Governador



Governo de Santa Catarina vai demitir comissionados e concursados

Com a folha de pagamento muito elevada e a necessidade de cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal e manter investimentos em obras, saúde e segurança pública, govenador Eduardo Moreira (MDB) anuncia corte em cargos comissionados, medida que poderá se estender a concursados ainda em estágio probatório.

1 Comentário


TSE cassa mandato do governador de Tocantins

O TSE cassou nesta quinta-feira, 22, o mandato do governador de Tocantins, Marcelo Miranda (MDB), e da vice-governadora, Cláudia Lelis (PV). Uma nova eleição deverá ocorrer entre 20 e 40 dias. Até lá, o presidente da Assembleia Legislativa, Mauro Carlesse (PHS), assume o cargo. Miranda e Cláudia Lelis foram acusados por compra de votos na […]

Comente aqui


Rede lança Jorge Bernardi ao governo do Paraná

O ex-vereador de Curitiba, Jorge Bernardi, adiantou hoje, quinta-feira, 1º de março, que é pré-candidato ao Governo do Estado pela Rede de Marina Silva. “A Rede decidiu após amplo debate e com o apoio de Marina Silva, me lançar pre-candidato a Governador do Paraná”.
“Estou ha 35 anos na vida pública, e sinto-me preparado para este que é o maior desafio de minha vida. Vou me esforçar para fazer uma campanha disruptiva, ética, construtiva, debatendo os problemas e soluções para o Paraná”, disse Bernardi que em 2016 foi vice na chapa de Requião Filho (MDB) na disputa à prefeitura de Curitiba.
Na região de Maringá, a rede lançará, no proximo dia 11, às 8h30, na Casa da Cultura, em Marialva, Aguinaldo do Posto como pré-candidato a deputado estadual.Bernardi – Ele tem 61 anos, é advogado trabalhista, foi vereador e presidente da Câmara de Curitiba.
Deixou o PDT para ingressar na Rede Sustentabilidade, em 2015.
1 Comentário


Bancada estadual de São Paulo decide apoiar Doria para govenador

A bancada estadual do PSDB de São Paulo acaba de divulgar um documento em delibera apoio à candidatura de João Doria ao governo estadual.As informações são de Ernesto Neves na Veja.

Assinado pelo líder, o deputado Roberto Massafera, o documento pede ainda que todos os outros pré-candidatos, como José Aníbal e Luiz Felipe D’Ávilla, desistam da corrida em prol da unidade partidária.

Comente aqui


Coluna de 30 de janeiro, terça-feira

EM CURITIBA O presidente da Amusep, André Luís Bovo, estará hoje em Curitiba. Com ele estarão os prefeitos da região de Maringá, atendendo a convite do governador Beto Richa. Os 399 municípios do Paraná receberão uma cota extra do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias). Os recursos serão liberados pelo governo, em cerimônia no Salão de Atos do Palácio Iguaçu, às 11 horas.

FUSÃO O prefeito Ulisses Maia comanda a reforma administrativa que está sendo realizada na Prefeitura. As secretarias de Planejamento e de Obras deverão ser unificadas.

SEGURANÇA Outras mudanças estão sendo estudadas. Pelo menos uma nova secretaria, a de Segurança, será recriada. Extinta na reforma para 2017, ela volta a existir em Maringá.

A PRIMEIRA De 2013 a 2016, Maringá teve a sua primeira Secretaria de Segurança, a Setrans, que foi comandada por um militar, o tenente Fábio Ribeiro.

EXPERIÊNCIA A reforma está levando em conta as experiências do primeiro ano da administração Ulisses Maia, valorizando o que deu certo, ajustando ou mudando que o que precisa melhorar.

RÁDIO GUAÍBA O jornalista e escritor Juremir Machado da Silva apresenta o programa Esfera Pública, das 13 às 14 horas, na Rádio Guaíba, em Porto Alegre, em parceria com Taline Oppitz.

DEBATES Ele virou notícia por convidar para o mesmo programa o senador Roberto Requião e Kim Kataguri, do MBL, sem avisar o senador de que haveria um debate. A coisa pegou fogo.

