Empregos

 

Paraná lidera criação de empregos, no Sul

O Paraná abriu mais de 24 mil empregos com carteira assinada desde o início do ano até o final de julho, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho. Só no último mês, 959 vagas foram abertas do estado. Os números do ano já consideram as demissões.
O resultado do Paraná foi o quinto melhor saldo do país, atrás de São Paulo (86.049), Minas Gerais (68.454), Goiás (45.142) e Mato Grosso (26.510). No Sul, o estado liderou a geração de emprego, à frente de Santa Catarina (22.458) e Rio Grande do Sul (262).
Para Julio Suzuki Júnior, diretor-presidente do Ipardes, os dados confirmam a recuperação gradativa do mercado de trabalho. “Talvez não na velocidade desejada, mas o Paraná vem degrau por degrau melhorando os níveis de abertura de novas vagas”, diz.

Comente aqui


Empregos

No primeiro semestre deste ano, a região Noroeste do Estado foi a que mais criou empregos. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego, e indicam a diferença entre contratações e demissões no período. Foram 5.505 novas vagas. O número corresponde a 24% do saldo de empregos no Estado. Em seguida vem a região Oeste (5.361 vagas), o Norte Central (5.107), o Sudoeste (3.968) e o Norte Pioneiro (2.054). As usinas de açúcar e álcool, junto com a agricultura e a indústria de confecções, estão entre as principais geradoras de vagas na região Noroeste. “A região é forte produtora de álcool e açúcar, que teve papel importante na geração de vagas no semestre”, comenta o diretor-presidente do Ipardes, Julio Suzuki Júnior. Além do emprego nas usinas, o setor também aumentou o ritmo de contratação no campo para a colheita.
Ainda de acordo com Suzuki, a indústria alimentícia, de bebidas e álcool gerou 2.892 vagas. A agricultura veio em segundo lugar (1.081), e a indústria têxtil e do vestuário em terceiro (792). “Há polos importantes de confecção em cidades como Paranavaí, Umuarama e Cianorte. E a indústria de vestuário vem se recuperando da crise com aumento das vendas no mercado interno”, diz.
Entre as cidades que mais geraram empregos na região Noroeste estão Paranacity (599 vagas), Umuarama (521) e Paranavaí (508).Em todo o estado foram criadas no primeiro semestre 23.189 vagas. O diretor-presidente do Ipardes afirma que a tendência para o segundo semestre é que o impacto positivo da agricultura na geração de empregos deve diminuir por questões sazonais. Por outro lado, a previsão é de aumento na geração de vagas nos setores de serviço e comércio.

Comente aqui


Empregos

O Paraná gerou 25.182 novos empregos com carteira assinada nos primeiro cinco meses de 2017, já descontadas as demissões no período. No mesmo período do ano passado, o Paraná registrava um saldo negativo de 9.382 vagas. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e foram divulgados na terça-feira (20) pelo Ministério do Trabalho. Em maio, pelo quinto mês consecutivo, o saldo (diferença entre contratações e demissões) foi positivo, em 2.379 vagas. Em maio do ano passado, o saldo no mês estava negativo em 3.388 postos de trabalho.
O Estado obteve o melhor resultado da região Sul, tanto no mês quanto no acumulado do ano. De janeiro a maio, Santa Catarina registrou saldo de 22.729 postos e Rio Grande do Sul (8.568). Em maio, Santa Catarina e Rio Grande do Sul tiveram resultados negativos de 614 e 12.220 vagas respectivamente.

Comente aqui


Maringá é a 23ª cidade do Brasil em geração de empregos

Foto: Sol Derio

O site do governo do Paraná destacou Maringá, nessa segunda-feira, dia 22 de maio. Em texto sobre economia, afirmou: “MAIOR – Maringá, no Noroeste do Estado, foi a cidade com maior saldo de vagas no primeiro quadrimestre, com 1.348 vagas, geradas, principalmente, pela agroindústria e pela indústria metalmecânica. A cidade ficou na 23ª posição entre os 100 municípios que mais criaram vagas com carteira assinada no País”.
Dez cidades do Paraná ficaram entre as que mais geraram vagas no País.
Curitiba e região metropolitana foi a primeira no país, entre as capitais.
Maringá ficou a frente de várias capitais e se destacou entre as cidades do interior.

 

Comente aqui


Empregos

Pelo quarto mês consecutivo, o Paraná registrou resultado positivo no emprego formal, com um saldo de 6.742 empregos em abril, mostram dados do Caged/Ministério do Trabalho divulgados nesta terça-feira, 16. Com isso, o Paraná fechou o quadrimestre com saldo de 22.803 vagas. As contratações do setor de serviços e da indústria da transformação puxaram o resultado.

