Governador



Coluna do dia 7 de novembro, terça-feira

BRASÍLIA Osmar Dias (foto) está em Brasília onde manterá contatos com o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi. Terá reunião com a presidente nacional do Podemos, deputado federal Renata Abreu e com o senador Alvaro Dias. Na enquete realizada pela coluna, Osmar ficou em primeiro lugar para governador.

BAIRROS Tem crescido nas redes sociais a cobrança por limpeza, nos bairros da cidade.

ABANDONO O jornalista Rogério Recco postou no seu Facebook fotos da Praça Augusto Ruschi. Seu estado de abandono é muito grande. As fotos estão no blog, no portal. A postagem está reproduzida na fan page Ideias&Fatos.

BATE-BOCA O depoimento do vice-prefeito Edson Scabora ontem, à Comissão Processante teve momentos de bate-boca com o vereador Homero Marchese.

INFORMANTE O vice-prefeito prestou depoimento como informante, e não como testemunha.

OUVIDOS Ontem a CP ouviu Dirceu Galdino, Shinji Gohara e Damaris Josepetti, pela manhã e Edson Mosca, Delamar Eduardo Dias, Edson Scabora, César Augusto França, Valdemar Leite Moraes e Adriana Santana.

DIA 10 Às 11 horas, será ouvido o servidor do Tribunal de Contas do Estado, Guilherme Vieira, por videoconferência. Ele reside em Curitiba.

PODEMOS O presidente do partido em Maringá, Carlos Augusto Ferreira, o Carlão, começou a estruturar o partido na região, atuando com aval da Executiva estadual.

TRANSPORTE COLETIVO Obras em andamento deverão trazer melhorias ao transporte coletivo.

RELEVANTE O incentivo ao uso do transporte coletivo é parte importante das políticas públicas para a cidade. Envolve investimentos e obras, que estão sendo feitos.

RADARES A empresa Tecdet Tecnologia, com sede em Bragança Paulista (SP), ganhou a licitação para a manutenção de 40 radares fixos de velocidade, por um ano.

VALORES O valor máximo proposto na licitação era de R$ 3,38 milhões. A Tecdet Tecnologia propôs fazer o serviço por R$ 1,34 milhão.

RECURSOS As outras onze empresas participantes da concorrência têm até 13 de novembro para apresentar recurso e contestar o resultado.

Acompanhem a coluna também no blog Diniz Neto – Ideias&Fatos, em odiario.com, e na fan page Ideias&Fatos.

 

MUNICÍPIOS

PAIÇANDU O prefeito de Paiçandu esteve na Casa Civil do Governo do Paraná, com Valdir Rossoni, acompanhado pelo deputado estadual Dr. Batista (foto).

BELA VISTA II O município garantiu R$ 4 milhões para pavimentação do Bela Vista II.

MANDAGUARI Já estão depositados na conta da Prefeitura de Mandaguari R$ 130 mil para aquisição de Van para o CREAS, recursos do deputado federal João Arruda.

EDUCAÇÃO A secretária de Educação de Mandaguari, Adenise Batista, coordena amanhã o III Seminário de Educação da região, a partir das 8 horas, na Feitep.

 

FRASE
“Na lógica não há moral”. Rudolf Carnap

 

PARA LEMBRAR

TRANSFERIDO O Dia de Campo da Emater, para apresentar novas variedades de alfaces, que ocorreria no dia 8 de novembro, em Santa Fé, foi transferido. Segundo os coordenadores, Ricardo Augusto da Silva e Jorge Ogassawara, a nova data será anunciada ainda em novembro.

9 DE NOVEMBRO, quinta-feira, 19h30. Prefeitura no Bairro, na Zona 2, Colégio Regina Mundi.

 

ÚLTIMA
Direito tem quem direito anda.

1 Comentário


Servidores do estado receberão 13º no dia 8 de dezembro

O governador Beto Richa anunciou hoje a antecipação do pagamento do 13º salários aos servidores públicos estaduais, no dia 8 de dezembro. “Autorizei a Secretaria da Fazenda a antecipar o pagamento do 13º salário para o início de dezembro. Os servidores estaduais vão receber no dia 8 de dezembro todo o seu salário. A folha de pagamento do Estado representa R$ 1,7 bilhão que estará na conta neste dia”, disse.