FORA A socióloga Marcia Tiburi, também convidada por Juremir, chegou ao estúdio e quando viu Kim, se retirou. Disse depois: “Não converso com pessoas indecentes, perigosas”.

QUEM GANHOU Na internet o vídeo está publicados em vários lugares. Para uns, Requião deu uma aula. Para outros, perdeu para Kim. O resultado depende de quem postou o vídeo.

SIMILAR O que Juremir fez, em termos locais, equivale a chamar o vice-prefeito Edson Scabora para um programa de rádio ou TV sem avisar que o outro convidado é Homero Marchese.

E VOCÊS, O QUE ACHAM? Agora a pergunta: Vocês acham certo ou errado provocar esses debates secretos, ao vivo? Juremir acha que não tem problema…

A VOLTA Dia primeiro, às 9h30, tem a primeira sessão ordinária da Câmara Municipal de Maringá. Às 8 horas, em sessão especial, acontecerá a eleição das comissões.

CARLÃO O presidente do Podemos, Carlos Augusto Ferreira, passou mal quando chegava de viagem, em Maringá. Está internado com suspeita de ter enfartado. Seu estado preocupa.

MOBILIZAÇÃO O Podemos, organizado em Maringá, no ano passado, se destacou pelas ações e mobilizações em favor das candidaturas de Alvaro Dias a presidente e Osmar a governador.

ENTREVISTA A vice-governadora gravou entrevista no i44News, em Campo Mourão, na sexta-feira. Falou sobre a sua vida e o desejo de ser a primeira mulher a governar o Paraná.

NO BLOG A entrevista está no blog. Foi feita pelo jornalista maringaense Geliton Batista.

 

MUNICÍPIOS

REGIÃO A maioria dos prefeitos do Paraná estarão hoje em Curitiba. Participam do evento de entrega de cota extra do ICMS. Da região estarão presentes quase todos os prefeitos.

VIATURAS O governador Beto Richa entregou ontem mais 164 viaturas para o Departamento Penitenciário do Paraná. No próximo mês o Estado repassará mais 600 viaturas para as polícias Militar e Civil.

AMPLIAÇÃO De 2011 até agora foram adquiridas 3 mil novas viaturas para ampliar a frota da segurança. Neste período foram contratados 11 mil novos policiais.

SARANDI O prefeito Walter Volpato efetivou a contratação de quatro médicos, que vão trabalhar nas Unidades Básicas de Saúde de Sarandi.

 

FRASE “Um amor, uma carreira, uma revolução: outras tantas coisas que se começam sem saber como acabarão.” Jean-Paul Sartre

 

ÚLTIMA Nunca é tarde para corrigir erros.

