações de um ano do Projeto Ecoelétrico – que utiliza a maior frota pública de veículos Renault 100% elétricos do País – uma parceria para a implantação do programa de educação para segurança no trânsito “O Trânsito e Eu”. Desenvolvido e coordenado pelo Instituto Renault, o programa está voltado ao público infantil e deverá atender inicialmente 18 mil crianças de 12 escolas públicas. Pela parceria, os miniveículos elétricos Renault usados no projeto farão parte da frota Ecoeletrinho.
Voltado às crianças com idade entre de 7 a 11 anos, o projeto “O Trânsito e Eu” tem por objetivo conscientizar a sociedade para um trânsito mais humano e seguro. Lançado como piloto em 2012 em parceria com a Ecovia (do grupo EcoRodovias) e Prefeitura de São José dos Pinhais, o projeto ganhou impulso em 2014, quando foi estendido a todas as escolas públicas municipais de São José dos Pinhais e Quatro Barras, atendendo mais de 7 mil alunos de 56 instituições de ensino. O projeto já está presente também em outras cidades, como Pelotas (RS), e está previsto para ser implantado em mais 5 localidades ainda este ano. A ação se desenvolve também através de apresentações itinerantes, as quais já passaram por Maringá e São José dos Campos.
A estratégia educacional do projeto combina atividades lúdicas e práticas. Para o ensino em sala de aula, o Instituto Renault produz e distribui kits educativos ilustrados e de fácil compreensão, elaborado por educadores que empregam diferentes ferramentas pedagógicas. Nas atividades práticas, o projeto ganha vida com o uso de minicarros elétricos Renault, que são conduzidos pelas próprias crianças, sob a orientação e supervisão de educadores para poderem vivenciar e aprender a se comportar neste ambiente.
Os miniveículos, adesivados com o selo Ecoeletrinho em alusão ao projeto Ecoelétrico, serão cedidos pelo Instituto Renault à Prefeitura de Curitiba. O município se encarregará da construção de uma minicidade (inauguração prevista para agosto deste ano) dotada de uma minipista contendo todas as sinalizações e avisos de trânsito, contemplando pedestres, pessoas com deficiência, ciclistas e veículos, recriando o ambiente urbano das cidades. “A Renault desenvolve diversas ações para contribuir com a educação para a segurança no trânsito para vários públicos – crianças, jovens e adultos. O lançamento do projeto “O Trânsito e Eu” em Curitiba, cidade que é uma referência nacional em mobilidade urbana, é uma importante etapa deste programa”, destaca Caíque Ferreira, Vice-presidente do Instituto Renault e Diretor de Comunicação da Renault.

INSTITUTO RENAULT – O Instituto Renault promove ações nas áreas de sustentabilidade social e ambiental, desenvolvendo diversos projetos com as comunidades no entorno do seu complexo industrial. O objetivo é promover a geração de renda e o desenvolvimento humano. A segurança no trânsito é um dos seus temas prioritários e neste eixo realiza diversas ações para vários públicos – crianças, jovens e adultos.
Para o público infantil o principal projeto é O Transito e Eu. O Open Fórum Trânsito e Transformação está voltado para jovens e adultos e é desenvolvido em parceria com instituições como FIEP-Sesi-PR / Cifal -Centro Internacional de Formação de Atores Locais, ligado à ONU, e concessionária Ecovia.
O Instituto Renault apoia também projetos como o Road show de segurança viária, desenvolvido e apresentado pela TRAFPOL – IRSA – International Road Safety Academy, da Espanha, e que está voltado ao público universitário (jovens de 16 a 21 anos) de instituições como PUC-PR e Universidade Makenzie. No conjunto das suas ações, o Instituto Renault já promoveu e apoiou iniciativas que já beneficiaram mais de 300 mil pessoas.

Comente aqui


Cursinho pré-vestibular acessível

Estão abertas as inscrições para o cursinho pré-vestibular 2015 da Renovação Carismática Católica, da Arquidiocese de Maringá. O período de pré-inscrição vai até o dia 17 de fevereiro. A taxa de inscrição é R$ 5,00 e a mensalidade R$ 15,00.
As aulas terão início dia 24 de fevereiro e serão realizadas no salão da igreja São Francisco Xavier – Rua Mons. Miguel Kimura 36 – de segunda a sexta-feira das 19h às 23h.
Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (44) 3026-8811.
Entrevistas podem ser feitas com André Gomes: (44) 9985 01 92.

1 Comentário


Wilson Matos dá exemplo no Senado

Senador Wilson Matos se destaca no Senado

Senador Wilson Matos se destaca no Senado

O projeto do senador Wilson Matos (PSDB/PR) que determina a implementação gradual da educação integral na rede de ensino fundamental do País será votado na próxima terça-feira (02/12). O parecer favorável foi lido pelo relator, senador Cristovam Buarque (PDT/DF), na reunião da Comissão de Educação desta terça (25/11).

Muito interessante foi o voto do relator, senador Cristovam Buarque: “A única razão que eu teria para recusar esse projeto é porque não fui eu que fiz. O projeto do senador Wilson Matos é extremamente oportuno e necessário. Não há dúvidas de que a escola em tempo integral contribuirá para a melhoria do desempenho escolar e da permanência na escola, em especial nos territórios mais vulneráveis, uma vez que a educação em tempo integral propicia melhor aproveitamento do tempo ocioso do aluno, com possibilidade de orientação dos estudos e das tarefas. Ademais, a articulação entre educação, assistência social, cultura e esporte, que poderá ser propiciada pela escola em tempo integral no ensino fundamental, constituir-se-á como uma importante intervenção para a proteção social e a prevenção a situações de violação de direitos da criança”.

O projeto do senador Wilson Matos foi elogiado pelos senadores da Comissão de Educação: “Educação é o caminho da revolução social. Parabenizo o autor e o relator”, disse o senador Cícero Lucena (PSDB/PB).

“Se nós queremos, realmente, um País voltado para a educação, com metas rígidas, temos que ser ousados. Na semana que vem, vamos ter oportunidade de presentear o senador Wilson Matos com a aprovação deste projeto”, destacou o presidente da CE, senador Cyro Miranda (PSDB/GO).

Para o senador Wilson Matos, a aprovação do projeto será fundamental para garantir uma educação de qualidade no País: “Hoje, dos alunos que terminam o 9º ano neste Brasil só 12% dominam as proficiências da matemática e 22% dominam proficiência da língua portuguesa, ou seja, fazendo a média, somente 17% dos alunos que ficam nove anos no ciclo do ensino fundamental passariam para o ano seguinte se tivéssemos um exame que cobrasse o domínio das proficiências. No ensino médio, só 5,2% dos que terminam o ensino médio têm o domínio das proficiências em matemática. De língua portuguesa, 23,3%. Esses dados são retirados das provas do Enem, das provas do Ideb, que o Governo mesmo aplica. Então, 50% dos que chegam ao ensino superior hoje são analfabetos funcionais. Essa é a grave situação. Não vamos conseguir fazer um ensino médio melhor nem uma universidade melhor se não corrigirmos rapidamente essa base que está muito deficitária em nossa Nação. Acho que chegou a hora. Nós só vamos ter uma verdadeira democracia quando todos tiverem direito de acesso a uma escola de qualidade”, declarou Wilson Matos.

Comente aqui