O governador disse ainda que o Paraná tem uma situação diferenciada de outros estados em relação ao pagamento dos salários dos servidores, ao pagamento de fornecedores e de investimentos realizados em obras em todas as cidades do Estado. “Vejo com tristeza a situação de boa parte da federação. Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Minas, que são as maiores economias do Brasil, decretaram estado de calamidade financeira, parcelando o salário do funcionalismo”, disse.

“Quando não conseguem pagar o salário do servidor, não tenho dúvida que muitas coisas pararam antes. Já não fazem obras, não pagam fornecedores, não investem nas suas cidades. E no Paraná, na contramão dessa crise, os salários estão em dia, os fornecedores estão em dia, obras por todos os cantos”, completou Richa.

1 Comentário


O futuro em São Paulo, na visão de Geraldo Alckmin

* Geraldo Alckmin

Em relatório recente sobre mudança tecnológica e emprego, o Fórum Econômico Mundial (WEF, na sigla em inglês) cita a estimativa de que 65% das crianças que ingressam hoje na escola vão trabalhar, no futuro, em profissões que ainda não existem.

Vivemos o tempo da mudança e da velocidade da mudança, e os estudiosos já têm nome para ele: Quarta Revolução Industrial. Ela funde métodos de produção com as tecnologias de informação e conecta os domínios físicos, digitais e biológicos. Cria, assim, interação direta entre pessoas, equipamentos, sistemas e produtos.

Para tratar dos impactos dessa revolução inédita em profundidade e amplitude, o Fórum Econômico Mundial escolheu o Estado de São Paulo para sediar sua 13ª edição latino-americana, que acontecerá na capital paulista nos dias 13, 14 e 15 de março de 2018.

Em janeiro, em preparação para o evento, eu irei a Davos para a reunião anual de líderes que tratam de temas de interesse global, em especial os econômicos.

A escolha do WEF é motivo de orgulho para nós. Síntese das potencialidades do Brasil, o Estado de São Paulo é o maior centro econômico e industrial do continente e tem também o maior parque tecnológico, algumas das melhores universidades da América Latina e institutos de pesquisa reconhecidos por contribuições científicas nas mais diversas áreas de conhecimento.

Aqui, temas como inteligência artificial, internet das coisas, robótica, nanotecnologia, engenharia genética, veículos autônomos, aplicações das impressoras 3D e muitos outros que já se anunciam como realidade serão apresentados e discutidos pela comunidade científica, líderes políticos e representantes de organizações internacionais.

Para o professor Klaus Schwab, engenheiro e economista alemão que fundou e preside o Fórum Econômico Mundial, as mudanças trazidas pela Quarta Revolução Industrial são tão profundas que, na história da humanidade, nunca houve um momento tão potencialmente promissor ou perigoso.

No livro “A Quarta Revolução Industrial”, ele lembra que 17% da população do planeta (1,3 bilhão de pessoas) ainda não experimentou nem mesmo a segunda Revolução Industrial, porque não tem acesso à eletricidade.

Do mesmo modo, metade da população mundial (4 bilhões) ainda desconhece o potencial da terceira, digital, porque não tem acesso à internet.

Para a humanidade se beneficiar de fato da revolução em curso, diz Schwab, a qualidade de seus líderes será mais decisiva agora do que em qualquer outra época histórica.

Não é possível só assistir a mudanças de tal envergadura: precisamos nos preparar para elas, especialmente para o seu impacto sobre os modelos de produção e emprego.

Desigualdade e caminhos para o desenvolvimento serão temas fundamentais da próxima edição latino-americana do Fórum Econômico Mundial.

Embora as novas tecnologias permitam produzir mais com menos gente, a economia moderna ainda não criou o consumo sem salário.

Habituar-nos a essas novas nomenclaturas, conhecer a fundo seu real significado, suas possibilidades e as mudanças que elas sinalizam é imperativo para que o desenho de novas relações sociais em todos os âmbitos seja traçado.

A discussão também não pode prescindir do diálogo com a sociedade. São Paulo e o Brasil receberão o Fórum Econômico Mundial em 2018 com a certeza de que, para que as pessoas se beneficiem de fato do mundo novo criado pela interação tecnológica, o caminho é feito de democracia, crescimento e emprego; de responsabilidade fiscal, investimento maciço em educação de ponta e execução de políticas públicas competentes, inovadoras, capazes de estimular o desenvolvimento em todos os níveis.