3 Comentários


No Rio Grande do Sul, governador propõe privatizar estatais

O governo do Rio Grande do Sul tenta aprovar nesta semana projetos estratégicos na Assembleia Legislativa e inicia uma intensa negociação para conseguir os votos dos deputados estaduais. O governo aposta nos projetos como um alívio para a grave crise financeira do estado, que parcela os salários de servidores há dois anos e prevê um déficit de 6,9 bilhões para este ano. O governo convocou votação extraordinário em meio ao recesso parlamentar. As informações são de Paula Sperb na Veja.
O governador José Ivo Sartori (MDB) reuniu jornalistas na noite do último domingo, no Palácio Piratini, para falar sobre a necessidade da aprovação pelos deputados do projeto da adesão ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF), que exige a privatização ou federalização de estatais como contrapartida. “É hora de responsabilidade, não é hora de discurso”, disse Sartori no encontro ao pedir que os deputados deixem de “proselitismo” e “demagogia”. “Não se faz futuro com pequenez e sentimentalismo”, falou o governador.
“Alguns falam que o regime de recuperação fiscal é um paliativo, mas é aquilo que podemos fazer nesse momento. Ou alguém vai desprezar ter a oportunidade de ficar três anos sem pagar a dívida com a União, tendo a possibilidade de prorrogação de mais três anos?”, falou o governador no encontro.
A venda das estatais exigida pelo governo de Michel Temer (PMDB), porém, só pode ocorrer mediante um plebiscito em que os eleitores gaúchos aprovem as privatizações conforme prevê a lei estadual. O governo tentou lançar o plebiscitoem 2017, mas não conseguiu apoio suficiente entre os deputados. Em 2018, o plebiscito só poderia ser realizado simultaneamente às eleições de outubro.
Por isso, além da adesão ao regime de recuperação, o governo quer que os deputados aprovem a extinção da exigência do plebiscito para vender três estatais, a Sulgás, que comercializa gás natural, a CRM, que explora carvão mineral, e o que resta da CEEE, a companhia de energia elétrica.
“Tem muitos que defendem as corporações, mas quem é que defende os pobres? Corporação não é apenas de servidor público. São todas as corporações olhadas indistintamente. Seja na área política, seja na área do empreendedorismo, seja na área da agricultura. Acredito, sim, que precisamos olhar muito para a periferia do Rio Grande, especialmente na periferia das grandes cidades que precisam de atenção maior do poder público”, argumentou Sartori. No entendimento do governo, vender as estatais liberaria permitiria mais dedicação a áreas como saúde, segurança e educação.
Se aprovar as medidas, Sartori estaria mais perto do anúncio de sua candidatura à reeleição. No momento, o governador não admite abertamente a possibilidade.
A eliminação do plebiscito para vender cada uma das estatais terá um projeto individual porque o governo entende que terá mais facilidade para aprovar a extinção do voto popular para se desfazer da CRM e da Sulgás. A dificuldade maior deve ficar por conta da CEEE, criada no governo de Leonel Brizola para suprir a precariedade do serviço no estado, prestado até então por uma empresa estrangeira. Os deputados do PDT, que já foram parte da base aliada, devem ser resistentes à ideia.
Para aprovar a adesão ao regime de recuperação, Sartori precisa conquistar 28 votos dos 55 deputados – o presidente da Assembleia não vota. A resistência maior deverá ser para eliminar o plebiscito para vender as estatais, que exige 33 votos pro se tratar de uma PEC (Proposta de Emenda Constitucional).

Dívida com a União – O total do endividamento do estado é de 104,2 bilhões de reais, a maior parte da dívida é com o governo federal. O RS deve 57 bilhões reais à União por uma dívida iniciada em 1998, no valor de 9,5 bilhões de reais, firmada na gestão do governador Antônio Britto (PMDB). O estado já pagou 25,8 bilhões da dívida.

Oposição – Deputados que fazem oposição a Sartori, especialmente do PT, PCdoB, Psol e parte do PDT, apontam que a recuperação fiscal pode aumentar ainda mais a dívida do estado, assim como ocorreu no governo peemedebista em 1998.
No entendimento da oposição, a dívida aumentaria em 20 bilhões de reais. O governo argumenta que, pelos seus cálculos, a dívida aumentaria em um bilhão de reais, cerca da metade do que o governo paga atualmente em juros por sacar depósitos judiciais. Ou seja, para o governo, o acordo com a União seria vantajoso. O governo também alega que ao contrário do que a oposição afirma, os salários não seriam congelados e que a reposição e servidores afastados por aposentadoria é permitida.

(Foto: Luiz Chaves/Palácio Piratini)

Comente aqui


Coluna de hoje, domingo, dia 28 de janeiro

TRANSPOSIÇÃO DA UEM A Prefeitura definiu com a UEM uma permuta de área do Município, na Colombo, ao lado da UEM, pela área em que será feira a duplicação da continuação da avenida Herval. Primeira etapa será a duplicação até a rua 10 de Maio. Ficará igual ao prolongamento da avenida Duque de Caxias. O projeto será encaminhado à Câmara nesta semana.

GOVERNADOR Na segunda-feira, dia 5 de fevereiro, o governador Beto Richa virá Maringá para anunciar a liberação da parte do estado na construção do Hospital da Criança.

RECURSOS A parte do governo do Paraná será de R$ 30 milhões. Hospital da Criança de Maringá terá 160 leitos e funcionará em um espaço de mais de 80 mil m².