Comente aqui


Microempresas empregam 27,8% dos trabalhadores da América Latina

A Confederação Nacional da Micro e Pequena Empresa (Conampe) divulgou estudo da Organização Internacional do Trabalho (OIT) que mostra a importância das micro e pequenas empresas na América Latina. Essa região do planeta tem 11 milhões de micro e pequenas empresas, que são responsáveis por 46,6% dos empregos.
De acordo com o estudo as microempresas têm 27,8% dos empregos e as pequenas 18,8%. As grande empresas empregam 17% dos trabalhadores latino-americanos.
Os dados estão no site da Conampe, entidade presidida por Ercílio Santinoni.
O estudo completo da OIT pode ser solicitado pelo e-mail [email protected].

Comente aqui


Micro e pequenas empresas “contratam uma Petrobrás” em um mês

Micro e pequenas empresas “contratam uma Petrobrás” em um mês, afirma relatório do Sebrae, divulgado na última quinta-feira, 5. Os dados têm como base o Caged, cadastro de contratações e demissões mantido pelo Ministério do Trabalho. O levantamento mostra que os micro e pequenos negócios criaram 101 mil empregos em outubro – último dado disponível. O número total de pessoas empregadas em um único mês é superior ao quadro atual de funcionários da Petrobrás, cerca de 85 mil pessoas.
Entre janeiro e outubro deste ano, os empreendimentos abriram mais de 950 mil vagas. “As micro e pequenas empresas têm um peso muito grande no saldo positivo de empregos. Esse é um comportamento que vem se consolidando nos últimos anos e tem sido comprovado pelos levantamentos mensais que fazemos”, afirmou Luiz Barretto, presidente do Sebrae Nacional.
O presidente da Confederação Nacional das Micro e Pequenas Empresas (Conampe), Ercílio Santinoni, alerta para a necessidade de políticas públicas urgentes e abrangentes que protejam as micro e pequenas empresas e os empreendedores individuais para continuarem cumprindo o seu papel de agentes do desenvolvimento econômico e social do Brasil.
Em outubro, as pequenas empresas do setor de comércio abriram 41 mil vagas. Em seguida, aparece o setor de serviços (32 mil vagas). A indústria abriu 14 mil postos de trabalho, mas o resultado foi detectado pelo Sebrae como o melhor dos últimos três anos.

1 Comentário


Paraná cria 12.259 empregos em agosto

O Paraná teve o segundo melhor desempenho do país na criação de empregos com carteira assinada no mês de agosto. O Estado teve um saldo de 12.259 empregos, o que representa um aumento de 0,46% em relação ao estoque de assalariados no mês de julho, segundo dados divulgados nesta sexta-feira (20/09) pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho.

Entre os estados brasileiros, o Paraná ficou atrás apenas de São Paulo, que criou 39.564 postos. Do total de vagas abertas no Estado, 10.555 postos foram no interior. No Sul, Santa Catarina criou 8.668 vagas de trabalho e o Rio Grande do Sul, 6.963 postos de trabalho.

SETORES – Os setores que mais criaram empregos no Paraná em agosto foram Serviços, com 4.215 vagas, Comércio, com 3.917 postos de trabalho; e a Indústria da Transformação, com 3.327 vagas. Das 12.259 vagas de emprego criadas no Estado em agosto, 10.555 postos foram no interior. A Região Metropolitana de Curitiba registrou acréscimo de 2.204 empregos formais em relação ao mês anterior (+0,21%).

Os municípios que mais criaram postos de trabalho foram Curitiba, com 1.044 vagas, Maringá com 909 novas vagas, Londrina com 762 postos de trabalho, São José dos Pinhais, com 591 empregos, Cascavel, com 567 e Ponta Grossa, com 549 vagas.

ANO – Nos primeiros oito meses do ano, houve acréscimo de 99.698 postos (+3,86%). Em termos absolutos, foi o melhor desempenho da Região Sul e o terceiro do país, atrás de São Paulo (359.308) e Minas Gerais (146.672).

BRASIL – Em agosto foram criados 127.648 empregos formais no país, um crescimento de 0,32% se comparado ao mês anterior. No acumulado do ano, o emprego cresceu 2,72%, representando o acréscimo de 1.076.511 postos de trabalho.

Nos últimos 12 meses foram criados 937.518 postos, uma elevação de 2,36%. Se for analisado o comportamento do emprego de janeiro de 2011 a agosto de 2013, a elevação foi de 10,54%, com abertura de 4.686.790 postos de trabalho no país.

Saiba mais sobre o trabalho do governo do Estado em:

http:///www.facebook.com/governopr e www.pr.gov.br

Comente aqui


Iguaraçu lança programa para atrair empresas

O Diário destacou na edição de ontem (25), o novo Programa de Desenvolvimento Local lançado pelo município de Iguaraçu para atração de empresas.
O plano garante benefícios para as empresas.
O primeiro centro empresarial lançado, o Alpha Empresarial, oferece excelente localização para empresas, na PR317, há apenas 10 quilômetros de Maringá.
O novo programa dá continuidade a ações estratégicas iniciadas há mais de 10 anos, finalizadas com sucesso e a implantação de empresas voltadas à habitação, lazer e turismo.
Com o novo programa, Iguaraçu quer atrair empresas, gerar empregos e se tornar um polo regional de desenvolvimento.

Comente aqui