* Geraldo Alckmin é governador (PSDB) do Estado de São Paulo.

Comente aqui


Osmar diz que não tem motivos para sair do PDT

Tudo indica que os ânimos dentro do PDT estão mais serenos em relação a permanência ex-senador e pré-candidato ao governo do Paraná, Osmar Dias, no partido. Se em agosto, o presidente do PDT no Paraná dizia iria disputar o governo do Paraná em 2018 no partido que lhe desse total liberdade para apoiar o irmão, Álvaro Dias (Podemos), à Presidência da República, agora, Osmar garante que não há motivos para trocar de partido no ano que vem.

“Estou no PDT há 16 anos, desde que Leonel Brizola me convidou após o lamentável episódio em que tive que deixar o PSDB por recusar a retirar a assinatura da criação da CPI da corrupção, que já investigava irregularidades na Petrobras no governo FHC. Fui convidado a sair . Hoje sou presidente estadual do PDT e não vejo razão nenhuma neste momento para deixar um partido que me oferece todas as condições para disputar o governo do Paraná”, afirmou Osmar Dias em entrevista à Banda B.

Questionado se não seria mais empecilho permanecer no PDT, caso Ciro Gomes (PDT-CE) saia candidato á Presidência, o que poderia impedi-lo de apoiar o irmão Álvaro Dias, Osmar preferiu dizer que falar sobre isso hoje seria se antecipar aos fatos. “Responder a esta pergunta hoje seria se antecipar aos fatos. Não sei se o Ciro Gomes será candidato à Presidência, mas sei que Álvaro será e sendo, certamente terá o meu apoio”, garantiu o pedetista.

Osmar sempre deixou claro que tem que ter liberdade total para apoiar o irmão Álvaro na disputa pela Presidência da República. “Tenho este compromisso moral e a questão familiar é superior a tudo. Não admito outra hipótese”, afirmou.

Sobre a candidatura ao Governo do Paraná, a posição de Osmar é clara. ”Coloquei meu nome à disposição do partido e é a população que decide. Ofereço a minha experiência acumulada na vida pública e minha postura ética de sempre lutar pelas coisas certas. Sou pré-candidato, mas sem pressa. Estamos elaborando um plano de governo de acordo com as necessidades da população paranaense”.

Prioridade

Na entrevista, Osmar Dias disse que o plano de governo está em fase de elaboração, mas é certo que investir em infraestrutura será prioridade. “O Estado precisa retomar os investimentos em infraestrutura. Setores como o agronegócio e a indústria dependem disso. Precisamos investir e assim gerar mais empregos. Cada região tem suas características e estamos trabalhando para oferecer um desenvolvimento harmônico para todo o Paraná. Além disso, outro setor que precisa de investimentos é a segurança pública, que precisa não só de recursos, mas também da parceria com a população”, afirmou.

Osmar Dias também comentou sobre a queda nas receitas estaduais e a decisão do Governo Richa de não reajustar os salários dos servidores pelo segundo ano consecutivo em função do desequilíbrio fiscal. Para o pré-candidato, o ajuste fiscal é necessário, mas o servidor não pode ficar sem o reconhecimento de seu trabalho. “A reforma fiscal é necessária, mas é preciso ter cuidado para não elevar a carga tributária das micro e pequenas empresas, que geram 60% dos empregos no estado. O que precisamos fazer é reduzir os gastos com a máquina pública, diminuindo cargos comissionados e até mesmo a frota de veículos do governo. Mas reduzir gastos não significa não dar reajustes aos servidores. O que está na lei tem que ser cumprido. Sou a favor que se comprove a eficiência de cada funcionário público, mas é preciso valorizar cada servidor”, disse Osmar.

Prazo

Os pré-candidatos nas eleições de 2018 têm até o início de abril para definir por qual partido vão disputar os cargos. Por enquanto, os nomes colocados ainda extraoficialmente para disputa ao Governo do Paraná, além de Osmar Dias, são: o deputado estadual e ex-secretário de Desenvolvimento Urbano, Ratinho Jr. (PSD) e a vice-governadora Cida Borghetti (PP). Há ainda a indefinição de que rumo tomará Roberto Requião (PMDB), se tentará voltar ao Executivo estadual ou se vai buscar a reeleição ao Senado. Já partidos como o PT e o PSDB não definiram ainda se terão candidatos próprios.