POSSE O coronel Padilha assume amanhã, segunda-feira, a Secretaria Extraordinária de Segurança. Será às 9 horas, na sala de reuniões do Gabinete do Prefeito.

ÔNIBUS Também amanhã, às 10 horas, serão apresentados os novos ônibus da TCCC que atenderão a linha do primeiro corredor exclusivo de Maringá (avenidas Kakogawa/Morangueira).

SHOW Mais de 20 atrações vão passar pelo palco do Show de Aniversário da Maringá FM no próximo domingo, 4 de fevereiro, no Parque de Exposições, na festa dos 37 anos da rádio.

SOLIDARIEDADE Para cada ingresso vendido, a Maringá FM doa o valor correspondente a um quilo de alimento para entidades assistenciais atendidas pelo Provopar. Em 2017, foram repassados R$ 25 mil.

CENTRO DE EVENTOS. Maringá ganhou um novo centro de eventos, o Fashion Hall, na Rodovia da Moda. A temporada de lançamento do novo espaço começou com as formaturas de Odontologia, da Unicesumar, e de Medicina, da UEM.

TURISMO. O Fashion Hall vem para suprir a necessidade que Maringá e região tinha na realização de grandes eventos. O espaço tem capacidade para receber até 4 mil pessoas.

MERCADO. Será uma importante ferramenta para aquecer o setor de turismo e a economia da região, comportando congressos nacionais, internacionais, shows e outros eventos.

NEW YORK TIMES Na quarta-feira teve gente dizendo que o NYT defendeu Lula. Na verdade o jornal publicou um artigo do economista Mark Weisbrot que criticou o julgamento de Lula.

ESQUERDA Não gosto da simplificação esquerda/direta. Porém Mark Weisbrot tem um trabalho que o caracteriza como crítico de privatizações e defensor de governos como Lula, Chaves e Morales.

BOLÍVIA Evo Morales completou 12 anos como presidente da Bolívia. E anunciou, esta semana, que pretende se reeleger e ficar no cargo até 2025. Referendo popular, em 2016, foi contra esta nova reeleição.

 

MUNICÍPIOS

PR-323 Em Cianorte, a vice-governadora do Paraná, Cida Borghetti, anunciou o início das obras de recuperação da PR-323, no trecho que vai de Paiçandu até Cianorte. “O DER deve publicar o resultado da licitação até segunda e a previsão é de que possamos dar a ordem de serviço para o início das obras em 20 dias”, afirmou na manhã de sexta-feira (26), em reunião com prefeitos e lideranças da região.

MANDAGUARI O Diário fez reportagem sobre Mandaguari, que entrou nos “trend topics” do Twitter, em razão de uma ocorrência policial, relacionada a hacker e ameaça a menores.

CIANORTE Na sexta-feira à tarde foi a vez de Cianorte. Assuntos eram visita da vice-governadora, Cida Borghetti (PR-323), interesse do Fluminense no zagueiro Marllon do Cianorte e notícias policiais diversas.

 

FRASE “Persistência é a teimosia com propósito.” Richard DeVos

 

ÚLTIMA Hipótese é uma coisa que não é, mas a gente faz de conta que é, só pra ver como seria caso ela fosse.

 

 

1 Comentário


Convergência natural em torno da vice

A cada fica mais clara a aliança para a eleição de Cida Borghetti (Progre) governadora e Beto Richa (PSDB) senador. Diversos sinais foram dados ao longo de 2017. Dos mais sutis aos mais diretos.

Veja bem, Cida Borghetti participou da convenção estadual do PSDB que elegeu Richa presidente da legenda. Também esteve na confraternização de fim de ano da equipe do Governo do Estado. O deputado estadual Ratinho Jr (PSD) não compareceu a nenhum dos eventos.

Já Beto Richa foi à reunião da executiva dos Progressistas agora em dezembro, onde a legenda de Cida sinalizou apoio à candidatura dele ao Senado. E não participou da pré-convenção do PSD de Ratinho Jr também realizada em dezembro.

Movimentação semelhante ocorre em São Paulo, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) sinalizou para companheiros tucanos e aliados o apoio ao vice Márcio França (PSB) – que a exemplo de Cida, deve assumir o governo em Abril e concorrer à reeleição – em detrimento da candidatura própria do PSDB pleiteada por José Serra e João Dória. Alckmin afirmou que irá apoiar um só candidato ao governo paulista. O mesmo deve ocorrer no Paraná.

1 Comentário


Dinheiro na mão

Com certeza a notícia é boa para milhares de professores do Paraná. O governador Beto Richa determinou o pagamento, nesta sexta-feira, 22, de mais de R$ 86,4 milhões referentes ao 1/3 de férias dos professores da rede estadual de ensino.
Serão 54,4 mil pagamentos que estarão nas contas dos professores entre este sábado, 23, e terça-feira, 26.
Em menos de um mês, Richa pagou R$ 5,2 bilhões referentes a três folhas (novembro, 13º e dezembro) mais o 1/3 de férias dos professores.
O governador comentou assim estes pagamentos: “Este é mais um resultado do equilíbrio nas contas do Estado. Este pagamento antecipado se soma ao 13o. salário e aos vencimentos de dezembro, que também foram depositados com antecedência para os servidores estaduais”.

Comente aqui


Sisfron chega em 2018 no Paraná

Beto Richa e o general Edson Leal Pujol

O Comando do Exército adiantou ao governador Beto Richa que a implantação do Sisfron na fronteira entre o Paraná, Paraguai e a Argentina começa em 2018. Para tal fim, Orçamento da União vai prever de R$ 800 milhões para esta segunda fase. Serão R$ 500 milhões através de emenda da bancada federal paranaense e mais R$ 300 milhões da Comissão de Segurança Pública da Câmara dos Deputados. A primeira etapa o Exército vai concluir em 2018 na região de Dourados (MS) nas fronteiras da Bolívia e do Paragua.

Ainda em 2016, o comandante militar do Sul, general Edson Leal Pujol, adiantou ao governador Richa que o Paraná passou o Amazonas na escala de prioridade, depois do Mato Grosso do Sul. Richa, por reiteradas vezes, pediu urgência na instalação do Sisfron, apontando que 70% dos municípios brasileiros se situam na região fronteiriça do Codesul com localização estratégica para a segurança nacional.

O Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras é um dos projetos estratégicos do Exército de sensoriamento, apoio à decisão e de emprego operacional, que fortalece a presença e a capacidade de ação de segurança na faixa de fronteira. O sistema prevê um conjunto de recursos tecnológicos capazes de prover com informações as unidades militares.

Dentre os instrumentos usados estão radares fixos e móveis, sensores óticos, câmeras de longo alcance, comunicações táticas e estratégicas, binóculos termais. Um dos radares portáteis é o Sentir-M20 de curto alcance, desenvolvido pela indústria brasileira e é capaz de executar operações de vigilância, aquisição, classificação, localização, rastreamento e exibição gráfica automática de alvos em terra, como indivíduos em solo, tropas, blindados, caminhões, trens e helicópteros.

No Paraná, 19 municípios fazem fronteira direta com o Paraguai e a Argentina, numa extensão de 1,4 mil quilômetros, e outros 120 municípios estão localizados na área de influência da fronteira.

A unidade do Exército que abrigará o centro de controle está sediado em Cascavel e controlará os postos militares paranaenses de Guaíra, Foz do Iguaçu, Francisco Beltrão e o de São Miguel do Oeste, em Santa Catarina.

A empresa Savis, do grupo Embraer Defesa e Segurança, é a responsável pela implantação do Sisfron e já desenvolve um programa de fornecedores nacionais e o Paraná estará agraciado com este modelo de negócios, ao privilegiar as empresas nacionais.

O Estado já desenvolve programas específicos de segurança pública que serão integrados ao sistema de monitoramento do Exército. É o caso do Batalhão de Fronteira da Polícia Militar sediado em Marechal Cândido Rondon, no Oeste do Estado.

(foto: Orlando Kissner/ANPr)

Comente aqui