Fonte: Banda B

1 Comentário


“Meu filho é candidato a governador”, diz Ratinho

O comunicador Carlos Roberto Massa, o Ratinho, disse ontem terça-feira, 19, que seu filho, o deputado Ratinho Junior (PSD), é candidato ao Governo do Paraná em 2018.  “Ele (Ratinho Junior) estudou, se preparou, buscou experiências bem sucedidas de gestão no exterior e pelo Brasil, está construindo uma agenda que prioriza o desenvolvimento de todas as regiões do Paraná. É um ótimo gestor público, provou isso na Secretaria de Desenvolvimento Urbano, e traz sua experiência como administrador na iniciativa privada. Reúne todas as qualidades para ser o próximo governador do Paraná, é candidato a governador e eu, como pai, estou muito feliz por mais esse desafio que o Junior enfrenta”, disse Ratinho.
Ratinho estará em Maringá nesta sexta-feira, dia 22, às 18h30, para evento do PSD na Câmara Municipal de Maringá. No envento serão debatidos problemas da cidade e da região, no ciclo de eventos #paranáinovador.

1 Comentário


Em entrevista coletiva, governador rebate acusações

O governador Beto Richa afirmou nesta segunda-feira que as acusações atribuídas a ele na Operação Quadro Negro são falsas, levianas e irresponsáveis. “Vou dizer com todas as letras: é mentira”, disse, reforçando que a delação do empresário Eduardo Lopes de Souza não traz uma única prova. “Todas as acusações deste criminoso não merecem crédito. Ou querem transformar um criminoso contumaz em herói?”

Segundo Richa, os ataques que está sofrendo são fruto de ilações, e ressaltou que a delação sequer foi aceita pela Justiça. “Se não tivesse mencionado o governador, estaria preso até hoje. Inventou esta historinha para conseguir a liberdade, e conseguiu”, relatou Richa. “Como não existiu nada do que ele inventou, vai voltar para a cadeia”.

Richa reafirmou que não há fato concreto na delação e lamentou a violação do segredo de Justiça do processo, fato que classificou como grave. “A verdade vai aparecer e prevalecer. O segredo de justiça é para proteger pessoas de bem e houve uma violação”, destacou.

O governador também vai entrar com uma representação judicial contra Souza, proprietário da Construtora Valor e responsável por desvios de recursos na construção de escolas. “Estou absolutamente tranquilo. Não tem participação minha neste conluio e ele vai responder na Justiça as acusações que faz contra a minha pessoa”.

DEMISSÃO – O governador explicou que adotou as medidas necessárias para punir a empresa e seus responsáveis, além de servidores, desde que apareceram as primeiras suspeitas contra a construtora, em 2015. “De imediato, determinei a demissão de todos os servidores envolvidos”, disse. “As informações levantadas foram repassadas à Polícia Civil, Ministério Público e Tribunal de Contas para as medidas cabíveis”, lembrou.

Segundo Richa, as medidas resultaram em investigação criminal e prisão dos suspeitos na operação que foi batizada pela Polícia Civil de Quadro Negro. Além disso, a construtora e seus responsáveis foram punidos pelo Governo do Estado. A empresa foi declarada inidônea para participar de licitações e recebeu uma multa de R$ 2.108.609,84.

Em outra frente, a Procuradoria-Geral do Estado entrou com ações civis públicas na 1.ª, 4.ª e 5.ª Varas da Fazenda Pública por dano ao erário contra a construtora Valor e seus dirigentes, incluindo Eduardo Lopes de Souza. Os pedidos de indenização pelos danos causados ao Estado somam R$ 41.091.132,80. “Todas as medidas cabíveis foram tomadas para reparação e ressarcimentos ao erário, e punição dos envolvidos”, afirmou Richa.

Ele lamentou que parte da imprensa não tenha divulgado as ações adotadas pela administração estadual contra a empresa e seus proprietários. “Também omitem o volume de recursos que aplicamos na educação. São 35% das receitas, algo que nenhum governo estadual está fazendo”, disse Richa.

Questionado se as acusações que vem sofrendo podem comprometer seu futuro político, Richa disse que não está preocupado com isso. “Não estou pensando em eleição. Digo sempre que minha honra, minha dignidade e a dignidade da minha família estão muito acima da política”, afirmou.

Comente aqui


Governadora em Maringá, hoje à noite

A governadora em exercício, Cida Borghetti, participará nesta sexta-feira (25), às 20 horas, no Moinho Vermelho, Maringá, da entrega do Prêmio Empresário do Ano Associação Comercial e Empresarial de Maringá (ACIM).
O homenageado deste ano é João Cantagalli, sócio da Crivialli, empresa fundada há 20 anos especializada em produtos de higiene e limpeza.
Cida assumiu o governo do Paraná em razão de viagem oficial de Beto Richa aos Estados Unidos e Canadá.

1 Comentário


Beto Richa aguarda pesquisa

O governador Beto Richa (PSDB) vai começar a intensificar as agendas aos sábados nos bairros de Curitiba. Isso significa que o tucano vai disputar um cargo eletivo em 2018? Ainda não. Apuramos que Beto Richa vai fazer uma pesquisa em fevereiro do ano que vem para definir se será ou não candidato. Enquanto isso, o governador vai percorrer os bairros de Curitiba. O destino de Richa é uma das respostas mais aguardadas no meio político paranaense. Concluir o mandato ou se licenciar para disputar uma vaga no Senado Federal? A decisão de Richa interfere diretamente no cenário político. Caso o governador permaneça até 31 de dezembro de 2018, os planos de Cida Borghetti terão que ser modificados. Por sua vez, os possíveis candidatos ao governo do Paraná aguardam o destino de Richa para negociar a vaga ao Senado Federal na chapa em troca de apoio dos tucanos. Em fevereiro o governador deve resolver o rumo que dará à vida política. Caso permaneça no governo, Richa deve se concentrar na coordenação da campanha presidencial do PSDB no Paraná pensando em um futuro ministério.

1 Comentário


Na frente, em Londrina

Alexandre Kireeff

Informação chamou a atenção. Mesmo sem nunca ter se colocado publicamente como pré-candidato ao Governo do Estado, o ex-prefeito de Londrina, Alexandre Kireeff (Podemos), apareceu com 26% das intenções de voto para as eleições de outubro de 2018, em pesquisa realizada pelo Instituto Multicultural em parceria com a Folha de Londrina e a Rádio Paiquerê AM.
Esta foi a primeira vez que o nome do empresário apareceu em uma pesquisa ao Governo do Paraná. Chama a atenção estar à frente de políticos que já se lançaram pré-candidatos, como o secretário estadual de Desenvolvimento Urbano, Ratinho Júnior (PSD), com 23,5%, do o ex-senador Osmar Dias (PDT), que apareceu com 14%, do senador Roberto Requião (PMDB) que apareceu em quarto lugar, com 4,5% e a vice-governadora Cida Borghetti (PP), com 3,5%. Os que não sabem em quem votar somaram 28,5%.
“O que se vê é que os votos dele vêm especialmente de Requião e de Osmar Dias, que caíram bastante em relação à pesquisa anterior”, analisou Edmilson Vicente Leite, diretor estatístico do Instituto Multicultural. A pesquisa estimulada ouviu 602 moradores das áreas urbanas e rural de Londrina, entre os dias 15 e 17 de julho, e tem intervalo de confiança de 95%.
“Fiquei positivamente surpreso com o resultado da pesquisa pois sequer sabia que meu nome havia sido incluído como pré-candidato. Agradeço sinceramente essa manifestação de confiança da população”, comentou Alexandre Kireeff , empresário do setor do agronegócio.

1 Comentário


Todos querem Osmar

Osmar Dias, do PDT, recebeu hoje pela manhã a bancada de deputados e a direção do PSB do Paraná. Segundo o deputado Luiz Claudio Romanelli, que lidera o time, a reunião tratou obviamente das eleições de 2018. Afinal, o PSB só pensa naquilo, levar Osmar para sua sigla e tê-lo como candidato a governador. A estratégia é aquela da água na pedra dura, tanto bate até que fura. Presentes na reunião, os deputados Romanelli, Alexandre Curi, Tiago Amaral e Jonas Guimarães, e o presidente estadual do PSB, Severino Araújo.

1 Comentário